sábado, 31 de janeiro de 2009

SÁ CAVALCANTI (Foto Arquivo Verneck)
MACIEL GONZAGA*
Não é novidade que os administradores públicos, em geral, e os prefeitos brasileiros, em particular, devem agir de acordo com a lei e sujeitar-se a oportuna e regular prestação de contas perante a sociedade e órgãos especializados destinados a esse fim. Lamentavelmente, aqui no Nordeste, estima-se que praticamente todos os ex-prefeitos estarão sendo questionados, na Justiça, no Tribunal de Contas ou pelo Ministério Público, ainda que por intermédio de inquéritos civis, por mau uso do dinheiro público.
Pois bem! No tempo da minha adolescência, na década de 60 em Pombal, ouvi muitas vezes a minha avó Bernardina Francisca do Livramento (Dona Bernardina, como era conhecida), que chegou a esta cidade em 1933, dizer: “O maior prefeito que eu conheci em Pombal foi Sá Cavalcanti”. Resolvi, então, abordar este assunto em artigo. Pesquisei bastante. Perguntei aos meus irmãos Massilon e Marcelina se ambos se lembravam das palavras da vovó. Marcelina nem tanto, mas “Nego” Massilon me confirmou: “Lembro sim!. Inclusive tenho conhecimento de que a nossa avó foi lavadeira de roupas da casa de Sá Cavalcanti, e sempre estava repetindo que ele foi o maior prefeito de Pombal”.
Não me contive. Procurei falar com o grande historiador Verneck Abrantes e buscar informações sobre esse homem público que, mais de 70 anos depois, dignifica a nossa cidade. Segundo “Nequinho” (gosto sempre de lhe tratar assim), em 1927 Francisco de Sá Cavalcanti, foi nomeado Prefeito Municipal de Pombal, ficando no cargo até o fim do ano de 1928, momento em que sucede a João Suassuna, no Governo do Estado, o Dr. João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, que exonera todos os Prefeitos da Paraíba. Em sua primeira administração, instala a primeira Empresa de Luz de Pombal, na época a única cidade do sertão paraibano contemplada com tal beneficio.
Nasceu em 1896 na cidade de Sousa-PB. Chegou em Pombal no ano de 1921 e se casou em 1923, com Raimunda Queiroga de Sá (Dona Mirinha), filha do chefe político José Ferreira de Queiroga, ela com 14 anos de idade e ele com 27. Da união nasceram: Albaniza Queiroga de Sá, Albarosa, Albérico, Albiner, Alda, Albania e Alberuza. Quando residiu em Pombal, Sá Cavalcanti tinha uma loja para comercializar tecidos, chapéus, sapatos, bengalas e outros produtos do vestuário masculino.Em 1935, Francisco de Sá Cavalcanti é eleito prefeito de Pombal, para o período de 1936/ 1940, pelo Partido Autonomista de Pombal, assumindo a Prefeitura pela segunda vez. Derrotou Janduhy Carneiro, que concorreu e perdeu pelo Partido Progressista. Assim, Sá Cavalcanti foi o primeiro Prefeito de Pombal eleito diretamente pelo povo. Sua administração destaca-se pela eficiência do seu trabalho e honestidade. Na administração iniciada em 1936, constrói o Coreto e a Praça Rio Branco, hoje denominada de Bar Centenário e Praça José Queiroga. Edifica a Coluna da Hora, constrói a Praça Getúlio Vargas, o Açougue Público, inaugura a Usina de Luz do distrito de Malta, são criadas várias escolas primarias e o primeiro Código de Postura Municipal. Fez aquisição de um terreno e instalou um horto florestal para educação agrícola e arborização da cidade, entre outros investimentos pelo governo estadual, destacando a construção da Ponte do Areial sobre o Rio Piranhas, em 1939. Como prefeito, Sá Cavalcanti tinha como seu “braço direito” na administração (Secretário Municipal) um grande pombalense, um intelectual, homem de visão administrativa e com inestimáveis serviços prestados ao nosso município: Antônio José de Sousa, conhecido por “Toinho de Souza”, que, inclusive, o substituiu como prefeito por cerca de 30 dias, em 1940, quando Dr. Argemiro de Figueiredo é afastado da Interventoria da Paraíba, dando lugar para o novo Interventor Federal, Dr. Ruy Vieira Carneiro, o qual exerceu o cargo até 16/09/1945. Aqui abro um parêntese para afirmar que “Toinho de Souza” é o meu padrinho de batismo. O prefeito ainda delegou ao seu Secretário Municipal, organizar os limites intermunicipais entre os municípios vizinhos de Coremas, Sousa, Catolé do Rocha, Brejo do Cruz e Patos, sendo posteriormente, transformado em Lei Estadual.
Ao ser substituído pelo Interventor Dr. Paulo Alfeu de Miranda, que assume o cargo no dia 06/09/1940, Sá Cavalcanti viu logo todas as suas obras paralisadas, o que fez com que se tornassem mais fortes as desavenças partidárias em Pombal, conflitos de idéias e fortes discussões políticas, entre os partidários de Dr. Queiroga (José Ferreira de Queiroga) e da família Carneiro Arnaud. Assim foi que, no silêncio da noite, uma estátua de Argemiro de Figueiredo, em tamanho natural, instalada na recém construída Praça Rio Branco, foi quebrada e jogada no Rio Piancó. Meu pai, José Firmino de Luna, que tinha 23 anos na época, confidenciou-me certa vez que fez parte dessa “empreitada”.
A administração de Francisco de Sá Cavalcanti se destaca pela eficiência do seu trabalho e honestidade na aplicação dos recursos públicos. Com o seu afastamento do cargo, Pombal foi quem perdeu, observando-se que além das obras concluídas o prefeito ainda deixou grande quantidade de materiais para a construção dos mercados de Paulista, Malta e Lagoa (na época distritos de Pombal) e na cidade, para construção de um hospital, outra imensa quantidade de materiais. Sá Cavalcanti faleceu em 19/02/1968, com 72 anos de idade. Até hoje ainda é considerado o melhor Prefeito de Pombal.
*Jornalista, Advogado e Professor. Natal-RN.
Verneck Abrantes*
Em 1910, a cidade de pombal tinha, praticamente, quatro ruas definidas e outras casas isoladas. A construção da rua principal obedecia á formação de um quadrado, com suas casas conjugadas, sem jardins. No meio dessa rua, a Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso. Na parte de baixo, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e, também, compondo a parte urbanística da cidade estava à Casa do Mercado (hoje, o Pombal Ideal Clube), construído pelo português Bernardino José da Rocha, e que deu nome à antiga Rua do Comercio (hoje, Rua Coronel João Leite). A pequena população urbana usufruía a comercialização de diversos produtos do consumo básico, quando aos sábados, acontecia à feira dentro da Casa do Mercado e arredores. Naturalmente, a cidade não tinha automóveis, os produtos oriundos das atividades agropecuárias eram transportados em lombos de burros, cavalos, jumentos ou carros de bois, por estradas de terras e pelas veredas do sertão pombalense.
Em 1919, à medida que a esfera pública foi se estruturando, com o crescimento econômico e populacional da cidade, o então prefeito municipal, coronel João Vieira Queiroga, pensou na modernização e criação de um novo e mais amplo espaço público para servir de Mercado, que oferecesse mais organização e conforto para a população local. O projeto, artisticamente elaborado em um modelo moderno para os padrões da época, não constava, no entanto, à parte elétrica, banheiros nem instalações hidráulicas, naturalmente, porque não existia estrutura para isso, também, era algo que fugia ao costume local da época.
A obra deveria ser iniciada com recursos da prefeitura e colaboração de fazendeiros abastados da região, visto as dificuldades do governo Estadual e Federal em repassar recursos financeiros para os municípios. A oportunidade, no entanto, foi frustrada, porque no ano de 1919 as chuvas de inverno não aconteceram, caracterizando-se uma grande seca na região. Com os recursos escassos, e não tendo outra opção, o prefeito fez um empréstimo de vinte contos de réis à municipalidade. Para efeito de comparação, naquele ano os cofres públicos renderam doze contos de réis e fração a Prefeitura, as rendas municipais eram, realmente, insignificantes. Em meio à seca estabelecida, os trabalhos do Mercado Público foram iniciados com a mão de obra ociosa dos trabalhadores rurais emergenciados, chamados de “casacos”, e parou quando os recursos terminaram. Depois de um longo período com as obras paralisadas, em 1926, no governo municipal de Odilon José de Assis, foi o trabalho retomado e, logo depois, por falta de recursos, novamente paralisado.
Em 1932, o ano foi marcado por mais um período de escassez de chuvas, diante da situação, o então prefeito municipal, Dr. Janduhy Carneiro, aproveitando as verbas de emergência concedida pelo Governo Federal para sanar a calamidade pública local, realizou novos melhoramentos no Mercado Público, fazendo a cobertura de um dos pavilhões, incluindo-se a madeira respectiva. Em seguida, surge mais um longo período de paralisação, e novos melhoramentos só foram ocorrer na gestão do prefeito Francisco de Sá Cavalcanti, em 1940, mas a conclusão da obra ainda ficou pendente. Finalmente, assumiu como Interventor Federal do Governo da Paraíba, o pombalense Dr. Ruy Carneiro, conhecedor da morosidade da obra, repassa recursos para o prefeito municipal, Dr. José Gregório Medeiros, que não medindo esforços, concluiu a tão sonhada obra em 1942, depois de 23 anos de impedimentos administrativos.
Na inauguração do Mercado Público, no dia 31 de dezembro do referido ano, prefeito e autoridades discursaram, foi afixada uma placa comemorativa na lateral de um dos portões da frente do prédio, a banda de música tocou velhos dobrados, depois, saudosas marchinhas pelas ruas da cidade. A população irradiante, finalmente pode admirar a magnitude da obra, plena, acabada como havia sido idealizado em 1919. O Mercado Público está localizado em uma grande área do centro mercantil de Pombal, estrategicamente dividindo outros prédios com exclusividade comercial. Antigamente esses prédios tinham formas padronizadas em arte decorativa, uma influência que lembrava o modernismo da arquitetura de alguns prédios construídos na Europa.
O Mercado Público no seu acabamento final estava composto dos pavilhões sombreados, destacando-se oito torres divididas por quatros portões de entradas, em madeiras de lei, com a inserção de grades e ferros fundidos. Na rusticidade de suas paredes construídas com tijolos prensados, sobressaia o frontispício, a modernização dos desenhos em alto relevo se harmonizava com arquitetura projetada, destacando-se também às clarabóias – que serviam para ventilação e entrada de luz.
O Mercado abria aos sábados, dia estabelecido por Lei Municipal para ocorrência da feira. A comercialização acontecia em sua na parte interna, quando se ofereciam os produtos básicos da produção agropecuária regional: arroz, feijão, milho, farinha de mandioca, batata doce, mel de abelha, rapadura, queijo, manteiga, fumo de rolo, banana, manga, pinha, cajá, cajarana, goiaba, caju, melão, melancia, coentro, cebola, cebolinha, alho etc.
A falta de outro local mais apropriado, o Mercado ainda serviu para festas dançantes, na base de candeeiros, ao som da sanfona, triangulo e zabumba. Também, ali se brincou o carnaval. Nos anos de 1970, sem nenhum critério de preservação, o poder público municipal concedeu o direito de algumas modificações na estrutura do prédio. Em suas laterais foram abertos diversos pontos comerciais para parte externa, quebrando a beleza da sua originalidade. Na parte interna, suas dependências foram modificadas, a cobertura e os velhos portões alterados, indevidamente. Hoje, resta o conjunto estrutural do empreendimento e a lembrança de um espaço que foi orgulho dos pombalenses, um prédio majestoso, erguido na gestão de cinco prefeitos, fortalecendo os laços urbanos e rurais do nosso município.
*Escritor e Historiador pombalense.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

CLEMILDO BRUNET*
Vinte anos são passados, foi no dia de 30 de janeiro de 1989, que faleceu vítima de acidente automobilístico após um show na cidade de Pesqueira - PE, o cantor e compositor Carlos Alexandre, cujo nome de batismo era Pedro Soares Bezerra; natural de Nova Cruz – RN. Nasceu no dia 01 de junho de 1957. Já adulto foi morar em Natal, onde deu início a sua carreira artística.
Segundo seus amigos ele era por demais família. Apesar da insistência dos que o acompanhavam para não viajar logo após o show, pois queriam descansar, ele respondeu de modo taxativo – “o que é isso? Descanso só depois de morto! Enquanto tiver forças, saio dos shows e vou direto para casa, não agüento ficar longe de Solange e dos meninos”. Infelizmente, chegou em casa sem vida.
Carlos Alexandre foi ajudante de padeiro e costumava nas horas vagas cantar em comícios. Numa dessas ocasiões o deputado Carlos Alberto (RN), animador de programa de auditório e conhecido como o Sílvio Santos do Nordeste, ficou convencido que o ajudante de padeiro seria sucesso no disco; com livre trânsito que tinha nas gravadoras conseguiu um contrato experimental na RGE, tendo Carlos Alexandre correspondido às expectativas. Daí então, a partir de 1978, nunca mais deixou as paradas de sucesso.
Seu disco de estréia foi um compacto com a música “Arma de Vingança” e no ano seguinte estourou com a música “Feiticeira” vendendo mais de 500 mil cópias, o que lhe valeu o primeiro disco de ouro da sua carreira. Garante o seu antigo divulgador Aarão Perlov, que essa música era a cara do Carlos Alexandre e foi com ela que o cantor ficou conhecido em todo país. Passou mais de um ano nas paradas e se tornou o prefixo musical da entrada da saudosa jurada Aracy de Almeida no show de calouros do programa Silvio Santos. E assim fez sucesso, um atrás do outro. “A ciganinha” emplacou. Foi o seu segundo maior sucesso; a letra da música, conta a história de um rapaz que deseja pedir uma cigana em casamento. “Índia e Cartão Postal” também freqüentaram a lista das mais tocadas. O sucesso do cantor teve uma dimensão tamanha que em vida chegou a ganhar 15 discos de ouro. Cantores como Bartô Galeno e Giliard chegaram a gravar músicas do cantor. Suas composições ganharam destaques também em outras vozes, recebendo os aplausos do público romântico de Barros de Alencar, Ismael Carlos, Bartô Galeno, Giliard e tantos outros. O Quinto LP da Carreira de Carlos Alexandre, “Revelação de um sonho” 1982, foi em homenagem ao cantor popular Evaldo Braga, morto em 1973, em acidente automobilístico, sete anos depois Carlos Alexandre, também nas mesmas condições, viria a óbito. O disco fez com que reascendesse a saudade dos fãs do ídolo negro e foi o mais vendido na época. O cantor explicou para a repórter Ângela Toledo, da revista Sétimo Céu, a razão da homenagem: “Como Evaldo Braga estava muito esquecido, me propus a fazer um trabalho para reabilitar sua memória e depois porque sempre me identifiquei com o que ele cantava” Seguindo a linha de Evaldo Braga, Carlos Alexandre, inseria sentimento de traição, vingança e revolta nas letras das músicas que cantava nos moldes de uma interpretação dramática.
Outra curiosidade na vida do artista foi a promoção do Cantor mascarado da Buzina do Chacrinha. Carlos Alexandre cantava a música “Feiticeira” com o rosto encoberto e Chacrinha distribuía prêmios para quem acertasse o nome do cantor mascarado; este foi o maior incentivo ao sucesso do ídolo popular, pois, o quadro na Buzina do Chacrinha, repetiu-se por várias semanas.
Em 1999, seu filho Carlos Alexandre Júnior, fez um tributo ao pai com a música “Tributo ao Meu Pai” primeiro CD pela gravadora GEMA lançado em 2000. Mas, a mais importante homenagem prestada ao cantor depois de morto, foi a peça realizada pelo Produtor Cultural, Marcelo Veni no dia 02 de junho de 1999, no Teatro Alberto Maranhão, em Natal. O espetáculo recebeu o nome de “Vem Ver Como Estou” (título de uma música de Carlos Alexandre e Nando Cordel), do disco que leva o mesmo nome gravado em 1984). Nesse show, cantores da nova geração do Rio Grande do Norte, fizeram uma releitura da obra do artista homenageando-o, fazendo enfeites nas músicas velhas, com blues, rock e pop. Nomes conhecidos como: Júnior Baiano, Cristina Holanda, Cantus do Mangue, General Junkie, Cleude Freire, Babal, Além de Carlos Alexandre Júnior e Marina Elali, cantora conhecida no Brasil pelo sucesso na trilha sonora da novela “Páginas da Vida”, homenagearam o ídolo.
No dia 20 de setembro de 1985, Carlos Alexandre esteve em Pombal pela segunda vez e concedeu entrevista ao programa “A Tarde é Nossa” da Rádio Maringá AM. Ainda tenho guardado no meu acervo a gravação do Programa, oportunidade em que acompanhado de um violão, ele interpretou ao vivo, várias músicas de seu vasto repertório. Nessa ocasião, o cantor tinha vindo fazer um show no Gram Tyanito Circus, que se encontrava armado na Rua de Baixo ao lado do Colégio Josué Bezerra.
“Carlos Alexandre era e fazia questão de ser popular, por isso se tornou um dos maiores vendedores de música brega do país”, afirmou José Eudo, disck-jóquei de uma rádio de Natal. Concordo plenamente. Eu mesmo testemunhei, ao convidá-lo para fazer uma vinheta do meu programa com sua voz, no que fui prontamente atendido. Tendo como fundo musical a melodia “Cartão Postal”, Carlos Alexandre assim se expressou: “Oi Gente. Aqui quem fala é Carlos Alexandre, escreva muitas vezes para o programa A tarde é Nossa, o programa do nosso amigo Clemildo Brunet e ganhe no final do mês um LP meu, tá... Carlos Alexandre”.
Neste dia 30 de janeiro vamos lembrar mais uma vez do nosso Carlos Alexandre, são vinte anos que ele se foi, no entanto, podemos matar saudades, ouvindo as músicas de seu grande repertório recheado de sucessos. “Eu estou distante, mas estou lembrando de você amor/ Estou lhe escrevendo com o coração partido de dor/ Pois estou sentindo uma vontade louca de beijar teus lábios, abraçar seu corpo e ficar quase morto com um beijo seu/ lhe falar de mim e não repetir a palavra adeus”...
*RADIALISTA

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

FRANCISCO VIEIRA*
A saudade tem o seu DIA ESPECIAL – 30 de janeiro. Contudo, ela é vivida diariamente por nós. É que, todos os dias sentimos saudade de algo que aconteceu em nossas vidas e ficaram marcadas em nossa memória, portanto, são partes da nossa história.
Segundo o sentido etimológico, a palavra saudade vem do latim: solitate, que literalmente significa solidão. Numa visão mais ampla, o termo vem de solitude ou saudar de tal forma que quem sofre é a pessoa que fica esperando alguma coisa ou alguém. Assim, entende-se como melancolia em decorrência de uma lembrança ou recordação.
Na verdade o termo saudade tem sentido bastante vasto e uma amplitude dimensional. Por conseguinte, dentro dessa abrangência, podemos encontrar a seu respeito as mais diversas e célebres definições, todas ligadas à memória como sentimento de melancolia, causada pela ausência de algo ou de alguém precioso, pelo afastamento de um lugar ou coisa importante. Saudade é em suma uma mistura de lembranças recheadas de nostalgia e suavidade, que sentimos das pessoas seguidas do desejo ardente e incontido de vê-las ou possuí-las outra vez A palavra saudade consiste num termo próprio da língua portuguesa definida como substantivo abstrato. Enquanto isso, em outros idiomas, como: inglês, francês, alemão e até mesmo no castelhano é enorme a dificuldade em defini-la ou dar-lhe um significado preciso. Dada a sua complexidade por mais que tentem não conseguem explicar o que realmente sentimos. Parece até que nós brasileiros somos privilegiados. É como se nossos sentimentos tivessem mais pureza, por isso, somente nós através da riqueza da nossa língua conseguimos defini-los. Diante, pois de tantas imprecisas definições devemos vivê-la em toda sua plenitude, lembrando sempre que o presente será saudade no futuro e que o hoje será saudade amanhã.
É evidente que a saudade se manifesta de formas diferentes e nasce de fontes diversas. Sentimos saudades de momentos vividos, pessoas distantes ou falecidas, lugares, fatos e, principalmente, de um grande amor. Em suma, não há um vivente sequer que não a tenha sentido. Seja qual for à origem da saudade ela é uma só, mesmo ditas em diferentes palavras.
A saudade é o sentimento que mais toca a sensibilidade humana. Ora alegra, às vezes maltrata. Por isso, tem sido um tema bastante divulgado em filmes, teatro, prosa e versos. Realmente tornou-se crônico, independente do gênero literário, do estilo e até mesmo do autor. Afinal, a expressividade é um sentimento pessoal onde cada um se manifesta conforme é capaz. Particularmente, embora desprovido de veia poética, destaco a poesia. É nela que se encontra a expressão mais íntima, portanto, mais profunda. Em versos, com a sabedoria própria dos poetas – privilegiados de DEUS – eles manifestam como ninguém o sentimento da alma. Eles e somente eles, conseguem unir harmoniosamente pontos divergentes, como: alegria e tristeza, amor e ingratidão, passado e presente, bem e mal.
Almejando a todos um DIA DA SAUDADE repleto de boas lembranças, ouso mencionar uma sextilha de autor para mim desconhecido. Na estrofe, o poeta evidencia o lado perverso da saudade que maltrata e corrói a sensibilidade humana. Ciente disso e extremamente cuidadoso recomenda cautela, prevenção. Senão vejamos: “Se quiser plantar saudade/ Escalde primeiro a semente/ Plante num lugar bem seco/Onde o sol seja bem quente/Pois se plantar no molhado/Machuca o coração da gente.”
Aprofundando-se na vastidão do sentido da palavra verificamos o uso da frase: “matar a saudade”. Entende-se esta expressão como sendo uma forma de designar o seu desaparecimento. É como se relembrando fatos fosse possível tirá-los da lembrança, apagá-los da memória. Entretanto, observamos que ao tentar inutilmente “matar a saudade” estamos na verdade trazendo as lembranças á tona e assim, dando-lhe mais vida. É que a saudade não morre. Apenas adormece para despertar depois e machucar nosso ego.
Bem, vou parar por aqui e me recolher ao meu relicário de saudades. Vou alimentá-la com pensamentos. Vou flutuar ao som de melodias e embriagar-me no odor de perfumes inesquecíveis. Vou imaginar fotografias, lugares, momentos vividos. Vou também reviver velhos amores, e me deleitar nos braços daquela que me conquistou ao ponto de me levar ao altar e jurar espontaneamente união indissolúvel – LENICE.
Bem, vou mesmo parar, pois já estou com saudades.
*Professor e ex Diretor da Escola Estadual João da Mata.

sábado, 24 de janeiro de 2009

MACIEL GONZAGA*
Um assunto por demais delicado, que ainda não foi abordado com a devida seriedade pela chamada grande imprensa, mas que merece ser questionado com mais profundidade para que se possa separar o joio do trigo. Trata-se indiscutível a proliferação dos blogs e sites no mundo moderno, onde o uso de ferramentas tecnológicas passou a ser imprescindível no dia a dia das pessoas de todas as classes sociais. Essa tendência é uma realidade hoje, já que ter um ou mais computadores em casa será tão normal quanto a aquisição de eletrodomésticos como geladeiras ou televisores.
A informação on line chegou para ficar e tende, pois, se expandir além do que viermos a imaginar. Entretanto, e sem a preocupação de estar cometendo qualquer injustiça, deveria haver determinados limites a serem obedecidos para os que utilizam da nova tecnologia, não na expressão do seu pensamento ou na emissão de opiniões ou de narrativas sobre o que ocorre à sua volta. Refiro-me, sobretudo, aos inescrupulosos que se dizem valer de informações “quentes” e que se aproveitam desses novos mecanismos para ludibriar, macular, ultrajar e até para ameaçar de extorsão os que supostamente atravessam seu caminho. Muitos não são jornalistas ou radialistas. Nada sabem sobre a ética profissional, nem muito menos têm o menor compromisso com ela. Aliás, a nossa profissão, como as demais, não está imune ao pecado da safadeza e do mau caratismo, mas é inquestionável que a grande maioria exerce a atividade com consciência e respeito à sociedade.
Um weblog, blog, ou caderno digital é uma página da Web, cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável, chamados artigos ou "posts". Estes são, em geral, organizados de forma cronológica inversa, costumam abordar a temática do blog e podem ser escritos por um número variável de pessoas, de acordo com a política do blog. No nosso caso aqui, PORTAL CLEMILDO, COMUNICAÇÃO E RÁDIO, é um exemplo para a cidade de Pombal, a Paraíba, o Brasil e o Mundo de seriedade, responsabilidade, ética e profissionalismo.Quero esclarecer que a minha função, nesse exato instante, é de completa isenção em relação aos blogueiros, embora reconheça que esteja sendo impulsionado pela razão e pela emoção. Mas, é inadmissível que se use os meios que se tem para fins escusos e intoleráveis.
*Jornalista, Advogado e Professor. Natal – RN.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Severino Coelho Viana
Em carta enviada a Direção deste Portal, o Promotor de Justiça Severino Coelho Viana, ressalta o artigo, "JOVEM CLUBE DE POMBAL".
Considerando os fatos narrados por ele de suma importância para a história do aludido Clube, transcrevemos na íntegra sua missiva:
João Pessoa – Pb, 22 de janeiro de 2009.
Estimado amigo Clemildo Brunet: Lemos com muita atenção o seu artigo publicado no blog, intitulado de “JOVEM CLUB DE POMBAL”, quando você retratou com muita proficiência as atividades realizadas por aquela entidade composta de jovens idealistas que marcaram uma época e contribuíram para o crescimento cultural, esportivo e

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009


Clemildo Brunet*

“Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dá a meia volta, volta e meia vamos dá”. Quem não lembra essa cantiga de roda de crianças, fazendo um círculo e de mãos dadas com passos iguais acompanhando o ritmo da modinha? Pois bem, eu não fiz parte do Jovem Clube de Pombal, porém acompanhei a sua trajetória, em virtude da programação ter sido divulgada pelo Lord Amplificador, Serviço de Alto Falantes de minha propriedade, nos idos da segunda metade dos anos 70.
A análise que eu faço em relação ao jovem daquela época para os dos dias atuais: O jovem de ontem tinha uma postura de comportamento diferenciada das do jovem de hoje. A desenvoltura da classe estudantil que lutava por um ideal com manifestações populares, em defesa daquilo que almejava receber da sociedade de seu tempo. Há de se perguntar para onde foram o idealismo e

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Jerdivan Nóbrega de Araújo* Através do decreto n° 20.859,d e 26 de dezembro de 1931, o Ministério de Aviação e Obras Públicas criou o departamento de Correios e Telégrafos, através da fusão Diretoria Geral dos Correios com a Repartição Geral dos Telégrafos, e publicou a aprovação do regulamento da nova organização administrativa, sob a chancela do Ministro José Américo de Almeida e ato do Chefe do governo provisório da Republica dos Estado Unidos do Brasil, Getúlio Vargas.
Ruy Carneiro era o oficial de gabinete do Ministério de Aviação e Obras Públicas, convidado pelo Ministro José Américo de Almeida. Talvez por esse motivo a Paraíba foi contemplada com inúmeras obras publicas, como a construção das Agencia de Correios das cidades de Alagoa Grande, Areia, Cabedelo, Mamanguape, Monteiro, Patos, Itabaiana, Princesa Isabel, Santa Luzia, São João do Cariri, São João do Rio do Peixe, Soledade, Sousa, Taperoá, Teixeira e Pombal. Todas estas obras fizeram parte da ação do Governo utilizando a verbas destinada a obras emergenciais contra a seca que na época assolava o nordeste do Brasil .
No dia 15 de julho de 1829 foi criada agência do Correio Público de Pombal, regulamentada através da Diretoria Geral dos Correios do Império. O atual prédio dos Correios teve a sua construção iniciada no ano de 1932, pensada e construída com base em projetos padronizados, existentes em muitas cidades, o que instituiu a chamada arquitetura postal brasileira. Foram mantidas nesses prédios a incorporação de áreas destinadas a residencia. Ainda hoje em algumas localidades, não é mais o caso de Pombal, a agencia dos Correios ainda é ocupada, em seu pavimento superior, pelo gerente da Agencia.
O padrão utilizado para as agencias foi o de linhas art décor. Hoje não mais faz parte da politica do governo a construção de agencias e sim o aluguel, terceirização ou cessão por prefeituras de prédios para abrigar as agencias. Porém, a ECT retomou a politica de melhoria destas unidades com o objetivo de aprimorar a padronização do atendimentos, melhorando as condições de saúde e trabalho dos seus empregados.
A agencia dos Correios de Pombal, que será inaugurada nesse dia 30 de Janeiro, ainda funcionará com o mobiliário antigo, tendo em vista o lento processo licitatório, porém por pouco tempo, pois brevemente serão trocados todos os móveis e equipamentos feitos sob encomenda através de estudos técnicos de soluções ergonomia, beneficiando os empregados, o que acontecerá em todas as agencias de Correios do Brasil a uma custo final de três bilhões de reais, isto até o ano de 2012.
Esta reforma com a ampliação veio depois de 77 anos de inaugurada aquele prédio e era muito esperada pelos empregados, principalmente os Carteiros que trabalhavam em um local inadequado, em face de crescimento da cidade e foi realizada de forma a não alterar o projeto inicial uma vez que faz parte do centro histórico da cidade e foi tombado por decreto governamental no ano de 2001.
Ainda tenho em minha memória o velho Ribinha, único Carteiro da cidade, montado em sua velha bicicleta, fazendo seu malabarismo nos dias feiras, com uma mão no guidão da bicicleta e a outra a segurar um maço de cartas. Naquela época sabia-se de "có e salteado" o endereço dos moradores da cidade. As correspondências eram entregues em qualquer lugar onde o destinatário costumava frequentar e não necessariamente em seu endereço. Ribinha (José Ribamar Veríssimo), só para lembrar, trabalhou nos Correios de Pombal do dia dois de agosto de mil novecentos e cinquenta e dois a vinte e nove de fevereiro de mil novecentos e oitenta e quatro.
*Escritor pombalense.

sábado, 17 de janeiro de 2009

EMUDECEU O SOM DO NOSSO SAX DE OURO!
Toda história tem seu começo e fim. E, todo ser que nasce inicia a sua história única e insubstituível. Partindo destas premissas, notificamos que em 26 de dezembro de 1928, nasceu no nosso Torrão natal, uma criança que na expressão popular, clamaram: “é homem!” E, no Batismo recebeu o nome de Manoel de Souza. De origem humilde, Maria Luzia da Conceição, sua genitora, resolveu doá-lo a saudosa senhora Donária, que honrou a sua maternidade com muita dedicação e amor. Esta foi a razão de ficar conhecido por Manoel de Donária. Manoel recebeu uma formação condigna como filho e como um ser social. Conviveu com sua irmandade em plena harmonia recebendo todo carinho e amor. Com essa influência recebida ele tornou-se um rapaz educado e afetuoso. Vale ressaltar, que, Manoel, desde criança manifestou inclinação para a música. Lembro-me bem, quando em João Pessoa, há muitos anos passados, visitei Negreiro, filho adotivo de professor Newton. Ele com ansiedade de saber notícias de Pombal e dos seus amigos contemporâneos, perguntou por Manoel de Donária, quanto à música. Eu respondi que ele era um maestro de polpa, e, imediatamente Negreiro evidenciou um fato, que Manoel, aos oito anos, já tocava Brasileirinho num realejo, enfatizando ainda, que ele seria, com certeza, um grande músico.
O talento é dádiva de Deus e Manoel jamais fugiria dos ditames da sua infância, abraçando o desafio, unindo o seu pendor ao seu sentimento de prazer, procedeu no uso de instrumentos, repercutindo como um excelente saxofonista e grande maestro. Foi funcionário público federal da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, em João Pessoa, localizado na Praça Pedro Américo. E, como de costume, nas horas de lazer, deleitava-se com a bela música. Expandiu a sua juventude feliz e realizada. Notadamente foi flechado pelo cupido, contraindo núpcias com a jovem Maria do Socorro Clemente, compondo uma família de quatro filhos: Maria de Fátima, Manoelzinho, (em memória), Maria da Glória e Marcélio, dos quais, obteve oito netos.
O segundo matrimônio, com a jovem Maria Clidismar Silva, em que, Bibia e eu, tivemos a honra de sermos testemunhas por força de amizade, sobretudo, com ela que era minha amiga desde a infância. Formando um par bonito e sensível ao amor, construiu uma prole de cinco filhos: Márcia Maria, Malba Delian, Magda Cilene, Marcelo e Márcio Wendel, estes, os coroaram com onze netos. Possuía ainda três filhos de relacionamentos extraconjugais: José Nildo, (em memória), Cleide e Maria.
Atuou como regente dos corais das Igrejas: “Nossa Senhora do Bom Sucesso”, “Igreja do Rosário” e a de “São Pedro” todas em nossa cidade.
O amor e a dedicação pela música fizeram de Manoel um brilhante músico na coordenação de eméritos maestros, a exemplo de João Pereira Fontes, Elizeu Veríssimo, João Alfredo de Sousa, destacando-se finalmente como um extraordinário maestro. Participou em diversas Bandas: “Santa Terezinha”, “João Alfredo”, estas, em nossa Terra e a da Prefeitura de Catolé do Rocha sendo o maestro desta, por volta de 1991 a 1997. Faço conhecer aos nossos leitores, que Manoel foi incumbido pelo seu maestro João Fontes, para copiar a partitura do Hino de Pombal, no “Velho Arraial de Piranhas” (Pombal), primeiro livro da história da nossa terra, escrito pelo emérito historiador e escritor sertanejo e paraibano, Wilson Nóbrega Seixas.
Evidencio ainda um fato muito importante do seu atendimento para comigo. Ao precisar da sua participação no acompanhamento instrumental, para uma montagem que realizei, registrando obras importantes da nossa terrinha, em que seria exibida numa Gincana, do Festival de Destaque da Cultura e da Arte, na cidade de São Bento de Brejo do Cruz, cuja tarefa predeterminada era apresentar as obras Culturais e Artísticas de sua cidade, em que um grupo de alunas do “Josué Bezerra”, recebeu aplausos e foi destacada a nossa cidade, principalmente pelo brilho deslumbrante de sua participação. O nosso trabalho, em epígrafe, . Homenagem pelo aniversário de nossa cidade, (participação minha); . Apresentação do livro: “O Velho Arraial de Piranhas”, (pelas alunas de (Pombal); . Execução do Hino de Pombal, (pelo Coral de São Pedro e grupo (Seresteiro); . Execução da Canção popular, Maringá, (por Bilino Queiroga); . Execução da Marchinha Rancho, “Meu Pombal”, da autoria do pombalense, Anísio Medeiros, que também era músico e poeta, executada pelos mesmos grupos de seresteiro e coral de São Pedro. Valendo a pena, dizer que, todos estes trabalhos foram acompanhados com brilhante maestria por Manoel, fazendo a nossa cidade em Destaque. (Ficarei devendo a exibição dessa montagem em CD, noutra oportunidade, por via rádio), para que nós pombalense possamos crer a importância do nosso querido e saudoso maestro, Manoel. Manoel foi sem duvida, um grande contribuinte como instrumentista nas Belezas da melodia da nossa terrinha.
Após os setenta anos entra em depressão, motivado pela saúde e lamentavelmente afastou-se de todo convívio amigo, até mesmo do maior, que era o seu sax. Foi acometido por uma insuficiência vascular cerebral que levou a morte, O HOMEM DE POUCAS PALAVRAS, MAS DE MUITOS AMORES E AMIGOS! UM AMANTE DA MÚSICA E DOS ANIMAIS! (filhos) O nosso querido maestro partiu para a morada eterna, naquele dia 8 de dezembro de 2008, simbolizado na figura de Nossa Senhora da Conceição, aos setenta e nove anos de idade, deixando o exemplo de sua bondade, humildade e de seu firme caráter de pombalense que amava a sua terrinha, abrindo nos nossos corações um espaço ocupado pela SAUDADE!
É necessário que se faça homenagem a este grande pombalense, pois homenagear é uma manifestação de sensibilidade daqueles que amam e reconhecem o mérito dos amigos! Conhecer o homem é preciso conviver com ele, procurando entendê-lo em todas as circunstâncias de vida. Ser amigo é saber transmitir confiança ao outro, é praticar a fidelidade no seu convívio, é amar com segurança, aceitando as diferenças dos outros.
Eis ai, com muita vigor de carinho, a nossa HOMENAGEM AO GRANDE HOMEM, ILUSTRADO MAESTRO E ADMIRÁVEL AMIGO! Carinhosamente dizendo que: EMUDECEU O NOSSO SAX DE OURO!
Maria do Bom Sucesso de Lacerda Fernandes. Poetisa e escritora de Pombal. Para contato: cessalacerda@yahoo.com.br Para comentário: www.clemildo-brunet.blogspot.com

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

CLEMILDO BRUNET*
Ouvimos tanto falar em crise que nos deixa a pergunta, até quando? É crise nos relacionamentos, na cidade, no meio rural, no comercio, na indústria, na economia etc. Existe até a chamada crise existencial plantada no interior de cada um de nós e só quem pode sondar é Deus. O salmista Davi exclama: “Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas”. Sl. 19:12.
Se não bastasse a crise nos relacionamentos, a televisão com suas novelas em horário nobre têm contribuído com sua dramaturgia com exemplos que incentivam o desmoronamento das famílias corroendo a célula mater da sociedade.
A cidade também não está imune a crise devido o seu crescimento populacional, com outra crise que se estabelece com o êxodo rural que se registra constantemente; o setor urbano sofre inchação e, por conseguinte a falta de moradia e estrutura básica faz com que gere uma crise sem precedente para os nossos governantes. Falta de emprego no setor público e privado tem ocasionado verdadeiro vexame para os que procuram os centros urbanos.
A revista Época de 12/01/2009 traz uma reportagem sobre um empresário alemão que se suicidou por causa da crise econômica. Adolf Merckle considerado um homem ultra reservado, virou notícia em quase todo mundo com sua morte. Segundo a família o motivo teria sido à “precária situação econômica de suas empresas provocada pela crise financeira, bem como as incertezas das últimas semanas”. A família encontrou o corpo do empresário, depois de ele se suicidar ao deitar sobre uma linha de trem, a 300 metros de sua mansão, em Ulm, sudoeste da Alemanha. A reportagem registra ainda que outros dez já fizeram o mesmo e pergunta será uma onda como em 1929?
Já existem indícios de um rescaldo dessa crise em nosso país. A crise econômica internacional que parecia tão longe e que o nosso presidente Lula se mostrou otimista considerando uma “marolinha” do tsunami externo para nós, hoje ela é vista de modo diferente. Há pouco tempo se pensava que estava distante, no entanto, está chegando com força ao Brasil.
A economia tem sido agravada numa velocidade sem tamanho nos últimos meses e tende a se estragar ainda mais nos próximos meses. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a produção industrial, caiu em 5,2% em novembro em relação a outubro. A maior queda registrada em 13 anos.
E os conflitos no oriente médio entre Israel e o Hamas. Outra crise e tanto que chama atenção da mídia pela quantidade de mortes. Em 2006 um grupo de origem terrorista obteve maioria no parlamento palestino era o Hamas, que tomou o poder do Fatah, partido político mais moderado. O fatah foi expulso de Gaza pelo o Hamas e se isolou na Cisjordânia. Daí então, o Hamas radicalizou seu discurso anti-Israel.
O Exército de Israel em novembro matou seis palestinos por ter descoberto um túnel em Gaza que seria supostamente usado para seqüestrar soldados israelenses. Em represália o Hamas retomou o lançamento de foguetes contra Israel, encerrando uma trégua que havia se estabelecido desde junho.
Não é de agora que o exército de Israel padece essa crise. O rei Davi revela o sofrimento de seu povo por causa do inimigo à porta e pergunta para Deus: “Até quando se erguerá contra mim o meu inimigo?” Sl. 13:2b.
Finalmente, crise entre as muitas definições que o dicionário da nossa língua nos fornece pode ser: 1- estado de dúvidas e incertezas; 2 - tensão, conflito; 3 - fase difícil, grave, na evolução das coisas, dos fatos, das ideias; 4 - ponto de transição entre um período de prosperidade e outro de depressão. *RADIALISTA.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Prezado amigo, Clemildo! Parabéns, por mais um expressivo texto.
Não é surpresa, dizer que aprecio a leitura dos seus textos pela forma particular de se expressar com evidência os fatos que ocorreram e ocorrem com você e pessoas ligadas a sua amizade. Desta feita, a brilhante biografia ou bonita história do nosso amigo Genival Severo. Os relatos produzidos por você em textos anteriores não deixaram nenhuma hesitação aos seus leitores, porque foram escritos com transparência e muita propriedade de conhecimentos. Você escreve com amor, segurança e responsabilidade, construindo uma imagem nítida do fato narrado. A sua extraordinária memória nos fascina e estimula a ler os seus escritos com esmero e dedicação. Posso até dizer, que, você, Clemildo é um escritor que faz diferença, pois às mais das vezes, comprovamos a sua sensibilidade incondicional de narrar os fatos com veracidade, além de prová-los com muita propriedade cristã, através de belas lições bíblicas. Querido Clemildo! Sou cativa dos seus escritos porque conheço a sua idoneidade e sua pureza de amor ao que escreve. Obrigada a Deus por você existir, amigo fiel admirável e incomparável. Através do seu bom gosto de escrever e prestar homenagens foi que tivemos oportunidades de conhecer pessoas ilustres e destacáveis da nossa terrinha. E, desta feita, pude saber que o pai de Genival era xará do meu. Genival foi privilegiado por Deus, para solenizar todo abertura do ano, se bem que, nasceu no primeiro de janeiro. Parabéns! Mesmo atrasado, e, muitos anos de vida. Que bom ficar conhecendo a sua história. Menino inteligente que aos sete anos teve o primeiro contato com o rádio receptor e sempre manifestou o pendor para a comunicação. De índole genuinamente sertaneja e nordestina, fazia o que gostava, isto é, desde jovem dominava os programas de forró e de música popular brasileira, a exemplo de: “Varandão da Casa Grande” (forró), “ A Tarde é Nossa” ( música popular brasileira). Ainda hoje mantêm um programa aos sábados na rádio Liberdade 96 FM de Pombal. Gostei também de saber que você foi um Pagador de Promessa, e, perspicaz, voluntariamente construiu a sua cruz de madeira. Parabéns a Clemildo e Genival pela amizade fiel e conservadora, exemplo para muitos que não conhecem este valor.
Cessa Lacerda.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Genival Severo (foto)
CLEMILDO BRUNET*
Genival Severo de Queiroga nascido em 01 de janeiro de 1946 no Povoado de Várzea Cumprida dos Leites Município de Pombal Paraíba, filho de Cícero Severo Lopes e Maria Urtiga de Queiroga, cuja família formada pelos irmãos: José Severo de Queiroga residente em Campina Grande e Geny Severo de Queiroga que reside em Pombal.
Aos cinco anos de idade seus pais se mudaram de Várzea Cumprida dos Leites, para o Distrito de São Domingos e lá Genival viveu sua infância e adolescencia. Aos sete anos de idade, Genival teve o seu primeiro contato com um rádio receptor. São Domingos não tinha energia elétrica, o pai de Genival adquiriu em Coremas um rádio de 4 faixas que funcionava a bateria, foi o primeiro aparelho de rádio que apareceu naquele distrito.
Era grande o movimento de gente na casa de seu Cícero só para ouvir o rádio. A preferência do Pai de Genival era pelos programas noticiosos e ouvia sempre A Voz do Brasil. Genival, no entanto, gostava de ouvir música e sintonizava a Rádio Dragão do Mar e Iracema emissoras de Fortaleza Ceará. Escutava também a Rádio Liberdade de Sergipe que tinha o programa “Carrossel da Alegria”, sendo ouvinte ainda das emissoras pernambucanas em ondas curtas Clube e Tamandaré. Apaixonado por música Genival ficava no pé do rádio até seu pai dizer: “Desligue esse rádio senão você vai acabar com a bateria”.
O Pai de Genival era simpatizante da religião protestante e não gostava de música popular, somente dos hinos que eram cantados na Igreja Presbiteriana de Imburaninha. Amigo que era dos pastores Ageu Lídio Pinto e Abel Cordeiro, seu Cícero costumava levar Genival para os Cultos em Imburaninha.
O transporte da época era o Jegue, cavalo só pra quem tinha alguma posse. Genival foi com seu pai em uma noite de Natal para Imburaninha. De longe o adolescente ouviu o som da difusora da Igreja trazido pelo vento; era a voz do cantor sacro Feliciano Amaral. Quando chegaram a Igreja foram bem recebidos. Genival corre e vai ao local onde a difusora estava funcionando. Admirado, vê um amplificador com o toca disco em cima rodando um disco de 78rpm. Foi neste momento que o meu amigo de fé, camarada, pensou: “No rádio deve ser assim também”. Desde então começou a nutrir sua admiração por difusora.
Seu Cícero faleceu e em 1961 a família de Genival, quando este tinha 15 anos de idade, resolveu vir morar em Pombal. Desembarcaram na Rua Preta por trás do Açougue. Na efervescência de adolescente, Genival, pregou uma peça para seu vizinho seu Romualdo pai do Dr. Cadaço e em cima da casa, colocava um ventilador em funcionamento cujo barulho assustava a todos.
Como todo garoto de seu tempo e manifestando o senso crítico que lhe é peculiar, Genival estudando no Ginásio Diocesano de Pombal, resolveu imitar o gesto do ator do Pagador de Promessa (Filme brasileiro exibido no Cine Lux), e apropriando-se de toras de madeira, fez uma cruz, carregando-a as costas na hora do recreio acompanhado pelos alunos do educandário, o que lhe rendeu uma suspensão de quinze dias, resultando na perda da série que estava cursando naquele ano.
O Cônego Luiz Gualberto diretor do Diocesano havia lhe dado a sentença e tinha por costume mandar bilhetes aos pais de alunos pelos mesmos, para as reuniões de pais e mestres. Genival escondeu de sua mãe a convocação. Mesmo suspenso, ele saia de casa de farda conduzindo os livros e cadernos simulando para sua genitora que estava assistindo aula.
O censo crítico de Genival chegou ao ponto de colocar apelido nos outros, antes que alguém antecipasse com um para ele. Conta-se que quando chegou a Pombal, pôs apelido em seus primos, a fim de se safar de um apelido que lhe deram lá em São Domingos.
Do conhecimento nasce a amizade,esta se consolida ao longo dos anos.Nem sempre o amigo é aquele que precisa está perto para ser amigo, pois a verdadeira amizade é cultivada mesmo a distancia. Minha amizade com Genival veio através do que temos em comum: Gostar de música e, por conseguinte admirar todo e qualquer instrumento que emita sons harmoniosos. Ele me disse certa vez que me tinha na conta de um irmão. Agradeci a honraria lhe dizendo que a recíproca é verdadeira. Genival Severo, amigo de fé, camarada. Amigo de fé - porque dentro de seus princípios de caráter soube manter até os dias de hoje sua fidelidade de amigo em assuntos informais, sempre comungando de modo fraterno dos ideais de ambos. Camarada - porque é amigo fraterno e cordial, colega, acessível, simpático. A despeito do exercício de outras atividades para seu sustento, ainda na adolescência demonstrou vocação para ingressar na radiofonia me acompanhando desde cedo nas difusoras e rádios de nossa cidade. Ainda hoje mantem um programa de rádio aos sábados na Rádio Liberdade 96 FM de Pombal.
Genival me conheceu quando certa vez ouvindo o som da radiola da casa de meus pais na rua do rio, resolveu se aproximar e falou comigo. Segundo ele, foi a primeira pessoa com quem fez amizade em Pombal levando em consideração que eu lhe ensinei o caminho do rádio. Sem demérito aos demais, para Genival, seus melhores amigos em Pombal, eu e José Avelino do Cartório (em memória).
Em 1966 instalei a Voz da Cidade serviço de alto falantes que tinha acoplado um transmissor de ondas curtas de fabricação caseira e nos dava a oportunidade de adentrar aos lares de nossa cidade. Genival a meu convite veio participar pela primeira vez do rádio; fazia o que gostava, pois comandava os programas como: “Varandão da Casa Grande” (forró) e “A Tarde é Nossa” ( música popular brasileira).
Depois, veio o Lord Amplificador, fizemos uma parceria no sistema sonoro volante no qual Genival era meu sócio. Em 1982 era instalada a Rádio Maringá de Pombal AM, do Grupo empresarial Francisco Pereira; Nessa época Genival trabalhava no Cartório de Zé Avelino. Como Diretor Comercial e Artístico daquela emissora, convidei-o para colaborar com a programação da mesma, apresentando o programa de forró, no “Sertão da Paraíba”.
Em janeiro de 1967 foi nomeado escrevente do Cartório do 2º Ofício de Pombal, onde permanece até hoje, apesar de aposentado desde 1994, pelo o então Presidente do Tribunal de Justiça Desembargador Antonio Elias de Queiroga. Genival é casado com Geane Lacerda sua prima e tem uma filha de seis anos e meio de nome Ana Clara. É fã das músicas dos cantores: Paulo Sérgio, Waldick Soriano e Roberto Muller. O dia 1º de janeiro foi seu aniversário natalício em razão disso lhe rendo minhas homenagens, como amigo de Fé, camarada.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Amigo Ronaldo
Acabo de voltar de Pombal, minha cidade natal, onde fui passar estes feriados com os meus pais. Pensava encontrar uma cidade mais calma, sem a parafernália daqui, sem ter que ser vítima da “sono pornografia" a que você se refere. Na praça principal de Pombal, onde passei minha infância embalada pelas modestas canções em difusoras instaladas nos postes, fiquei cercado por uns dez carrões com suas tampas erguidas, e o que mais observei é que os garotões ficam disputando o maior volume de som para seus veículos. Que loucura. Na virada do ano, eu tinha que gritar "Feliz Ano Novo" a um ou outro conhecido, pois era impossível dizer em voz baixa. Também vi os passos autômatos daqueles jovens infelizes pensando que são felizes demais. E realmente sem companhia feminina, geralmente grupos de 4 a 5 rapazes, nus da cintura para cima e com meio palmo de cueca saindo pelo cós da calça jeans. Algumas garotas, quando surgiam, geralmente se retiravam antes do fim da festa. Claro. Como iniciar um namoro sem o papo, já que os sons estavam sempre altos? Os kits de Ron montilla, ao lado de cada carro, integravam a cenografia desse ambiente de solidão disfarçada. Como vê, a epidemia realmente existe. E já chegou em Pombal. Lá, existe um clube no centro da cidade de uma grande importância histórica e cultural para o município. Trata-se do Pombal Ideal Clube, o lugar onde brinquei meus carnavais e onde dancei agarradinho em muitos "assustados", como se diz em nossa terra. O que mais me chocou não foi o fato de ver o clube fechado no dia de ano novo, foi ver a porta do clube servindo de sanitário a esses tristes playboys com caras de felizes.> Quero parabenizá-lo por sua bela crônica, porque passei o meu ano atravessando esse mesmo inferno que você viu em Cabedelo. E também porque penso em escrever às autoridades de Pombal, manifestando o meu protesto. Não tenho sugestões, como você pede. Talvez tenhamos que denunciar mesmo, fazer abaixo-assinados, ou do contrário estamos condenados a nunca mais bater um papo na mesa. Um grande abraço do amigo, com votos de feliz ano novo e muita literatura.
Tarcísio Pereira

10 Anos

DEZ ANOS DE BLOG Clemildo Brunet* Para brindar tão glorioso acontecimento, ele acontece juntamente com os duzentos e nove anos de imprensa em nosso país, justamente na semana que intercala as duas datas importantes para os nossos meios de comunicação: 1 de junho – Dia da Imprensa Nacional Brasileira e 7 de Junho Dia da Liberdade de Expressão.

Postagem Destaque

Jornalista e escritor faz revelação sobre importante político de Pombal e fala da história de “Maringá”

O jornalista disse o município tem avançado nessa nova gestão, mas precisa alavancar em áreas mais importantes. O Caldeirão Político ...

Quem sou eu

Minha foto
CLEMILDO BRUNET DE SÁ – Iniciou sua carreira radiofônica em 1961 nas antigas difusoras de Pombal. Em 1966 montou sua própria emissora “A VOZ DA CIDADE”, que teve o seu destaque na formação de muitos profissionais que atuam hoje nos veículos de comunicações como: Rádios, Jornais, TVs e Portais da Web. Em 1968 instalou o serviço de Alto Falantes “LORD AMPLIFICADOR”. Atuou no rádio como: Locutor, redator, comentarista, repórter e noticiarista. Foi correspondente durante dez anos do Jornal Estadual da Rádio Tabajara da Paraíba entre 1980/1990. Ex-diretor comercial das Rádios Maringá AM e Liberdade 96 FM de Pombal. Passando ainda pela Opção 104 FM de Pombal e Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras exercendo nesta última, suas atividades jornalísticas nos Programas, Rádio Vivo e Trem das Onze. Foi agraciado com a mais alta honraria da Assembléia Legislativa da Paraíba “A Medalha Epitácio Pessoa”, no dia 10 de junho de 2010. Aposentado, atualmente vem divulgando temáticas sobre o rádio, a cultura e a história de Pombal, em seu Portal CLEMILDO, COMUNICAÇÃO & RÁDIO. Sigam-me no Twitter: http://twitter.com/clemildobrunet

Arquivos do Blog

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.
CLEMILDO E SALES DANTAS EXIBINDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007".

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.
ELIEZER GOMES OFERECE LAUTO ALMOÇO AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET E AO CRONISTA ESPORTIVO JOSÉ CARLOS ARAÚJO.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
OS RADIALISTAS DA TERRA DE MARINGÁ QUE FORMAM A GRANDE COMISSÃO DA FESTA.

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
CERIMONIAL: ADELTON ALVES, LADEADO PELAS PROFESSORAS: DIANA E SONIA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
A GRANDE COMISSÃO COMPOSTA PELOS RADIALISTAS DE POMBAL.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ENTREGA DO CERTIFICADO "PARCEIRO AMIGO DA IMPRENSA" AO REPRESENTANTE DA CASA BORBOREMA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
ALDO NUNES DO SEBRAE RECEBE DAS MÃOS DE CLEMILDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO EM SEU DISCURSO AGRADECEU AS HOMENAGENS A ELE TRIBUTADAS.

AGRADECIMENTO

Meu querido Clemildo Brunet

Tomei conhecimento por intermédio de minha mãe, Dona Zélia que o nobre Jornalista tinha feito uma homenagem ao meu querido e inesquecível Pai, Cirurgião Dentista e Historiador Wilson Nóbrega Seixas, em seu Blog, de pronto como seu filho mais velho estou lhe enviando esse E-mail agradecendo em nome de minha família as atenções.

Do conterrâneo e amigo,

Antonio Chateaubriand Carneiro Arnaud Seixas

CONGRATULAÇÕES

Clemildo amigo,

Gostei de suas palavras sobre o nosso conterrâneo Paulo Abrantes. Você, como sempre, valorizando os filhos da terra. Abraços para você e para o homenageado.
Carneiro Arnaud

PASTOR CLODOALDO

Querido Clemildo
Agradeço a Deus a oportunidade que me concedeu de conhecer pessoalmente o meu primo Pr Clodoaldo. Os que confiam no Senhor são como águias, renovam-se e revigoram as forças. São ditosos e, asseguram-nos as escrituras, frutuosos todo tempo. As bênçãos de Deus se revelam na longevidade e a misericórdia Dele proporciona-nos ver os filhos dos filhos. No caso aqui , poderei dizer , primo dos primos. Tive o privilégio de conhecer, pessoalmente, o Pr Clodoaldo na ocasião das comemorações do centenário de nascimento do meu saudoso e amado Pai ( Flavio Brunet) . Como foi gratificante para mim, encontrar o Pr Clodoaldo , pois eu só ouvia falar dele. Não me lembro se o conheci quando ele era criança, mas tenho certeza que nunca nos havíamos encontrado. Depois que ele dedicou sua vida ao Ministério, encontrá-lo, como servo de Deus, foi como um refrigério a minha alma.
Lendo seu relato, vi como o Nosso Deus é Misericordioso com aqueles que obedecem a Sua Palavra. Posso imaginar como foi a vida desse homem de Deus que entregou sua vida para proclamação do Evangelho. Sei perfeitamente o quanto é difícil para um missionário iniciar um trabalho!! Mas sei, também, o quanto é agradável fazer a obra de Deus. As dificuldades se sobrepujam ao regozijo das nossas almas. Parabéns, Pr Clodoaldo, por mais um ano de vida dedicado ao serviço do Nosso Senhor Jesus Cristo, levando mensagem de Salvação. Parabéns Clemildo, pelo dom que Deus lhe deu. Você sabe, como ninguém, homenagear as pessoas que lhe são queridas. Um grande Abraço Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

PARABÉNS PELO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FlÀVIO BRUNET DE SÁ

Caro Clemildo,
Moro em São Luís, Ma, e já estive na Paraíba , terra querida do meu pai, que aí nasceu e morou até os dezoito anos, em Catolé do Rocha.Veio muito cedo para o Maranhão e aqui se estabeleceu. Faleceu em 1979, com 68 anos. Ele falava com saudades da sua terra e me fez gostar dela. Por isso, eu amo a Paraíba .
Associo-me às homenagens prestadas in memoriam, ao seu Flávio Brunet que não conheci pessoalmente, mas que admiro e respeito pelos seus feitos em prol da família, da igreja e da comunidade. Aprendi a admirá-lo também pelo amor a ele dedicado pela sua filha Rose Mary,
Parabéns pelas festas do centenário de nascimento desse ilustre paraibano que sem alarde , deixou um legado que se perpetuou nas novas gerações de filhos, netos , sobrinhos e amigos. Ao lado de D. Eunice, de saudosa memória,soube construir um patrimônio irretocável de amor, generosidade, e , sobretudo, de um testemunho de vida que o tempo não vai conseguir apagar.
E a você, de modo especial, toda a minha admiração pelo blog que destaca de forma brilhante essa comemoração. Que ela sirva de inspiração a todos quantos busquem como paradigma aqui na terra, um homem valoroso, trabalhador e temente a Deus. Seu Flávio aqui viveu de modo digno, desempenhando a contento a obra que lhe foi confiada por Deus
Com estima,
Dina Barreto da Silva

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO EMPRESÁRIO GENIVAL TORRES DANTAS EX-INTEGRANTE DO LORD AMPLIFICADOR NA DÉCADA DE 70.

AUSÊNCIA JUSTIFICADA!

Bom dia Clemildo!
Conseguir entrar no seu blog e vir todas as homenagens dedicadas a seu Flávio, mais do que merecido como todos nós sabemos.
Não podemos marcar presença, pois Júlio estava com problema alergico e tive medo de viajar.
Parabéns pelo seu maravilhoso trabalho.
Obrigado
JÚLIO E SÔNIA BRUNET

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O DESEMBARGADOR RAPHAEL CARNEIRO ARNAUD EM SEU DISCURSO REFERIU-SE AOS RELEVANTES SERVIÇOS PRESTADOS POR CLEMILDO A COMUNICAÇÃO PARAIBANA.

PARABÉNS, PELO BLOG

Elias Medeiros
Estimado Clemildo. Acessei seu blog. Parabéns. Encontramos poucos blogs hoje em dia como o seu. Um blog sério que promove valores (espirituais, familiares, amizades, etc) que muitos blogeiros esqueceram de ressaltar. Parabéns, portanto, pelo blog muito informativo e formativo. Elias e Fokjelina Medeiros

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.
CLEMILDO CUMPRIMENTA A MADRINHA DOS RADIALISTAS COM UM BEIJO.

COMENTÁRIO: O CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ.

Rivanilda Ramalho de Sá comentou sobre a sua postagem no blog



...tudo que ele faz será bem sucedido. Salmo 1.3 Assim é as coisas que você promove. Foi um evento perfeito organizacionalmente e emocionalmente... Uniu gerações da família...Agradável aos olhos de Deus. Parabéns!

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ACADEMIA DE LETRAS DE POMBAL ENTREGA CERTIFICADO HOMENAGEANDO OS RADIALISTAS DE POMBAL.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O JORNALISTA JOÃO COSTA EM SEU DISCURSO ENALTECEU AS QUALIDADES DO HOMENAGEADO!

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
DONA CESSA MADRINHA DOS RADILISTAS ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET.

NOVO CONTADOR DE VISITA INICIADO EM 27/06/12









SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU ESTA PLACA CARACTERIZANDO O RECONHECIMENTO DA CÂMARA DE VEREADORES!

JOÃO LEITE FILHO CUMPRIMENTANDO O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET NO MOMENTO DA ENTREGA DA COMENDA.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU MAIS ESTA COMENDA DAS MÃOS DO PRESIDENTE DA CASA.

MEU PRIMO GOSTARIA QUE VOCÊ POSTASSE A NOSSA GRATIDÃO PELA ORGANIZAÇÃO DA FESTA.

Pensava eu, em prestar uma homenagem ao meu pai, primeiramente agradecendo a Deus o que ele representou para sua família enquanto viveu. Depois queria que a meus filhos e convidados soubessem um pouco mais da vida desse grande homem. Abro aqui um parêntese para dizer, que vivemos no mundo de hoje em que honestidade é sinônimo de desvantagem. As pessoas só querem tirar vantagens uns dos outros sem se importarem do verdadeiro sentido da Vida. O ter é mais importante do que o SER. Sempre vi meu pai, pensando nos outros, nutria suas amizades com aqueles que gostavam não por aqueles que tinham maiores condições de vida. Sempre teve amigos verdadeiros. Voltando agora, dos meus pensamentos sobre meu querido e saudoso pai. Não poderia fazer o que pretendia sem ajuda desse importante comunicador. Clemildo fez o link do meu passado com o presente. Muito Obrigada, dileto primo!!!

Rose.

EMOCIONADA AO VER FAMÍLIA REUNIDA

Fiquei muito emocionada ao ver a família reunida. Agradeci a Deus por estar presente primeiro porque sei o quanto a minha avó Eunice ficaria feliz se viva estivesse; segundo porque considerei um milagre o meu chefe me liberar para viajar, já que havia muito trabalho no gabinete e me surpreendi quando ouvi ele dizer que considerava importante a minha presença no evento.
Não poderia imaginar uma homenagem mais bonita para o meu avô. Agradeço a todos que compareceram, principalmente, ao Pastor Clodoaldo, por ter sido um instrumento de Deus para trazer a mensagem, ao Dr. Clemildo pela organização de reunir todas as informações sobre o ”seu Flavio", aos meus tios Rose e Eli pela iniciativa, amo vocês.
Miriam Brunet

CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ!

Obrigada Clemildo pelo relato das nossas homenagens ao nosso Pai Flavio Brunet de Sá. Agradecemos a Deus, o que papai representou para nós, em vida. Comemoramos os 100 anos de nascimento dele. Esse exemplo de vida merecia ser lembrado até para as pessoas que não tiveram o privilégio de conhecê-lo. Fiquei muito feliz com o que aconteceu naquela noite. Agradeço de coração a todos que compareceram e, de uma forma ou de outra contribuíram para uma noite tão agradável. Uma noite de pura emoção!!! Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DOUTOR ATÊNCIO, MEU MÉDICO!

Gostei de ler o brilhante relato sobre a vida do Dr. Atencio. Ele foi o meu médico, nos primeiros meses de meu nascimento. Sempre ouvi a Mamãe e minha babá Raquelzinha falar sobre o Dr Atencio, da sua dedicação como médico. No ano de 2001, encontrei com a D. Cacilda em João Pessoa. Ela me reconhecendo como filha de Flavio Brunet de Sá e Eunice Ramalho Brunet foi logo me falando: “meu marido foi o seu médico". Eu disse que sempre tinha isso na minha lembrança que o Dr Atencio além de ser o meu médico era amigo da nossa família. Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DE ROSE MARY RAMALHO BRUNET MEDEIROS, PARA CLEMILDO BRUNET

• Rose Medeiros
Meu primo querido!!! Não tenho palavras para lhe agradecer o seu empenho de organizar e concretizar o meu sonho!!! Fiquei muito gratificada em poder fazer a homenagem para o papai . Ele ainda vive nos nossos corações!!!A fazenda Cajazeiras é tudo que podemos ter para que essa lembrança seja materializada. Fiquei recompensada com as palavras que ouvi ontem sobre o meu pai. Foi tudo o que pensei e idealizei, e isso não seria possivel sem a sua ajuda. Com todo meu carinho sua prima Rose Medeiros
01 DE AGOSTO: HOMENAGEM A CLEMILDO PELO TRANSCURSO DE SEU ANVERSÁRIO!

Deus está sempre contigo
Ele renova o teu coração
Unge os teus pensamentos
Sempre a vida com gratidão

Dar-te força e Coragem
E faz viver com emoção

A vida é sempre bela
Mesmo que haja provação
A Mão de Deus torna singela

Dar a ti felicidade
E a Saúde para viver

Cada momento de tua vida
O amor de Deus te faz sentir
Reinar em ti toda hora
Altivez está em ti
Com o teu dom a disputar
A estrela sempre a brilhar
Os teus anos vem florir

Maria de Lourdes P. de Almeida Araújo

COMENTÁRIO DE WJ.SOLHA

Beleza, meu caro. Alcancei o tempo do Cine Lux ainda de Affonso Mouta, com salas sempre cheias, ainda vejo na memória, o infalível padre Andrade a chegar mancando, vejo uma área reservada a prostitutas, vejo a infalível mãe de Eneida, esposa do colega do BB, Ramiroo, . a bilheteria na curva da esquina. Infelizmente posso dizer que seu Affonso, que mantinha um padrão alto de filmes que projetava, morreu em meu lugar. Ione, minha mulher, estava em Fortaleza, com um problema de saúde e pedi à Brasil Oiticica que, se fosse possível, me desse uma vaga em seu avião que ia semanalmente para lá. Tudo certo, mas, quando chegou o dia, recebi a ligação dizendo que, infelizmente, teriam de levar um motor que precisaria de reparos urgentes, só possíveis no Ceará. Era uma mentira gentil: tinham cedido o lugar a mim prometido para seu Affonso. Que foi tomar o avião e foi sugado pela hélice, que lhe abriu o abdôme. No Cine Lux sofri muito vendo os copiões de O Salário da Morte, um dos rolos completamente desfocado, pelo que tivemos de refilmar tudo de novo.
Quanto ao cinema de Patos, eu me lembro dele com o nome de Eldorado. Indelével porque o cine Eldorado, em Sorocaba, de onde eu viera, era o único cinema que eu jamais frequentara.
Boas lembranças. Bom texto, meu caro.

COMENTÁRIO: DIA DO PROFESSOR.

Prezado Clemildo,

Parabenizo o ilustre colunista, pelo brilhante artigo sobre a origem da data comemorativa 15 de outubro "DIA DO PROFESSOR", acredito que um grande número de colegas nossos, não conhecem o motivo pelo qual comemora-se nesta data. Fico honrado e agradecido (enquanto profissional) pelo encorajamento, incentivo e prestígio que o colunista faz ver ao leitor sobre esse profissional,... Que infelizmente não é reconhecido pelos nossos governantes. Uma prova da falta desse reconhecimento está no embate jurídico sobre o reconhecimento e pagamento do PISO SALARIAL.

Muito obrigado Clemildo, por lembrar dessa figura tão importante na formação dos demais profissionais. O PROFESSOR.

Curimatá(PI), 13 de outubro de 2012

Francisco De Assis Soares

FELICITAÇÔES

Caro amigo Clemildo, você me surpreendeu com o seu encantador artigo que molda parte da minha vida e de meus amigos em Pombal. A sua inteligência lhe acompanha pelos mais recônditos lugares de sua alma. Parabéns meu amigo, não merecia tanto, valeu para relembrar esses bons momentos relatados. Abraço do amigo Paulo Abrantes.

RIACHO DE PRATA: TERCEIRA OBRA LITERÁRIA DE PAULO ABRANTES!

Dr Paulo foi um imenso prazer conhecê-lo pessoalmente e poder ouvi-lo dia 30.09.11 na ocasião da inauguração da Biblioteca da Câmara Municipal de Pombal que leva o nome de nossa Mãe Maria do Bom Sucesso Lacerda Fernandes; com voz mansa e doce, falou com sua simplicidade sobre o evento que estava acontecendo e apresentou sua nova obra a qual fui premiado por vós e que vou lê-lo com muito apreço e depois comentar aqui mesmo neste blog.
Queria agradecê-lo em primeiro lugar, em meu nome e da minha família pela sua presença ao evento e pelo livro a mim presenteado, saiba que a sua amizade com meus pais é sincera e pura como o sentimento de uma criança, há fidelidade mútua e o amor fraternal vos une, extensivamente agora comigo e os meus. Sucesso com esta mais nova obra literária.GRAÇA E PAZ, AMÉM.
JUNIOR BOM SUCESSO
PATOS PB, 01.10.2011.

MARINGÁ: ...FICOU SENDO A RETIRANTE QUE MAIS DAVA O QUE FALÁ...

Meu caro Clemildo:
Histórias sobre Maringá sempre povoaram o imaginário de toda gente de Pombal ao longo do tempo, alimentando o desejo de desvendar essa história. No caso presente, Jerdivan Nóbrega, meu escritor predileto, traz á tona êste palpitante tema, no seu encantador romance, "A Saga da Cabocla Maringá", apresentando como nunca vi igual, uma idéia literária que empolga e gera tanta expectativa no seio da sociedade pombalense. Porquê popularmente a Maria do Ingá ,ou seja, "Maringá", é um hino de amor, é uma canção de louvor a nossa terra, é um idílio que não gostaríamos que tivesse sido interrompido, é afinal uma história, um desfecho que tinha de ser contado, e Jerdivan fez e fez muito bem. Clemildo você está como Jerdivan, cada vez melhor, acertando no alvo que o povo de nossa terra quer saber.
"A Saga da Cabocla Maringá", de Jerdivan Nóbrega de Araújo, é uma obra muito interessante, cuja magia está no enredo e na simplicidade de linguagem utilizada pelo autor em todos os momentos. È um livro que deve ser lido por todos. Parabéns a ambos.
Paulo Abrantes é engenheiro civil e escritor pombalense.

Olá Clemildo Brunet. Bom dia!
Beleza mesmo. Isso precisa ser acessado por todos os pombalenses. É cultura.
José Haroldo.

Caro amigo Clemildo:
Como é bom constatar o carinho que vocês têm por Pombal. Faz bem para a gente e serve de exemplo. Certamente "A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ" terá grande aceitação e já que o autor é seu amigo torço pelo sucesso dele.
Um abraço bem grande Clemildo.
Ubiratan. Curitiba PR.

CARÍSSIMO CLEMILDO.
Confesso, gostei imensamente do seu comentário sobre “A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ”, o mais recente livro do conceituado escritor pombalense Jerdivan Nóbrega.
A partir do título bastante sugestivo e oportuno você foi muito feliz na peça discursiva. Admiro seu elevado discernimento e a facilidade com que discorre o conteúdo da obra direcionando seus aspectos para os diversos lados.
Seu comentário é, portanto, uma sinopse da obra que por si só já nasceu grande, graças ao reconhecido talento literário do seu autor, do qual sou admirador.
Se hoje a Lenda de Maringá passou da canção para o livro, quem sabe amanhã seja encenada e exibida por esse Brasil afora. Seria a perpetuação de uma história que nasceu para sempre.
Enfim, este é o comentário que gostaria de ter feito.
Parabéns com louvores.
Prof. Francisco Vieira.

POMBAL, SEMPRE POMBAL
Caro Amigo e Conterrâneo,
Clemildo Brunet.
Essa história da cabocla Maringá se arrasta por muito tempo. Eu era criança pequena nos arredores de Pombal e ouvia falar de histórias e estórias da retirante. Quando surgiu a música, ela mexia com a sensibilidade de muitos idosos daquela época. Homens e mulheres se manifestavam: "como é 'penosa' essa história"!
Mas ninguém se propunha a desvendar o mistério que até hoje permanece rondando por essas cercanias. O nosso grande Ruy Carneiro, talvez tenha mantido um amor proibido. Proibido, dada a diferença de classe. Ele não foi o primeiro a frustrar-se em ocasiões tais.
Conta-se, por aí, que dois irmãos originários de classe média, conheceram duas irmãs de classe menos favorecida e mantiveram um amor proibido, até que chegou ao conhecimento do público. A mãe dos rapazes lhes pediu que não casassem com aquelas moças porque não faziam futuro nenhum. Eles a obedeceram, mas na seguinte condição: Um não poria mais os pés no chão de Pombal; o outro, resolveu abraçar a vida celibatária.O caritó, para as mulheres. Assim fizeram.
Quando ela, a mamãe, adoeceu eles vierem visitá-la. Um pediu que o levassem nos braços, porque não pisaria mais nessa terra, pois assim jurara. Assim cumpriu o seu pretexto. O outro,cumpriu o propósito de não mais se casar, foi servir na Polícia Militar do Estado do Parahyba,lutou na "Revolução de Princesa", obteve uma carreira bem sucedida, no Quadro de Oficiais. E, na reserva, chegou a ser Prefeito de Pombal. E muito trabalhou pelo Município. Fez o Distrito de Paulista tomar um impulso nunca visto.
Agora, advinhe quem foram eles...
Cansei de ouvir contar essa história, quando ainda menino de calças curtas.
Forte Abraço - JOSÉ SANTOS DINIZ

Prezado amigo Clemildo Brunet:
Fiquei feliz em reencontrar você em plena movimentação cultural, escrevendo sobre a "Cabocla Maringá", um blogueiro de primeira categoria. Quero dizer a você que o site do "Caldeirão Político" www.portalcaldeiraopolitico.net está aqui as suas ordens.
Você já leu o seu artigo "DA CANÇÃO PARA O LIVRO - A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ", já inserido no nosso site? Quero continuar transcrevendo os seus artigos. Pode encaminhá-los. Como também outras notícias de Pombal.
CHICO CARDOSO

Olá meu amigo!
Essa história da existencia em corpo e alma da cabocla Maringá, bem como a sua presença nas terras de Pombal, deixou-me encafifado por muito tempo. Busquei vesitigios da sua presença onde pudesse encontra-lo, Li a obra de Jose Gregorio que narra os principais acontecimentos de Pombal, exato no tempo que possivelmente a Cabocla poderia estar entre nós. Nada, nenhuma referencia àquela fascinante mulher. Conversei a exaustão com a minha Mãe, por sinal da mesma idade de Ruy. Amigos de infancia e adolescencia, estudaram juntos, por isso firmaram uma amizade que terminou com a morte de ambos. Minha Mãe dizia que esta mulher jamais existiu em Pombal. Em sendo Maringá dotada de uma beleza singular, com certeza a sua presença no lugar teria chamado atenção das moças da época. A única paixão de Ruy em Pombal, foi uma prima de minha Mãe cujo nome era Ana Dantas de Alencar ou Nina, na intimidade da familia. Afora essa moça, não há registro de que Ruy tenha namorado outra moça.com os supostos dotes fisicos de Maringá. Em resumo, Maringá nasceu no rio de Janeiro, Não tem Mãé, só tem pai cujo nome é Joubert de Carvalho. O resto é lenda e nada mais. Jerdivan, na construção da sua obra, sabiamente manteve essa questão fora da trama, com certeza para evitar questionamentos infrutiferos que podem desviar atenção da riqueza criativa e essencia do seu livro. Abraços Ignacio Tavares

COMENTÁRIOS SOBRE O LIVRO "RIACHO DE PRATA"

Distinto amigo Paulo Abrantes.
Li Riacho de Prata.Sua literatura é empolgante, sobretudo percebo tratar-se também, de um excepcional DOCUMENTÁRIO HISTÓRICO sobre a sua terra natal - POMBAL, em detalhes de um colorido fantástico, num reflexo de sentimento familiar, social, tudo ornamentado por um paisagismo impressionante. Sinto-me diante duma leitura amena, que conforta a alma e o espírito, trazendo ao leitor mavioso recreio, que, neste vendaval turbulento que ora vivemos, é a meu ver, um caleidoscópio oriental dos velhos tempos que se foram, revestidos de humanidade e ternura, valores que não já não vemos mais, tão frequentemente.
Do companheiro-alado, velejando no mundo da nossa internet.
MILTON ALVES
Auditor da Receita Federal.

Prezado Paulo Abrantes,
Venho agradecer pelo envio do livro "Riacho de Prata - Crônicas & Contos", de sua autoria.
Parabéns pela idéia de homenagear a sua terra natal, Pombal, incluindo além de seus próprios textos, os de outros conterrâneos.
Cumprimento-lhe ainda por proporcionar aos leitores essa "viagem" que remonta às origens e revivem na memória lembranças de momentos inesquecíveis, em sua vida, e certamente na de muitos pombalenses.
Atenciosamente,
Roberto CavalcanteCorreio da Paraiba

Como foi bom ler seu livro, Paulo Abrantes! Foi como se visitasse Pombal, mas não agora, e sim à época em que vivi lá, de 63 a 70! Quanta gente daquele tempo me veio à memória! Quanto riacho revivi, no seu texto gostoso, "em desabalada correnteza, ecoando um estalar de troncos e ramos partidos"!
Como foi bom saber que Nena Queiroga, que me encantou tanto com sua tranquila elegância, seus livros e suas viagens à Europa, também encantou você. Não sabia que ela ensinava religião!
E como foi gostoso ler o que você escreveu sobre a Rua Estreita, onde vivi a primeira cena do filme O Salário da Morte, na qual enchi a velha porta da farmácia do Epitácio com cinco buracos do que deveriam ser balas de festim!
Mas bom, mesmo, é o texto que v. produziu sobre A Rua Estreita, um desfile de personagens fabulosos, como seu Zé de Duca e a quebra de resguardo da mulher por conta de um lobisomem; como seu Hormídio puxando a gaveta para dela tirar o catálogo homeopático, com que curaria a pobre senhora; com o transe do espírita Generino, com a pregação de Pedro Marcelino!
Sucesso pra você e seu livro, meu caro!
W.J.Solha.

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO PIANCÓ: QUEM VAI CUIDAR DO NOSSO RIO?

Meu caro Clemildo, Pombal tem essa felicidade de ter filhos como você, filho que relata e traz guardado no peito uma história que agrada e reacende as lembranças de nosso tempo de banhos neste rio abençoado de tantas gerações. Obrigado pelas referências, este texto escrevi em momento de inspiração e de saudade. Um abraço fraternal, Paulo Abrantes

COMENTÁRIO SOBRE A POSTAGEM "Dr. Avelino, o médico: Uma das maiores lideranças Políticas de Pombal

Clemildo amigo,
Inicialmente os agradecimentos pela parte que me coube como médico filho de Pombal. Em seguida, parabéns pela homenagem feita ao Dr. Avelino. Abraços Carneiro Arnaud

Amigo Clemildo.
Além de brilhante, sua ideia foi por demais oportuna em homenagear a classe médica na pessoa do saudoso Dr. Avelino Elias de Queiroga.
Homenageando o inesquecível "Bolinha", você está resgatando com muita justiça um dos maiores expoentes de nossa história. Sua contribuição foi imensurável para com a nossa terra, não apenas como médico e político, mais sobretudo, como amigo, qualidades que lhe constituíram como um dos maiores líderes populares de Pombal e região.
Parabéns.
Abraços: Prof. Francisco Vieira.

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

FOTO DO ENCONTRO

FOTO DO ENCONTRO
EU E ROBSON PIRES

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.
Visita de Clemildo a Rádio Rural 95 FM em Caicó. Na foto com Clemildo os comunicadores Ronyson Nery e Yanny Danniely.
Tecnologia do Blogger.

CLEMILDO FAZ VISITA DE CORTESIA A COLEGA DE PROFISSÃO EM CAICÓ RN.

Nesta quarta feira dia (02), estive na Rádio Rural de Caicó, ocasião em que visitei o colega Robson Pires (pombalense), que apresenta o Grande Jornal Rural da emissora; fiz-lhe o convite para prestigiar a solenidade da entrega da Medalha Epitácio Pessoa. "Conheci o Robson menino nas ruas de Pombal, ele tinha o apelido de Pelé e eu costumava dizer é o único Pelé branco. Hoje em Caicó ele é temido por suas reportagens e conhecido como o Xerife do Rio Grande do Norte"

POMBALENSE ASSISTE PELA TV ASSEMBLÉIA, SESSÃO ESPECIAL DA MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Prezado Clemildo:
Impossibilitado de comparecer à Assembléia Legislativa para prestigiar o Ilustre conterrâneo no ato de recebimento da merecida Comenda, quando todos que o conhece, ficamos felicíssimos, venho, embora tardiamente, mas, nunca é tarde para recolher o seu grande valor, como profissional, como ser humano.
Submeti-me a uma cirurgia oftalmológica, mas fiz questão de ligar para o colega que me operou para que liberasse e fui liberado para assistir pela TV Assembléia, a tão honrosa Sessão Especial, ao lado de meu querido pai, aposentado dos Correios e Telégrafos, que com muito orgulho também prestigiou o filho do saudoso Seu Napoleão grande amigo dele.
Como médico orgulha-me de ser pombalense e de ter presenciado boa parte da sua crescente trajetória profissional no rádio.
PARABENS CLEMILDO BRUNET. DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO.
MANOEL ANGELO FILHO

AGRADECIMENTO!

Caro amigo Clemildo:
Agradeço sensibilizado pelos cumprimentos enviados na passagem do meu aniversário.
O tempo passa depressa e a gente nem sente. Eu sou muito grato a Deus pela longa vida que me deu, pela família com que me brindou e pelos amigos com os quais fui presenteado e entre os quais você se destaca.
Muito obrigado pela carinhosa homenagem, desejo a você e seus familiares um Feliz Natal e de um Ano Novo de muitas alegrias com as bênçãos de Deus.
Um grande abraço.
Ubiratan.

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL DE FIM DE ANO

CONDOLÊNCIAS

A passagem para o Oriente Eterno do Irmão Francisco Fernandes da Silva, conhecido por Bibia, esposo de Dona Cessa poetisa pombalense falecida a um ano, foi uma grande perca para a Maçonaria brasileira e para a nossa Pombal. Aos seus Familiares manifetamos sentimentos de pêsames rogando ao GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO que os iluminem e guarde para sempre. Alberto Salgado Bandeira e Fátima Bandeira

Caro amigo Clemildo!

Ao ler no seu conceituado Blog a noticia da morte do amigo Bibia, confesso que fiquei confuso por algum instante. Logo Bibia? Perguntei-me. É isso mesmo, ninguém pode fugir dos ataques traiçoeiros da maldita morte. Sem querer desmerecer os demais amigos e amigas, aqui em Pombal, dois casais de amigos faziam a diferença para mim: refiro-me ao compadre Belino e comadre Lili, ambos de saudosa memória e a Bibia e Cessa. Quantas e quantas vezes a gente se reunia lá na casa do alto para jogarmos conversa fora! Depois do falecimento de Belino e Lili, restaram-me Cessa e Bibia. E agora? Ora, só me resta preservar na memória os bons momentos de convivência harmoniosa que mantivemos por dezenas de anos. Bibia, peço ao Senhor Jesus que lhe dê a paz e a felicidade que você sempre desejou em vida. Ademais, tenho certeza de que o seu encontro com a sua amada Cessa será comemorado com grande festa patrocinada por todos os amigos que estão na eternidade. Aos filhos e netos desse belo casal que Deus reclamou, desejo-lhes muita paz e conforto, pois vale a pena lembrar que morte não é o fim, é apenas uma passagem de uma vida para outra, Aceitem todos meus sentimentos.
Ignácio Tavares

DE UBIRATAN LUSTOSA: RECEBI O LIVRO

Ubiratan Lustosa
Para CLEMILDO BRUNET
De:
Ubiratan Lustosa (ulustosa@ulustosa.com)
Enviada:
sábado, 29 de outubro de 2011 19:02:10
Para:
CLEMILDO BRUNET (brunetcomunicador@hotmail.com)
Olá, amigo Clemildo.

Recebi o livro "Riacho de Prata", de autoria do seu amigo Paulo Abrantes, e agradeço a sua gentileza de me enviar esse presente. Na primeira folheada já percebi que vou saber mais sobre a sua Pombal querida e isso me trará muita alegria. Por coincidência, gravei meu programa na quarta-feira, para ser apresentado domingo, e nele estará a música "Maringá", com Carlos Galhardo. Aproveitei para lhe mandar um abraço.
Renovo meus agradecimentos e envio um grande abraços a você, pedindo que seja extensivo ao autor Paulo Abrantes.
Ubiratan.
Curitiba - PR.
LINK: http://www.e-parana.pr.gov.br/modules/programacao/radioam_ao_vivo.php
DO PROGRAMA DE UBIRATAN, APRESENTADO ÀS 6 HORAS DA MANHÃ DOS DOMINGOS (NOSSO HORÁRIO).

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
EM SEU DISCURSO CLEMILDO FEZ UM RELATO HISTÓRICO DA RADIOFONIA POMBALENSE E LEMBROU VELHOS COMPANHEIROS!

COMENTÁRIOS: A EVIDÊNCIA DA MÚSICA BREGA...

Clemildo Brunet,
Sua matéria publicada sobre o BREGA é excelente e muito oportuna e irá contribuir para a aprovação do Projeto de Lei.
José de Sousa Dantas -Poeta e Escritor pombalense.

Adilson Ribeiro
clemildo brunet, parabéns pela matéria sobre o brega. As vezes eu acho que se Elvis presley fosse brasileiro, ele não passaria de um cantor de brega. Então eu só quero dizer que nao adianta fugir, qualquer cantor brasileiro é brega. Não pense que... Caetano Veloso é menos brega do que Waldick. A América, a Europa, nao gostam de brasileiros. Porque o próprio brasileiro não se gosta, quer ser americano de qualquer jeito. Ver se lá em nova york, tem alguma frase em portugues. Aqui no Brasil é pit stop, personal trainer, as propagandas de produtos é quase tudo em inglês. Temos que nos valorizar. Um cantorzão como o Nilton Cesar, se fosse americano, era o rei de qual coisa. Porque o americano se ama e ama seus idolos. Parabéns ao nobre deputado Tião Gomes, que dê certo sua iniciativa em relação ao brega.
Adilson Ribeiro - Cantor e Compositor.
Ananindeua, Brazil.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.
Radialista Clemildo Brunet ladeado pelo Vice Geraldinho e a Prefeita Polyana.

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

TIBURTINO GOMES DE SÁ: SEGUIDOR DO BLOG COM MUITA HONRA!

Seu blog, meu caro primo Clemildo é muito profundo e de muito conhecimento, próprio da família, que diz - "Sá quando não é inteligente demais é 'doido'" Brincadeira. Já sou seu seguidor com muita honra. Mais tarde estarei fazendo um "tourner" pelo blog! Saudações primo!
Sousa,11/10/2011
Tiburtino Gomes de Sá

É ASSIM QUE SE FAZ CIDADANIA

Caro amigo Clemildo.
O seu Portal está maravilhoso. Uma homenagem bem merecida. Os paraibanos reconhecem o seu valor, especialmente os pombalenses. É assim que se faz cidadania. É demonstrando amor pela terra onde nasceu. Patriotismo, por que não dizer. São valores que jamais a História de Pombal os excluirá de suas páginas. Você está de parabéns. Sinto-me feliz quando vejo um conterrâneo trazer ao conhecimento público o retrato falado do nosso Município, como pioneiro do Sertão Paraibano. Portanto, volto a dizer: Você merece mais do que a homenagem que lhe foi prestada pelo Poder Legislativo do Nosso Estado.
Forte Abraço.
José Santos DINIZ.

COMENTÁRIO DO DR. ELISEU JOSÉ DE MELO NETO NO FACEBOOK

Eliseu José De Melo NetoClemildo Brunet de Sá Agradeço muito. Você fez a minha biografia com muita precisão. Detalhes da minha vida que até por mim passava desapercebido, você publicou com precisão. Parece que teve ajuda de alguém muito próximo. Foi muito real. Felicidades! E muita saúde para você, que considero como um dos meus grandes amigos!
O RÁDIO AINDA É O MAIOR MEIO DE COMUNICAÇÃO!

FAZENDA RAMADINHA

FAZENDA RAMADINHA
4 JANEIRO 2009

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL. OUTUBRO 2014

À MEMÓRIA DE DONA CESSA: EXEMPLO A SER SEGUIDO POR TODOS NÓS...

Estimado amigo Clemildo:
Lindo e comovente o seu artigo. Sinto-me honrado por você ter incluído nele a citação do meu texto sobre saudade. Na verdade, esse carinho que você e o povo de Pombal dedicam à memória de Dona Cessa é um exemplo a ser seguido por todos nós. Pessoas como ela sempre devem ser lembradas pela sua doação à coletividade e grandeza de sentimentos.
Parabéns, amigo, e um grande abraço.
Ubiratan.

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
APRESENTAÇÃO DA CANTORA NARA CASTRO

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
COMPOSIÇÃO DA MESA. AO CENTRO O PROMOTOR DE JUSTIÇA SEVERINO COELHO VIANA AUTOR DA OBRA LITERÁRIA.

COMENTÁRIO SOBRE O ARTIGO: LINDUARTE NORONHA: "uma saudade a mais, uma esperança a menos".

Caro Clemildo,
O seu artigo em homenagem ao cineasta Linduarte Noronha, é uma página feliz não só pela lembrança da morte daquele que viria inspirar o chamado Cinema Novo no Brasil, como nos trazer um relato inédito, do escritor Solha , de suma importância histórica para a compreensão daqueles que esperavam da película "O Salário da Morte" um desfecho feliz de vingança e vitória. Para melhor entender, nos anos 70, o longa-metragem "O Salário da Morte” foi e é, um registro histórico para o cinema paraibano, em especial para Pombal, como fator de notoriedade, como o foi Aruanda para o cinema nacional, devido ter surgido numa cidade interiorana de pequeno porte. Na época, Solha, surpreendeu o mundo artístico paraibano com o seu roteiro original debaixo do braço e partiu para a capital na busca de pessoas competentes e identificadas com a arte cinematográfica para dar asas a sua imaginação, ao seu projeto. Não entenderam que estavam diante de um jovem ousado, inteligente, de idéia privilegiada, um visionário do sucesso. Aí, aconteceu o pior, cortaram a luz da película, o seu roteiro original, aquele que se dirigia para o sucesso, dando lugar a uma tentativa frustrada. Solha, vendeu tudo, casa, carro, tomou dinheiro emprestado, e nada disso o abalou. Continua forte e firme como as aroeiras e baraúnas de nosso sertão e escrevendo divinamente e colhendo os bons frutos que a História Universal da Angústia lhe conferiu e a alegria do fantástico Árkadich lhe proporciona. Assim é o Solha, impávido colosso.
Paulo Abrantes

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!
ALMOÇO FAZENDA RAMADINHA

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
SEVERINO COELHO VIANA FAZENDO APRESENTAÇÂO DE SUA SÉTIMA OBRA LITERÁRIA.

AO IMORTAL POETA

AO IMORTAL POETA
RONALDO CUNHA LIMA

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO: A FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL OFICIALIZADA...

Parabéns, CLEMILDO, pelas suas excelentes e oportunas matérias publicadas em seu site na internet, referentes ao DIA ESTADUAL DA MÚSICA BREGA e à FESTA DO ROSÁRIO EM POMBAL, esta como você bem disse: “...EMBORA TARDE...”, mas agora instituída no calendário de eventos do Estado.
São matérias sumamente importantes para a divulgação e o fortalecimento da cultura do Estado, fazendo com que as pessoas tomem conhecimento e valorizem mais as manifestações culturais de Pombal e do Estado.
José de Sousa Dantas - Poeta e Escritor Pombalense

O ANIVERSARIANTE DE HOJE 30/06/12, COM A FAMÍLIA!

PARABÉNS CESSINHA...

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA
Edmilson Pereira Silva - Aqui apareço ao lado de um grande amigo e uma referência do rádio paraibano, Clemildo Brunet de Sá

CLEMILDO ANIVERSÁRIO 1° DE AGOSTO

de Prepare-se está para Clemildo Brunet.

Parabéns!!! Este dia foi especialmente preparado pelo SENHOR; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. (Salmos 118:24) Deus te abençoe grandemente

de Cassimiro Neto para Clemildo Brunet.

Parabéns! Hoje é mais um dia de festa. É o dia que celebramos o teu aniversário. E nesse dia festivo te cercamos de abraços e felicitações. Você é uma pessoa muito querida e por isso todos os teus amigos e parentes te desejam tudo de bom. E eu, presenteio você com essa singela homenagem. Porém repleta de todo o meu carinho. Que Deus te ilumine, todos os dias de sua vida! Abraços e FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Cassimiro Neto.

de Elias para Clemildo Brunet.

FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.

Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes.

Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.

É ser grato, reconhecido, forte, destemido.

É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;

Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

São os meus mais sinceros votos

Elias Mesquita

de Chagas Vitoriano para Clemildo Brunet.

Quero nesta data especial, rogar a Deus que sua vida seja plena de muitas felicidades, que a luz do Divino Redentor lhe ilumine a cada passo e que só coisas boas lhe aconteçam!!! Meus sinceros Parabéns!!!

Caro Clemildo,

Parabéns pelo seu aniversário!

Receba meus cumprimentos e os melhores votos de saúde e felicidades.

São passados 63 anos de nossas vidas, temos apenas um mês de diferença de idade. Sentamos no mesmo banco escolar da Igreja Paroquial de nossa infância querida em Pombal. Nunca duvidei que estivesse diante de um talentoso artista, pelo seu espírito irrequieto, inteligente e capaz. O tempo mostrou que ali em Pombal, residia um dos maiores radialistas do sertão. Este homem que foi agraciado com a maior condecoração da Assembléia Legislativa, a “Medalha Presidente Epitácio Pessoa” numa justa homenagem que lhe foi prestada no ano de 2010.

Quero lhe dizer neste 1º de agosto, neste alvorecer de sua nova idade, com as bênçãos de Deus, sua vida seja de paz e que seus desejos e projetos se realizem.

Com um grande abraço, do amigo de infância, Paulo Abrantes.

primo/amigo, Clemildo Sá, não poderia me furtar jamais de partilhar deste momento de alegria em sua vida, pela passagem de mais um aniversário na certeza de que você vem cumprindo sábio e fielmente com a doutrina que o Senhor lhe outorgou à ser cumprida no decorrer da sua estada neste plano de existência! Que Deus te abençoe sempre! E... FELIZ ANIVERSÁRIO!

Tiburtino Castelo Sá Gomes.

Clemildo Brunet, A equipa do Palco Principal deseja-te um feliz aniversário! Obrigado por continuares conosco. Que a música esteja sempre contigo! Parabéns!

A equipa do Palco Principal

DE VERNECK ABRANTES PARA GENIVAL TORRES

Genival Torres,

Agradecemos as suas palavras motivadoras e de alerta sobre a importância histórica de lembrar as datas marcantes da nossa cidade.

Na verdade, os 150 anos de elevação ao status de cidade, deveríamos ter estabelecido um marco dessa passagem, assim como ficou registrado a denominação do Bar Centenário quando dos 100 da nossa cidade, também nesse mesmo dia, citar o lançamento do livro do nosso Wilson Seixas: O Velho Arraial de Piranhas. Por quanto, até então, ficamos sem um marco de lembrança dos 150 anos do aniversário de Pombal. Que continue nos prestigiando com seus belos texto, onde mantemos em arquivo.

Um abraço com admiração,

Verneck Abrantes

BODAS DE OURO

BODAS DE OURO
Almir e Marlene em Natal Comemorando 50 anos de Feliz União Conjugal. Parabéns pelas Bodas de Ouro!

CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA

Prezado Clemildo,

Lembro aos meus ilustres conterrâneos, fui propositadamente bastante sucinto nas indicações no meu texto, Descaso ou Indiferença, para não ser prolixo. Ainda sensibilizado com a resposta do nosso ilustre escritor pombalense, Verneck Abrantes, e concordando plenamente com a sua indicação, mais ainda, e como referência para análise posteriori, caso Pombal queira deixar um marco material, paralelo, exposto à visitação pública, temos a Chaminé da Brasil Oiticica que poderia ser denominada Chaminé Sesquicentenária, como homenagem alusiva data, e de certa forma, tornando real a possibilidade de não se jogar por terra essa construção que é um marco na indústria da cidade. Transformando numa monumental peça da construção civil, um dos segmentos que fizeram, e que ajudaram a construir a história da nossa gente. Fraternal abraço a todos.

Genival Torres Dantas

CLEMILDO,

Como marco da passagem dos 150 anos da elevação de Pombal ao status de cidade, veja a ideia de Genival Torres Dantas: CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA. Com uma pequena praça no seu entorno e Pombal teria mais uma referência histórica e lugar para visitas turísticas, exposição de fotografias ou representações artísticas. Achei excelente o pensamento de Genival.

Um abraço,
Verneck

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.
Nesta foto registro o meu encontro em terra potiguar com o conterraneo amigo e Empresário no Rio de Janeiro, Almir Almeida. Na conversa matamos saudades dos velhos tempos de nossa Pombal.

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO
Mª DE LOURDES ALMEIDA PEREIRA DE ARAÚJO NA FOTO COM CLEMILDO

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

Um dos últimos políticos da Paraíba que soube honrar com altivez e destemor a prática da honestidade nos procedimentos com o erário público, esse sim, fez parte da geração onde a política era feita pelo o idealismo de servir ao povo a exemplo do Senador Ruy Carneiro e do Deputado Federal Janduhy Carneiro, assim era o poeta, ex vereador, ex- prefeito, ex-deputado estadual, ex-governador, ex senador e ex-deputado federal RONALDO CUNHA LIMA. A PARAÍBA NÃO SÓ PERDE UM POLÍTICO AUTÊNTICO, MAS UM GRANDE HOMEM QUE SOUBE REPRESENTÁ-LA MUITO BEM NO CENÁRIO NACIONAL. NOSSA SOLIDARIEDADE DE PESAR AO SENADOR CÁSSIO CUNHA LIMA, EXTENSIVO A TODA FAMÍLIA!

Clemildo Brunet - Radialista.

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA
REGISTRAMOS COM GRANDE SATISFAÇÃO NA DATA DE HOJE 07 DE FEVEREIRO, O ANIVERSÁRIO DO AMIGO FRANCISCO FERNANDES DA SILVA, BIBIA, QUE DEUS LHE CONCEDA MUITOS E MUITOS ANOS DE VIDA E MUITAS FELICIDADES JUNTO A SUA ESPOSA CESSA E TODA FAMÍLIA. PARABÉNS E FELIZ ANIVERSÁRIO!

TWITTER X FACEBOOK

- Parabéns pelos temas enfocados através do seu BLOG. Vc é o Cara

: parabéns pelos cinco anos do seu blog. Conheço a sua garra e o seu profissionalismo. Siga em frente.

MARINGÁ - O NOME VERDADEIRO.

Graças à interferência de meu estimado amigo paraibano Clemildo Brunet, acabo de receber o livro do escritor Severino Coelho Viana "Maringá - o nome verdadeiro". Ele trás novas descobertas sobre a bela Maria do Ingá que Joubert de Carvalho resumiu para Maringá em sua composição famosa. A existência de Maria do Ingá, por algum tempo considerada pura imaginação poética,... Aos poucos ganhou contornos de realidade e já se descobriu até o verdadeiro nome dela. Já diversas vezes focalizei esse assunto em meu programa "Revivendo" e após concluir a leitura do livro voltarei a ele porque é muito interessante, especialmente para nós paranaenses que temos uma grande cidade com esse nome. Meus agradecimentos ao escritor Severino Coelho Viana e ao Clemildo Brunet.

Ubiratan Lustosa - Radialista paranaense.

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
TAYANE DEYSE- BALIZA, FILHA DO RADIALISTA E PROFESSOR CEZÁRIO DE ALMEIDA

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
PELOTÃO ESPECIAL HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

LANÇAMENTO/AGRADECIMENTO

Estimado amigo
Clemildo Brunet:

Agradecemos pela reportagem que fez sobre o lançamento do oitavo livro de nossa autoria, intitulado de MARINGÁ – O NOME VERDADEIRO,
evento cultural realizado nas dependências do Pombal Ideal Clube.
Os Promotores de Justiça, Bertrand Asfora e Amadeus Lopes Ferreira, ficaram encantados pelo comparecimento maciço de tão seleto auditório assim como o nível cultural do povo de Pombal.
O seu artigo já repercute a nível estadual, pois a nossa caixa de e-mail está lotada, vamos lendo aos poucos.
Em nome de minha família, agrademos pela cobertura que deu ao evento. É neste caminho que Pombal deve apresentar os seus valores.
Sentimos que a cada lançamento aumenta o número de participantes, isto é uma prova inconteste do crescimento cultural de nossa terra.
Além do Blog Clemildo Brunet Comunicação, idêntica reportagem foi reproduzida no Portal Pombal e Rádio Opção.
O Caldeirão Político fez uma reportagem de todo o lançamento, através do radialista Chico Cardoso.

SEVERINO COELHO VIANA

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
HOMENAGEM AO LORD AMPLIFICADOR DE CLEMILDO BRUNET
PARA SATISFAÇÃO NOSSA E DE SEUS PAIS, REGISTRAMOS A VITÓRIA DA NOSSA COLUNISTA DO CANTINHO DA SAÚDE, DOUTORA Mª DO BOM SUCESSO LACERDA FERNANDES NETA, QUE FOI GRADUADA EM MEDICINA PELA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE NESTE MÊS DE JUNHO DE 2012. CESSINHA NETA É NATURAL DE PATOS MEMBRO EFETIVO DA ACADEMIA PATOENSE DE ARTES E LETRAS (DESDE 2009). ESCRITORA E POETISA TEM PARTICIPADO DE
AMOSTRAS DE POESIA E FOTOGRAFIA E PUBLICADOS ARTIGOS RELACIONADOS A SUA ÁREA DE ATUAÇÃO, EM JORNAIS, REVISTAS E SITES HAVENDO SIDO CLASSIFICADA EM SETE CONCURSOS PÚBLICOS. A CESSINHA, NOSSOS PARABÉNS!
contato: sucessomed@hotmail.com

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

SOBRE HOSPITAL NAPOLEÃO LAUREANO: "JUBILEU DE OURO PELA VIDA"

Caro Clemildo,

parabéns pelo magnífico relato sobre o Hospital Napoleão Laureano, sobretudo porque você deu enfoque merecidamente, a pessoa extraordinária de Dr. Antonio Carneiro Arnaud que exprime uma personalidade de sentimentos, espiritualidade e humanismo para com os seus conterrâneos, representando um orgulho para todos nós paraibanos. Dr. Carneiro, desempenhou um importantíssimo papel na sua formação, deu asas a sua expansão, que cabe repetir a frase do Ministro Alcides Carneiro: "Esta é uma casa que por infelicidade se procura e por felicidade se encontra" Parabéns a você e a ele.
Abraço, do amigo Paulo Abrantes.

Clemildo amigo,

Gostei muito do seu artigo. Você retratou com fidelidade toda a vida não somente do Hospital Napoleão Laureano, mas também da Fundação Laureano a entidade mantenedora, da qual foi Diretor Presidente o nosso conterrâneo Dep. Janduhy Carneiro e hoje tenho a honra de ocupar a tão importante função. Muito já foi feito, mas ainda existe muito para ser feito. Em breve estaremos instalando a Ressonancia Magnética e se Deus quizer tambem o PET-Scam. Divulgue tudo no seu BLOG que é muito consultado. Abraços Carneiro Arnaud.

Amigo Clemildo:

Muito oportuna a sua evocação da figura extraordinária de Napoleão Laureano. Meus parabéns pelo seu trabalho.

Um fraternal abraço do

Ubiratan.

Berta Leticia Wanderley Clemildo,parabéns, pela sua reportágem, sobre o Laureano, está muito boa mesmo! Nós estamos precisando do número do seu celular para entrarmos em contato com você,

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A DIFUSORA GUARANI DE MANOEL BANDEIRA!

Seguidores

DE IGNÁCIO TAVARES PARA CLEMILDO

MENSAGEM DE IGNÁCIO TAVARES EM RESPOSTA AOS MEUS AGRADECIMENTOS...

Caro Clemildo
A minha amizade com vocês, pode-se dizer, é histórica. Os amigos, Clovis e Cláudio, ambos de saudosa memória, Carlos e você sempre formaram uma amizade sem fronteiras. Quanto ao seu pai e sua mãe dona Sinhazinha, guardo boas lembranças, pois frequentava a sua casa com certa liberdade, qual fosse um membro da família, dada a minha amizade com os meninos, como carinhosamente éramos chamados por nossos pais. Seja feita a sua vontade, o texto é seu e de toda família. Abraços Ignácio

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
VICE PREFEITO DR. GERALDINHO E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
PREFEITA POLYANA E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
CIRCULANDO - ESPECIAL ANIVERSÁRIO DE POMBAL. EDIÇÃO JULHO/ 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 3ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" JULHO DE 2014.

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 2ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO DE 2013.

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007
PROF DR. JOSÉ CEZÁRIO RECEBE COMENDA DE HONRA AO MÉRITO NO "LA FIESTA" EM CAJAZEIRAS NO DIA 23-02-2008.

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"
CLEMILDO RECEBE OS CUMPRIMENTOS DE SEU VELHO COMPANHEIRO DA RÁDIO ALTO PIRANHAS RADIALISTA GERALDO NASCIMENTO EM 23-02-2008 CLUB LA FIESTA EM CAJAZEIRAS.

JORNAL"ALTO SERTÃO"

JORNAL"ALTO SERTÃO"
PRIMEIRA EDIÇÃO OUTUBRO/2013

SOBRE O ARTIGO "CLEMILDO BRUNET" DE ONÉLIA QUEIROGA.

Clemildo, li o que Onélia escreveu e lacrimejei... como me lembro da bolacha peteca e do pão doce... a peteca molhada no leite e frita com manteiga de garrafa... é demais a saudade... assino embaixo tudo que ela falou sobre vc.
Maryloide Brunet

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO
COMENDAS RECEBIDAS EM 2007

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"
Caro Clemildo, confesso que é muito gratificante e emocionante ler artigos que relatam histórias do meu amado e querido pai. Obrigado por guardar com tanto carinho, lembranças do saudoso Zeilto Trajano. Ass.Marcia Rejane (A caçulinha do Zeilto) Foto com Clemildo.

GREGÓRIO DANTAS

GREGÓRIO DANTAS
HOMENAGEM PÓSTUMA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA
HOMENAGEM PÓSTUMA

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!
Na manhã deste dia 18 de janeiro de 2010, na sede do CECAN em Natal RN, o radialista Clemildo Brunet em visita de cortesia a Secretária Geral da Instituição, Sra. Joelma Alves, fez a entrega do texto: "OS 60 ANOS DA LIGA NORTE RIO-GRANDENSE CONTRA O CÂNCER". Na oportunidade, a Secretária agradeceu e parabenizou o radialista; porém, fez uma correção no parágrafo da DEPECON; onde se ler (17 vagas de residencia médica), leia-se 08 vagas R1, admtindo ter sido um erro do site da Liga.

SÉRGIO LUCENA

SÉRGIO LUCENA
HOMENAGEM PÓSTUMA

CONGRATULAÇÕES E JUSTIFICATIVA

Ignácio:
Sem dúvida Clemildo, foi um momento histórica pra voce e todos nós pombalenses que acompanhamos todo seu trabalho, assim como a sua vitoriosa trajetória no mundo do rádio e do jornalismo. Infelizmente, como já lhe expliquei fui um ausente nesta grande festa. Mas, onde estava, numa reunião demorada e cansativa, lembrava-me a todo momento, com uma ponta de tristeza por não estar presente. Tem nada não, noutras oportunidades nos encontraremos. O que conteceu foi apenas início de uma série de manifestação de reconhecimento do seu valor como abnegado homem de comunicação,com relevantes serviços prestados a comunidade do qual é parte integrante, Abraços Ignácio Tavares.

Caro amigo Clemildo:

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao amigo o convite da sessão da entrega da Medalha Epitácio Pessoa ao nobre repórter. Não pude comparecer, fato que já havia explicado a você por conta de exames de saúde que iria realizar na capital paraibana. Mas, acompanhei o desenrolar da sessão da Assembléia Legislativa, através da Rádio Liberdade FM 96,3. Gostei muito do que você falou lembrando as coisas do rádio de Pombal - PB. E naquele momento lembrei muito da campanha de prefeito do ano de 1976, embate que ficou marcado em minha memória, embora adolescente, via você na veraneio do PMDB, veículo que você mesmo denominou de amarelinho, como também do célebre comício da rua Capitão Lindolfo, mais conhecida como rua do Fogo, onde você, juntamente com José Coelho, hoje residente em São Paulo, anunciavam a presença naquele momento do grande orador e saudoso senador o Dr. Marcos Freire. Do amigo de sempre, Joaquim Candido da Silva Filho.

Postagens mais populares

Barra de vídeo

Loading...

EXCLUSIVO: ENTREVISTA DO CANTOR NILTON CESAR AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CLIQUE NO PLAY E OUÇA A ENTREVISTA.

COMENTÁRIO: A FAMÍLIA "ESPALHA" E SEUS MENESTRÉIS.

Gostaria de parabenizar o amigo professor Vieira pelo belo artigo sobre a família Espalha. Tive o prazer de conhecer um dos membros desta conceituada família o saudoso Bideca, seresteiro por ofício e boêmio por natureza. A sua ausência hoje sentida por todos que com eles conviveram me fazem refletir, "Belos tempos, Belos dias"
Adriano Fernandes

Caro Vieira, bom dia.

Somente hoje tomei conhecimento do seu artigo sobre os “Espalhas”, estava de férias e me desliguei de tudo.

Fiquei surpreso e emocionado com o artigo e a origem da palavra “espalha”, confesso que desconhecia esses detalhes.

Aquela rua em que morou Chico Espalha (por várias décadas), deveria ter o seu nome, porque ele foi um dos pioneiros dali, juntamente com meu avô “seu Otávio frandeleiro”, Euclides, Zé Branco, Julio Barbosa, e outros mais que não recordo no momento.

Infelizmente a intitularam Domingos de Medeiros, que talvez nem conhecesse o local e nem a família Espalha. Lamentável.

Agradeço em nome de todos os Espalhas em vida, e a lembrança registrada daqueles que se foram e fizeram parte do nosso convívio.

Até uma próxima oportunidade

Valdir Mendonça

AGRADECIMENTO

Meu amigo-irmão Clemildo, agradeço de todo coração os seus elogios com relação ao meu (nosso) passado pelo mundo radiofonico - principalmente em Pombal onde tudo começou.
Logo que cheguei em Cajazeiras na manhã da sexta-feira foram muitos amigos me informando da sua postagem no face book - (você tem seguidores que não acaba mais).
Também minha imensa surpreza da informação por parte da presidente da API Marcela Sintônio, o ex-presidente da nossa Associação João Pinto e vários e vários outros colegas da imprensa paraibana que foram a Cajazeiras para a festa da Reencontro e que são seus assíduos leitores-seguidores.
Por fim agradeço pelas gentis palavras dizendo; você foi generoso até demais para com esse seu discípulo.
Obrigado Irmão!!
Otacílio Trajano

CONGRATULAÇÕES / MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Mary Loide Brunet:
Parabéns! Vc fez por merecer! Também fico muito feliz e honrada com a honra que lhe é reconhecida. Mary Loide.

Marcelino Neto:
Amigo Clemildo! Não pude comparecer ao seu evento maravilhoso. No entanto registrei na Espinharas de Patos o fato e acredite fiquei muito feliz pela sua conquista. Certamente entre tantos importantes nomes da radiofonia pombalense e paraibana o seu para mim é um dos maiores destaques. Um abraço professor!