quarta-feira, 31 de agosto de 2011


Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

Em meados dos anos sessenta Pombal era uma cidade de pequeno porte e os cursos Ginasial e Básico eram as alternativas para educar nossos conterrâneos. Isso virou motivo para que pais de alunos ou eles mesmos tivessem de sair da cidade para outra gleba, pois, só assim, os filhos poderiam completar os estudos obtendo uma formação acadêmica. Foi nessa época que eu conheci entre outros irmãos, Paulo, o filho de Augusto, de uma família humilde e honrada.

Em meio ao futebol que o garoto participava era costume do locutor em suas narrações nas jornadas esportivas chamá-lo de filho de Augusto, até que um dia o garoto resolveu reclamar seu anonimato, era da sua vontade que todos soubessem o seu nome. Tendo ido ao locutor tomar satisfações recebeu como resposta: “Dê graças a Deus por descender de um pai como Augusto, se não você seria, apenas, um vulto. Uma imagem” e continuou “eu diria: Lá vem o cabrinha danado! É um moreno satânico!”

AUGUSTO G. OLIVEIRA
Obrigado pelo o meu pai – respondeu Paulo.

Na verdade, o que se pode conceber em uma família bem ordenada e instruída é haver entre os irmãos, um que pelo menos tenha traços, gestos e ações que muito se assemelha ao chefe da casa. Pois bem, Paulo, o filho de seu Augusto tinha tudo e tem para ser identificado com o seu genitor. No entanto, seu Augusto, não dispunha de condição financeira favorável para dar estudo suficiente aos seus filhos, mas alimentava o pensamento de vê-los formados, aguardando que o sonho se tornasse real.

Com o pensamento voltado para ver seus filhos formados, Augusto vendeu os bens que tinha em Pombal e foi com a família pra João Pessoa. Antes, porém, botou um anuncio no Lord Amplificador convidando aos credores a baterem sua porta caso houvesse algum débito a pagar. A essa altura seu Augusto decidira levar a família para a Capital com o intuito de aproximar os filhos da Universidade e, por conseguinte obter os títulos acadêmicos almejados, o que seria para ele a conquista maior de sua vida.

Outro dia cumprido suas obrigações dos afazeres domésticos o rapazelho Paulo, filho de Augusto, como costumava fazer em suas horas de folga, estava sentado à beira da calçada da casa de seu pai com um aspecto triste e pensativo. Alguém lhe dirige perguntas: “Está doente, Paulo?” “Não. Estou pensando!” Posso saber em quê? Ele sem titubear respondeu: “Estou pensando e me formar um dia, na Capital, e aqui voltar, de automóvel com dinheiro bastante para oferecer uma festança aos meus amigos”. Certamente com ar de dúvida, o interlocutor disse: “E você vai se formar”? “Vou, com certeza, porque meu pai quer e eu também...”

Proclamado Engenheiro Civil Paulo Abrantes de Oliveira, teve como prêmio uma viagem a São Paulo para visitar as obras da grande metrópole onde lhe foi também oferecido emprego, não aceitando a oferta, Preferiu voltar à Paraíba, ingressando no Serviço Público, através do DER. – Departamento de Estradas de Rodagem. Do DER foi convocado para trabalhar na FUNSAT – Fundação Social do Trabalho.

Nascido em Pombal sertão da Paraíba no dia 01 de setembro de 1949, filho de Augusto Gervásio de Oliveira e Doralice Abrantes de Oliveira, casado com a Advogada Ana Rosa Neiva Monteiro Abrantes. Foi morar em João Pessoa em 1967, onde concluiu seus estudos, tendo-se formado em Engenharia Civil e Licenciatura em Ciências, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).
Paulo Abrantes e Ana Rosa
Ex professor das disciplinas: Física, desenho e matemática do Liceu Paraibano e Colégio Estadual Santa Júlia. Venceu por duas vezes o Concurso de Oratória das turmas concluintes de 1980 e 1988. Em três gestões, ocupou o cargo de Diretor da Residência Rodoviária do DER – Sapé- PB, exercendo também nesta cidade o cargo de Secretário de Obras e Serviços Urbanos do Município. Ex Gerente do Projeto Renascer II, onde fez diversas construções de casas populares em regime de mutirão, nas cidades de Cabedelo e Bayeux na Paraíba. Atualmente exerce seu trabalho junto a Diretoria de Planejamento do DER na sede central em João Pessoa.

Paulo Abrantes é membro efetivo da API e AAI – Associações de Imprensa da Paraíba e Alagoas. Tem sempre colaborado com os principais jornais da Capital. O Norte, Correio da Paraíba, A União, sendo nosso parceiro também no Portal Clemildo, Comunicação & Rádio, com artigos e crônicas, refletindo a força do pensamento sertanejo e brejeiro, impregnado de espírito nordestino na defesa do problema social tipicamente nosso, a agonia dos engenhos, o domínio crescente das usinas, em suma, a desumanização da economia pela mecanização da lavoura de cana-de-açúcar e dispersão de um povo.

Tem demonstrado sua desenvoltura na arte literária, pois já editou dois livros: Fazenda Gado Bravo em prosa e verso e a Dama da Rua Estreita. O primeiro traz a tona os tempos de criança vivida por ele mesmo trazendo à baila, recordações de suas raízes. O segundo um relato de ficção, sobre Maria Sofia, uma mulher encantadora descendente de italianos, criada em Pombal, uma pequena cidade do interior. São as estórias de lobisomem e assombrações que o autor ouvia falar na infância e adolescência. Um misto de ficção e realidade. Em andamento uma terceira obra literária que está em fase de editoração, Riacho de Prata (Crônicas e Contos), cujo lançamento se dará em breve.
Disse-me certa vez o filho de Augusto, que não ia mais editar livros. Visitando nosso Portal Clemildo, Comunicação & Rádio! http://www.clemildo-brunet.blogspot.com/  ele encontrou novo alento para escrever e tendo sido despertado pelo o espírito de escritor nato, resolveu oferecer espontaneamente sua contribuição literária, escrevendo para o nosso portal. Suas crônicas tiveram ampla repercussão e prova disso são os comentários encontrados nas postagens. As crônicas de RIACHO DE PRATA é um convite a uma excelente leitura, capaz de satisfazer ao mais exigente leitor e críticos literários.

No dia 06 de outubro de 2011, Paulo Abrantes estará recebendo a Medalha “CABALEIRO GRÃ-CRUZ” e Diploma “Prêmio Literário Jucá Santos” da Real Academia de Letras de Maceió AL, (Convite ao lado), prêmio esse de destaque nacional dado aos grandes poetas, contistas e cronistas do Brasil e da própria cidade de Maceió.

Meus calorosos aplausos a Paulo Abrantes, filho de seu Augusto!

Salve 01 de setembro! Parabéns, feliz aniversário!

Pombal, 30 de agosto de 2011.

*RADIALISTA
Web. www.clemildo-brunet.blogspot.com 

AGRADECIMENTO:
Tenho grande estima por você, te agradeço de coração, sinto-me emocionado com tantas palavras bonitas, meu amigo

receba meu abraço enternecido pelas homenagens! Paulo Abrantes.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Postado por Jerdivan Nóbrega de Araújo

Eu fui informado da possibilidade do Prefeito da cidade MARINGÁ/PR, se fazer presente na Inauguração da Biblioteca e lançamento do livro a “A Saga da Cabocla Maringá”, no dia 30 de setembro, evento que acontecerá na Câmara dos Vereadores em Pombal. Assim resolvi fazer uma pesquisa que explicasse a afinidade entre as duas cidades, encontrando no site da Prefeitura um texto que me poupou o tempo de pesquisa. Mesmo sem autor identificado, acredito que tenha sido escrito por um filho da terra, portanto, seja ele quem for, tem mais autoridade do que eu de falar da origem do nome da sua cidade.
Maringá cidade do Paraná
*“Uma das maiores curiosidades de nossa gente é com relação a origem do nome da cidade. Parece até uma curiosidade coletiva, onde cada morador ou curioso tenta desvendar ou justificar a origem de seu nome.

Nessa tentativa, lendas e lendas, são criadas, que vão desde o cantarolar triste de um viúvo, derrubador de mato, que numa rede amarrada em árvores ninava seu filho, com a canção "Maringá, Maringá".

Os presentes comovidos resolveram dar o nome dessa canção a este lugar. Há também, uma lenda que diz que Dona Elizabeth, esposa de um dos diretores da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, tenha sugerido o nome de Maringá é área que seria colonizada.

Tantas outras, que vão surgindo dia a dia, misturando-se o real com o imaginário.

O certo é que por volta de 1940, esta área coberta por uma densa floresta, já era denominada por Maringá, tendo a Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, colocado uma placa com esse nome nas imediações, a exemplo de outros nomes como Ivaí, Tibagi, Inajá e outros provenientes da língua guarani. Os córregos e rios eram tantos que lhes faltava criatividade para nomeá-los. Por esse motivo, os funcionários da Companhia Norte do Paraná, escolhiam nomes de cidades de seus países, como por exemplo, Astorga e outras. Até marcas de cigarros davam nomes às águas, como o córrego do Fulgor. Ao demarcar essa região, nomeavam os rios e esses é que davam nomes às futuras cidades, como por exemplo, Marialva, Mandaguari e tantas outras.

Encontraram um ribeirão que recebeu o nome de Maringá, provavelmente inspirado na canção de Joubert de Carvalho. Esse córrego foi batizado pelo Senhor Raul da Silva, na época, Chefe do Escritório de Vendas da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, em Mandaguari. nome desse córrego passou ser o nome da futura cidade.

Assim, Maringá recebeu o nome da canção, que por sua vez também tem sua história. Morava na cidade de Pombal, interior da Paraíba, numa ruazinha coberta por ingazeiros, uma linda cabocla de nome Maria do Ingá. Era filha de retirantes nordestinos, dona de uma beleza encantadora, de corpo bem feito, pele morena, olhos e cabelos negros. Maria fascinava a todos inspirando ardentes paixões.

Um dia, uma seca inclemente, levou a linda Maria, deixando o político Rui Carneiro desolado de tristeza.

Bairrista como todo nordestino, Rui pediu ao amigo Joubert de Carvalho, que fizesse uma música que exaltasse a mulher amada e sua terra natal. Para o famoso compositor não foi difícil fazer a combinação política da Maria do Ingá.

Na fusão das palavras de Maria mais Ingá, surgiu Maringá, dando origem a Canção "Maringá, Maringá", que por volta de 1935, estourava nas paradas de sucesso”.

* Copiado do site da Prefeitura Municipal de MARINGÁ no PR, sem crédito

COMENTÁRIO SOBRE “A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ”

Li cuidadosamente “A Saga da Cabocla Maringá”, de autoria do conceituado escritor Jerdivan Nóbrega de Araújo.

Confesso, senti-me comovido pela riqueza e precisão da narrativa, qualidade que exprime o poder de discernimento do autor e que lhe faz merecedor dos meus aplausos e elogios da crítica. Em alguns momentos adentrei profundamente nos relatos chegando a pensar ser uma realidade.

Depois de várias obras publicadas, finalmente o nosso conterrâneo lança seu primeiro romance onde ratifica o amor telúrico pelo torrão natal, sentimento que justifica sua constante luta pela preservação da nossa cultura e tradições.

O livro que consiste num romance regional enfoca a seca como núcleo, questão sócio-econômica do nordeste, associada a tramas como amor e paixão e desenvolvidas com emoção pelo autor.

A saga, embora seja uma narrativa lendária seu enredo é cativante e saudosista, capaz de conduzir o leitor a épocas passadas: tempos vividos, sofridos e nunca esquecidos. Como saga é uma história fabulosa recheada de incidentes bem definidos pelo autor que revelam a mais pura idéia de realidade.

Por fim, com muita propriedade e estilo próprio, você conseguiu o que ninguém fizera antes, isto é, dar vida a legendária Cabocla Maringá, fruto da idéia de Rui Carneiro e transformada em canção pelo talento de Joubert de Carvalho. Assim, com tão maravilhosa obra o autor presta inestimável serviço a história e cultura de sua terra. “A propósito, Pombal será doravante reverenciada com mais veemência: A TERRA DE MARINGÁ”.

PARABÉNS COM LOUVORES.

Pombal, 01 de setembro de 2011.

PROF. FRANCISCO VIEIRA.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

Desde quando a vida pode ser avaliada? Muitos consideram a vida de somenos importância e passam a dar mais valor ao que possui em detrimento da própria existência. Quantos que se matam e deixam-se morrer por nada. Mas, o que é vida? Alguns ao invés de agradecer esse dom inefável do Criador se maldizem: Isso é lá vida! Outros, porém fazem de tudo e lutam por ela com consciência de preservá-la na esperança de um tempo promissor.

Mas, o que é vida? Aurélio, além de outras definições, de modo sintético diz: “O espaço de tempo que vai do nascimento à morte; existência”. Nessa mesma linha de pensamento o Apóstolo Tiago indaga e responde: “Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa”. Tg.4:14. Jesus Cristo valoriza a vida como dádiva preciosa de Deus providenciando os meios para o seu sustento. Ele pontua a nossa vida do seguinte modo: “... Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber nem pelo vosso corpo quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as vestes? Mt. 6:25.

Como dádiva divina a vida nos foi dada por Deus, por esta razão nos é tirado o direito de subestima-la ou destruí-la seja qual for à maneira que utilizemos para tal fim. A sua vida, a minha e a de todo ser humano neste planeta é mais importante que o mundo e seus bens materiais; a pergunta de Jesus ecoa em nossos dias. “De que vale o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma, ou que dará o homem em troca de sua alma”?

Não podemos ocultar que a vida não tenha seus altos e baixos. Por que existe tanta especulação no mercado financeiro nos nossos dias no que diz respeito às crises econômicas que se abatem até sobre nações poderosas como os Estados Unidos e outros países neste planeta? Quais os reais motivos que levam os nossos políticos aqui no Brasil a se corromperem e serem corrompidos?

Há uma inversão de valores no nosso cotidiano. È o momento da pressa, do consumismo, do egocentrismo, o crédito pessoal não fica atrás, não sabemos como escapar da realidade e como encontrarmos uma saída para os nossos problemas que são enormes. A geração de nossos jovens não estar preparada para enfrentar tanta crise, porque se deixa levar por uma perspectiva de felicidade o tempo todo, sem si dar conta das responsabilidades que deve ter para com suas obrigações e seus semelhantes.

A desigualdade em termos sociais no mundo tem propiciado um estado de vida preocupante. Criaram o mito que a felicidade é um direito de todos. Muitos de classe avantajada financeiramente tiveram o privilégio de estudarem em bons colégios, faculdades em detrimentos de outros que não tiveram condições de alcançar tais objetivos. Daí o conflito existente no mundo. Estamos vivendo a fase do salve-se quem puder.

A vida tem sido alimentada mais por malefícios, o que tem ocasionado - estresse, ansiedade, incerteza, abandono, solidão, tristeza e conflitos. Eis que aprendemos errado quando nos disseram que para construir não se precisa de esforço algum, no entanto escaramos a vida constrangidos, quando nos dizem que é preciso ralar para conquistar um espaço no mundo.

VIVA A VIDA! ELA É BELA!

Pombal, 26/08/2011

*RADIALISTA



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Paulo Abrantes
Paulo Abrantes*

Meu pensamento me levou para um rápido tour em Pombal. Comércio, negociantes, tecidos, panelas, potes e cavalinhos de barro na feira de sábado e o espiritual misturado com o mundo que não para. Sei que os tempos são outros. Fiquei tomado e envolvido com a paisagem de fogo cruzando o horizonte de Pombal. É simplesmente o ocaso que desponta lá longe com seus múltiplos traços de cores que alimentam sonhos e viagens da alma. Dia que morre sepultando, ás vezes, nas brumas de seu manto alguma efêmera ilusão de felicidade, que, contudo, reanimou, aqueceu e iluminou corações aflitos, desolados...

Sol que se põe. Ocidente policrômico, de revérberos morrentes, que acende em muitos a chama consoladora da esperança e injeta, noutros, a sombra mórbida de meros desenganos.

Entardecer. “Até amanhã”, para alguns: adeus perpétuo, para outros. Alegrias e tristezas que vão e que vêm, quais volúveis e frenéticos colibris que fluem e refluem, em intercalados vôos por sobre as flores dos vergéis desertos.

Ocaso na minha terra. Cortejos de sonhos queridos que se vão sumindo no horizonte além, como, no pélago azul, ou nevoento, lentamente escapam em fileiras os pequeninos barcos e velas acenando ao arrojo das vagas e dos ventos.

Entardecer. Ocaso. Sol que se põe. Nostalgia. Saudades. Esperanças. Longe das cidades, debandada de pássaros para os ninhos, pachorrentas vacas regressando aos currais, cabras ligeiras buscando os seus redis. A voz do cuidadoso Tadeu estridulando na Serra do Moleque para rebanhar a criação matreira enfarada dos pernoites no chiqueiro. O chão verde dos campos desertos empardecendo – os tênues e rarefeitos pingos de luz se apagando de sob as copas. As águas do rio Piancó sumindo pelo estirão do leito, até se perderem de vista numa curva distante. As duas torres da Igreja Matriz, vistas do altinho de Dona Neca – uma eminência mística isolada -, falando pela voz do sino, numa saudação ao ângelus, em reverência ao Supremo Criador do Mundo.
O Entardecer em Pombal. Em tudo, um misterioso matiz de silêncio e de saudade. Em tudo, um convite à oração, para celebrarmos a presença de Deus entre nós, na hora mais expressiva e comovente da natureza.

*É engenheiro civil e escritor pombalense.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Paulo Abrantes
Paulo Abrantes*

Em Maceió, meio dia, no sítio Ouro Preto, um grupo enorme de amigos (homens e mulheres) e nossos familiares festejavam o aniversário do poeta José Monteiro. Alguns mais afastados em canteiros de árvores frondosas cantavam músicas sertanejas para o público, enquanto outros músicos de cabelos brancos soavam suas vozes acompanhadas de pandeiros, tambores e violões. A alegria da música contagiando o espírito alegre do aniversariante sentado numa cadeira ao lado. Fui para Maceió para prestigiar o aniversário de meu amigo Zé Monteiro, rever meus colegas da AAI- Associação Alagoana de Imprensa e da Academia Maceioense de Letras. Fui para Maceió dar um mergulho em mim mesmo, saborear a gostosura da comida alagoana e me encantar novamente com o indescritível calor humano de seu povo. E lá fui, ao lado de minha esposa Ana Rosa e de seu irmão Eugênio, auditor do Fisco Estadual da Paraíba, de Paulo Neiva e Ana Wanderley, meus cunhados, e de seus filhos, Renata e o casal Renato e Ana Paula, para usufruir das belezas naturais da terra dos marechais, cavar na história e no meu intimo as coisas boas que sempre existe numa amizade. No sitio Ouro Preto sentimos o convívio salutar dos amigos retardarem o tempo, sentimos que somos divinamente arremessados para não vermos o tempo passar, pela fidalguia de Rômulo e de nosso Ruy, o anfitrião dos 89 anos de seu pai Zé Monteiro e de sua dedicada mãe D. Laura Monteiro, mãe santa de todos esses seus filhos ilustres, ali presentes. Como foi bom revê-los e poder abraçar a todos.

O sítio Ouro Preto fica a 15 minutos da praia de Maceió. Fiquei hospedado no Hotel Praia Bonita, em Pajuçara. Caminhava cerca de seis km, pela manhã, no indo e vindo para o agradável café do hotel á beira mar. Era um lugar bonito, aprazível e aconchegante que me veio á lembrança as palavras de Noaldo Dantas, paraibano, ex-Secretário de Comunicação no Governo João Agripino, que escreveu divinamente O DIA EM QUE DEUS CRIOU ALAGOAS: “Escrevi certa vez, que Deus, além de brasileiro, era alagoano. Em verdade, não se cria um Estado com tanta beleza sem cumplicidade. Sou capaz de imaginar o dia da criação de Alagoas. Ô São Pedro, pegue o estoque de azul mais puro e jogue dentro das manhãs encharcadas de sol, faça do mar um espelho do céu polvilhado de jangadas brancas; que o entardecer sangrando o horizonte daquelas lagoas, que estávamos guardando para uso particular, coloque-os nesse paraíso
Casal Paulo Abrantes e Ana Rosa
E tem mais, São Pedro. Dê a este Estado um cheiro sensual de melaço e cubra seus campos com o verde dos canaviais. As praias, ora, as praias deverão ser fascinantemente belas, sob a vigilância de altivos e fiéis coqueirais. Faça piscinas naturais dentro do mar, coloque um povo hospitaleiro e bom, e que a terra seja fértil e a comida típica melhor que o nosso manjá. Dê o nome de Alagoas. E a capital pela ciganice deverá chamar-se Maceió, e a sua padroeira, como não poderia deixar de ser, Nossa Senhora dos Prazeres”.

Antes de partir, fomos á casa do poeta José Monteiro para as costumeiras despedidas familiares e conversamos. Falamos de nosso agradabilíssimo encontro com o advogado, poeta e escritor Jucá Santos, Presidente da Academia de Letras de Maceió, de quem recebi autografado o seu mais recente livro O Breviário de Nice, e do escritor José Coelho, o seu livro, Cavalheiros da Grande Luta; estivemos também com o escritor Alberto Pereira, com quem lamentamos a ausência do escritor Laurentino Veiga, nosso Presidente da AAI, do escritor Tobias e de nosso amigo escritor Djalma Melo.

Ao lado do meu amigo Eugênio, passamos um final de semana de descobertas pelas ruas de Maceió. Os parques, as praias, os prédios oficiais, o almoço naquele restaurante típico á beira mar, e a conversa fluindo com algumas descobertas daquela cultura, que ao longo dos tempos deram vultosos homens públicos. Para quem não sabe, Maceió é constituído de um povo alegre, de um bom atendimento e de formidáveis e profundas descobertas históricas. E, não esqueça, Maceió vive dentro de cada um de nós. Parabéns poeta Zé Monteiro!

*É engenheiro civil e escritor pombalense
Cerimonial: Cândida, Diana e Clemildo
Noite festiva no Pombal Ideal Club no último sábado (20), marcou o cinquentenário de Fundação da entidade.  Houve entrega do Certificado comemorativo dos 50 anos aos ex- Presidentes, instantes marcados por grandes emoções.

Em um ambiente saudável e aconchegante, alegre e divertido, todos tiveram seu lazer ao vivo, animados por Mamá, Violão e Voz, um Trio de Uiraúna que apresentou um vasto repertório musical, desde o estilo bossa nova, passando pela jovem guarda, Mpb e o tradicional forró pé de serra.

A despeito de muitas mesas reservadas e adquiridas, muitos deixaram de comparecer, no entanto, os que compareceram manifestaram contentamento com a comemoração que transcorreu em um clima de paz e harmonia.

As dependências do Pombal Ideal Club estavam revestidas de uma ornamentação impecável que enchiam os nossos olhos de um colorido especial, produzido com muito requinte e bom gosto, graças ao talento, sensibilidade e profissionalismo do “Cri Art Eventos - Cândida Amélia”.

Na ocasião, o histórico apresentado pelo Radialista Clemildo Brunet de Sá, trouxe à lembrança as atividades recreativas e sociais do Club durante os longos anos de sua existência desde a fundação. Pombal Ideal Club – Criado em 01 de agosto de 1961. Seu primeiro Presidente foi Manoel de Sousa Bandeira de saudosa memória.

Notável em nossos dias é o destaque da mulher na sociedade, pois, pela primeira vez, nos 50 anos de história do Pombal Ideal Club, uma mulher assume o posto de Presidenta - trata-se da Senhora Cândida Amélia Formiga Leite, eleita para o biênio 2010/2011, que com garra e destemor tem lutado a todo custo, a fim de manter o sodalício de pé que conta ainda com 599 sócios remanescentes.

Parabéns ao Pombal Ideal Club pelos 50 Anos de Fundação!

Da Redação.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Eronildo Barbosa

Antiga Praça do Pirarucu
Por Eronildo Barbosa*

Na última segunda-feira, 14 de agosto, publiquei no blog do Clemildo Brunet e no site da Rádio Liberdade de Pombal um artigo em que analisei a importância da Praça do Pirarucu para uma geração de garotos de Pombal da qual eu fazia parte. Entre outras coisas lembrei que havia nesse logradouro público um pequeno aquário com um grande peixe.

Minha mãe, dona Zuíla, filha de Luís Barbosa, que mora em Campina Grande, informou-me que também havia nessa praça alguns patos e gansos que ficavam retidos em um pequeno cercado de madeira.

Disparei um email para José Tavares perguntando se ele não tinha alguma pista que me ajudasse a descobrir o paradeiro dos patos e do peixe que habitavam a Praça do Pirarucu.

Ele me orientou a procurar o seu tio, Ignácio Tavares, o boêmio mais antigo em atividade da terra de Maringá. Enviei um email para Ignácio cercado de cuidado.

Grosso modo eu perguntei o que ele sabia sobre o destino do peixe e dos patos que viviam na Praça do Pirarucu, que provavelmente desapareceram na virada da década de sessenta para setenta, do século anterior, sem deixar vestígios.

Poucas horas depois recebi um email de Ignácio Tavares. Ele não entrou em detalhes sobre pato ou peixe, apenas narrou uma história hilariante sobre essa praça.

Contou que, certa feita, o prefeito Azuil Arruda, convocou o guarda da Praça do Pirarucu, Otacílio de Sousa, mais conhecido como Diasa, apreciador da boa e velha pinga, pai do locutor Zeilto Trajano, para informá-lo que estava arrependido de ter colocado os peixes na referida praça.

Tudo porque o povo da cidade passou a chamar aquele logradouro de Praça do Pirarucu. Falou, ainda, que isso era uma ofensa porque ele tinha homenageado aquela praça com o nome do Monsenhor Valeriano, tio da sua esposa, homem muito importante e culto, e o povo não respeitava a sua nobre iniciativa.

Diasa ouviu aquilo calado, porém, depois, informou ao prefeito que o povo estava certo porque o Padre Monsenhor Valeriano estava tão velho que mais parecia um pirarucu. O Prefeito saiu rindo do ambiente e não voltou mais a reclamar do nome que o povo escolheu para a praça.

Na quarta-feira recebi um novo email de Ignácio Tavares. Informava ele que sabia o destino dos patos e dos gansos. Entretanto nada conhecia sobre o sumiço do pirarucu.

Ignácio abriu o coração e contou detalhes de como roubava os patos. Falou que seus amigos Salatiel Marques, Pedoca de Deca, Curinha, Manasses, Nego Sabino, Luis Camilo, Arnaldo Ugulino, Bebê de Antonio Gomes, Sagaz, entre outros, sabiam que Diasa, o guarda da praça, gostava de cachaça.

Com muito cuidado faziam chegar ao velho guarda uma garrafa de Pitú. Poucas horas depois o vigilante, de “fogo”, estava dormindo no banco da praça ou em casa.

Sem vigilância, claro, ficava mais fácil o trabalho. Bastava colocar um pedaço de pão ou milho em um anzol e colocar para o pato beliscar. Depois era só puxar a linha do anzol que o pato vinha junto. Em outras oportunidades a ave era fisgada à mão.

Na seqüência era só levá-lo para a casa de Salatiel Marques e colocá-la na velha panela de barro.

Com esse método eles surrupiaram todos os patos da praça, porém, dois velhos gansos continuaram lá desafiando seus principais predadores.

Uma noite, de chuva, eles resolveram pegar um dos gansos. Destacaram Nego Sabino para cumprir a nobre missão. Passado pouco mais de uma hora nada do ganso e nem do Nego Sabino.

Ignácio Tavares resolveu ir ao local para saber o que aconteceu. Chegando lá encontrou Sabino, em cima de uma velha escada, todo beliscado. Os gansos resolveram enfrentar no bico o seu algoz.

Nessa noite os gansos escaparam da panela, porém, na noite seguinte, um sábado, Ignácio providenciou um reforço suplementar para enfrentar as aves. Até o guarda da praça, Diasa, participou dessa ariscada operação.

Os gansos foram diretos para o forno. Nego Sabino ficou cuidando do “rango”. Depois de umas voltas pelos bares da região central de Pombal o grupo voltou à casa do Sabino para saborear o assado.

Ao abrirem o forno perceberam que os bravos gansos estavam completamente tostados, portanto, imprestáveis para o consumo humano. Nego Sabino continuou dormindo.

Sobre o desaparecimento do pirarucu as informações de Ignácio são vagas e imprecisas. Ele relata que sua “equipe” tentou capturar o pirarucu mais de uma vez, porém, não consegui tirá-lo da água. O velho peixe pesava mais do que um homem.

Sem demonstrar firmeza na informação, Ignácio Tavares acredita que o velho pirarucu terminou a sua vida numa panela da fazenda Assento da Pedra, do pai do prefeito, onde o chefe do executivo municipal, Azuil Arruda, gostava de passar o final de semana.

Foi instigante entrevistar Ignácio Tavares sobre o paradeiro dos patos e do pirarucu da minha praça preferida. Depois de quarenta anos o mistério foi finalmente desvendado. Provavelmente porque o crime prescreveu.

Porém, ao invés de ter encerrado a conversa com Ignácio, inventei, inadvertidamente, de perguntá-lo também sobre o roubo dos patos de Chico Caetano. Aí ele arrepiou.

Falou-me que não tinha nada com esse assunto e que nessa época morava em João Pessoa. Alertou-me também que Cícero de Bembem, o mais famoso ladrão de galinha de Pombal, não teve participação nenhuma na operação de roubo desses patos.

Que eu fosse procurar essa informação com outras pessoas. Até me deu uns nomes. Mas...

Eis aí um episódio da história social da terrinha que merece ser investigado. É um tema muito relevante, certamente.

*O autor é Doutor em Educação e Professor Universitário. Mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

domingo, 21 de agosto de 2011

Genival T. Dantas

 Genival Torres Dantas* "Esclarece que o presente texto não é de sua autoria, sendo de domínio público e de autor desconhecido, como maçom, nos enviou para postagem".

Que gente é essa ???
É gente de conteúdo interno que transcende a compreensão medíocre, simplória.

É gente que tem idealismo na alma e no coração, que traz nos olhos a luz do amanhecer e a serenidade do ocaso. Tem os dois pés no chão da realidade.

É gente que ri, chora, se emociona com uma simples carta, um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.

É gente que ama e curte saudades, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais. Admira paisagens. Escuta o som dos ventos.

É gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternura, compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si.

É gente que gosta de fazer as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam.

Gente que semeia, colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto.

É gente muito estranha os Maçons.

Gente de coração desarmado, sem ódio, sem preconceitos baratos ou picuinhas. Gente que fala com plantas e bichos. Dança na chuva e alegra-se com o sol.

É!! Gente estranha esses Maçons.

Falam de amor com os olhos iluminados como par de lua cheia.

Gente que erra e reconhece.

Gente que ao cair, se levanta, com a mesma energia das grandes marés, que vão e voltam.

Apanha e assimila os golpes, tirando lições dos erros e fazendo redentores suas lágrimas e sofrimentos.

Amam como missão sagrada e distribuem amor com a mesma serenidade que distribuem pão.

Coragem é sinônimo de vida, seguem em busca dos seus sonhos, independente das agruras do caminho.

Essa gente, vê o passado como referencial , o presente como luz e o futuro como meta.

São estranhos os Maçons!

Cultuam e estudam as Sagradas Tradições como forma de perpetuar as leis que regem o Universo, passam de geração para geração a fonte renovadora da sabedoria milenar.

São fortes e valentes, e ao mesmo tempo humildes e serenos.

Com a mesma habilidade que manuseiam livros codificados de sabedoria, o fazem com panelas e artefatos.

São aventureiros e ao mesmo tempo criam raízes, inventam o que precisa ser inventado.

Criam e recriam.

Contam contos e contam suas próprias histórias.

Falam de generosidade em exercício constante.

Ajudam os necessitados com sigilo e discrição.

Conduzem a pratica desinteressada e oculta da caridade e do amor ao próximo.

Interessante essa gente, esses Maçons.

Obrigam-se nas tarefas, de estudar a Arte Real, de evoluir, de amar e dividir.

Partilham da mesa do rei e de um abrigo montanhês

PARABÉNS`PELO O SEU DIA! 
 
Pombalense e Empresário em Navegantes SC.

sábado, 20 de agosto de 2011

Jerdivan N. Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

Quando eu saio em defesa do patrimônio cultural da minha cidade, seja ele artístico, arquitetônico, folclórico, religioso ou culinário, sempre há quem me mande mensagens criticando e até me chamando de “estrangeiro”, isto por que eu deixei a cidade em mil novecentos e setenta e sete, só retornando nos primeiros domingos de outubros.

Há ainda os que dizem que eu vivo no passado e que sou contra o desenvolvimento de Pombal, Felizmente estes são minorias. Muito mais, eu recebo mensagens dos que querem uma Pombal desenvolvida economicamente, mas que não “pise” no espólio cultural deixado pelos nossos ancestrais e que, a custo altíssimo, vem sendo preservado por suas descendências, no caso em discussão a Festa do Rosário.

Hoje, por coincidência eu recebi a informação de que o Chico da Buchada, devoto da Irmandade do Rosário, ligou preocupado com uma festa que sempre acontece na sexta-feira do Rosário na AABB, e que tem como atração uma banda de forró destas que tem causado polêmicas pela qualidade musical, mas que tem seu publico e, portanto, deve ser respeitada.

A preocupação do Chico da Buchada é a preocupação de todos que fazem a Festa do Rosário: o esvaziamento da atração principal no centro histórico da cidade, isso na sexta feira, ápice do evento maior e razão, inclusive, de haver o baile na AABB.

O Chico da Buchada pede, através de Verneck, que eu escreva um texto em defesa da Festa do Rosário para que o baile venha a acontecer em um outro dia, quem sabe na quinta feira, para que a sexta feira seja de fato a Festa do Rosário, festa centenária da qual em tantos outros textos eu já falei.

A Louvável e oportuna preocupação do nosso Chico da Buchada deve ser levada em consideração pela Prefeitura Municipal. A Secretaria de Cultura da Cidade precisa procurar os organizadores para discutir o assunto. As vezes um simples diálogo resolve o problema. Não sendo possível por estes meio, leva-se o caso ao Mistério Publico, guardiã do patrimônio cultural do nosso povo, para que seja assinado um Termo de Conduta com as partes conflitantes. O que não pode é, a cada outubro, vir a baila o mesmo insolucionável assunto.

É preciso que se entenda que o momento e a razão do evento é a Festa do Rosário. O resto é acessório e, se o acessório estar prejudicando o principal é este, e não aquele, que deve ceder.

A prefeitura tem a obrigação de pôr a colher nesse angu, uma vez que os prejuízos são latentes e conhecidos.

O Chico da Buchada pede, segundo Verneck, que eu diga ao povo de Pombal da importância da Festa do Rosário. É necessário? A Festa tem mais de um século e não há em Pombal que desconheça a sua importância para nosso povo, meu caro Chico da Buchada.

A Festa do Rosário, com sua grandiosidade, representa para o nosso povo, pobres e ricos, o congraçamento dos filhos da cidade que, nesta data, voltam à velha terra de Maringá, para rever amigos e ter noticias de as quantas andam a sua terrinha.

Os Negros dos Pontões, que chamam a atenção de pesquisadores de toda parte do país por só existir em Pombal; a realeza dos Congos e do Reisado, que nas suas coreografias nos levam de volta as nossas raízes negras, no entanto, são marginalizados, por administrador de visão curta que a cidade num passado recente teve a “sorte” de carregar nas costas, são diversas vezes mais importantes do que qualquer grupo musical que queira lhes roubar o brilho.

Mas, por mais que eu diga da importância da Festa do Rosário, quem melhor falou dela foi escritor teatrólogo pombalense Tarcísio Pereira, quando em um belíssimo texto sob o assunto arrematou dizendo: “A Festa do Rosário é algo que precisa ser visto com olhos de turista”.

Há pouco o que dizer da Festa do Rosário mas, muito o que fazer por ela. E você Chico da Buchada, do alto da sua humildade, ao me procurar para escrever este texto, já fez a sua parte. Esperamos que, quem mais pode fazer, não se omita.

*Escritor pombalense
Ignácio Tavares
IGNÁCIO TAVARES*

A cidade de Pombal sempre acolhe de braços abertos, as pessoas que chegam para passar alguns dias, mas, resolvem ficar para sempre. A imanência da sedutora cidade explica-se pelo modo receptivo com o qual o seu povo acolhe a todos que se propõem a se tornar cidadãos pombalense.

Desde antigamente ouve-se o presságio de que: quem ousar passar por aqui, pelo menos um dia e uma noite, jamais a esquecerá o perfume sedutor que exala em cada canto da cidade. Ainda há outra máxima que diz: “bebeu a água do racho do bode a paixão pela terrinha explode”. Decerto, por aqui ficará para sempre.

Das pessoas de origens diversas que fixaram residência em Pombal, quero falar apenas sobre duas. São criaturas sem expressões sociais, de origens desconhecidas. Outras criaturas já passaram por aqui na mesma situação, mas essas duas são especiais. Refiro-me a Luzia Carne Assada e Mané Doido.

Luzia Carne Assada chegou a Pombal não sei quando, não sei de onde. Era de compleição física acaboclada, estatura mediana, falava pouco, era reticente quando alguém perguntava sobre a sua origem. Não sei dizer a razão do apelido ¨ Luzia Carne Assada¨. Era devota de Nossa Senhora, por isso foi aceita, sem nenhuma restrição, como membro da Irmandade do Coração de Jesus.

Vivia de esmolas. Nunca aceitava qualquer doação acima de um cruzeiro. Costumava dizer que se alguém lhe oferecesse algo acima desse valor era porque estava com outras intenções. Talvez tivesse lá suas razões.

Era casta, puritana, morava sozinha numa casa no inicio da Rua da Cruz. Criava gatos, galinhas entre outros pequenos animais domésticos. O seu hábito de conviver, a muito gosto, cercada de pequenos animais nos levava a crer que era de origem rural.

Ela tinha um galo que era famoso. Certa noite a gente estava a beber na casa de Salatiel Marques. Lá por volta da meia noite, resolvemos roubar o galo de Carne Assada. Tudo certo, a operação foi perfeita. Só houve um problema: o galo passou mais de duas horas no fogo, amanheceu o dia e não cozinhou.

Diante do inesperado acontecido, alguém sugeriu que o galo tinha a mesma idade dela, por isso encruou e não cozinhou. Constrangidos, depois de uma pequena discussão, resolvemos pagar o galo, só que o pagamento tinha que ser feito aos poucos, porque ela não aceitava doação acima de um cruzeiro.

Assim foi feito. Calculamos o valor do animal, concluímos que valia no máximo vinte e cinco cruzeiros. Assim sendo, a dívida foi quitada de cruzeiro em cruzeiro. Vez por outra, a gente a provocava ao perguntar sobre o galo.

A resposta era um verdadeiro lamento, pois o galo pra ela era como se fosse um filho. Nunca perdeu a missa das cinco da manhã, porque o galo, exatamente às quatro e meia da manhã começava a cantar. Era o despertador que a acordava na hora certa para que não perdesse a missa celebrada por Padre Oriel no primeiro horário da manhã.

Não sei como terminou o ciclo de Luzia Carne Assada em Pombal. Do jeito que chegou partiu. Partiu sim pra outra dimensão, porque o corpo de Luzia jaz em um canto qualquer do cemitério velho. Como sempre numa cova rasa sem nenhuma inscrição que lembre que um dia alguém de origem humilde, sem origem, sem destino, habitou entre nós.

Quanto a Mané Doido, a história se repete. Chegou a Pombal ninguém sabe quando, nem tampouco de onde. Mané era morador de rua. Qualquer marquise servia-lhe de teto. Na época de chuva, ele costuma dormir no terraço da casa de seu Zezinho da Banca, pai do saudoso magro Zequinha.

Não era de pedir nada a ninguém. Pedia sim, com os olhos. Aproximava-se das bancas de frutas, de quem quer que fosse, ficava ali de braços cruzados, até que alguém entendesse o seu olhar pidão e oferecesse algumas bananas. Não agradecia, apenas esboçava um leve sorriso e se retirava como se nada tivesse acontecido.

O seu grande amigo era Cabina, proprietário do restaurante Manaíra, localizado à Rua Coronel José Fernandes, em frente ao mercado central. Quando Cabina não estava no restaurante a sua esposa Cecinha era quem socorria Mané. Almoçava, a noitinha recebia um suculento prato de sopa acompanhado de um pão, o que lhe era suficiente para mitigar a fome do dia.

Mané vez por outro mostrava o seu lado desconhecido. Certa noite chega ao restaurante Manaira, para o repasto noturno. Sentiu a ausência de Cecinha, que sempre ficava sentada fora do balcão a fazer as vezes de caixa.

Neste dia, quem estava fora era Cabina e Cecinha estava sentada no outro lado do balcão. Mané perguntou: “seu Cabina cadê dona Cecinha”? Cabina, como sempre debochado e bonachão respondeu: “ah, Mané eu não lhe conto, houve uma tragédia na minha família”.

Mané não entendeu bem o que Cabina estava a falar. Perguntou: “o que é isso seu Cabina”? Foi o seguinte Mané: “passou aqui um viajante e Cecinha fugiu com ele”. Indagou Mané: “ô quê seu Cabina, dona Cecinha fez isso”? Isso mesmo Mané, respondeu Cabina. Cecinha no outro lado do balcão a escutar toda conversa.

Mané ficou irrequieto, tomado pela dúvida. Mesmo assim resolveu opinar sobre o caso da suposta fuga de Cecinha e assim falou: “seu Cabina eu nunca lhe disse nada pra não lhe magoar”. Magoar como Mané? Perguntou Cabina. Mané ficou sem jeito, querendo expressar o seu pensamento, mas sem coragem com medo de uma reação de Cabina.

O ambiente ficou confuso pra Mané, mas mesmo assim resolveu falar o que sempre pensou de Cecinha: “olhe aqui seu Cabina, vou lhe falar a verdade. Eu sempre achei dona Cecinha com uma cara de quenga da moléstia. Não sei se o senhor concorda comigo, não é”?

Cecinha, que estava por trás do balcão a escutar toda história, levantou-se, interveio: “voce não é besta não Mané”? Ora, quando Mané viu que Cecinha estava presente, sentada no outro lado do balcão, a escutar tudo, saiu em desabada, sequer esperou pelo prato de sopa.

Mané passou muito tempo sem entrar no restaurante Manaira. Cabina todo dia preparava o prato e mandava pra ele. Certo dia Cecinha encontrou-se com ele na porta do açougue e fez as pazes. Pronto agora tudo está resolvido. Você pode voltar a comer lá no restaurante, viu?

Mas, Mané nunca mais foi o mesmo. Jamais teve coragem de olhar pra Cecinha. Sempre que os dois conversavam, ele volvia o olhar para o chão. Quando Cabina queria brincar com ele, não havia receptividade, pois calado estava, calado ficava.

Mané desapareceu para sempre. Morreu? Ninguém sabe, ninguém viu. Talvez tenha se encantado, como dizia o saudoso Guimarães Rosa: “ninguém morre, encanta-se”. Mané encantou-se?

Quem sabe, ao desencantar-se, talvez tenha se transformado numa libélula a vagar mundo afora, na busca de um lar, de uma família, coisa que nunca teve enquanto viveu a perambular pelo planeta terra.

João Pessoa 19 de Agosto de 2011

*Economista e Escritor

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Clemildo Brunet - Prog. ao vivo no Pombal Ideal Clube em 16/11/2003.
CLEMILDO BRUNET*

Pombal Ideal Club o sodalício mais antigo de nossa cidade chega ao seu cinquentenário. Fundado no dia 01 de agosto de 1961, no verdor da minha adolescência, nesta data chegava aos meus 12 anos de idade, já engatinhando na radiofonia de minha terra. Um grupo de cidadãos da sociedade pombalense se reuniu na Sede Operaria Beneficente e decidiram por sua criação, pois ali naquele local (Sede Operária), já era um dos lugares utilizados para as promoções de festas e assustados como eram conhecidos à época essas diversões, que mesmo em ambiente cercado por quatro paredes, se destinavam ao lazer e divertimento público.

No dia 06 de setembro de 1961 em Assembleia Geral Extraordinária foi aprovado os estatutos do PIC sigla pela qual significa: POMBAL IDEAL CLUB, cujo documento consta os nomes de Pedro Luiz de Oliveira, Francisco Solano Trigueiro, Manoel de Sousa Bandeira, Wilson Nóbrega Seixas, Azuil Arruda de Assis, Atêncio Bezerra Wanderley, José Nicácio Amorim, Valdomiro Bandeira de Sousa, Pedro Celestino Dantas, José Arruda dos Santos, Salatiel Fernandes de Morais e Possidônio Ferreira de Queiroga.

Segundo Verneck Abrantes, o local para a construção da sede do Pombal Ideal Club ficava na ex- Rua do Comercio, a antiga Casa do Mercado construída pelo português Bernardino José da Rocha no início do século XX. Tendo sido desativada como ponto comercial, e, serviu de estação da luz, casa de ferreiro, depois, Câmara Municipal, e anos mais tarde oficina mecânica e residência familiar. Foi demolida em 1968, para dá lugar a construção do monumental edifício do PIC e até hoje vem resistindo às intempéries do tempo sem apresentar rachaduras em suas estruturas físicas, graças ao duplo do ferro necessário na obra, utilizado pelo mestre e construtor Manoel Virgineo, talvez por não ter engenheiro no acompanhamento da obra ou por se tratar de um dos primeiros prédios com aquela estrutura na cidade.

Casa antiga do Mercado
Seu primeiro Presidente foi Manoel de Sousa Bandeira (falecido há poucos meses), gestão 62/63. Seguindo-se por Pedro Celestino Dantas, 64/65; Hamlet de Assis Arnaud, 66/67, reeleito para o biênio 68/69. Nicácio de Assis Arnaud, 70/71 e 72/73. Carlos Alberto Soares de Oliveira, 74/75 e 76/77. Sebastião Alves Sarcivo, 78/79; José Arimateia Alencar Formiga, 80/81; Geraldo Arnaud de Assis Junior, 82/83; Antonio Pereira Filho, 84/85 e 86/87; Francisco Pereira da Silva, 88/89; Antonio Pereira Filho, maior período de gestão tendo sido reeleito a cada biênio entre 90/97; João Carlos Formiga Leite, 98/99 e 2000/2001; José Alves de Sousa, 2002/2003 e 2004/2005; Altair Queiroga Melo, 2006/2007 e 2008/2009 e Cãndida Amélia Formiga Leite, eleita para o biênio 2010/2011, atual gestão.

Nossa Coluna não vai entrar em detalhes de quem fez mais ou menos em suas gestões a frente do Pombal Ideal Clube, até porque, cometeríamos o pecado de destacar alguns em detrimento de outros cujos dados não temos em mãos. Peço permissão aos meus leitores para narrar o que foi o Pombal Ideal Club nos tempos passados com suas promoções festivas, que alegrava e trazia lazer para nossa sociedade, palco de grandes shows e bailes com a participação de artistas de renomes do cenário artístico nacional, tais como:

Renato e Seus Blue Caps (por duas vezes), The Fevers, Terríveis de Natal, Antonio Marcos, Nelson Gonçalves, Waldick Soriano, Cláudia Barroso, Sidney Magal, Banda Phobus, Orquestra Super “O HARA”, (por duas vezes), Jorge de Altinho, Assisão, Ivanildo do Sax, Os Feras, Orgirio Cavalcanti e Banda, Trio Nordestino, Chico Amaro, João Gonçalves, Grupo Skorpions, Anay Claro, Natureza Alucinante, Carlos Fernandes e Teclados, (por duas vezes), Evaldo Freire, Mauricio Reis, Roberto Muller, Skema Livre, Brilho do Som, Show Fênix, Trepidantes, RNC5, Os Tártaros, Os águias de Pombal, Grupo Show Nova Geração de Pombal e três Festivais com Sanfoneiros da região assinalados nos anos 85, 86 e 87 e muitas outras atrações do gênero musical.
Construção da Sede do Pombal Ideal Club - 1968
O Pombal Ideal Clube foi também palco de muitas convenções político/partidárias, sociais e administrativas. Em seu local recreativo muitos namoros foram iniciados e deram-se em casamento. Porém, teve também muitos finais de paixões amorosas. Ali foram realizadas semanas universitárias, júri simulado, lançamentos de livros dos nossos escritores, palestras, debates, entrevistas, festivais de músicas ao vivo, Programas de auditório, show de calouros, aniversários, festas juninas, apurações de votos de pleitos eleitorais em níveis tais como: Nacional, estadual e municipal, memoráveis concentrações públicas em frente a sua sede social, e velhos carnavais em seu recinto acolhedor.

Permita-me fazer agora, um registro do nosso cronista e escritor, Juiz de Direito da 5º Vara Cível da nossa Capital, Dr. Onaldo Queiroga, que reporta muito bem como foram as suas primeiras andanças pelo Pombal Ideal Clube.

Diz Onaldo Queiroga:

“Mas, foi em Pombal, minha querida terra, que vivi intensamente essa tradição. Nos anos 1980, na companhia do meu irmão Cacá, de primos e amigos de infância, tive a oportunidade de não só participar dos matinês do Pombal Ideal Clube, como também viver as quatro noites de carnaval. Recordo-me de que, sob a presidência de Pereira, o Pombal Ideal Clube realizava, organizadamente, o carnaval pombalense...

...Contudo, Os blocos davam um tom especial e harmônico à alegria dos foliões. Eram eles: O Formigão (de Chiquinho Formiga), Bloco do Sujo, Fuleragem, Brasinha, Descarados, Eternamente, Os Chorões, Antártica, Dragões, Os Ursos, etc. Cada um tinha seu próprio hino, que era executado na hora da entrada triunfante no salão do Pombal Ideal Clube. Ainda ouço o som metálico do pistom do gordo de Cabine e do sax de Teinha. Lembro-me de que, quando o Brasinha desfilava no salão, todos cantavam: “Brasinha, brasinha, é raça e cachaça é povão / Não é o maior bloco do Brasil / Brasinha é o melhor bloco de Pombal..” E o bloco do Sujo, fundado por Manoel Bandeira, trazia em seu hino: “Olhe o bloco do sujo / que não tem fantasia / Alegria barata / Carnaval vai chegar...” O Bloco “Os Ursos”, de sua vez, brincou apenas o carnaval de 1985, tendo sido seu hino composto por Luizinho Barbosa, e dizia: “Vem chegando os ursos abrindo alas no carnaval / todos vem alegres que não tem igual / tem mel, tem mel no meio do salão / são quatro dias de folia...”.

No auge de seu apogeu o POMBAL IDEAL CLUBE no marketing das divulgações de seus eventos, era anunciado e propagado em carro de som e outros meios de comunicação como, A Voz da Cidade e Lord Amplificador, com a expressão: ‘Hoje nos salões aristocráticos do Pombal Ideal Clube’ e seguia a divulgação do evento.
Nesse ínterim, evoco o testemunho do nosso pesquisador e escritor Verneck Abrantes que diz:

“O Pombal Ideal Clube foi um marco na vida social da cidade, em função disso as pessoas começaram a se vestir melhor para as noites no sodalício, musicas orquestradas e de boa qualidade eram contratadas. Devido o custo de entrada para as festas, ocorria uma seleção natural do publico, era chick ir ao Pombal Ideal Clube, com sua diretoria vigilante ao padrão de qualidade dos eventos. Antes as festas eram realizadas no Mercado Publico, Grupo Escolar João da Mata, Sede Operária e Brasil Oiticica”.
FACHADA DO POMBAL IDEAL CLUB
Em 1969 o Pombal Ideal Clube foi sede de uma das maiores festas, se não a maior do sertão da Paraíba, à época. “A PARAÍBA EM UMA NOITE” como integrante e titular do único meio de comunicação da cidade LORD AMPLIFICADOR, fui convidado com minha equipe para a cobertura jornalística do acontecimento, onde uma mesa reservada nos esperava. Acompanharam-me: Massilon Gonzaga, João Costa e Iêdo Leite de Sá.

Pois bem, o nosso estimado amigo, ator, dramaturgo e teatrólogo W. J. Solha que nesse tempo juntamente com o Diretor de cinema Linduarte de Noronha, estava produzindo a primeira longa metragem da Paraíba em Pombal, “O Salário da Morte’’, fora convidado por um grupo de jovens da sociedade para exibir uma peça durante o evento.

Naquela noite memorável, os circunstantes tiveram a oportunidade de assistir a peça com o título de ‘As Visões do Crânio do Boi Acauã no Esqueleto do Angico’, adaptado de um conto criado pelo próprio Solha, que mais tarde se tornaria matriz de seu livro A Canga e do curta-metragem dirigido pelo Marcus Vilar com o mesmo nome. A encenação da peça foi acompanhada da narração de Zeilto Trajano que transmitia ao vivo para Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras.

Diz Solha:

Éramos eu, Cadarço, Nilzete, Adalva e Benedito (colega do BB). O Verneck - embora menino ainda - me conseguiu um tocador de pífano e fez a iluminação do espetáculo. Foi apenas uma apresentação. Estava presente o Linduarte Noronha, que fazia as locações do filme O Salário da Morte.

Nessa noite ainda, houve desfile das garotas que representaram vários municípios do Estado e a presença da Miss Paraíba, cujo nome me foge da memória, como também da orquestra que animou o baile na ocasião.

Que este Jubileu de Ouro do Pombal Ideal Club com uma festa singela que vai marcar o evento no sábado (20), possa acender uma luz no fim do túnel e faça despertar os seus 599 sócios remanescentes, para que estejam cientes que no presente momento, o referido sodalício está em uma situação SOS - POMBAL IDEAL CLUBE, não por culpa da atual diretoria, pois esta tem feito um esforço sobre-humano para chamar o feito à ordem.

Não há dinheiro em caixa e o pouco que se consegue vem de doações voluntárias ou de aluguel do recinto para alguma atividade social. Segundo a Presidente atual Cândida Amélia Leite, o sodalício nem sequer tem dinheiro para mínimas despesas de manutenção com a limpeza ou qualquer reparo que seja necessário fazer em suas dependências. É desejo de a atual diretoria realizar um recadastramento dos sócios, os quais não sabemos desde quando estão inadimplentes com suas mensalidades.

É com dificuldade que vem sofrendo a atual diretoria por falta de dinheiro, mesmo assim, não era possível deixar passar em brancas nuvens tão importante efeméride; afinal o Pombal Ideal Club é um patrimônio Sócio Cultural e Arquitetônico que nossa comunidade tem com uma história cheia de lutas e sacrifícios, e, que por sorte da maneira sólida como sua sede foi construída - estar de pé ainda seu monumento no centro da cidade de Pombal, a lembrar tantos tempos gloriosos!

DIRETORIA ATUAL
Presidente – Cândida Amélia Formiga Leite
Vice Presidente- Maria Assis de Queiroga
1° Secretário – Davi Formiga dos Santos
2° Secretário – Sergio de Tarso Monteiro
1° Tesoureiro – Danilo Arruda
2° Tesoureiro – Odilon Salgado de Assis

Diretor Patrimonial – Alberto Salgado Bandeira

Diretor Social: Fernando Araújo Silva

Conselho Deliberativo
José Ednor Varela de Araújo
Francisco Nóbrega de Queiroga
Marcos Antonio Lopes Bezerra
Joana Darck Elias Queiroga
João Carlos Formiga Leite
Pedro Celestino Dantas Filho
Francisco Fernandes da Silva
José da Nóbrega Freitas

Suplentes
Evandro Junqueira de Almeida
Clemildo Brunet de Sá
Herbet Levi Rodrigues Olímpio

SALVE O POMBAL IDEAL CLUBE NO SEU JUBILEU DE OURO, PARA QUE VENHAM MAIS OUTROS CINQUENTA!

Pombal, 18 de agosto de 2011.

*RADIALISTA
Web. http://clemildo-brunet.blogspot.com.br/2011/08/jubileu-de-ouro-do-pombal-ideal-club.html 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A Câmara Municipal de Pombal sob a Presidencia do Vereador José Wiliam de Queiroga Gomes, marcou nesta segunda (15), com uma Sessão Especial - Os Cinco Anos do Campus da UFCG em Pombal. O Evento se deu no auditório da UFCG de nossa cidade e contou com a presença do magnífico Reitor Prof° Thompson Fernandes Mariz, além dos diretores de campi de Cajazeiras Prof° Cezario de Almeida, e local Professor Cleyton Queiroga, como também de outros campi da Paraíba que integram a UFCG em nosso Estado.

Marcaram presenças também na sessão: Os Prefeitos Francisco Dutra de Brejo do Cruz e Pollyanna Feitosa de Pombal,  Pe. Ernaldo José, Pároco da cidade, Prof° Martino Salgado, Professora Diana Oliveira e muitos outros.

A Imprensa local foi representada na mesa dos trabalhos pelo Radialista Clemildo Brunet de Sá do Portal Clemildo, Comunicação & Rádio. 

Os Vereadores Alcides Gomes, Josevaldo Feitosa e Paulo Gomes, em seus pronunciamentos contaram a respeito dos esforços dos quais muitos se empenharam para a criação do Campus da UFCG em nossa cidade. Foram lembrados nomes como do Ex Prefeito Jario Feitosa e Pe. Solon Dantas de França (In Memoriam), e muitos outros que se engajaram na luta  para criação do Campus da universidade em Pombal.

Ainda falaram:  Os Professores Cezário de Almeida, Martinho salgado, Cleyton Queiroga, Prefeita Pollyanna Feitosa e por fim o Reitor Thompson Mariz, todos eles narraram fatos e pessoas que tiveram participação direta ou indireta, para concretizar o sonho de Pombal ter sua própria faculdade.

Após a Sessão, todos foram servidos por um lauto  almoço, sendo  recepcionados pela Prefeita Pollyanna Feitosa, em um restaurante da cidade.

Da Redação.
Onaldo Queiroga
ONALDO QUEIROGA*

No mundo, encontramos seres horripilantes. Mas um há, especificamente, que é, sem dúvida, o mais repugnante de todos: o predador. Também numa sociedade extremamente materialista, onde o dinheiro apresenta-se como o "ser" supremo, os predadores encontram ambiente altamente propício para promoverem a multiplicação da espécie. Se você parar por alguns minutos e olhar bem para a sociedade em que vive, logo perceberá que os predadores existem realmente — estão em nosso dia-a-dia, convivendo lado a lado conosco.

Existem muitos tipos de predadores, porém dois nos chamam a atenção. O primeiro consiste naquela pessoa altamente materialista e egocêntrica, que não mede as consequências de seus atos, pois o que lhe importa verdadeiramente é concretizar um sonho qualquer, nem que para isso seja preciso literalmente passar por cima das pessoas. Não importa quais: irmão, pai, mãe, parentes ou mesmo amigos íntimos.

Esse tipo de predador é visto circulando em grande número e apresenta-se como um dos maiores responsáveis pela degradação da Terra. O comportamento desses predadores chega abruptamente ao nosso viver, como se estivessem sob o comando de um cansim egípcio [WINDOWS-1252?]— aquele vento sul, quente e seco, que sopra no Egito na época das cheias do Nilo [WINDOWS-1252?]— e também inundando de maldade o nosso tempo, sob as formas mais impiedosas.

São seres avarentos, mas parecem guardar dentro de si uma micoteca, pronta para se abrir e espalhar ao seu redor os fungos denominados inveja, soberba, corrupção, traição e egoísmo.

O segundo predador não é encontrado em número tão expressivo, mas também habita nosso planeta em grande quantidade. Trata-se de ser que, na maioria das vezes, pode ser considerado excelente cidadão, grande profissional, de extrema bondade. Todavia, seu modo de viver dizendo sim, sem jamais dizer não, de sempre dedicar-se primeiramente a resolver problemas, principalmente os alheios, esquivando-se de olhar para sua própria pessoa, fez surgir no mundo outra espécie de ser [WINDOWS-1252?]– o predador de si mesmo.

Ora, de uma extremidade a outra, a vida nos mostra a cara dos predadores. Por intermédio deles, também nos ensina o caminho da felicidade, que repousa no jardim do equilíbrio. É aquele velho ditado: "nem tanto ao mar, nem tanto à terra". A arrogância, prima da vaidade e irmã da prepotência, termina muitas vezes por levar homem ao estacionamento da depressão.

É preciso que a humanidade tenha consciência de que: "a inteligência se lhe condiciona a determinados fatos de expressão. O ar que respira é patrimônio de todos. As conquistas da ciência, sobre as quais baseia o progresso, são realizações corretas, mas provisórias, porquanto se ampliam consideravelmente de século para século. A saúde física é uma dádiva em regime de comodato. A fortuna é um depósito a título precário. A autoridade é uma delegação de competência, obviamente transferível. Os amigos são mutáveis, na troca incessante de posições, pela qual são freqüentemente chamados à prestação de serviço, segundo os ditames que os princípios de aperfeiçoamento ou de evolução lhes indiquem. Os próprios adversários, a quem devemos preciosos avisos, são substituídos periodicamente e que os mais queridos objetos de uso pessoal passam de mão a mão". (Emmanuel)

*Pombalense, Juiz da 5° Vara Cível da Capital.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Pr.Cláudio e sua esposa Cantora Austria
"Pr. Cláudio Alves da Silva - 40 anos de vida"

Pr. Cláudio Alves da Silva, nascido na cidade de Macaparana/PE no dia 16/08/1971, cidadão pombalense desde dezembro de 2006 - propositura do Vereador Drº Santana ..., o Pr. Cláudio Alves é casado civilmente desde 11 de dezembro/99, com a Professora, Missionária e Cantora Evangélica Austria Alves Cavalcanti Silva, é pai de um filho Cláudio Alves da Silva Filho. O Pastor será alvo de homenagens de seus familiares e amigos nesta terça feira dia 16 de agosto, completando "quatro décadas" (40 anos).

• É filho do casal: Vicente Augustinho da Silva e Regina Maria da Silva.

• O Pr. Cláudio Alves da Silva foi pastor efetivo da IEC em Pombal/PB, no período: 18 de outubro/2003, a 27 de junho/10. Antes já tinha pastoreado a IEC de Macaparana/PE, e a IEC Monte Sião em Santa Cruz do Capibaribe/PE, exerceu a função de Secretário Executivo de Missões e Administrativo da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil por um período de cinco anos e três meses;

• O mesmo foi o idealizador e produtor do programa evangélico: "A Voz Congregacional" veiculado até os dias de hoje de segunda a sábado das 18:00 às 19:00h através da Rádio Liberdade 96 FM;

• Desde 30/6/10 reside na cidade de João Pessoa/PB, exerce atualmente a função de Diretor Nacional do DOM - Departamento de Orientação Missionária - da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil.

• O mais recente feito do Pr. Cláudio Alves da Silva no exercício de sua função de Diretor do Departamento Nacional de Missões das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil foi a criação do Blog de caráter missionário: http://dommissoes.blogspot.com/

• O Pr. Cláudio desde abril/11 vem sendo um dos redatores do Jornal Aliança Congregacional (Página: Viva Missões), e da Revista Aliança Missionária - órgãos publicitários pertencentes a ALIANÇA. Ele com sua Diretoria presta assistência a 27 Campos Missionários Congregacionais; sendo 26 Campos no Brasil e um na cidade de Cochabamba - Bolívia. Presta também assistência a missionários que estão servindo ao Senhor na Espanha, e em Guiné-Bissau na África.

• A ele os nossos votos de parabéns, almejando que o Deus de toda graça o cubra de inúmeras bênçãos juntamente com sua família.

Da Redação.

10 Anos

DEZ ANOS DE BLOG Clemildo Brunet* Para brindar tão glorioso acontecimento, ele acontece juntamente com os duzentos e nove anos de imprensa em nosso país, justamente na semana que intercala as duas datas importantes para os nossos meios de comunicação: 1 de junho – Dia da Imprensa Nacional Brasileira e 7 de Junho Dia da Liberdade de Expressão.

Postagem Destaque

Jornalista e escritor faz revelação sobre importante político de Pombal e fala da história de “Maringá”

O jornalista disse o município tem avançado nessa nova gestão, mas precisa alavancar em áreas mais importantes. O Caldeirão Político ...

Quem sou eu

Minha foto
CLEMILDO BRUNET DE SÁ – Iniciou sua carreira radiofônica em 1961 nas antigas difusoras de Pombal. Em 1966 montou sua própria emissora “A VOZ DA CIDADE”, que teve o seu destaque na formação de muitos profissionais que atuam hoje nos veículos de comunicações como: Rádios, Jornais, TVs e Portais da Web. Em 1968 instalou o serviço de Alto Falantes “LORD AMPLIFICADOR”. Atuou no rádio como: Locutor, redator, comentarista, repórter e noticiarista. Foi correspondente durante dez anos do Jornal Estadual da Rádio Tabajara da Paraíba entre 1980/1990. Ex-diretor comercial das Rádios Maringá AM e Liberdade 96 FM de Pombal. Passando ainda pela Opção 104 FM de Pombal e Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras exercendo nesta última, suas atividades jornalísticas nos Programas, Rádio Vivo e Trem das Onze. Foi agraciado com a mais alta honraria da Assembléia Legislativa da Paraíba “A Medalha Epitácio Pessoa”, no dia 10 de junho de 2010. Aposentado, atualmente vem divulgando temáticas sobre o rádio, a cultura e a história de Pombal, em seu Portal CLEMILDO, COMUNICAÇÃO & RÁDIO. Sigam-me no Twitter: http://twitter.com/clemildobrunet

Arquivos do Blog

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.
CLEMILDO E SALES DANTAS EXIBINDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007".

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.
ELIEZER GOMES OFERECE LAUTO ALMOÇO AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET E AO CRONISTA ESPORTIVO JOSÉ CARLOS ARAÚJO.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
OS RADIALISTAS DA TERRA DE MARINGÁ QUE FORMAM A GRANDE COMISSÃO DA FESTA.

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
CERIMONIAL: ADELTON ALVES, LADEADO PELAS PROFESSORAS: DIANA E SONIA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
A GRANDE COMISSÃO COMPOSTA PELOS RADIALISTAS DE POMBAL.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ENTREGA DO CERTIFICADO "PARCEIRO AMIGO DA IMPRENSA" AO REPRESENTANTE DA CASA BORBOREMA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
ALDO NUNES DO SEBRAE RECEBE DAS MÃOS DE CLEMILDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO EM SEU DISCURSO AGRADECEU AS HOMENAGENS A ELE TRIBUTADAS.

AGRADECIMENTO

Meu querido Clemildo Brunet

Tomei conhecimento por intermédio de minha mãe, Dona Zélia que o nobre Jornalista tinha feito uma homenagem ao meu querido e inesquecível Pai, Cirurgião Dentista e Historiador Wilson Nóbrega Seixas, em seu Blog, de pronto como seu filho mais velho estou lhe enviando esse E-mail agradecendo em nome de minha família as atenções.

Do conterrâneo e amigo,

Antonio Chateaubriand Carneiro Arnaud Seixas

CONGRATULAÇÕES

Clemildo amigo,

Gostei de suas palavras sobre o nosso conterrâneo Paulo Abrantes. Você, como sempre, valorizando os filhos da terra. Abraços para você e para o homenageado.
Carneiro Arnaud

PASTOR CLODOALDO

Querido Clemildo
Agradeço a Deus a oportunidade que me concedeu de conhecer pessoalmente o meu primo Pr Clodoaldo. Os que confiam no Senhor são como águias, renovam-se e revigoram as forças. São ditosos e, asseguram-nos as escrituras, frutuosos todo tempo. As bênçãos de Deus se revelam na longevidade e a misericórdia Dele proporciona-nos ver os filhos dos filhos. No caso aqui , poderei dizer , primo dos primos. Tive o privilégio de conhecer, pessoalmente, o Pr Clodoaldo na ocasião das comemorações do centenário de nascimento do meu saudoso e amado Pai ( Flavio Brunet) . Como foi gratificante para mim, encontrar o Pr Clodoaldo , pois eu só ouvia falar dele. Não me lembro se o conheci quando ele era criança, mas tenho certeza que nunca nos havíamos encontrado. Depois que ele dedicou sua vida ao Ministério, encontrá-lo, como servo de Deus, foi como um refrigério a minha alma.
Lendo seu relato, vi como o Nosso Deus é Misericordioso com aqueles que obedecem a Sua Palavra. Posso imaginar como foi a vida desse homem de Deus que entregou sua vida para proclamação do Evangelho. Sei perfeitamente o quanto é difícil para um missionário iniciar um trabalho!! Mas sei, também, o quanto é agradável fazer a obra de Deus. As dificuldades se sobrepujam ao regozijo das nossas almas. Parabéns, Pr Clodoaldo, por mais um ano de vida dedicado ao serviço do Nosso Senhor Jesus Cristo, levando mensagem de Salvação. Parabéns Clemildo, pelo dom que Deus lhe deu. Você sabe, como ninguém, homenagear as pessoas que lhe são queridas. Um grande Abraço Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

PARABÉNS PELO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FlÀVIO BRUNET DE SÁ

Caro Clemildo,
Moro em São Luís, Ma, e já estive na Paraíba , terra querida do meu pai, que aí nasceu e morou até os dezoito anos, em Catolé do Rocha.Veio muito cedo para o Maranhão e aqui se estabeleceu. Faleceu em 1979, com 68 anos. Ele falava com saudades da sua terra e me fez gostar dela. Por isso, eu amo a Paraíba .
Associo-me às homenagens prestadas in memoriam, ao seu Flávio Brunet que não conheci pessoalmente, mas que admiro e respeito pelos seus feitos em prol da família, da igreja e da comunidade. Aprendi a admirá-lo também pelo amor a ele dedicado pela sua filha Rose Mary,
Parabéns pelas festas do centenário de nascimento desse ilustre paraibano que sem alarde , deixou um legado que se perpetuou nas novas gerações de filhos, netos , sobrinhos e amigos. Ao lado de D. Eunice, de saudosa memória,soube construir um patrimônio irretocável de amor, generosidade, e , sobretudo, de um testemunho de vida que o tempo não vai conseguir apagar.
E a você, de modo especial, toda a minha admiração pelo blog que destaca de forma brilhante essa comemoração. Que ela sirva de inspiração a todos quantos busquem como paradigma aqui na terra, um homem valoroso, trabalhador e temente a Deus. Seu Flávio aqui viveu de modo digno, desempenhando a contento a obra que lhe foi confiada por Deus
Com estima,
Dina Barreto da Silva

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO EMPRESÁRIO GENIVAL TORRES DANTAS EX-INTEGRANTE DO LORD AMPLIFICADOR NA DÉCADA DE 70.

AUSÊNCIA JUSTIFICADA!

Bom dia Clemildo!
Conseguir entrar no seu blog e vir todas as homenagens dedicadas a seu Flávio, mais do que merecido como todos nós sabemos.
Não podemos marcar presença, pois Júlio estava com problema alergico e tive medo de viajar.
Parabéns pelo seu maravilhoso trabalho.
Obrigado
JÚLIO E SÔNIA BRUNET

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O DESEMBARGADOR RAPHAEL CARNEIRO ARNAUD EM SEU DISCURSO REFERIU-SE AOS RELEVANTES SERVIÇOS PRESTADOS POR CLEMILDO A COMUNICAÇÃO PARAIBANA.

PARABÉNS, PELO BLOG

Elias Medeiros
Estimado Clemildo. Acessei seu blog. Parabéns. Encontramos poucos blogs hoje em dia como o seu. Um blog sério que promove valores (espirituais, familiares, amizades, etc) que muitos blogeiros esqueceram de ressaltar. Parabéns, portanto, pelo blog muito informativo e formativo. Elias e Fokjelina Medeiros

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.
CLEMILDO CUMPRIMENTA A MADRINHA DOS RADIALISTAS COM UM BEIJO.

COMENTÁRIO: O CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ.

Rivanilda Ramalho de Sá comentou sobre a sua postagem no blog



...tudo que ele faz será bem sucedido. Salmo 1.3 Assim é as coisas que você promove. Foi um evento perfeito organizacionalmente e emocionalmente... Uniu gerações da família...Agradável aos olhos de Deus. Parabéns!

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ACADEMIA DE LETRAS DE POMBAL ENTREGA CERTIFICADO HOMENAGEANDO OS RADIALISTAS DE POMBAL.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O JORNALISTA JOÃO COSTA EM SEU DISCURSO ENALTECEU AS QUALIDADES DO HOMENAGEADO!

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
DONA CESSA MADRINHA DOS RADILISTAS ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET.

NOVO CONTADOR DE VISITA INICIADO EM 27/06/12









SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU ESTA PLACA CARACTERIZANDO O RECONHECIMENTO DA CÂMARA DE VEREADORES!

JOÃO LEITE FILHO CUMPRIMENTANDO O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET NO MOMENTO DA ENTREGA DA COMENDA.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU MAIS ESTA COMENDA DAS MÃOS DO PRESIDENTE DA CASA.

MEU PRIMO GOSTARIA QUE VOCÊ POSTASSE A NOSSA GRATIDÃO PELA ORGANIZAÇÃO DA FESTA.

Pensava eu, em prestar uma homenagem ao meu pai, primeiramente agradecendo a Deus o que ele representou para sua família enquanto viveu. Depois queria que a meus filhos e convidados soubessem um pouco mais da vida desse grande homem. Abro aqui um parêntese para dizer, que vivemos no mundo de hoje em que honestidade é sinônimo de desvantagem. As pessoas só querem tirar vantagens uns dos outros sem se importarem do verdadeiro sentido da Vida. O ter é mais importante do que o SER. Sempre vi meu pai, pensando nos outros, nutria suas amizades com aqueles que gostavam não por aqueles que tinham maiores condições de vida. Sempre teve amigos verdadeiros. Voltando agora, dos meus pensamentos sobre meu querido e saudoso pai. Não poderia fazer o que pretendia sem ajuda desse importante comunicador. Clemildo fez o link do meu passado com o presente. Muito Obrigada, dileto primo!!!

Rose.

EMOCIONADA AO VER FAMÍLIA REUNIDA

Fiquei muito emocionada ao ver a família reunida. Agradeci a Deus por estar presente primeiro porque sei o quanto a minha avó Eunice ficaria feliz se viva estivesse; segundo porque considerei um milagre o meu chefe me liberar para viajar, já que havia muito trabalho no gabinete e me surpreendi quando ouvi ele dizer que considerava importante a minha presença no evento.
Não poderia imaginar uma homenagem mais bonita para o meu avô. Agradeço a todos que compareceram, principalmente, ao Pastor Clodoaldo, por ter sido um instrumento de Deus para trazer a mensagem, ao Dr. Clemildo pela organização de reunir todas as informações sobre o ”seu Flavio", aos meus tios Rose e Eli pela iniciativa, amo vocês.
Miriam Brunet

CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ!

Obrigada Clemildo pelo relato das nossas homenagens ao nosso Pai Flavio Brunet de Sá. Agradecemos a Deus, o que papai representou para nós, em vida. Comemoramos os 100 anos de nascimento dele. Esse exemplo de vida merecia ser lembrado até para as pessoas que não tiveram o privilégio de conhecê-lo. Fiquei muito feliz com o que aconteceu naquela noite. Agradeço de coração a todos que compareceram e, de uma forma ou de outra contribuíram para uma noite tão agradável. Uma noite de pura emoção!!! Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DOUTOR ATÊNCIO, MEU MÉDICO!

Gostei de ler o brilhante relato sobre a vida do Dr. Atencio. Ele foi o meu médico, nos primeiros meses de meu nascimento. Sempre ouvi a Mamãe e minha babá Raquelzinha falar sobre o Dr Atencio, da sua dedicação como médico. No ano de 2001, encontrei com a D. Cacilda em João Pessoa. Ela me reconhecendo como filha de Flavio Brunet de Sá e Eunice Ramalho Brunet foi logo me falando: “meu marido foi o seu médico". Eu disse que sempre tinha isso na minha lembrança que o Dr Atencio além de ser o meu médico era amigo da nossa família. Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DE ROSE MARY RAMALHO BRUNET MEDEIROS, PARA CLEMILDO BRUNET

• Rose Medeiros
Meu primo querido!!! Não tenho palavras para lhe agradecer o seu empenho de organizar e concretizar o meu sonho!!! Fiquei muito gratificada em poder fazer a homenagem para o papai . Ele ainda vive nos nossos corações!!!A fazenda Cajazeiras é tudo que podemos ter para que essa lembrança seja materializada. Fiquei recompensada com as palavras que ouvi ontem sobre o meu pai. Foi tudo o que pensei e idealizei, e isso não seria possivel sem a sua ajuda. Com todo meu carinho sua prima Rose Medeiros
01 DE AGOSTO: HOMENAGEM A CLEMILDO PELO TRANSCURSO DE SEU ANVERSÁRIO!

Deus está sempre contigo
Ele renova o teu coração
Unge os teus pensamentos
Sempre a vida com gratidão

Dar-te força e Coragem
E faz viver com emoção

A vida é sempre bela
Mesmo que haja provação
A Mão de Deus torna singela

Dar a ti felicidade
E a Saúde para viver

Cada momento de tua vida
O amor de Deus te faz sentir
Reinar em ti toda hora
Altivez está em ti
Com o teu dom a disputar
A estrela sempre a brilhar
Os teus anos vem florir

Maria de Lourdes P. de Almeida Araújo

COMENTÁRIO DE WJ.SOLHA

Beleza, meu caro. Alcancei o tempo do Cine Lux ainda de Affonso Mouta, com salas sempre cheias, ainda vejo na memória, o infalível padre Andrade a chegar mancando, vejo uma área reservada a prostitutas, vejo a infalível mãe de Eneida, esposa do colega do BB, Ramiroo, . a bilheteria na curva da esquina. Infelizmente posso dizer que seu Affonso, que mantinha um padrão alto de filmes que projetava, morreu em meu lugar. Ione, minha mulher, estava em Fortaleza, com um problema de saúde e pedi à Brasil Oiticica que, se fosse possível, me desse uma vaga em seu avião que ia semanalmente para lá. Tudo certo, mas, quando chegou o dia, recebi a ligação dizendo que, infelizmente, teriam de levar um motor que precisaria de reparos urgentes, só possíveis no Ceará. Era uma mentira gentil: tinham cedido o lugar a mim prometido para seu Affonso. Que foi tomar o avião e foi sugado pela hélice, que lhe abriu o abdôme. No Cine Lux sofri muito vendo os copiões de O Salário da Morte, um dos rolos completamente desfocado, pelo que tivemos de refilmar tudo de novo.
Quanto ao cinema de Patos, eu me lembro dele com o nome de Eldorado. Indelével porque o cine Eldorado, em Sorocaba, de onde eu viera, era o único cinema que eu jamais frequentara.
Boas lembranças. Bom texto, meu caro.

COMENTÁRIO: DIA DO PROFESSOR.

Prezado Clemildo,

Parabenizo o ilustre colunista, pelo brilhante artigo sobre a origem da data comemorativa 15 de outubro "DIA DO PROFESSOR", acredito que um grande número de colegas nossos, não conhecem o motivo pelo qual comemora-se nesta data. Fico honrado e agradecido (enquanto profissional) pelo encorajamento, incentivo e prestígio que o colunista faz ver ao leitor sobre esse profissional,... Que infelizmente não é reconhecido pelos nossos governantes. Uma prova da falta desse reconhecimento está no embate jurídico sobre o reconhecimento e pagamento do PISO SALARIAL.

Muito obrigado Clemildo, por lembrar dessa figura tão importante na formação dos demais profissionais. O PROFESSOR.

Curimatá(PI), 13 de outubro de 2012

Francisco De Assis Soares

FELICITAÇÔES

Caro amigo Clemildo, você me surpreendeu com o seu encantador artigo que molda parte da minha vida e de meus amigos em Pombal. A sua inteligência lhe acompanha pelos mais recônditos lugares de sua alma. Parabéns meu amigo, não merecia tanto, valeu para relembrar esses bons momentos relatados. Abraço do amigo Paulo Abrantes.

RIACHO DE PRATA: TERCEIRA OBRA LITERÁRIA DE PAULO ABRANTES!

Dr Paulo foi um imenso prazer conhecê-lo pessoalmente e poder ouvi-lo dia 30.09.11 na ocasião da inauguração da Biblioteca da Câmara Municipal de Pombal que leva o nome de nossa Mãe Maria do Bom Sucesso Lacerda Fernandes; com voz mansa e doce, falou com sua simplicidade sobre o evento que estava acontecendo e apresentou sua nova obra a qual fui premiado por vós e que vou lê-lo com muito apreço e depois comentar aqui mesmo neste blog.
Queria agradecê-lo em primeiro lugar, em meu nome e da minha família pela sua presença ao evento e pelo livro a mim presenteado, saiba que a sua amizade com meus pais é sincera e pura como o sentimento de uma criança, há fidelidade mútua e o amor fraternal vos une, extensivamente agora comigo e os meus. Sucesso com esta mais nova obra literária.GRAÇA E PAZ, AMÉM.
JUNIOR BOM SUCESSO
PATOS PB, 01.10.2011.

MARINGÁ: ...FICOU SENDO A RETIRANTE QUE MAIS DAVA O QUE FALÁ...

Meu caro Clemildo:
Histórias sobre Maringá sempre povoaram o imaginário de toda gente de Pombal ao longo do tempo, alimentando o desejo de desvendar essa história. No caso presente, Jerdivan Nóbrega, meu escritor predileto, traz á tona êste palpitante tema, no seu encantador romance, "A Saga da Cabocla Maringá", apresentando como nunca vi igual, uma idéia literária que empolga e gera tanta expectativa no seio da sociedade pombalense. Porquê popularmente a Maria do Ingá ,ou seja, "Maringá", é um hino de amor, é uma canção de louvor a nossa terra, é um idílio que não gostaríamos que tivesse sido interrompido, é afinal uma história, um desfecho que tinha de ser contado, e Jerdivan fez e fez muito bem. Clemildo você está como Jerdivan, cada vez melhor, acertando no alvo que o povo de nossa terra quer saber.
"A Saga da Cabocla Maringá", de Jerdivan Nóbrega de Araújo, é uma obra muito interessante, cuja magia está no enredo e na simplicidade de linguagem utilizada pelo autor em todos os momentos. È um livro que deve ser lido por todos. Parabéns a ambos.
Paulo Abrantes é engenheiro civil e escritor pombalense.

Olá Clemildo Brunet. Bom dia!
Beleza mesmo. Isso precisa ser acessado por todos os pombalenses. É cultura.
José Haroldo.

Caro amigo Clemildo:
Como é bom constatar o carinho que vocês têm por Pombal. Faz bem para a gente e serve de exemplo. Certamente "A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ" terá grande aceitação e já que o autor é seu amigo torço pelo sucesso dele.
Um abraço bem grande Clemildo.
Ubiratan. Curitiba PR.

CARÍSSIMO CLEMILDO.
Confesso, gostei imensamente do seu comentário sobre “A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ”, o mais recente livro do conceituado escritor pombalense Jerdivan Nóbrega.
A partir do título bastante sugestivo e oportuno você foi muito feliz na peça discursiva. Admiro seu elevado discernimento e a facilidade com que discorre o conteúdo da obra direcionando seus aspectos para os diversos lados.
Seu comentário é, portanto, uma sinopse da obra que por si só já nasceu grande, graças ao reconhecido talento literário do seu autor, do qual sou admirador.
Se hoje a Lenda de Maringá passou da canção para o livro, quem sabe amanhã seja encenada e exibida por esse Brasil afora. Seria a perpetuação de uma história que nasceu para sempre.
Enfim, este é o comentário que gostaria de ter feito.
Parabéns com louvores.
Prof. Francisco Vieira.

POMBAL, SEMPRE POMBAL
Caro Amigo e Conterrâneo,
Clemildo Brunet.
Essa história da cabocla Maringá se arrasta por muito tempo. Eu era criança pequena nos arredores de Pombal e ouvia falar de histórias e estórias da retirante. Quando surgiu a música, ela mexia com a sensibilidade de muitos idosos daquela época. Homens e mulheres se manifestavam: "como é 'penosa' essa história"!
Mas ninguém se propunha a desvendar o mistério que até hoje permanece rondando por essas cercanias. O nosso grande Ruy Carneiro, talvez tenha mantido um amor proibido. Proibido, dada a diferença de classe. Ele não foi o primeiro a frustrar-se em ocasiões tais.
Conta-se, por aí, que dois irmãos originários de classe média, conheceram duas irmãs de classe menos favorecida e mantiveram um amor proibido, até que chegou ao conhecimento do público. A mãe dos rapazes lhes pediu que não casassem com aquelas moças porque não faziam futuro nenhum. Eles a obedeceram, mas na seguinte condição: Um não poria mais os pés no chão de Pombal; o outro, resolveu abraçar a vida celibatária.O caritó, para as mulheres. Assim fizeram.
Quando ela, a mamãe, adoeceu eles vierem visitá-la. Um pediu que o levassem nos braços, porque não pisaria mais nessa terra, pois assim jurara. Assim cumpriu o seu pretexto. O outro,cumpriu o propósito de não mais se casar, foi servir na Polícia Militar do Estado do Parahyba,lutou na "Revolução de Princesa", obteve uma carreira bem sucedida, no Quadro de Oficiais. E, na reserva, chegou a ser Prefeito de Pombal. E muito trabalhou pelo Município. Fez o Distrito de Paulista tomar um impulso nunca visto.
Agora, advinhe quem foram eles...
Cansei de ouvir contar essa história, quando ainda menino de calças curtas.
Forte Abraço - JOSÉ SANTOS DINIZ

Prezado amigo Clemildo Brunet:
Fiquei feliz em reencontrar você em plena movimentação cultural, escrevendo sobre a "Cabocla Maringá", um blogueiro de primeira categoria. Quero dizer a você que o site do "Caldeirão Político" www.portalcaldeiraopolitico.net está aqui as suas ordens.
Você já leu o seu artigo "DA CANÇÃO PARA O LIVRO - A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ", já inserido no nosso site? Quero continuar transcrevendo os seus artigos. Pode encaminhá-los. Como também outras notícias de Pombal.
CHICO CARDOSO

Olá meu amigo!
Essa história da existencia em corpo e alma da cabocla Maringá, bem como a sua presença nas terras de Pombal, deixou-me encafifado por muito tempo. Busquei vesitigios da sua presença onde pudesse encontra-lo, Li a obra de Jose Gregorio que narra os principais acontecimentos de Pombal, exato no tempo que possivelmente a Cabocla poderia estar entre nós. Nada, nenhuma referencia àquela fascinante mulher. Conversei a exaustão com a minha Mãe, por sinal da mesma idade de Ruy. Amigos de infancia e adolescencia, estudaram juntos, por isso firmaram uma amizade que terminou com a morte de ambos. Minha Mãe dizia que esta mulher jamais existiu em Pombal. Em sendo Maringá dotada de uma beleza singular, com certeza a sua presença no lugar teria chamado atenção das moças da época. A única paixão de Ruy em Pombal, foi uma prima de minha Mãe cujo nome era Ana Dantas de Alencar ou Nina, na intimidade da familia. Afora essa moça, não há registro de que Ruy tenha namorado outra moça.com os supostos dotes fisicos de Maringá. Em resumo, Maringá nasceu no rio de Janeiro, Não tem Mãé, só tem pai cujo nome é Joubert de Carvalho. O resto é lenda e nada mais. Jerdivan, na construção da sua obra, sabiamente manteve essa questão fora da trama, com certeza para evitar questionamentos infrutiferos que podem desviar atenção da riqueza criativa e essencia do seu livro. Abraços Ignacio Tavares

COMENTÁRIOS SOBRE O LIVRO "RIACHO DE PRATA"

Distinto amigo Paulo Abrantes.
Li Riacho de Prata.Sua literatura é empolgante, sobretudo percebo tratar-se também, de um excepcional DOCUMENTÁRIO HISTÓRICO sobre a sua terra natal - POMBAL, em detalhes de um colorido fantástico, num reflexo de sentimento familiar, social, tudo ornamentado por um paisagismo impressionante. Sinto-me diante duma leitura amena, que conforta a alma e o espírito, trazendo ao leitor mavioso recreio, que, neste vendaval turbulento que ora vivemos, é a meu ver, um caleidoscópio oriental dos velhos tempos que se foram, revestidos de humanidade e ternura, valores que não já não vemos mais, tão frequentemente.
Do companheiro-alado, velejando no mundo da nossa internet.
MILTON ALVES
Auditor da Receita Federal.

Prezado Paulo Abrantes,
Venho agradecer pelo envio do livro "Riacho de Prata - Crônicas & Contos", de sua autoria.
Parabéns pela idéia de homenagear a sua terra natal, Pombal, incluindo além de seus próprios textos, os de outros conterrâneos.
Cumprimento-lhe ainda por proporcionar aos leitores essa "viagem" que remonta às origens e revivem na memória lembranças de momentos inesquecíveis, em sua vida, e certamente na de muitos pombalenses.
Atenciosamente,
Roberto CavalcanteCorreio da Paraiba

Como foi bom ler seu livro, Paulo Abrantes! Foi como se visitasse Pombal, mas não agora, e sim à época em que vivi lá, de 63 a 70! Quanta gente daquele tempo me veio à memória! Quanto riacho revivi, no seu texto gostoso, "em desabalada correnteza, ecoando um estalar de troncos e ramos partidos"!
Como foi bom saber que Nena Queiroga, que me encantou tanto com sua tranquila elegância, seus livros e suas viagens à Europa, também encantou você. Não sabia que ela ensinava religião!
E como foi gostoso ler o que você escreveu sobre a Rua Estreita, onde vivi a primeira cena do filme O Salário da Morte, na qual enchi a velha porta da farmácia do Epitácio com cinco buracos do que deveriam ser balas de festim!
Mas bom, mesmo, é o texto que v. produziu sobre A Rua Estreita, um desfile de personagens fabulosos, como seu Zé de Duca e a quebra de resguardo da mulher por conta de um lobisomem; como seu Hormídio puxando a gaveta para dela tirar o catálogo homeopático, com que curaria a pobre senhora; com o transe do espírita Generino, com a pregação de Pedro Marcelino!
Sucesso pra você e seu livro, meu caro!
W.J.Solha.

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO PIANCÓ: QUEM VAI CUIDAR DO NOSSO RIO?

Meu caro Clemildo, Pombal tem essa felicidade de ter filhos como você, filho que relata e traz guardado no peito uma história que agrada e reacende as lembranças de nosso tempo de banhos neste rio abençoado de tantas gerações. Obrigado pelas referências, este texto escrevi em momento de inspiração e de saudade. Um abraço fraternal, Paulo Abrantes

COMENTÁRIO SOBRE A POSTAGEM "Dr. Avelino, o médico: Uma das maiores lideranças Políticas de Pombal

Clemildo amigo,
Inicialmente os agradecimentos pela parte que me coube como médico filho de Pombal. Em seguida, parabéns pela homenagem feita ao Dr. Avelino. Abraços Carneiro Arnaud

Amigo Clemildo.
Além de brilhante, sua ideia foi por demais oportuna em homenagear a classe médica na pessoa do saudoso Dr. Avelino Elias de Queiroga.
Homenageando o inesquecível "Bolinha", você está resgatando com muita justiça um dos maiores expoentes de nossa história. Sua contribuição foi imensurável para com a nossa terra, não apenas como médico e político, mais sobretudo, como amigo, qualidades que lhe constituíram como um dos maiores líderes populares de Pombal e região.
Parabéns.
Abraços: Prof. Francisco Vieira.

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

FOTO DO ENCONTRO

FOTO DO ENCONTRO
EU E ROBSON PIRES

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.
Visita de Clemildo a Rádio Rural 95 FM em Caicó. Na foto com Clemildo os comunicadores Ronyson Nery e Yanny Danniely.
Tecnologia do Blogger.

CLEMILDO FAZ VISITA DE CORTESIA A COLEGA DE PROFISSÃO EM CAICÓ RN.

Nesta quarta feira dia (02), estive na Rádio Rural de Caicó, ocasião em que visitei o colega Robson Pires (pombalense), que apresenta o Grande Jornal Rural da emissora; fiz-lhe o convite para prestigiar a solenidade da entrega da Medalha Epitácio Pessoa. "Conheci o Robson menino nas ruas de Pombal, ele tinha o apelido de Pelé e eu costumava dizer é o único Pelé branco. Hoje em Caicó ele é temido por suas reportagens e conhecido como o Xerife do Rio Grande do Norte"

POMBALENSE ASSISTE PELA TV ASSEMBLÉIA, SESSÃO ESPECIAL DA MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Prezado Clemildo:
Impossibilitado de comparecer à Assembléia Legislativa para prestigiar o Ilustre conterrâneo no ato de recebimento da merecida Comenda, quando todos que o conhece, ficamos felicíssimos, venho, embora tardiamente, mas, nunca é tarde para recolher o seu grande valor, como profissional, como ser humano.
Submeti-me a uma cirurgia oftalmológica, mas fiz questão de ligar para o colega que me operou para que liberasse e fui liberado para assistir pela TV Assembléia, a tão honrosa Sessão Especial, ao lado de meu querido pai, aposentado dos Correios e Telégrafos, que com muito orgulho também prestigiou o filho do saudoso Seu Napoleão grande amigo dele.
Como médico orgulha-me de ser pombalense e de ter presenciado boa parte da sua crescente trajetória profissional no rádio.
PARABENS CLEMILDO BRUNET. DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO.
MANOEL ANGELO FILHO

AGRADECIMENTO!

Caro amigo Clemildo:
Agradeço sensibilizado pelos cumprimentos enviados na passagem do meu aniversário.
O tempo passa depressa e a gente nem sente. Eu sou muito grato a Deus pela longa vida que me deu, pela família com que me brindou e pelos amigos com os quais fui presenteado e entre os quais você se destaca.
Muito obrigado pela carinhosa homenagem, desejo a você e seus familiares um Feliz Natal e de um Ano Novo de muitas alegrias com as bênçãos de Deus.
Um grande abraço.
Ubiratan.

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL DE FIM DE ANO

CONDOLÊNCIAS

A passagem para o Oriente Eterno do Irmão Francisco Fernandes da Silva, conhecido por Bibia, esposo de Dona Cessa poetisa pombalense falecida a um ano, foi uma grande perca para a Maçonaria brasileira e para a nossa Pombal. Aos seus Familiares manifetamos sentimentos de pêsames rogando ao GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO que os iluminem e guarde para sempre. Alberto Salgado Bandeira e Fátima Bandeira

Caro amigo Clemildo!

Ao ler no seu conceituado Blog a noticia da morte do amigo Bibia, confesso que fiquei confuso por algum instante. Logo Bibia? Perguntei-me. É isso mesmo, ninguém pode fugir dos ataques traiçoeiros da maldita morte. Sem querer desmerecer os demais amigos e amigas, aqui em Pombal, dois casais de amigos faziam a diferença para mim: refiro-me ao compadre Belino e comadre Lili, ambos de saudosa memória e a Bibia e Cessa. Quantas e quantas vezes a gente se reunia lá na casa do alto para jogarmos conversa fora! Depois do falecimento de Belino e Lili, restaram-me Cessa e Bibia. E agora? Ora, só me resta preservar na memória os bons momentos de convivência harmoniosa que mantivemos por dezenas de anos. Bibia, peço ao Senhor Jesus que lhe dê a paz e a felicidade que você sempre desejou em vida. Ademais, tenho certeza de que o seu encontro com a sua amada Cessa será comemorado com grande festa patrocinada por todos os amigos que estão na eternidade. Aos filhos e netos desse belo casal que Deus reclamou, desejo-lhes muita paz e conforto, pois vale a pena lembrar que morte não é o fim, é apenas uma passagem de uma vida para outra, Aceitem todos meus sentimentos.
Ignácio Tavares

DE UBIRATAN LUSTOSA: RECEBI O LIVRO

Ubiratan Lustosa
Para CLEMILDO BRUNET
De:
Ubiratan Lustosa (ulustosa@ulustosa.com)
Enviada:
sábado, 29 de outubro de 2011 19:02:10
Para:
CLEMILDO BRUNET (brunetcomunicador@hotmail.com)
Olá, amigo Clemildo.

Recebi o livro "Riacho de Prata", de autoria do seu amigo Paulo Abrantes, e agradeço a sua gentileza de me enviar esse presente. Na primeira folheada já percebi que vou saber mais sobre a sua Pombal querida e isso me trará muita alegria. Por coincidência, gravei meu programa na quarta-feira, para ser apresentado domingo, e nele estará a música "Maringá", com Carlos Galhardo. Aproveitei para lhe mandar um abraço.
Renovo meus agradecimentos e envio um grande abraços a você, pedindo que seja extensivo ao autor Paulo Abrantes.
Ubiratan.
Curitiba - PR.
LINK: http://www.e-parana.pr.gov.br/modules/programacao/radioam_ao_vivo.php
DO PROGRAMA DE UBIRATAN, APRESENTADO ÀS 6 HORAS DA MANHÃ DOS DOMINGOS (NOSSO HORÁRIO).

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
EM SEU DISCURSO CLEMILDO FEZ UM RELATO HISTÓRICO DA RADIOFONIA POMBALENSE E LEMBROU VELHOS COMPANHEIROS!

COMENTÁRIOS: A EVIDÊNCIA DA MÚSICA BREGA...

Clemildo Brunet,
Sua matéria publicada sobre o BREGA é excelente e muito oportuna e irá contribuir para a aprovação do Projeto de Lei.
José de Sousa Dantas -Poeta e Escritor pombalense.

Adilson Ribeiro
clemildo brunet, parabéns pela matéria sobre o brega. As vezes eu acho que se Elvis presley fosse brasileiro, ele não passaria de um cantor de brega. Então eu só quero dizer que nao adianta fugir, qualquer cantor brasileiro é brega. Não pense que... Caetano Veloso é menos brega do que Waldick. A América, a Europa, nao gostam de brasileiros. Porque o próprio brasileiro não se gosta, quer ser americano de qualquer jeito. Ver se lá em nova york, tem alguma frase em portugues. Aqui no Brasil é pit stop, personal trainer, as propagandas de produtos é quase tudo em inglês. Temos que nos valorizar. Um cantorzão como o Nilton Cesar, se fosse americano, era o rei de qual coisa. Porque o americano se ama e ama seus idolos. Parabéns ao nobre deputado Tião Gomes, que dê certo sua iniciativa em relação ao brega.
Adilson Ribeiro - Cantor e Compositor.
Ananindeua, Brazil.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.
Radialista Clemildo Brunet ladeado pelo Vice Geraldinho e a Prefeita Polyana.

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

TIBURTINO GOMES DE SÁ: SEGUIDOR DO BLOG COM MUITA HONRA!

Seu blog, meu caro primo Clemildo é muito profundo e de muito conhecimento, próprio da família, que diz - "Sá quando não é inteligente demais é 'doido'" Brincadeira. Já sou seu seguidor com muita honra. Mais tarde estarei fazendo um "tourner" pelo blog! Saudações primo!
Sousa,11/10/2011
Tiburtino Gomes de Sá

É ASSIM QUE SE FAZ CIDADANIA

Caro amigo Clemildo.
O seu Portal está maravilhoso. Uma homenagem bem merecida. Os paraibanos reconhecem o seu valor, especialmente os pombalenses. É assim que se faz cidadania. É demonstrando amor pela terra onde nasceu. Patriotismo, por que não dizer. São valores que jamais a História de Pombal os excluirá de suas páginas. Você está de parabéns. Sinto-me feliz quando vejo um conterrâneo trazer ao conhecimento público o retrato falado do nosso Município, como pioneiro do Sertão Paraibano. Portanto, volto a dizer: Você merece mais do que a homenagem que lhe foi prestada pelo Poder Legislativo do Nosso Estado.
Forte Abraço.
José Santos DINIZ.

COMENTÁRIO DO DR. ELISEU JOSÉ DE MELO NETO NO FACEBOOK

Eliseu José De Melo NetoClemildo Brunet de Sá Agradeço muito. Você fez a minha biografia com muita precisão. Detalhes da minha vida que até por mim passava desapercebido, você publicou com precisão. Parece que teve ajuda de alguém muito próximo. Foi muito real. Felicidades! E muita saúde para você, que considero como um dos meus grandes amigos!
O RÁDIO AINDA É O MAIOR MEIO DE COMUNICAÇÃO!

FAZENDA RAMADINHA

FAZENDA RAMADINHA
4 JANEIRO 2009

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL. OUTUBRO 2014

À MEMÓRIA DE DONA CESSA: EXEMPLO A SER SEGUIDO POR TODOS NÓS...

Estimado amigo Clemildo:
Lindo e comovente o seu artigo. Sinto-me honrado por você ter incluído nele a citação do meu texto sobre saudade. Na verdade, esse carinho que você e o povo de Pombal dedicam à memória de Dona Cessa é um exemplo a ser seguido por todos nós. Pessoas como ela sempre devem ser lembradas pela sua doação à coletividade e grandeza de sentimentos.
Parabéns, amigo, e um grande abraço.
Ubiratan.

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
APRESENTAÇÃO DA CANTORA NARA CASTRO

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
COMPOSIÇÃO DA MESA. AO CENTRO O PROMOTOR DE JUSTIÇA SEVERINO COELHO VIANA AUTOR DA OBRA LITERÁRIA.

COMENTÁRIO SOBRE O ARTIGO: LINDUARTE NORONHA: "uma saudade a mais, uma esperança a menos".

Caro Clemildo,
O seu artigo em homenagem ao cineasta Linduarte Noronha, é uma página feliz não só pela lembrança da morte daquele que viria inspirar o chamado Cinema Novo no Brasil, como nos trazer um relato inédito, do escritor Solha , de suma importância histórica para a compreensão daqueles que esperavam da película "O Salário da Morte" um desfecho feliz de vingança e vitória. Para melhor entender, nos anos 70, o longa-metragem "O Salário da Morte” foi e é, um registro histórico para o cinema paraibano, em especial para Pombal, como fator de notoriedade, como o foi Aruanda para o cinema nacional, devido ter surgido numa cidade interiorana de pequeno porte. Na época, Solha, surpreendeu o mundo artístico paraibano com o seu roteiro original debaixo do braço e partiu para a capital na busca de pessoas competentes e identificadas com a arte cinematográfica para dar asas a sua imaginação, ao seu projeto. Não entenderam que estavam diante de um jovem ousado, inteligente, de idéia privilegiada, um visionário do sucesso. Aí, aconteceu o pior, cortaram a luz da película, o seu roteiro original, aquele que se dirigia para o sucesso, dando lugar a uma tentativa frustrada. Solha, vendeu tudo, casa, carro, tomou dinheiro emprestado, e nada disso o abalou. Continua forte e firme como as aroeiras e baraúnas de nosso sertão e escrevendo divinamente e colhendo os bons frutos que a História Universal da Angústia lhe conferiu e a alegria do fantástico Árkadich lhe proporciona. Assim é o Solha, impávido colosso.
Paulo Abrantes

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!
ALMOÇO FAZENDA RAMADINHA

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
SEVERINO COELHO VIANA FAZENDO APRESENTAÇÂO DE SUA SÉTIMA OBRA LITERÁRIA.

AO IMORTAL POETA

AO IMORTAL POETA
RONALDO CUNHA LIMA

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO: A FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL OFICIALIZADA...

Parabéns, CLEMILDO, pelas suas excelentes e oportunas matérias publicadas em seu site na internet, referentes ao DIA ESTADUAL DA MÚSICA BREGA e à FESTA DO ROSÁRIO EM POMBAL, esta como você bem disse: “...EMBORA TARDE...”, mas agora instituída no calendário de eventos do Estado.
São matérias sumamente importantes para a divulgação e o fortalecimento da cultura do Estado, fazendo com que as pessoas tomem conhecimento e valorizem mais as manifestações culturais de Pombal e do Estado.
José de Sousa Dantas - Poeta e Escritor Pombalense

O ANIVERSARIANTE DE HOJE 30/06/12, COM A FAMÍLIA!

PARABÉNS CESSINHA...

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA
Edmilson Pereira Silva - Aqui apareço ao lado de um grande amigo e uma referência do rádio paraibano, Clemildo Brunet de Sá

CLEMILDO ANIVERSÁRIO 1° DE AGOSTO

de Prepare-se está para Clemildo Brunet.

Parabéns!!! Este dia foi especialmente preparado pelo SENHOR; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. (Salmos 118:24) Deus te abençoe grandemente

de Cassimiro Neto para Clemildo Brunet.

Parabéns! Hoje é mais um dia de festa. É o dia que celebramos o teu aniversário. E nesse dia festivo te cercamos de abraços e felicitações. Você é uma pessoa muito querida e por isso todos os teus amigos e parentes te desejam tudo de bom. E eu, presenteio você com essa singela homenagem. Porém repleta de todo o meu carinho. Que Deus te ilumine, todos os dias de sua vida! Abraços e FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Cassimiro Neto.

de Elias para Clemildo Brunet.

FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.

Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes.

Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.

É ser grato, reconhecido, forte, destemido.

É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;

Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

São os meus mais sinceros votos

Elias Mesquita

de Chagas Vitoriano para Clemildo Brunet.

Quero nesta data especial, rogar a Deus que sua vida seja plena de muitas felicidades, que a luz do Divino Redentor lhe ilumine a cada passo e que só coisas boas lhe aconteçam!!! Meus sinceros Parabéns!!!

Caro Clemildo,

Parabéns pelo seu aniversário!

Receba meus cumprimentos e os melhores votos de saúde e felicidades.

São passados 63 anos de nossas vidas, temos apenas um mês de diferença de idade. Sentamos no mesmo banco escolar da Igreja Paroquial de nossa infância querida em Pombal. Nunca duvidei que estivesse diante de um talentoso artista, pelo seu espírito irrequieto, inteligente e capaz. O tempo mostrou que ali em Pombal, residia um dos maiores radialistas do sertão. Este homem que foi agraciado com a maior condecoração da Assembléia Legislativa, a “Medalha Presidente Epitácio Pessoa” numa justa homenagem que lhe foi prestada no ano de 2010.

Quero lhe dizer neste 1º de agosto, neste alvorecer de sua nova idade, com as bênçãos de Deus, sua vida seja de paz e que seus desejos e projetos se realizem.

Com um grande abraço, do amigo de infância, Paulo Abrantes.

primo/amigo, Clemildo Sá, não poderia me furtar jamais de partilhar deste momento de alegria em sua vida, pela passagem de mais um aniversário na certeza de que você vem cumprindo sábio e fielmente com a doutrina que o Senhor lhe outorgou à ser cumprida no decorrer da sua estada neste plano de existência! Que Deus te abençoe sempre! E... FELIZ ANIVERSÁRIO!

Tiburtino Castelo Sá Gomes.

Clemildo Brunet, A equipa do Palco Principal deseja-te um feliz aniversário! Obrigado por continuares conosco. Que a música esteja sempre contigo! Parabéns!

A equipa do Palco Principal

DE VERNECK ABRANTES PARA GENIVAL TORRES

Genival Torres,

Agradecemos as suas palavras motivadoras e de alerta sobre a importância histórica de lembrar as datas marcantes da nossa cidade.

Na verdade, os 150 anos de elevação ao status de cidade, deveríamos ter estabelecido um marco dessa passagem, assim como ficou registrado a denominação do Bar Centenário quando dos 100 da nossa cidade, também nesse mesmo dia, citar o lançamento do livro do nosso Wilson Seixas: O Velho Arraial de Piranhas. Por quanto, até então, ficamos sem um marco de lembrança dos 150 anos do aniversário de Pombal. Que continue nos prestigiando com seus belos texto, onde mantemos em arquivo.

Um abraço com admiração,

Verneck Abrantes

BODAS DE OURO

BODAS DE OURO
Almir e Marlene em Natal Comemorando 50 anos de Feliz União Conjugal. Parabéns pelas Bodas de Ouro!

CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA

Prezado Clemildo,

Lembro aos meus ilustres conterrâneos, fui propositadamente bastante sucinto nas indicações no meu texto, Descaso ou Indiferença, para não ser prolixo. Ainda sensibilizado com a resposta do nosso ilustre escritor pombalense, Verneck Abrantes, e concordando plenamente com a sua indicação, mais ainda, e como referência para análise posteriori, caso Pombal queira deixar um marco material, paralelo, exposto à visitação pública, temos a Chaminé da Brasil Oiticica que poderia ser denominada Chaminé Sesquicentenária, como homenagem alusiva data, e de certa forma, tornando real a possibilidade de não se jogar por terra essa construção que é um marco na indústria da cidade. Transformando numa monumental peça da construção civil, um dos segmentos que fizeram, e que ajudaram a construir a história da nossa gente. Fraternal abraço a todos.

Genival Torres Dantas

CLEMILDO,

Como marco da passagem dos 150 anos da elevação de Pombal ao status de cidade, veja a ideia de Genival Torres Dantas: CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA. Com uma pequena praça no seu entorno e Pombal teria mais uma referência histórica e lugar para visitas turísticas, exposição de fotografias ou representações artísticas. Achei excelente o pensamento de Genival.

Um abraço,
Verneck

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.
Nesta foto registro o meu encontro em terra potiguar com o conterraneo amigo e Empresário no Rio de Janeiro, Almir Almeida. Na conversa matamos saudades dos velhos tempos de nossa Pombal.

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO
Mª DE LOURDES ALMEIDA PEREIRA DE ARAÚJO NA FOTO COM CLEMILDO

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

Um dos últimos políticos da Paraíba que soube honrar com altivez e destemor a prática da honestidade nos procedimentos com o erário público, esse sim, fez parte da geração onde a política era feita pelo o idealismo de servir ao povo a exemplo do Senador Ruy Carneiro e do Deputado Federal Janduhy Carneiro, assim era o poeta, ex vereador, ex- prefeito, ex-deputado estadual, ex-governador, ex senador e ex-deputado federal RONALDO CUNHA LIMA. A PARAÍBA NÃO SÓ PERDE UM POLÍTICO AUTÊNTICO, MAS UM GRANDE HOMEM QUE SOUBE REPRESENTÁ-LA MUITO BEM NO CENÁRIO NACIONAL. NOSSA SOLIDARIEDADE DE PESAR AO SENADOR CÁSSIO CUNHA LIMA, EXTENSIVO A TODA FAMÍLIA!

Clemildo Brunet - Radialista.

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA
REGISTRAMOS COM GRANDE SATISFAÇÃO NA DATA DE HOJE 07 DE FEVEREIRO, O ANIVERSÁRIO DO AMIGO FRANCISCO FERNANDES DA SILVA, BIBIA, QUE DEUS LHE CONCEDA MUITOS E MUITOS ANOS DE VIDA E MUITAS FELICIDADES JUNTO A SUA ESPOSA CESSA E TODA FAMÍLIA. PARABÉNS E FELIZ ANIVERSÁRIO!

TWITTER X FACEBOOK

- Parabéns pelos temas enfocados através do seu BLOG. Vc é o Cara

: parabéns pelos cinco anos do seu blog. Conheço a sua garra e o seu profissionalismo. Siga em frente.

MARINGÁ - O NOME VERDADEIRO.

Graças à interferência de meu estimado amigo paraibano Clemildo Brunet, acabo de receber o livro do escritor Severino Coelho Viana "Maringá - o nome verdadeiro". Ele trás novas descobertas sobre a bela Maria do Ingá que Joubert de Carvalho resumiu para Maringá em sua composição famosa. A existência de Maria do Ingá, por algum tempo considerada pura imaginação poética,... Aos poucos ganhou contornos de realidade e já se descobriu até o verdadeiro nome dela. Já diversas vezes focalizei esse assunto em meu programa "Revivendo" e após concluir a leitura do livro voltarei a ele porque é muito interessante, especialmente para nós paranaenses que temos uma grande cidade com esse nome. Meus agradecimentos ao escritor Severino Coelho Viana e ao Clemildo Brunet.

Ubiratan Lustosa - Radialista paranaense.

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
TAYANE DEYSE- BALIZA, FILHA DO RADIALISTA E PROFESSOR CEZÁRIO DE ALMEIDA

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
PELOTÃO ESPECIAL HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

LANÇAMENTO/AGRADECIMENTO

Estimado amigo
Clemildo Brunet:

Agradecemos pela reportagem que fez sobre o lançamento do oitavo livro de nossa autoria, intitulado de MARINGÁ – O NOME VERDADEIRO,
evento cultural realizado nas dependências do Pombal Ideal Clube.
Os Promotores de Justiça, Bertrand Asfora e Amadeus Lopes Ferreira, ficaram encantados pelo comparecimento maciço de tão seleto auditório assim como o nível cultural do povo de Pombal.
O seu artigo já repercute a nível estadual, pois a nossa caixa de e-mail está lotada, vamos lendo aos poucos.
Em nome de minha família, agrademos pela cobertura que deu ao evento. É neste caminho que Pombal deve apresentar os seus valores.
Sentimos que a cada lançamento aumenta o número de participantes, isto é uma prova inconteste do crescimento cultural de nossa terra.
Além do Blog Clemildo Brunet Comunicação, idêntica reportagem foi reproduzida no Portal Pombal e Rádio Opção.
O Caldeirão Político fez uma reportagem de todo o lançamento, através do radialista Chico Cardoso.

SEVERINO COELHO VIANA

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
HOMENAGEM AO LORD AMPLIFICADOR DE CLEMILDO BRUNET
PARA SATISFAÇÃO NOSSA E DE SEUS PAIS, REGISTRAMOS A VITÓRIA DA NOSSA COLUNISTA DO CANTINHO DA SAÚDE, DOUTORA Mª DO BOM SUCESSO LACERDA FERNANDES NETA, QUE FOI GRADUADA EM MEDICINA PELA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE NESTE MÊS DE JUNHO DE 2012. CESSINHA NETA É NATURAL DE PATOS MEMBRO EFETIVO DA ACADEMIA PATOENSE DE ARTES E LETRAS (DESDE 2009). ESCRITORA E POETISA TEM PARTICIPADO DE
AMOSTRAS DE POESIA E FOTOGRAFIA E PUBLICADOS ARTIGOS RELACIONADOS A SUA ÁREA DE ATUAÇÃO, EM JORNAIS, REVISTAS E SITES HAVENDO SIDO CLASSIFICADA EM SETE CONCURSOS PÚBLICOS. A CESSINHA, NOSSOS PARABÉNS!
contato: sucessomed@hotmail.com

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

SOBRE HOSPITAL NAPOLEÃO LAUREANO: "JUBILEU DE OURO PELA VIDA"

Caro Clemildo,

parabéns pelo magnífico relato sobre o Hospital Napoleão Laureano, sobretudo porque você deu enfoque merecidamente, a pessoa extraordinária de Dr. Antonio Carneiro Arnaud que exprime uma personalidade de sentimentos, espiritualidade e humanismo para com os seus conterrâneos, representando um orgulho para todos nós paraibanos. Dr. Carneiro, desempenhou um importantíssimo papel na sua formação, deu asas a sua expansão, que cabe repetir a frase do Ministro Alcides Carneiro: "Esta é uma casa que por infelicidade se procura e por felicidade se encontra" Parabéns a você e a ele.
Abraço, do amigo Paulo Abrantes.

Clemildo amigo,

Gostei muito do seu artigo. Você retratou com fidelidade toda a vida não somente do Hospital Napoleão Laureano, mas também da Fundação Laureano a entidade mantenedora, da qual foi Diretor Presidente o nosso conterrâneo Dep. Janduhy Carneiro e hoje tenho a honra de ocupar a tão importante função. Muito já foi feito, mas ainda existe muito para ser feito. Em breve estaremos instalando a Ressonancia Magnética e se Deus quizer tambem o PET-Scam. Divulgue tudo no seu BLOG que é muito consultado. Abraços Carneiro Arnaud.

Amigo Clemildo:

Muito oportuna a sua evocação da figura extraordinária de Napoleão Laureano. Meus parabéns pelo seu trabalho.

Um fraternal abraço do

Ubiratan.

Berta Leticia Wanderley Clemildo,parabéns, pela sua reportágem, sobre o Laureano, está muito boa mesmo! Nós estamos precisando do número do seu celular para entrarmos em contato com você,

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A DIFUSORA GUARANI DE MANOEL BANDEIRA!

Seguidores

DE IGNÁCIO TAVARES PARA CLEMILDO

MENSAGEM DE IGNÁCIO TAVARES EM RESPOSTA AOS MEUS AGRADECIMENTOS...

Caro Clemildo
A minha amizade com vocês, pode-se dizer, é histórica. Os amigos, Clovis e Cláudio, ambos de saudosa memória, Carlos e você sempre formaram uma amizade sem fronteiras. Quanto ao seu pai e sua mãe dona Sinhazinha, guardo boas lembranças, pois frequentava a sua casa com certa liberdade, qual fosse um membro da família, dada a minha amizade com os meninos, como carinhosamente éramos chamados por nossos pais. Seja feita a sua vontade, o texto é seu e de toda família. Abraços Ignácio

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
VICE PREFEITO DR. GERALDINHO E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
PREFEITA POLYANA E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
CIRCULANDO - ESPECIAL ANIVERSÁRIO DE POMBAL. EDIÇÃO JULHO/ 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 3ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" JULHO DE 2014.

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 2ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO DE 2013.

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007
PROF DR. JOSÉ CEZÁRIO RECEBE COMENDA DE HONRA AO MÉRITO NO "LA FIESTA" EM CAJAZEIRAS NO DIA 23-02-2008.

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"
CLEMILDO RECEBE OS CUMPRIMENTOS DE SEU VELHO COMPANHEIRO DA RÁDIO ALTO PIRANHAS RADIALISTA GERALDO NASCIMENTO EM 23-02-2008 CLUB LA FIESTA EM CAJAZEIRAS.

JORNAL"ALTO SERTÃO"

JORNAL"ALTO SERTÃO"
PRIMEIRA EDIÇÃO OUTUBRO/2013

SOBRE O ARTIGO "CLEMILDO BRUNET" DE ONÉLIA QUEIROGA.

Clemildo, li o que Onélia escreveu e lacrimejei... como me lembro da bolacha peteca e do pão doce... a peteca molhada no leite e frita com manteiga de garrafa... é demais a saudade... assino embaixo tudo que ela falou sobre vc.
Maryloide Brunet

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO
COMENDAS RECEBIDAS EM 2007

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"
Caro Clemildo, confesso que é muito gratificante e emocionante ler artigos que relatam histórias do meu amado e querido pai. Obrigado por guardar com tanto carinho, lembranças do saudoso Zeilto Trajano. Ass.Marcia Rejane (A caçulinha do Zeilto) Foto com Clemildo.

GREGÓRIO DANTAS

GREGÓRIO DANTAS
HOMENAGEM PÓSTUMA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA
HOMENAGEM PÓSTUMA

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!
Na manhã deste dia 18 de janeiro de 2010, na sede do CECAN em Natal RN, o radialista Clemildo Brunet em visita de cortesia a Secretária Geral da Instituição, Sra. Joelma Alves, fez a entrega do texto: "OS 60 ANOS DA LIGA NORTE RIO-GRANDENSE CONTRA O CÂNCER". Na oportunidade, a Secretária agradeceu e parabenizou o radialista; porém, fez uma correção no parágrafo da DEPECON; onde se ler (17 vagas de residencia médica), leia-se 08 vagas R1, admtindo ter sido um erro do site da Liga.

SÉRGIO LUCENA

SÉRGIO LUCENA
HOMENAGEM PÓSTUMA

CONGRATULAÇÕES E JUSTIFICATIVA

Ignácio:
Sem dúvida Clemildo, foi um momento histórica pra voce e todos nós pombalenses que acompanhamos todo seu trabalho, assim como a sua vitoriosa trajetória no mundo do rádio e do jornalismo. Infelizmente, como já lhe expliquei fui um ausente nesta grande festa. Mas, onde estava, numa reunião demorada e cansativa, lembrava-me a todo momento, com uma ponta de tristeza por não estar presente. Tem nada não, noutras oportunidades nos encontraremos. O que conteceu foi apenas início de uma série de manifestação de reconhecimento do seu valor como abnegado homem de comunicação,com relevantes serviços prestados a comunidade do qual é parte integrante, Abraços Ignácio Tavares.

Caro amigo Clemildo:

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao amigo o convite da sessão da entrega da Medalha Epitácio Pessoa ao nobre repórter. Não pude comparecer, fato que já havia explicado a você por conta de exames de saúde que iria realizar na capital paraibana. Mas, acompanhei o desenrolar da sessão da Assembléia Legislativa, através da Rádio Liberdade FM 96,3. Gostei muito do que você falou lembrando as coisas do rádio de Pombal - PB. E naquele momento lembrei muito da campanha de prefeito do ano de 1976, embate que ficou marcado em minha memória, embora adolescente, via você na veraneio do PMDB, veículo que você mesmo denominou de amarelinho, como também do célebre comício da rua Capitão Lindolfo, mais conhecida como rua do Fogo, onde você, juntamente com José Coelho, hoje residente em São Paulo, anunciavam a presença naquele momento do grande orador e saudoso senador o Dr. Marcos Freire. Do amigo de sempre, Joaquim Candido da Silva Filho.

Postagens mais populares

Barra de vídeo

Loading...

EXCLUSIVO: ENTREVISTA DO CANTOR NILTON CESAR AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CLIQUE NO PLAY E OUÇA A ENTREVISTA.

COMENTÁRIO: A FAMÍLIA "ESPALHA" E SEUS MENESTRÉIS.

Gostaria de parabenizar o amigo professor Vieira pelo belo artigo sobre a família Espalha. Tive o prazer de conhecer um dos membros desta conceituada família o saudoso Bideca, seresteiro por ofício e boêmio por natureza. A sua ausência hoje sentida por todos que com eles conviveram me fazem refletir, "Belos tempos, Belos dias"
Adriano Fernandes

Caro Vieira, bom dia.

Somente hoje tomei conhecimento do seu artigo sobre os “Espalhas”, estava de férias e me desliguei de tudo.

Fiquei surpreso e emocionado com o artigo e a origem da palavra “espalha”, confesso que desconhecia esses detalhes.

Aquela rua em que morou Chico Espalha (por várias décadas), deveria ter o seu nome, porque ele foi um dos pioneiros dali, juntamente com meu avô “seu Otávio frandeleiro”, Euclides, Zé Branco, Julio Barbosa, e outros mais que não recordo no momento.

Infelizmente a intitularam Domingos de Medeiros, que talvez nem conhecesse o local e nem a família Espalha. Lamentável.

Agradeço em nome de todos os Espalhas em vida, e a lembrança registrada daqueles que se foram e fizeram parte do nosso convívio.

Até uma próxima oportunidade

Valdir Mendonça

AGRADECIMENTO

Meu amigo-irmão Clemildo, agradeço de todo coração os seus elogios com relação ao meu (nosso) passado pelo mundo radiofonico - principalmente em Pombal onde tudo começou.
Logo que cheguei em Cajazeiras na manhã da sexta-feira foram muitos amigos me informando da sua postagem no face book - (você tem seguidores que não acaba mais).
Também minha imensa surpreza da informação por parte da presidente da API Marcela Sintônio, o ex-presidente da nossa Associação João Pinto e vários e vários outros colegas da imprensa paraibana que foram a Cajazeiras para a festa da Reencontro e que são seus assíduos leitores-seguidores.
Por fim agradeço pelas gentis palavras dizendo; você foi generoso até demais para com esse seu discípulo.
Obrigado Irmão!!
Otacílio Trajano

CONGRATULAÇÕES / MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Mary Loide Brunet:
Parabéns! Vc fez por merecer! Também fico muito feliz e honrada com a honra que lhe é reconhecida. Mary Loide.

Marcelino Neto:
Amigo Clemildo! Não pude comparecer ao seu evento maravilhoso. No entanto registrei na Espinharas de Patos o fato e acredite fiquei muito feliz pela sua conquista. Certamente entre tantos importantes nomes da radiofonia pombalense e paraibana o seu para mim é um dos maiores destaques. Um abraço professor!