segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Estou como Juiz de direito desde março de 1992. De lá para cá, muita coisa mudou. As demandas cresceram vertiginosamente e, mesmo com o uso dos computadores, a tarefa de uma prestação jurisdicional eficaz está se tornando cada vez mais difícil. O número de processos cresceu astronomicamente, e, de outro lado, alguns aspectos gerenciais estão inviabilizando o bom e efetivo andamento das ações.

Primeiro, o horário do expediente forense é corrido e curto para possibilitar que os servidores e juízes possam eficazmente realizar as suas tarefas, sem que não haja déficit. Por exemplo, não há como, num só expediente, servidores cumprirem o atendimento ao balcão, a realização da digitação das audiências, a feitura e expedição dos ofícios, a autuação dos processos, requisição de mandados, movimentação dos processos, checagem do malote digital, confecção e expedição de formais de partilha, elaboração e expedição de cartas precatórias, citação, intimação, alvarás, certidões diversas, requisição de notas de foro, etc.

Um segundo ponto consiste no número reduzido de servidores. Mesmo contando com cinco servidores na serventia de cada unidade judiciária, o que não é a realidade atual, pois a maioria funciona com três servidores e algumas, inacreditavelmente, já funcionaram com apenas um servidor, então, não há como esses funcionários atenderem ao volume de serviço. Com todo respeito, teríamos que transformá-los em máquinas. Aliás, na forma em que se encontram hoje trabalhando os juízes e os servidores, com a devida vênia, deixa transparecer que já há uma espécie de automação, o que preocupa, pois somos seres humanos, e, se as máquinas precisam ser revisadas constantemente, imaginem humanos trabalhando como se máquinas fossem.

Outro aspecto é o número elevado de feitos ativos. Esse fator, aliado aos dois anteriores, dificulta o bom andamento dos processos, pois termina por provocar uma sobrecarga em relação aos magistrados e funcionários. São quase 20 anos de Juiz e tenho a sensação de que estamos numa fábrica de enxugar gelo. Quanto mais se despacha e sentencia, mais processos chegam. Há um desequilíbrio nessa contabilidade que deve ser resolvida urgentemente por aqueles que gerenciam o Judiciário, sob pena de mergulharmos num abismo perigoso.

É preciso instalar mais Varas, virtualizar todos os feitos e realizar concursos para estabelecermos um número de servidores e juízes adequado ao atendimento da demanda de processos, senão, nada feito.

*Pombalense, Juiz de Direito da 5ª Vara Cívil de João Pessoa PB.
onaldoqueiroga@oi.com.br
Jerdivan N. Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

Imagine uma cidade pacata, de índole religiosa, com pouco mais de cinco mil habitantes morando em sua zona urbana, ser surpreendida, em um lapso de tempo, entre um caso e outro, de menos de seis anos, por dois crimes de infanticídios: O primeiro caso foi o já conhecido, de Donária dos Anjos, que na seca de 1877, ela então com dezoito anos de idade, para não morrer de fome, matou uma criança, cozinhou e a comeu. Julgada e condenada morreu na cadeia de Pombal. O segundo caso, que só veio à luz no final de 2011, é o de outra jovem pombalense de nome Maria da Conceição então com 26 anos de idade, moradora da Rua da Cruz em Pombal, que no dia dois de julho de 1883, deu a luz e em seguida assassinou a criança.

Se o motivo que levou Donária dos Anjos a cometer infanticídio foi a fome, o de Maria da Conceição foi o de assegurar um suposto casamento. A ré engravidou de um dito Francisco, que certamente a abandonou ao tomar conhecimento da gravidez. Em seguida a ré conheceu um certo Rufino Gouveia, que certamente desconhecia a gravidez, o que ela escondeu até o último minuto daquele fatídico dois de julho de 1883, quando deu a luz assassinou a criança e a enterrou no quintal da casa da avó, sendo o corpo encontrado por cachorros. Acredito que seja este o primeiro texto a falar no assunto, depois de cento e trinta e um anos do fato ocorrido.

O Processo de Maria da Conceição teve inicio no dia três de junho de mil oitocentos e oitenta e três com a queixa e abertura dos procedimentos policiais, até o segundo julgamento pelo Juízo do Conselho de Sentença de Pombal, o que aconteceu no dia seis de junho de mil oitocentos e oitenta e quatro, depois de tramitar em grau de recuso pela Corte Julgadora Superior em Recife.

A acusada foi denunciada, presa, julgada e absolvida por perempção no primeiro julgamento, o Juiz da Comarca Dr. Francisco Leal de Miranda, apresentou Recurso* a instância superior em Recife, conseguindo a anulação do primeiro júri. Submetida a novo Julgamento, Maria da Conceição é condenada, por crime qualificado no "Art. 198. Se a própria mãe matar o filho recem-nascido para occultar a sua deshonra.” “Lei de 16 de dezembro de 1830, (Código Criminal do Império do Brasil).

Foram mais de cento e dezenove pessoas envolvidas no processo, entre Juiz, promotorias, testemunhas, Juízos do Conselho de Sentença, porteiro da Câmara, advogado de defesa, policiais, Inspetor de Quarteirão, delegado, escrivão e Desembargadores, compondo um rito processual, que foi relatado com riquezas de detalhes pelo escrivão da Comarca, o que nos permite através do processo o retorno a cidade de Pombal do final do século dezenove, para seguir seus passos entre a cadeia e a Câmara do Júri da cidade.

De peça jurídica o processo de Maria da Conceição é um documento de relevância histórica, que nos permite analisar a sociedade de Pombal a partir do final do século XIX.

O julgamento de Maria da Conceição foi um evento importante para a sociedade pombalense, envolvendo todos os instrumentos do Estado que estavam à disposição da Comarca de Pombal, que foi o primeiro Julgado que se criou no sertão e data do ano de 1711. Até uma junta pericial para responder os “Quesitos” que viessem a esclarecer o causa mortis e algor mortis, que vem a ser a causa e estimativa do tempo de morte da vitima, foi convocada: eram peritos de profissão, Francisco Adelino Pereira e João Inácio Cardozo D’Aarão.

É fácil imaginar o que esse crime mudou a rotina de Pombal, causando repulsa e indignação ao povo. Diversas testemunhas foram ouvidas e quarenta e oito cidadãos foram convocados, em três momentos, a compor Corpo de Jurados para, através de sorteio, escolher os doze membros que a época eras chamados de Juízes de Sentença. Vejo as pessoas nas ruas acompanhando a ré, ou se aglomerando a porta da Câmara para assistir ao “espetáculo”, torcendo pela condenação da mãe que matou a filha recém nascida Era a pressão da sociedade exigindo das autoridades que fosse feito justiça para que fato igual não voltasse a acontecer.

Isto é Pombal: uma cidade tricentenário, que ainda tem, em seus cartórios, muitas histórias por ser reveladas.

(Nota: *A Lei nº 261, de 3 de Dezembro de 1841 facultava ao Juiz a interposição do recurso. Art. 79. O Juiz do Direito appellará ex-officio:

1º Se entender que o Jury proferio decisão sobre o ponto principal da causa, contraria á evidencia resultante dos debates, depoimentos, e provas perante elle apresentadas; devendo em tal caso escrever no processo os fundamentos da sua convicção contraria, para que a Relação á vista delles decida se a causa deve ou não ser submettida a novo Jury. Nem o réo, nem o accusador ou Promotor terão direito de solicitar este procedimento da parte do Juiz de Direito, o qual não o poderá ter, se, immediatamente que as decisões do Jury forem lidas em publico, elle não declarar que appellará ex-officio; o que será declarado pelo Escrivão do Jury.)

*Escritor e Pesquisador da história de Pombal.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Genival Torres Dantas
GENIVAL TORRES DANTAS*

Inicio dos anos 70, século passado, cheguei a São Paulo, Capital, exatamente em 26 de junho de 1973, um frio de doer até a alma, o sol encoberto pelas nuvens, a garoa insistia em molhar os casacos que protegiam os transeuntes, para os menos avisados e migrantes recém chegados, o meu caso, só restava tomar bastante café ou chocolate quente, bebida tradicional na cidade para aquela época.

Comecei a me acostumar com os números absurdos que aquela terra produzia e representava. A maior concentração de salas de espetáculos da América do Sul; os melhores teatros, referência especial para o Teatro Municipal de São Paulo. Museus, dentre eles o Museu do Ipiranga. Bibliotecas, destaque para a Biblioteca Mário de Andrade.

Os estádios de futebol como Estádio do Morumbi do Pacaembu, o Palestra Itália e o da Portuguesa, são referências para os torcedores paulistanos.

O Autódromo de Interlagos, com suas corridas internacionais, juntamente com o Jockey Club de São Paulo e seus desfiles de modas em dias de corridas, permeiam a mente dos admiradores do esporte espetacular.

A melhor e o maior centro de gastronomia, uma mistura de cozinhas, nacionais e internacionais. Vem satisfazer o paladar dos admiradores e apreciadores de um bom prato.

O ponto preferido dos migrantes nordestinos, era na esquina da São João com Ipiranga, local que representava encontros e desencontros para os jovens saudosos das suas terras e sua gente

Ali próximo fica a praça da República, onde aos domingos, os artistas plásticos e artesões ainda expõem suas obras, à venda, ao grande público comprador e admirador do belo.

Lembro-me bem de uma pesquisa da época, a cidade tinha em torno de 8 milhões de habitantes, nela existia uma loja de departamento, o Mappin, não há mais, tinha 8 milhões de carnê, esse número correspondia a 5 carnês para cada habitante economicamente ativo.

O centro financeiro estava se mudando da rua xv de novembro para a avenida paulista, local que se modernizava com a inauguração, 1974, da primeira linha do metrô Jabaquara/Santana, se transformando no maior centro financeiro da cidade, e o metro quadrado mais caro do município.

Hoje com 458 anos, comemorado dia 25 último, São Paulo continua desafiando os números. O IBGE aponta 11.244.369 habitantes, dados de 2010, 7 milhões de automóveis. Na educação o IDH atingiu o número 0,919, elevado, considerando os padrões do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento (PNUD), superado apenas pelas cidades de Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Rio de Janeiro, Vitória e Belo Horizonte.

Na economia São Paulo é imbatível, tem o maior PIB das cidades brasileiras, a décima no mundo, dados de 2005. A sexta em números de bilionários, dados de 2011. Em São Paulo está sediada a BM&FBovespa, Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo, a bolsa de valores oficial do Brasil, a maior das Américas e a segunda do mundo.

Por tudo isso e muito mais, São Paulo é, sem dúvida, uma cidade inesquecível, com seus casarões, edifícios, ruas e avenidas, seus migrantes e imigrantes que tanto honram a terra que os adotou como seu segundo berço, além dos seus filhos notáveis ou não, mas trabalhadores, que fazem de São Paulo a locomotiva da nossa nação.

São Paulo é um samba chamado Sampa, do seu filho adotivo, (Caetano Emanuel Viana Teles Veloso), o baiano Caetano Veloso – 07/08/1942; uma Saudosa Maloca, vendo passar nos trilhos da saudade o Trem das Onze, do homem de Valinhos mais paulistano que conheço, (João Rubinato, o próprio Adoniran Barbosa- 1910/1982); simplesmente Paulicéia Desvairada, ou Desvairismo, do seu filho, poeta, romancista, músico, historiador, crítico de arte e fotógrafo, Mario Raul de Morais Andrade (Mario de Andrade – 1893/1945).

*Pombalense e Empresário em Navegantes SC.
ONÉLIA QUEIROGA
ONÉLIA QUEIROGA*

O valor e prestígio de Nelson Gonçalves são reconhecidos pelos grandes expoentes da música popular brasileira, quando, com euforia, carinho e dedicação, acolheram a sua idéia de gravar com eles, como se fossem os “escolhidos”. Realmente, quem contracenou com Nelson ao som do pinho, das cordas e dos teclados integra, hoje, no cenário musical do país, a galeria dos privilegiados.

Em “Ele e Elas”, vols. I (84) e II (86), em “Eu e Eles (85), em “Nós” (87), em “Nelson Gonçalves e Convidados”, em “Nelson Gonçalves - Cante Comigo” - desfilam as vozes de cantores nossos consagrados, dividindo, com a voz maior, as faixas dos Long-Plays e Cds. O primeiro dos discos mencionados reúne, no vol. I, Nelson com: Fafá de Belém (O Negócio é Amar), Núbia Lafayette (Devolvi), Alcione (Louco - Ela é seu Mundo), Joana (Como é grande o meu amor por você), Ângela Maria (Pensando em ti), Beth Carvalho (Pedi ao Céu); no vol. II, com Gal Costa (Dos meus braços tu não sairás), Tetê Espíndola (Saia do meu caminho), Elizeth Cardoso (As Rosas não Falam), Maria Bethânia (Caminhemos), novamente Joana (Alguém me Disse) e Elza Soares (Se Acaso Você Chegasse). Em “Eu e Eles” cantam com Nelson: Tim Maia (Renúncia), Martinho da Vila (Lembranças), Caetano Veloso (Maria Betânia), Fagner (Mucuripe), Luiz Gonzaga (Asa Branca). Em “Nós”, Nelson Gonçalves faz-se acompanhar de: Zizi Pozzi (Castigo) e Nana Caymmi (Não tem solução, Só Louco e Nem eu); Milton Nascimento (A Saudade mata a gente), Lobão (A Deusa do Amor) e Chico Buarque (Valsinha). Em “Cante Comigo”, marcam presença: Lobão (Normalista), Chico Buarque (As Vitrines) e Ney Matogrosso (Caminhemos), destacando-se, aqui, a única presença feminina de ELBA Ramalho que nos dá um belíssimo depoimento acerca dessa experiência musical: “Nelson Gonçalves é para mim uma história de vida, forte e bela. Ter participado deste disco é uma bênção na minha carreira! Obrigada!”.

O elenco de cantoras e músicas do primeiro disco, nos seus dois volumes, e de cantores e músicas do segundo e terceiro discos repete-se, totalmente, no quarto deles, ou seja, “Nelson Gonçalves e Convidados”.

Os sucessos de Nelson inspiraram, ainda, O Piano Espetacular e o Teclado Espetacular de Don Euclydes e orquestra, ambos no seu vol. 2 que deslizou em suas teclas as músicas Risque, Argumento, Apelo, Doidivana etc., e A Volta do Boêmio, A Média Luz, Negue, Caminhemos, etc, respectivamente.

Outro pianista famoso acalentava um sonho: tocar as músicas de Nelson. Não queria, apenas, solar as músicas; queria mais, queria o vozeirão do cantor. Conseguiu realizar o sonho e a música popular brasileira foi presenteada com a obra prima: Nelson Gonçalves e Artur Moreira Lima, o boêmio e o pianista. Ouvir os toques mágicos de Artur em a Camisola do Dia, Caminhemos e Meu Dilema, tendo, ao fundo, a voz de Nelson, é prêmio de brilhante para nós mortais. Isto sem falar nos solos do pianista, das músicas Tico-tico no Fubá, Lamento e Apanhei-te, Cavaquinho.
Nelson Gonçalves nunca se deixou intimidar com o tempo, e pelo tempo. Enfrentou-o de cabeça erguida com a arma que Deus lhe deu: a voz. Em 1982, aos 62 anos, é, na Praça da Sé, em concentração monstro, que lança o LP Conclusão, com o acompanhamento do regional de Caçulinha. A partir de 1984, como assinalado já o foi, passa a gravar com os artistas da nova geração. Em 1989, comemora os cinqüenta anos de carreira, lançando um álbum com cinco discos e apresentando-se em espetáculo, no Olímpia, em São Paulo, “com orquestras e músicos de primeiríssimo time”, como Raphael Rabello. Aos 76 anos participou de shows no Palace, em São Paulo, no Canecão, no Rio, no teatro, em Manaus.

Nelson Gonçalves, nos quase 79 anos, deu entrevistas, recentemente, nos programas de grande audiência, na televisão. Gravou um disco antológico com músicas de Cazuza, Lobão, Chico Buarque e outros valores, cuja vendagem atingiu o número de cem mil cópias. Três meses antes de morrer, cantou em Nova Iorque. Em seu velório, aos prantos, Ângela Maria recorda este momento: “Cantamos juntos três meses atrás, em Nova Iorque. Não nascerá outra voz como a dele”. Digo-lhe, Ângela Maria, que Nelson soube enfrentar o tempo com receitas perfeitas que o tornam sempre jovem e presente. A sua voz não se foi, pois, quem nasceu cantando, quem cresceu cantando, quem viveu cantando, quem morreu cantando, como ele, cantará eternamente.

*Onélia Setúbal Rocha de Queiroga.
Escritora e Professora de Ciências Jurídicas
da Faculdade de Direito da UFPB.
Colunista do Caderno 2, página Cultura,
do jornal “ Correio da Paraíba”.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

CLEMILDO BRUNET*

Clemildo Brunet
Depois de tantas lutas, decepções e desenganos dos nossos aposentados que recebem a cima do
Salário mínimo, mais uma vez o Governo Federal passa-lhes as pernas na questão do percentual dado a essa classe que há muito tempo numa luta renhida vem lutando pelos seus direitos. Mais uma vez as autoridades que governam este país, depois de terem achatados aos longos dos anos os proventos dos aposentados a que me refiro, vêm executando uma política diferenciada para os que percebem o chamado salário mínimo.

O pior em tudo isso é o engodo para ludibriar esses pobres coitados cujos compromissos aumentam dia-a-dia em face da idade e da saúde. A compra de medicamentos caros quase sempre levam embora 30 ou mais por centos do que lhe são destinados no benefício da Previdência Social. Pois bem, este ano não foi diferente em relação aos anteriores. Falou-se tanto em ganho real para os que percebem acima do salário mínimo, que aos ouvidos desses aposentados, tudo sairia de conformidade com o anunciado. Ledo engano!

Pois bem: nos últimos momentos para aprovar o orçamento de 2012, o Governo Federal suou frio, mas conseguiu aprovar o que queria, no entanto, não fez a inclusão do ganho real dos aposentados acima do salário mínimo. O deputado Federal Paulo Pereira da Silva (PDT/São Paulo), e o Presidente do Sindicato Nacional dos aposentados, pensionistas e idosos da Foça Sindical, João Batista Inocentini, garantiram em plenário o compromisso de todos os líderes do Partido, incluindo o PT e o PMDB, que até o final de fevereiro será criada uma comissão do Governo para discutir uma política permanente de recuperação do poder de compra dos aposentados acima do salário mínimo.

Não sou pessimista, mas tomara que aconteça. Acontece que essa turma, anos e mais anos, se reúne e no fim termina em pizza essa história; pois o que se vê, é um verdadeiro desapreço para quem trabalhou muitos anos e contribuiu religiosamente com a Previdência pública desse país, que hoje, de modo desavergonhado não paga aos seus beneficiários da mesma forma como eram as suas contribuições que lhes assegurava o valor real de salários de acordo com o que contribuíam.

INOCENTINI E PAULINHO OTIMISTAS...

“O compromisso em Plenário de todos os líderes de partido é uma grande vitória nossa. Finalmente todos estarão envolvidos e de acordo com a discussão de uma política permanente de recuperação dos benefícios desses aposentados, assim como já é feito com a política de recuperação do salário mínimo”, festeja Inocentini.

“Foi melhor do que esperávamos. No ano passado conseguimos incluir no orçamento o ganho real, mas o Governo não cumpriu. Agora temos o compromisso de todos os líderes de partido que vamos discutir uma política permanente de recuperação do poder de compra, o que é um grande avanço para os aposentados”, disse Paulinho.

Muitas mudanças em artigos foram feitas com facilidades no que diz respeito aos aposentados na Constituição/88 e do Estatuto do Idoso. FHC fez corte da fragilizada aposentadoria de 18%. Lula cortou mais 42% dos manipulados proventos, já Dilma com ares de grande vitoriosa nos tirou mais 8%.

Com a imoralidade desses cortes, já perdemos 68% das nossas aposentadorias, que se as leis não fossem modificadas, ou, se não houvesse alteração nas regras de um jogo no meio do prélio esportivo, os aposentados estariam tranquilamente recebendo o valor condizente de suas contribuições dos 35 anos passados.

Não paremos no tempo e no espaço, vamos cobrar cobertos de direitos dentro da ordem pacífica, porém com veemência, a validade da mesma correção dos 14% para todos os aposentados. Aliás, nenhum trabalhador brasileiro deveria receber aumento menor do que este percentual de 14%.

Foi deste modo que a sociedade juntou-se aos aposentados em 1991 para exigir os mesmos 147% dado de reajuste para os aposentados que ganhavam o salário mínimo, e para todos os outros aposentados do mesmo regime, porque já estava resolvido que estes ganhariam somente 54%.

Como vemos essa perseguição já é bem antiga. Vamos ressuscitar o efeito moral contido no “Affair 147” esperemos que isso aconteça logo agora em fevereiro.

Pombal, quinta feira, 26 de janeiro 2012.

*RADIALISTA, BLOGUEIRO, COLUNISTA
http://www.clemildo-brunet.blogspot.com/  

Comentário:

Boa tarde. Acabei de ler seus comentarios sobre o aumento das aposentadorias. Vamos continuar "esperneando", mas como comentas, dificilmente vai sair alguma coisa para os aposentados.
Eu acredito que foi combinado assim com o legislativo e com o judiciario:
- O Governo da tudo o que voces querem de aumentos, mas... isto tem que sair de algum lugar. Então enrolem os aposentados.
- As aposentadorias deles são diferentes das nossas. Eles nem precisam cumprir tempo para se aposentar com ganhos atualizados.
Antigamente nós tínhamos o direito adquirido. O Judiciario, para os aposentados, revogou a lei, só vale para eles.
Uma coisa me chama a atenção!!!
O Governo quase em todos os pronunciamentos de ministros, fala na quantidade de novos empregos com carteira assinada que foram abertos nos ultimos anos.
Mas ninguem fala sobre o AUMENTO NA ARRECADAÇÃO DO INSS com estes novos postos de trabalho. Porque???
Só se fala em deficit. Alguem deve estar embolsando este dinheiro, porque não vi ninguem falar sobre este aumento. Pergunto de novo: PORQUE???
Talvez tu possa nos informar.
Outra coisa que não entendo: O IBGE diz que a vida média dos homens brasileiros é de, hoje, 76 anos. Porque o INSS considera 80 anos e cinco meses, que foi o cálculo que fizeram para a aplicação do fator previdenciario na minha aposentadoria.
Sds
Ernani C. Santin

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana*

Na introdução do nosso tema rebuscamos a história grega da antiguidade no sentido de melhor explicar o assunto dos homens másculos da era contemporânea que se exercitam, sofrem e morrem de vontade na tentativa de imitar a masculinidade corporal dos homens ou deuses da antiguidade.

A mitologia grega é bastante rica em termos de contos e explicações da origem do mundo, a tudo atribuindo os poderes dos deuses gregos, que segundo a crença geral, moravam no Monte Olimpo. Dizem as lendas gregas que, no princípio, havia somente o grande Caos, do qual surgiram os Velhos Deuses, ou Titãs, dirigidos pelo deus Cronos (Tempo). Zeus era um filho de Cronos e chefiou a rebelião da nova geração dos deuses - chamados Deuses Olímpicos - que dominaram a Grécia em toda a sua época clássica. Zeus é o deus principal, governante do Monte Olimpo. Rei dos deuses e dos homens, era o sexto filho de Cronos. No lado da história romana na antiguidade Júpiter tinha os mesmos poderes do deus grego Zeus.

A história dos deuses é longa, o relato de cada um só caberia numa enciclopédia, no entanto, exemplificativamente, que por vezes há uma ligeira confusão de interpretação entre os deuses gregos ADÔNIS e APOLO como sendo da beleza; mitoligicamente, o deus grego da beleza é ADÔNIS, que era um jovem tido como modelo de beleza masculina e extremamente carismático, cuja representação era estreitamente vinculada a mitos vegetais e agrícolas.

APOLO é o deus dos jovens rapazes, ajudando na transição para a idade adulta, que é representado por um jovem nu, simbolizando a pureza e a perfeição.

A saúde na nossa contemporaneidade vem sendo considerada um valor distintivo a ser conquistado, na qual o discurso sobre o “saudável” incorpora significado como juventude, força e beleza. A crescente valorização da aparência física tem levado um número cada vez maior de pessoas a frequentar academias de musculação, bem como a consumir produtos farmacêuticos e nutricionais, em vista do aprimoramento das dimensões corpóreas.

Este trabalho tem por objetivo descrever os cuidados com o corpo e analisar as concepções de saúde de homens das classes populares frequentadores de academia de todas as cidades do nosso país, da cidade mais simples à metrópole sofisticada.

A musculação se constitui como um esporte em que dar o máximo de si está diretamente ligado ao limite máximo de transformação do próprio corpo. O corpo funciona como um elemento que encarna uma ideia de controle físico e mental, fatores relacionados diretamente como elementos essenciais à saúde. Se por um lado os adeptos ostentam a necessidade de ter uma vida regrada evitando os excessos da vida mundana, por outro lado utilizam para a manutenção e fabricação do corpo a prática excessiva dos exercícios físicos e o uso elevado de substâncias anabólicas.

Os dicionários mais recentes trazem no léxico uma novíssima palavra, pouco conhecida, chamada de VIGOREXIA.

A VIGOREXIA é um transtorno relacionado com a percepção do físico, que se caracteriza por uma obsessão permanente por incrementar o volume dos músculos.

Essa doença também é conhecida como “Síndrome de Adônis”, já que os acometidos são pessoas bonitas, musculosas e forte que anseiam possuir corpos perfeitos.

O vigoréxico sofre “dismorfofobia”, ou seja, tem uma imagem distorcida de seu próprio corpo, e por mais musculoso que esteja, continua vendo-se flácido.

A vigorexia é uma patologia que afeta os homens em 90% dos casos, em 10% as mulheres. Os primeiros sintomas, ou, digamos, assim, o perfil do vigoréxico, encontra-se no jovem com baixa auto estima, que rechaça a sua imagem. Pesa-se várias vezes ao dia. Olha-se frequentemente no espelho. Treina em academia de 03 (três) a 05 (cinco) horas por dia, e quando falta, tem sentimento de culpa. Quanto à alimentação, sua dieta é rica em proteínas e pobre em gorduras, baseando-se somente em alimentos como: claras de ovos, massas, amidos, ou seja, aqueles alimentos que desenvolvem sua massa muscular.

Para eliminar gorduras e lipídeos, abusa de laxantes e diuréticos, como está esgotado, por tanto exercício, se satura de complexos vitamínicos. Às vezes, entretanto, chega ainda mais longe e toma anabolizantes, hormônios de crescimento, sendo a “somatropina” o mais utilizado, além do esteroide e outras substâncias dopantes.

A somatropia é indicada para atrasos de crescimento em criança, uma vez que estimula o crescimento dos ossos longos e das células musculares. Nos adultos, comporta-se como um potente anabolizante, que estimula a síntese proteica, diminui o tecido adiposo e aumenta a massa muscular. Os efeitos adversos são: retenção de líquido, hiperglicemia, fraqueza, hipotireoidismo, dor de cabeça etc.

Com o uso sistemático dessas substâncias surgem os problemas de doença vasculares, lesões no fígado, crescimento da próstata, disfunção erétil, redução do tamanho dos testículos, crescimento dos seios (ginecomastia). Nas mulheres, masculinização e irregularidade no ciclo menstrual.

Este é o preço de quem procura imitar os deuses da beleza conhecidos na antiguidade que já traziam consigo mesmos os dons naturais a olho nu.

A busca incessante de um corpo perfeito é objeto de desejo de homens e mulheres cujo culto exacerbado vem em função das mudanças ocorridas ao longo do século XX. Isso leva muita gente a cometer excessos no consumo de substâncias que comprometem a saúde com efeitos muitas vezes irreversíveis que podem até levar a morte. É este desejo que está levando homens, mulheres e, muitas vezes, até adolescentes para usarem esteroides anabolizantes de forma indiscriminada e na maioria das vezes ilícita.

Com a evolução das mídias, a imagem passou a ser supervalorizada, tendo como carro-chefe o cinema que faz da estética como algo primordial. No entanto, os padrões estéticos corporais variam de acordo com as características culturais de cada povo, além de sofrerem modificações no decorrer das gerações. Na verdade, eles desejam realização pessoal, e deslocam este anseio para o culto ao corpo e a perfeição corporal. A importância que a sociedade demonstra em relação à aparência física é notória na atualidade.

Toma cuidado no desejo da imitação de um deus!

João Pessoa, 25 de janeiro de 2012.

*Escritor pombalense e Promotor de Justiça em João Pessoa PB.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Sob o Sol do sertão uma imensa pedra, serra mística que, na claridade do dia, reflete a causticante vida do povo que habita o Brejo do Cruz. Quando a noite chega, lá do céu a Lua espalha sua luz de prata e ensina ao vento a deitar sobre a mesma pedra o bafo frio anunciante da enigmática madrugada.

Quantos filhos tem essa pedra, essa serra de relevo fortemente ondulado? Muitos, muitos filhos, uns do Riacho da Tapera, outros do Poço da Cruz, do Escuro, das Lajes, dos Bois, do Poço da Onça, do Jacu, das Lagoas Polarinho, Marrecas e Caminho do Brejo. Essa pedra tem segredos milenares, há tempo adormecidos, e que desde 1600 são contidos pelas cancelas do Sítio Olho D'água do Meio.
Da magia dessa serra, desse lajedo, dessa pedra, nasceu um Zé, a quem foram revelados os mistérios guardados a sete chaves no âmago da pedra ondulada. Um inquieto pensador, poeta, cantor, cantador e compositor; um mago alto, de barba e cabelos enormes, esvoaçantes, que o tempo tratou de reduzir. De voz forte, metálica e contundente, a ecoar o canto visionário extraído da caverna da aldeia do sol. Deixou o seu sopé, mas os candeeiros de seu lugarejo jamais o abandonaram.

Se fez adolescente transitando pelas ruas, avenidas, teatros, bares e mares da grande Filipéia. Inspirado no Baião de seu Luiz Gonzaga, no rei do ritmo Jackson do Pandeiro, The Beatles, Pink Floyd, Raul Seixas, Bob Dylan, na rebeldia dos The Rolling Stones, em elementos da mitologia Grega e nos mistérios da pedra ondulada. Fez surgir uma sonoridade musical, uma verdadeira miscelânea, uma espécie de rock psicodélico, jazz e ritmos nordestinos, tudo ali, num disco intitulado de Paêbirú ou mesmo caminho da montanha do Sol.

Conheci esse enigmático ser no Miramar, início dos anos 1980, sentado numa poltrona da casa de suas tias Zélia, Madalena, Tereza e Inês Ramalho, amigas de minha mãe Onélia. Suas visões, suas melodias e suas letras logo invadiram o meu existir adolescente. O som variante que ia do protesto político-social ao apocalíptico passou a conduzir meus pensamentos, a influenciar a minha visão sobre o mundo, aliás sobre os mundos, e, como eternas ondas decifradoras do existir, mostraram-me a vida do admirável gado novo, a força do Avôhai, o vôo das borboletas, o grande jardim das acácias, a imensidão da visão de quem senta à beira mar, a liberdade do xote dos poetas, uma canção agalopada e uma terceira lâmina visionária e profundamente crepuscular.
Zé Ramalho
Minha escrita é herdeira desse mundo de Zé Ramalho e navega numa nave interior por cidades e lendas. Numa mão, os últimos dias; na outra, a alforria, e, no firmamento, um lugar para sonhar.

*Pombalense e Juiz de Direito da 5ª Vara Cível de João Pessoa PB.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Partindo da premissa de que a união faz força, no último sábado dia 21 de janeiro do ano em curso, os agentes de trânsito do sertão paraibano, estiveram reunidos em Assembleia Geral em Patos, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, para organizarem o Sindicato da categoria com o fim de abarcar cerca de quarenta cidades do interior da Paraíba que terão suas representações, através do novo órgão recém-criado, que recebe a denominação de SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS AGENTES DE TRÂNSITO DA PARAÍBA.

O primeiro repto do Sindicato é lutar no sentido de que várias cidades sertanejas paraibanas, com condições de ter seus agentes de trânsito comecem a fazer funcionar essa categoria e suas respectivas superintendências ou mesmo secretarias ligadas ao trânsito.

Cidades como Piancó que já foi municipalizado, mas não tem Agente de Trânsito, Itaporanga, Conceição e várias outras ainda não tem seu trânsito municipalizado. A municipalização traria benefícios para o trânsito, além de divisas para esses municípios.

Antônio Coelho foi escolhido por unanimidade pela assembleia para representar a categoria através do SINATRAN. Coelho, como é mais conhecido entre os Agentes de Trânsito, foi um dos pioneiros para organizar a categoria em Patos.

e ganhou destaque nacional pela luta em prol do reconhecimento constitucional da categoria como profissão na Constituição Federal, através da PEC 55 de autoria do Deputado Federal Hugo Mota – PMDB. Antônio Coelho também era o presidente da Associação de Lutas Trabalhistas dos Agentes Municipais de Trânsito de Patos – ALTRANS. Como vice- presidente da SINATRAN os presentes na assembleia escolheram Adriano Fernandes, Agente de Trânsito da cidade de Pombal.

“Somos uma categoria pequena, porém temos muita importância diante do crescimento do trânsito por todo o país e aqui em nosso sertão. Com o SINATRAN fortaleceremos nossa luta em vários aspectos, seja econômico, político e social”. Disse Antonio Coelho.
A cidade de Pombal que já conta com agentes de trânsito e o órgão sob o gerenciamento municipal ficou bem representada na SINATRAN pelo nosso agente de trânsito ADRIANO FERNANDES na Vice-presidência e ALINE MARIA como Agente de Mobilização.

Parabéns aos nossos agentes de trânsito.

Da Redação do Blog e patosonline.com
Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Lenda ou verdade? Uma indagação que o tempo persiste em não revelar. Paira no ar a interrogação sobre a existência ou não, da denominada cidade de ouro, um dos maiores mistérios da humanidade. Onde fica essa cidade? Como surgiu a versão da existência da cidade coberta de ouro.

No Século XI os espanhóis invadiram o continente Americano. Na região do Peru, chegaram, dominaram e tentaram destruir uma das mais antigas civilizações da história - o Império Inca. Um povo que culturalmente ofertava ouro ao deus sol, em rituais espirituais as margens do lago Titicaca.

Sob o comando de Francisco Pizarro, adentraram na lendária Capital da Civilização Inca - Cusco e, logo cresceram os olhos diante do volume de ouro presente em todos os templos e palácios pomposos daquela cidade. Pizarro quando conquistou Cusco, em 1534, resolveu seqüestrar o imperador Inca, condicionando sua liberdade ao pagamento de duas salas grandes de ouro, isto certo que o povo Inca não conseguiria recolher tanto metal nobre. Ledo engano. E por isso, quando sentiu que o pagamento ocorreria, Pizarro executou o Imperador e assumiu o controle da região.

Os espanhóis retiraram todo o ouro que cobria os templos e palácios e, após fundi-lo resolveram mandar parte desse metal para a Espanha e a outra foi utilizada para revestir a estrutura interna da Catedral de Cusco e a de uma outra igreja erguida sobre os muros do Templo do Sol, precisamente a igreja de São Domingos.

Mas, um mistério ainda ronda os arqueólogos. É que muitos relatos davam conta, como ainda dão, de que o povo Inca, à época, sabiamente temendo que os espanhóis levassem todo o ouro, resolveram, então, conduzir uma grande quantidade desse metal para uma outra cidade, a denominada Paytiti, localizada a nordeste de Cusco.

Escondida na floresta, Paytiti era também uma cidade banhada de ouro. Sua localização fora encarada pelos Incas como estratégica, pois como era de difícil acesso, então, os tesouros estariam protegidos da ação dos invasores. Esses comentários terminaram por chegar aos ouvidos dos espanhóis, que envidaram diversas expedições em busca da cidade de ouro, todavia, até hoje Paytiti continua imperceptível aos olhos humanos.

Há séculos pesquisadores continuam a realizar expedições na esperança de encontrar o mito do El Dorado, a cidade laminada de ouro. Foi numa dessas expedições que o antropólogo Hiram Bingham, em 1911, terminou por descobrir Machu Picchu, complexo arqueológico situado a 120 km de Cusco e a 2.400m de altura. Porém, a floresta, virgem e selvagem, mantém até hoje viva a lenda de Paytiti.

Por quanto tempo, ainda, teremos que esperar para descobrir se Paytiti é realmente uma lenda ou um dos últimos tesouros Incas guardados a sete chaves pela natureza? Ah! Só o tempo tem a resposta.

*Juiz de Direito da 5ª Vara Cível da Capital.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Inicio dos anos 80, século passado, o Brasil começa a se movimentar através da sua juventude, de cara pintada, em direção as “diretas já”, grandes nomes se davam as mãos em busca de uma democracia ampla e irrestrita com o retorno dos últimos exilados e o fim do golpe militar de 1964.

Naquela época eu estava morando no hotel Beira Rio, cidade de Piracicaba interior de São Paulo, tinha sido promovida à regional da empresa que trabalhava e minha família só viria no próximo final de semana, que seria prolongado, pois, dia 25 de janeiro é feriado municipal na Capital, São Paulo. Já tinha se passado 06 meses e eu morando distante da família, saindo da grande cidade e indo para uma cidade menor, de 300 mil habitantes, mas, 10 vezes maior que minha cidade de origem, Pombal-PB.

Cidade nova, vida nova, responsabilidade dobrada, acumulava dois prêmios de homem de vendas do ano, nos anos de 1972 e 1978, em empresas diferentes, realmente um vencedor.

Jamais poderia imaginar que depois de tanto sucesso, um dia, eu pudesse ter algum problema grave de doença, que pudesse me afastar das minhas atividades profissionais, entretanto, a realidade veio me mostrar que eu também era mortal, como qualquer ser humano.

Comecei uma longa caminhada em busca de um diagnóstico que viesse identificar o meu problema de saúde, depois de passar por 17 especialistas e 17 diagnósticos diferentes, partia para tratamento de uma doença de origem neurológica, sem, entretanto, uma identificação mais profunda, o quadro se apresentava confuso, mas não podia fugir à luta, não tinha o direito de fraquejar.

Dia 19 de janeiro de 1982 recebi a notícia da morte inesperada da Elis Regina, aquele fato foi um divisor de águas na minha vida. A realidade se mostrava cruel, partia uma pessoa que eu aprendi admirar pela sua luta e obstinação em busca da perfeição na MPB. Sempre fui um colecionador do seu trabalho, seus discos sempre com músicas de compositores novos e talentos davam a idéia do seu gosto musical além da grande cantora e interprete da nossa música.
Um filme em preto e branco começava a passar na minha cabeça, lembrava do inicio da sua carreira em 1961 quando ela foi descoberta pelo vendedor da gravadora Continental, Wilson Rodrigues, e indicada para gravar seu primeiro trabalho. Mais 03 discos foram gravados até ela se mudar do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro, finalmente ela vai para São Paulo em 1964 ficando ali até o seu final.

O ponto de partida para o estrelato foi com a música Arrastão, Vinicius de Morais e Edu Lobo, no festival da TV Excelsior em 1965.

O espetáculo Fino da Bossa, organizado pelo centro acadêmico da faculdade de odontologia da USP, apresentado no antigo teatro Paramount, hoje teatro abril, transmitido pela TV Record, canal 7, SP, rendeu 03 discos, um dos quais, Dois na Bossa, foi o primeiro a vender 1 milhão de cópias no Brasil.

A grande virtude da Elis Regina foi não abrir mão dos seus grandes compositores, novos ou não, mantendo fidelidade a nomes como Milton Nascimento, João Bosco e Adir Blanc, Belchior, Tom Jobim, Renato Teixeira, Ivan Lins, Adoniran Barbosa, e tantos outros da nossa MPB, o pianista, arranjador e seu parceiro por muito tempo, Cesar Camargo Mariano.

A discografia da Elis Regina é muito extensa e nesses 30 anos da sua morte nos faz lembrar pérolas inesquecíveis, tais como: Samba Eu Canto Assim (1965), Elis (1966), Elis Especial (1968), Como & Porque (1969), onde Roberto Menescal assinando os arranjos da Aquarela do Brasil, Canto de Ossanha e Andança; Em Pleno Verão (1970), produção de Nelson Motta, e consta a música As Curvas da Estrada de Santos, inesquecível interpretação da música de Roberto e Erasmo Carlos; Ela (1971); Elis (1972) grande interpretações em Atrás da Porta, Chico Buarque e Francis Hime, e Casa de Campo, do Zé Rodrigues; Elis (1973) com 08 faixas de Gilberto Gil, João Bosco e Aldir Blanc, completa o disco os clássicos do samba, Folhas Secas e É com Esse que Eu Vou; Elis & Tom(1974) só a gravação Águas de Março já vale o disco; Elis (1974) é de Milton Nascimento e Fernando Brant as músicas, Travessia, Conversando no Bar e Ponta de Areia; Falso Brilhante (1976) o espetáculo, no teatro Bandeirantes, na Brigadeiro Luiz Antonio, e o disco, são completos;

Elis (1977) grande canção caipira de Renato Teixeira, Romaria; Transversal do Tempo (1978; Essa Mulher (1979) onde consta O Bêbado e a Equilibrista, de João Bosco e Aldir Blanc; seu último disco, Elis (1980).

Elis Regina que nasceu em Porto Alegre, em 17 de março de 1945, se tornou a grande interprete, fez grandes espetáculos, o maior deles, eu assisti por 05 vezes, Falso Brilhante, tinha o sabor das frutas tropicais, o cheiro da relva e da selva brasileira, a cor da raça humana, e a ternura nordestina, lembrando Pombal.

Depois de 30 anos, continuo com meus rascunhos com a doença que me foi diagnosticado como síndrome do pânico, por ironia, não costumo ir aos espetáculos musicais, jogos de futebol, ou mesmo qualquer concentração. Por força das circunstâncias tenho me preservado. Guardo um grande acervo musical, nos antigos LPs, que conservo com muito carinho, aguardo uma oportunidade para transformá-los em CDs, dentre eles as músicas da inesquecível Elis Regina, hoje repaginada na voz da sua filha Maria Rita e lembrada por grandes cantores da MPB, certamente será lembrada por muito tempo.

* Escritor e Empresário em Navagantes SC.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Radialista Otacílio Trajano
Por Otacílio Trajano*

Acabei de ler esse texto do amigo dos velhos tempos da “VOZ DA CIDADE” E “LORD AMPLIFICADOR” Maciel Gonzaga, e que há tempos nós não nos encontramos;(saudade) confesso que me emocionei com a preocupação do companheiro explicando para os Telós da vida quem é e quem foi João da Silva para nossa musica nordestina: leia-se o BAIÃO.

O irmão do sanfoneiro, forrozeiro, cantor, compositor, radialista e
outras coisas mais – MASSILON GONZAGA, que está em STUDIO gravando novos forrós (dos bons) – e que me chamou bastante a atenção nesse artigo do Maciel quando ele indaga; “Mas, por anda o meu baião? Aquela nossa música que andou o mundo inteiro e voltou; saiu falando de seca, voltou falando de amor; decantava o salão de terra batida, o Sertão nunca esquecido.”

Pincei essa frase do Gonzaga, Maciel; claro – é que esse espaço do Clemildo Brunet, e, que sempre me cobra qualquer coisa (taí alguma coisa BRAK) – numa postagem anterior escrito pelo editor desse BLOG“ A FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL E O DIA ESTADUAL DA MUSICA BREGA” – um decreto legislativo paraibano e sancionado pelo atual governador.

Nada contra a musica brega – adoro (tirando os chamados grandes compositores de musicas clássicas, BACH, BEETHOVEN, CHOPPIN, RAVEL, etc.) de Roberto Carlos, Franck Sinatra, Roberto Muller, Lindomar Castilho, Nelson Gonçalves, todos e outros desse time encontramos discos deles em qualquer cabaré(se é que ainda existe mas, se não mais existe mas os disco desses cantores rodavam até furar).

Minha interrogação nisso tudo é; Legislativo e Executivo da Paraíba aprovar e sancionarem o DIA ESTADUAL DO BREGA (que besteirol e dos grandes), mas se esquecem dessa particularidade do Maciel Gonzaga.“ONDE ANDA MEU BAIÃO?”

Ora, o brega não é nosso, é do mundo; agora, BAIÃO, XAXADO, CÔCO, são ritmos genuinamente nossos; que cantam e contam ou nossa alegria ou o nosso sofrimento e juntando a vida humana com as coisa da natureza. E não é nada fácil construir uma história nordestinamente musicada como tantas que Seu Luiz, Marinês, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, João Silva, Dominguinhos que cantaram, cantam e perpetuaram esses ritmos.

Diferentemente de uns plastificados que aparecem e se ocultam meteoricamente nos dias de hoje. Tudo por culpa de pessoas e até grande parte da mídia que tentam endeusar esses descartados que duram igualmente a um rolo de papel higiênico em banheiro publico.

Taí um grito de alerta do Maciel Gonzaga “ONDE ANDA MEU BAIÃO”? Velho e grande amigo, não retiro uma letra ou vírgula do que você escreveu. Um forte abraço de um Baião cantado e dançado num salão de terra batida até alumiado por um candeeiro a gái. E viva o BAIÃO e todos os ritmos genuínos nordestinos.

De Tabatinga - Conde-PB
Otacílio Trajano.

*Otacílio Trajano é pombalense e Radialista em João Pessoa.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*

Hoje vivemos um tempo que acontece deslizamentos de terras, tremores, vulcões, maremotos, enchentes enfim, reação essa da natureza ocasionada pela ação do homem. Toda ação causa uma reação assim diz um adágio popular.

Neste sentido são advindos prejuízos para o planeta, como o aquecimento global, o descongelamento das geleiras e consequentemente o aumento das águas marinhas acarretando uma série de problemas, entre eles, casos de saúde com a poluição do ar e tantos outros.

Por isso devemos orientar e procurar sempre conscientizar as pessoas desde cedo para a importância da preservação da natureza tendo em vista as belezas litorâneas e tropicais brasileiras e porque não dizer paraibanas. Há quem valorize belas paisagens estrangeiras, entretanto, sabemos que o nosso país é rico em belezas naturais. A Paraíba não fica atrás, se destaca com praias lindíssimas de paisagens singulares, principalmente na faixa litorânea sul da capital do Estado, com aquele clima convidativo ao romantismo.
Figura 1Praia de Tabatinga



Figura 2 Praia de Tambaba
O amanhecer tem na sua alvorada o canto dos pássaros contagiando e complementando a singularidade do lugar, nos concedendo o privilégio de comtemplar às obras do Criador. “Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” Sl. 19:1.
Figura 3 Praia Bela
O anoitecer é sublime com a luz do luar provocando sensação total de felicidade na companhia da pessoa amada, fazendo-nos sentir a ventilação natural da brisa do mar, ambiente prazeroso e aconchegante, balançando-se na rede em uma varanda excepcional com vistas para a vegetação, as planícies, os atalhos e o mar, curtindo músicas românticas regada com muito amor. É gratificante se deliciar nas grandezas deste contexto relaxando o corpo e a mente, curtindo o amor sem se importar com o tempo que passa depressa.
Figura 4 Praia de Coqueirinho
O meio ambiente é a maior riqueza para o vivente deste planeta, mesmo sabendo que a espécie humana o está destruindo com tamanha rapidez, o que tem provocado reações adversas à própria natureza.

Pombal, 19 de janeiro de 2012.

*Radialista, Blogueiro e Colunista

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Uma estudante brasileira foi pra Inglaterra, beneficiada pela política de intercambio entre os dois países, a fim de aperfeiçoar os conhecimentos da língua Inglesa. Num dado momento, já em sala de aula, a professora solicitou-a que escrevesse uma frase cujo foco fosse a sua família. Pois não, agora mesmo, confirmou a jovem estudante. E assim foi feito: “Mamãe, gosto muito de Londres, mas sinto Saudades de vocês”.

No momento de verter para o inglês, quão grande foi a sua surpresa quando foi informada, claro, pela professora, de que a palavra Saudade era intraduzivel porque não existem vocábulos equivalentes no vernáculo anglo-saxão. É isto mesmo, a palavra Saudade é a sétima em todo o mundo de mais difícil versão.

Atribui-se a sua existência aos pioneiros da colonização do Brasil no inicio do século XVI. Em razão da distância da terra natal, dos familiares, os embarcadiços vez por outra, nos momentos de melancolia improvisavam versos e cantos a fim de amenizar o sofrimento que a distancia lhes impunha.

Reza a lenda que foi nesses versos e cantos que apareceu pela primeira vez a palavra Saudade. Do ponto de vista etimológico, a palavra Saudade tem origem latina, seja vem de “Soletate” ou solidão na nossa língua pátria. Em espanhol existe a palavra “Soledad” cuja tradução tem muito a ver com solidão. Da mesma forma é uma derivação de “Soletate”.

Apesar de se atribuir aos primeiros colonizadores o uso da palavra Saudade, não significa dizer que os irmãos lusitanos tenham incorporado-a ao seu “índex vocabular” o que seria muito bom para o embelezamento da sua língua pátria. É tanto que os poetas, compositores de fados das terras do alem mar, usam muito pouco nos seus escritos, a palavra Saudade, em se comparando com os confrades brasileiros.

Mas, vez por outra os lusitanos curtem suas melancolias no embalo da nossa doce “Saudade”. Apesar dos pesares, em alguns fados, ícone maior da musica popular lusitana, a palavra Saudade se faz presente. À exemplo citemos o famoso fado, “Coimbra”, que de forma acanhada, nos últimos versos, introduz a palavra Saudade, infelizmente, bem diferente do que nós brasileiros costumamos usá-la. Vejamos:

Coimbra é uma lição
De sonho e tradição
O lente é uma canção
E a lua é a faculdade

O livro é uma mulher
Só passa quem souber
E aprende-se a dizer “Saudade”

Se os portugueses não dão muito importância ao sentido léxico da palavra Saudade, talvez seja porque ainda não assimilaram a mensagem que encerra o seu verdadeiro significado. Ao contrário, para nós brasileiros a palavra Saudade caiu qual uma luva. Os nossos poetas, bem como os compositores de musica popular, jamais se realizariam como criadores dos mais belos versos da língua portuguesa, sem a rimável palavra Saudade.

Na discografia brasileira a palavra Saudade aparece na grande maioria das composições, principalmente na iluminada época de ouro. Hoje, por conta da febre do “Axé Music”, a palavra Saudade, com certeza, perdeu a sua importância. Ninguém sabe até quando. Mas, noutros tempos as coisas eram bem diferentes, vejamos:
Hoje é dia da Saudade (Raul Seixas)

Hoje é dia da Saudade, é!
Hoje eu vou beber pra celebrar
O aniversário de seu Gaspar

Deve ter festa em todo lugar
Hoje é feriado é o dia da Saudade
Hoje não tem aula pra garotada

Velhas de varizes na calçada
Só na Saudade.........., etc.

Depois dessas considerações sobre a origem da palavra Saudade, pergunto: como é que está a sua, a minha a nossa Saudade? Ah meu amigo, quem não guarda as Saudades dos bons momentos vividos no alvorecer da vida? Há Saudades reveláveis, bem como há Saudades adormecidas no mais profundo do íntimo. Há Saudades pra tudo quanto é gosto. Ora, ora, ponha Saudades nisso meu senhor. Veja que beleza.....

A Saudade mata agente, morena
A saudade é dor pungente, morena...

Pois é, só não sente saudades quem já morreu. No meu caso particular posso afirmar, sem medo de errar, que não seria possível suportar a vida sem os meus momentos Saudades. São tantas Saudades que não consigo enumerá-las. São saudades da minha terra, de outras terras por onde vivi, mesmo por breves espaços de tempo, nunca menos de um ano.

Afora o meu estado, vivi em Pernambuco, Ceará, Bahia e Rio de Janeiro. Nestes lugares saudades plantei saudades colhi. Mas, posso dizer de sã consciência, que as Saudades que mais me acalantam são aquelas que dizem respeito os bons momentos vividos, no viço da minha juventude, claro, na terra onde nasci, cresci e vivi grande parte da minha vida.

Neste texto não pretendo nominar as minhas fontes de Saudades, por razões obvias. Mas sinto Saudades das Saudades dos meus Pais, dos irmãos que partiram para eternidade, dos amigos que prematuramente deixaram o planeta terra, dos amigos e amigas de bancos escolares, dos domingos esportivos a torcer pelo São Cristóvão, dos banhos no Piancó, das noites de serestas, da bodega de Zé Gago, claro dos amores efêmeros, porem marcantes, enfim de todos os momentos festivos que ficaram para sempre na memória deste senhor que, a exemplo do poeta Pablo Neruda, não se nega a dizer: “Confesso que Vivi”.

A esta altura da minha vida as Saudades tornam-se mais presentes. Não tenho como evitá-las, pois surgem como fantasmas reais apostos em todos os lugares onde quer que esteja. Nada a reclamar porque é gostoso sentir Saudades. Se um dia, em vida deixar de sentir Saudades, levem-me ao médico, porque, com certeza, estou doente e muito doente.

Assim sendo antes que esse momento chegue rendo-me ao dia da Saudade. Com certeza não devo estar só, pois onde houver seresteiros, poetas, boêmios, notívagos, entre outros, a Saudade está presente. O dia 30 de Janeiro é um bom momento para volvermos o olhar para o passado, pois oficialmente é o dia da Saudade. Salve o dia da Saudade.

João Pessoa, 18 de Janeiro de 2012

*Economista e Escritor.
Maciel Gonzaga
Por Maciel Gonzaga*

O baião é um ritmo musical nordestino. Segundo registra Câmara Cascudo, foi na década de 1940 que o baião tornou-se popular, através dos mestres Luiz Gonzaga (que ficou conhecido como o “rei do baião”) e Humberto Teixeira (“o doutor do baião”). Sua temática é o cotidiano dos nordestinos e as dificuldades da vida. O primeiro sucesso da dupla veio com a música homônima “Baião”, cuja letra diz: "Eu vou mostrar pra vocês / Como se dança o baião / E quem quiser aprender / É favor prestar atenção." e "(…) o baião tem um quê / Que as outras danças não têm".

Luiz Gonzaga logo passou a dominar o gosto popular com outros sucessos no estilo do baião, a ponto de jornais da época registrarem que o ritmo tornara-se a "coqueluche nacional de 1949" (segundo a revista Radar) e era decisiva sua influência "na predileção do povo" (jornal Diário Carioca). Os maiores sucessos foram: Asa Branca - Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira; Baião de Dois - Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira; Mulher Rendeira – Zé do Norte; Boi Bumbá – Gonzaguinha e Luiz Gonzaga; Baião da Penha - David Nasser e Guio de Morais. A partir da década de 1950, o gênero passou a ser gravado por diversos outros artistas, dentre os quais Marlene, Emilinha Borba, Ivon Curi, Carolina Cardoso de Menezes, Carmem Miranda, Isaura Garcia, Ademilde Fonseca, Dircinha Batista, Jamelão, dentre outros. Se Gonzaga era o "Rei do Baião", Carmélia Alves era tida como a "Rainha", Claudete Soares a "Princesa" e Luiz Vieira o "Príncipe". Após um período de relativo esquecimento, durante a década de 1960 e a seguinte, no final dos anos 70 ressurgiu com Dominguinhos, Zito Borborema, João do Vale, Quinteto Violado, Jorge de Altinho e muitos outros. O ritmo influenciou ainda o tropicalismo de Gilberto Gil e o rock'n roll de outro baiano - Raul Seixas. Este último fundiu os dois ritmos, criando aquilo que chamou de "Baioque".
Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira
Mas, por ande anda o meu baião? Aquela nossa música que andou o mundo inteiro e voltou; saiu falando de seca, voltou falando de amor; decantava o salão de terra batida, o Sertão nunca esquecido. Um amigo de Caruaru me manda esta semana um CD do mestre João Silva com o título “Sertão Puro”. Para quem não conhece, João Silva é um dos maiores compositores brasileiros e para nossa felicidade, dedicado totalmente ao forró tradicional. Foi parceiro de composições com Luiz Gonzaga. No disco, entre outras pérolas lá está uma – “Onde Anda o Meu Baião”. Na extraordinária letra João Silva faz uma indagação: “...Sertão! Que Nordeste é esse?/ Sua a cultura foi para o espaço / Eu quero é forró de 8 baixo / Que a gente se acha e eu me esbagaço”. Uma letra que cabe reflexão.
João Silva
Aqui faço questão de citar o magno Juiz de Direito pombalense Onaldo Queiroga que, em muitos escritos, tem demonstrado uma grande preocupação com a tradição nos deixada por Luiz Gonzaga. Data vênia, precisamos juntos continuar lutando em defesa do baião batido. E indago: O que fizeram com o meu xaxado? Quem está preocupado em manter esta tradição? Os atuais compositores nordestinos esqueceram do baião?. Gente, precisamos defender a cultura nordestina, lutar para que o Poder Público possa garantir intervenções práticas através de políticas públicas para garantir os direitos dos cidadãos de acesso ao protagonismo cultural. Cultura faz parte da essência do nosso povo, no sentido da afirmação de sua identidade e pertinência à sua região, mantendo-se viva na memória as nossas próprias origens.

É possível dizer que não se vive do passado, se vive do presente e do futuro. Porém, para se compreender as transformações pelas quais a cultura de um povo tem passado no decorrer dos tempos, se faz necessário defender as nossas tradições. Não queremos pregar o isolamento cultural, se fechando em guetos. Devemos estar abertos e receptíveis ao novo; conhecer e experimentar as outras culturas como forma de valorizar a diversidade cultural dos povos e como enriquecimento cultural. Conhecendo e defendendo as nossas tradições, poderemos compreender a importância de mantê-las viva na memória, protegê-las e valorizá-las como forma de preservar o que somos, nossas características, nossa identidade.
Baião do Nordeste
A partir dessas considerações, acreditamos que a manutenção do nosso baião como música tradicional nordestina é um tema relevante que pode levantar reflexões e discussões que possam vir a contribuir com o despertar da consciência coletiva sobre a importância das raízes culturais nordestinas para a preservação de nossa história.

*Jornalista, Advogado e Professor. Natal RN.
Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Estamos na segunda semana de janeiro e já sentimos certo atropelo no comportamento e atitudes por parte das nossas autoridades.

Nossa presidente Dilma larga suas férias nas praias da Bahia e retorna às suas atividades forçada por circunstâncias preocupantes.

O sudeste, principalmente o Rio de Janeiro e Minas Gerais, encontra-se mergulhado nas enchentes desde o inicio do ano com várias cidades em estado de emergência, mortes, soterramentos, desabrigados, uma verdadeira calamidade pública agravada por circunstancias políticas. No sul temos a seca que já trouxe um prejuízo aos agricultores superior a 1 bi, principalmente no Estado de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Com o agravamento da situação veio à tona uma questão nada palatável, no ministério da Integração Nacional, para o gosto da opinião pública, quando há um questionamento em discussão quando a competência gerencial do ministro Fernando Bezerra, titular da pasta.

A crise gerada com a concentração de recursos, do Ministério da integração Nacional, para o Estado de Pernambuco, em detrimento aos demais Estados da Federação, funcionou como uma verdadeira bomba dentro da base aliada, a correria foi grande na tentativa de amenizar a crise no próprio governo.

O desenrolar do assunto foi se agravando, tomando um rumo incerto, com novos fatos sendo revelados, como a prática do fisiologismo e irregularidades na gestão do ministro quando prefeito da cidade de Petrolina, Pernambuco, sua base eleitoral.

Depois de muitas informações levantadas pela imprensa nacional, declarações e desmentidos, a oposição forçou a situação e conseguiu que o presidente do senado, senador José Sarney, convocasse o ministro para esclarecimentos sobre as denúncias de favorecimentos à frente da pasta, à comissão representativa do Congresso.

Depois de 5 horas de perguntas e respostas, mais uma longa lista de declarações de apoio ao ministro, inquirido, por parte da base aliada, poucos representantes da oposição puderam se inscrever. A sensação que ficou foi de uma sessão programada para que o partido do ministro, o PSB, cujo presidente é o atual governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos, pudesse se justificar junto ao governo e continuasse prestigiado pela Presidente Dilma.

Confesso que não pude ver toda sessão, gravei e procurei assistir os principais depoimentos, pude verificar a mediocridade do nosso atual Congresso, com congressistas despreparados para ocupação dos cargos tão disputados, acho até que nós eleitores precisamos reciclar e rever nosso conceito na hora de votarmos, nosso país tem pessoas eficientes sérias e dispostas à trabalhar pelo nosso povo valorizando a classe política tão maculada nos últimos tempos.

Ontem o grande alento foi a assinatura do convênio entre o Governo Federal, representado pela Presidente Dilma, e o governado de São Paulo, Geraldo Alckmin, para construção de casas populares, do programa minha casa minha vida, cujo montante chega quase a 8 bi, seno 6 bi do Governo Federal, e a contra partido do Estado de São Paulo em 1.9 bi.

Esse tipo de atitude entre a situação e oposição nos dar uma visão mais otimista para o futuro, onde a paixão política é colocada de lado e todos, situação e oposição, trabalham em benéfico do povo. Exemplo a ser seguido pelas bases, a começar pelos municípios quando a disputa é mais acirrada.

Genival Torres Dantas
*Empresário e Escritor. Navegantes SC.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

Duas datas foram oficializadas por Lei na Paraíba no apagar das luzes do ano de 2011. Uma de autoria do deputado Tião Gomes, pombalense, portanto nosso conterrâneo, que trata de instituir o dia 04 de setembro como o Dia Estadual da Música Brega na Paraíba, em homenagem ao dia do falecimento do cantor e compositor Eurípedes Waldick Soriano, o Rei do Brega, Decreto Legislativo, sancionado pelo Governador Ricardo Vieira Coutinho, como Lei sob o n° 9.619 de 27 de dezembro de 2011, Publicada na página 2 do DOE de 28.12.2011.

A outra data, de autoria do Deputado Janduhy Carneiro, também pombalense, diz respeito à inclusão oficial da Tradicional Festa do Rosário de Pombal, no Calendário Oficial de Eventos do Estado da Paraíba. Embora tarde, mas não deixa de ser relevante esse gesto de Janduhy em seu primeiro mandato, já que pombalenses anteriores que tiveram a subida honra de assumir cadeiras no Parlamento paraibano, não tiveram a ideia de tal iniciativa.

Decreto do Poder Legislativo, sancionado pelo Governador Ricardo Vieira Coutinho, como Lei sob o n° 9.514 de 14 de novembro de 2011. Incluindo então no Calendário Oficial de Eventos do Estado da Paraíba a Festa do Rosário da Cidade de Pombal. Publicação na página 3 do DOE de 15.11.2011.

FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL X MÚSICA BREGA

A música brega desde os tempos de minha infância e adolescência idos de 58,60, e até meados dos anos 90 do século passado era marca registrada nas nossas Festas do Rosário, através da PR-Maia, Radio Amplificador ponto 3, pertencente ao Parque de Diversões Maia, o inimigo número 1 da tristeza, como dizia seu Luiz, locutor da difusora.

O pequeno STUDIO DE SOM decorado com capas de Lps, no formato de 12 polegadas dos seguintes cantores: Waldick Soriano, Orlando Dias, Silvinho, Bienvenido Granda, Ataulfo Alves, e, até mesmo Jackson do Pandeiro, que eram os sucessos daquele bom tempo. Dois amplificadores de SOM e um toca discos, todos da melhor qualidade, transmitiam alegria e animavam a festa com os sucessos do momento de então..

Nos idos de 1963, o Parque de Diversões Maia era formado por um carrossel de cavalinhos, um chapéu mexicano, quatro canoas, duas rodas Gigantes, uma grande e a outra menor. Na parte onde ficava o eixo central de cada roda gigante, era instalado um projetor de SOM (corneta) 20 polegadas, direcionados para a Rua Nova, reproduzindo um áudio bonito e agradável para a ocasião em que só existia som monofônico.

As proposituras apresentadas por esses dois ilustres deputados pombalenses faz com que voltemos ao passado e traz a nossa memória como era realizada a Festa do Rosário naquela época fazendo uma junção de equilíbrio do útil ao agradável.

A nossa musica brega agora tem o seu dia oficial na Paraíba, (04 de setembro) data da morte do cantor e compositor baiano Waldick Soriano, essa figura exponencial, que a cada festa do Rosário de Pombal, tinha sempre um sucesso a mais, sobressaindo-se de maneira destacável entre outros sucessos de intérpretes do gênero brega.
Nos dias atuais a música brega perdeu seu espaço no perímetro onde se dar a Festa do Rosário, para dar lugar a gêneros de músicas alucinantes que apaga por completo as lembranças do romantismo e os bilhetinhos apaixonados que eram divulgados na difusora do Parque Maia. Entretanto, a música brega ainda se faz presente nesses festejos, no último sábado de setembro, oito dias antes do encerramento da festa, no Pombal Ideal Clube com a realização da “REJEITADA”, que a cada ano aumenta mais o número de participantes prestigiando os intérpretes da música do povão.

Parabéns ao Dia Estadual do Brega na Paraíba e parabéns a Festa do Rosário de Pombal inserida oficialmente no calendário de Eventos do nosso Estado.

Pombal, 11 de janeiro de 2012.

*RADIALISTA, BLOGUEIRO, COLUNISTA

10 Anos

DEZ ANOS DE BLOG Clemildo Brunet* Para brindar tão glorioso acontecimento, ele acontece juntamente com os duzentos e nove anos de imprensa em nosso país, justamente na semana que intercala as duas datas importantes para os nossos meios de comunicação: 1 de junho – Dia da Imprensa Nacional Brasileira e 7 de Junho Dia da Liberdade de Expressão.

Postagem Destaque

UM HOMEM DAS LETRAS

Nonato Nunes Por Nonato Nunes*  O livro "Memoriais & Legados", do radialista e escritor pombalense Clemildo Brunet de...

Quem sou eu

Minha foto
CLEMILDO BRUNET DE SÁ – Iniciou sua carreira radiofônica em 1961 nas antigas difusoras de Pombal. Em 1966 montou sua própria emissora “A VOZ DA CIDADE”, que teve o seu destaque na formação de muitos profissionais que atuam hoje nos veículos de comunicações como: Rádios, Jornais, TVs e Portais da Web. Em 1968 instalou o serviço de Alto Falantes “LORD AMPLIFICADOR”. Atuou no rádio como: Locutor, redator, comentarista, repórter e noticiarista. Foi correspondente durante dez anos do Jornal Estadual da Rádio Tabajara da Paraíba entre 1980/1990. Ex-diretor comercial das Rádios Maringá AM e Liberdade 96 FM de Pombal. Passando ainda pela Opção 104 FM de Pombal e Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras exercendo nesta última, suas atividades jornalísticas nos Programas, Rádio Vivo e Trem das Onze. Foi agraciado com a mais alta honraria da Assembléia Legislativa da Paraíba “A Medalha Epitácio Pessoa”, no dia 10 de junho de 2010. Aposentado, atualmente vem divulgando temáticas sobre o rádio, a cultura e a história de Pombal, em seu Portal CLEMILDO, COMUNICAÇÃO & RÁDIO. Sigam-me no Twitter: http://twitter.com/clemildobrunet

Arquivos do Blog

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.
CLEMILDO E SALES DANTAS EXIBINDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007".

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.
ELIEZER GOMES OFERECE LAUTO ALMOÇO AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET E AO CRONISTA ESPORTIVO JOSÉ CARLOS ARAÚJO.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
OS RADIALISTAS DA TERRA DE MARINGÁ QUE FORMAM A GRANDE COMISSÃO DA FESTA.

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
CERIMONIAL: ADELTON ALVES, LADEADO PELAS PROFESSORAS: DIANA E SONIA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
A GRANDE COMISSÃO COMPOSTA PELOS RADIALISTAS DE POMBAL.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ENTREGA DO CERTIFICADO "PARCEIRO AMIGO DA IMPRENSA" AO REPRESENTANTE DA CASA BORBOREMA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
ALDO NUNES DO SEBRAE RECEBE DAS MÃOS DE CLEMILDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO EM SEU DISCURSO AGRADECEU AS HOMENAGENS A ELE TRIBUTADAS.

AGRADECIMENTO

Meu querido Clemildo Brunet

Tomei conhecimento por intermédio de minha mãe, Dona Zélia que o nobre Jornalista tinha feito uma homenagem ao meu querido e inesquecível Pai, Cirurgião Dentista e Historiador Wilson Nóbrega Seixas, em seu Blog, de pronto como seu filho mais velho estou lhe enviando esse E-mail agradecendo em nome de minha família as atenções.

Do conterrâneo e amigo,

Antonio Chateaubriand Carneiro Arnaud Seixas

CONGRATULAÇÕES

Clemildo amigo,

Gostei de suas palavras sobre o nosso conterrâneo Paulo Abrantes. Você, como sempre, valorizando os filhos da terra. Abraços para você e para o homenageado.
Carneiro Arnaud

PASTOR CLODOALDO

Querido Clemildo
Agradeço a Deus a oportunidade que me concedeu de conhecer pessoalmente o meu primo Pr Clodoaldo. Os que confiam no Senhor são como águias, renovam-se e revigoram as forças. São ditosos e, asseguram-nos as escrituras, frutuosos todo tempo. As bênçãos de Deus se revelam na longevidade e a misericórdia Dele proporciona-nos ver os filhos dos filhos. No caso aqui , poderei dizer , primo dos primos. Tive o privilégio de conhecer, pessoalmente, o Pr Clodoaldo na ocasião das comemorações do centenário de nascimento do meu saudoso e amado Pai ( Flavio Brunet) . Como foi gratificante para mim, encontrar o Pr Clodoaldo , pois eu só ouvia falar dele. Não me lembro se o conheci quando ele era criança, mas tenho certeza que nunca nos havíamos encontrado. Depois que ele dedicou sua vida ao Ministério, encontrá-lo, como servo de Deus, foi como um refrigério a minha alma.
Lendo seu relato, vi como o Nosso Deus é Misericordioso com aqueles que obedecem a Sua Palavra. Posso imaginar como foi a vida desse homem de Deus que entregou sua vida para proclamação do Evangelho. Sei perfeitamente o quanto é difícil para um missionário iniciar um trabalho!! Mas sei, também, o quanto é agradável fazer a obra de Deus. As dificuldades se sobrepujam ao regozijo das nossas almas. Parabéns, Pr Clodoaldo, por mais um ano de vida dedicado ao serviço do Nosso Senhor Jesus Cristo, levando mensagem de Salvação. Parabéns Clemildo, pelo dom que Deus lhe deu. Você sabe, como ninguém, homenagear as pessoas que lhe são queridas. Um grande Abraço Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

PARABÉNS PELO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FlÀVIO BRUNET DE SÁ

Caro Clemildo,
Moro em São Luís, Ma, e já estive na Paraíba , terra querida do meu pai, que aí nasceu e morou até os dezoito anos, em Catolé do Rocha.Veio muito cedo para o Maranhão e aqui se estabeleceu. Faleceu em 1979, com 68 anos. Ele falava com saudades da sua terra e me fez gostar dela. Por isso, eu amo a Paraíba .
Associo-me às homenagens prestadas in memoriam, ao seu Flávio Brunet que não conheci pessoalmente, mas que admiro e respeito pelos seus feitos em prol da família, da igreja e da comunidade. Aprendi a admirá-lo também pelo amor a ele dedicado pela sua filha Rose Mary,
Parabéns pelas festas do centenário de nascimento desse ilustre paraibano que sem alarde , deixou um legado que se perpetuou nas novas gerações de filhos, netos , sobrinhos e amigos. Ao lado de D. Eunice, de saudosa memória,soube construir um patrimônio irretocável de amor, generosidade, e , sobretudo, de um testemunho de vida que o tempo não vai conseguir apagar.
E a você, de modo especial, toda a minha admiração pelo blog que destaca de forma brilhante essa comemoração. Que ela sirva de inspiração a todos quantos busquem como paradigma aqui na terra, um homem valoroso, trabalhador e temente a Deus. Seu Flávio aqui viveu de modo digno, desempenhando a contento a obra que lhe foi confiada por Deus
Com estima,
Dina Barreto da Silva

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO EMPRESÁRIO GENIVAL TORRES DANTAS EX-INTEGRANTE DO LORD AMPLIFICADOR NA DÉCADA DE 70.

AUSÊNCIA JUSTIFICADA!

Bom dia Clemildo!
Conseguir entrar no seu blog e vir todas as homenagens dedicadas a seu Flávio, mais do que merecido como todos nós sabemos.
Não podemos marcar presença, pois Júlio estava com problema alergico e tive medo de viajar.
Parabéns pelo seu maravilhoso trabalho.
Obrigado
JÚLIO E SÔNIA BRUNET

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O DESEMBARGADOR RAPHAEL CARNEIRO ARNAUD EM SEU DISCURSO REFERIU-SE AOS RELEVANTES SERVIÇOS PRESTADOS POR CLEMILDO A COMUNICAÇÃO PARAIBANA.

PARABÉNS, PELO BLOG

Elias Medeiros
Estimado Clemildo. Acessei seu blog. Parabéns. Encontramos poucos blogs hoje em dia como o seu. Um blog sério que promove valores (espirituais, familiares, amizades, etc) que muitos blogeiros esqueceram de ressaltar. Parabéns, portanto, pelo blog muito informativo e formativo. Elias e Fokjelina Medeiros

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.
CLEMILDO CUMPRIMENTA A MADRINHA DOS RADIALISTAS COM UM BEIJO.

COMENTÁRIO: O CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ.

Rivanilda Ramalho de Sá comentou sobre a sua postagem no blog



...tudo que ele faz será bem sucedido. Salmo 1.3 Assim é as coisas que você promove. Foi um evento perfeito organizacionalmente e emocionalmente... Uniu gerações da família...Agradável aos olhos de Deus. Parabéns!

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ACADEMIA DE LETRAS DE POMBAL ENTREGA CERTIFICADO HOMENAGEANDO OS RADIALISTAS DE POMBAL.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O JORNALISTA JOÃO COSTA EM SEU DISCURSO ENALTECEU AS QUALIDADES DO HOMENAGEADO!

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
DONA CESSA MADRINHA DOS RADILISTAS ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET.

NOVO CONTADOR DE VISITA INICIADO EM 27/06/12









SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU ESTA PLACA CARACTERIZANDO O RECONHECIMENTO DA CÂMARA DE VEREADORES!

JOÃO LEITE FILHO CUMPRIMENTANDO O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET NO MOMENTO DA ENTREGA DA COMENDA.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU MAIS ESTA COMENDA DAS MÃOS DO PRESIDENTE DA CASA.

MEU PRIMO GOSTARIA QUE VOCÊ POSTASSE A NOSSA GRATIDÃO PELA ORGANIZAÇÃO DA FESTA.

Pensava eu, em prestar uma homenagem ao meu pai, primeiramente agradecendo a Deus o que ele representou para sua família enquanto viveu. Depois queria que a meus filhos e convidados soubessem um pouco mais da vida desse grande homem. Abro aqui um parêntese para dizer, que vivemos no mundo de hoje em que honestidade é sinônimo de desvantagem. As pessoas só querem tirar vantagens uns dos outros sem se importarem do verdadeiro sentido da Vida. O ter é mais importante do que o SER. Sempre vi meu pai, pensando nos outros, nutria suas amizades com aqueles que gostavam não por aqueles que tinham maiores condições de vida. Sempre teve amigos verdadeiros. Voltando agora, dos meus pensamentos sobre meu querido e saudoso pai. Não poderia fazer o que pretendia sem ajuda desse importante comunicador. Clemildo fez o link do meu passado com o presente. Muito Obrigada, dileto primo!!!

Rose.

EMOCIONADA AO VER FAMÍLIA REUNIDA

Fiquei muito emocionada ao ver a família reunida. Agradeci a Deus por estar presente primeiro porque sei o quanto a minha avó Eunice ficaria feliz se viva estivesse; segundo porque considerei um milagre o meu chefe me liberar para viajar, já que havia muito trabalho no gabinete e me surpreendi quando ouvi ele dizer que considerava importante a minha presença no evento.
Não poderia imaginar uma homenagem mais bonita para o meu avô. Agradeço a todos que compareceram, principalmente, ao Pastor Clodoaldo, por ter sido um instrumento de Deus para trazer a mensagem, ao Dr. Clemildo pela organização de reunir todas as informações sobre o ”seu Flavio", aos meus tios Rose e Eli pela iniciativa, amo vocês.
Miriam Brunet

CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ!

Obrigada Clemildo pelo relato das nossas homenagens ao nosso Pai Flavio Brunet de Sá. Agradecemos a Deus, o que papai representou para nós, em vida. Comemoramos os 100 anos de nascimento dele. Esse exemplo de vida merecia ser lembrado até para as pessoas que não tiveram o privilégio de conhecê-lo. Fiquei muito feliz com o que aconteceu naquela noite. Agradeço de coração a todos que compareceram e, de uma forma ou de outra contribuíram para uma noite tão agradável. Uma noite de pura emoção!!! Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DOUTOR ATÊNCIO, MEU MÉDICO!

Gostei de ler o brilhante relato sobre a vida do Dr. Atencio. Ele foi o meu médico, nos primeiros meses de meu nascimento. Sempre ouvi a Mamãe e minha babá Raquelzinha falar sobre o Dr Atencio, da sua dedicação como médico. No ano de 2001, encontrei com a D. Cacilda em João Pessoa. Ela me reconhecendo como filha de Flavio Brunet de Sá e Eunice Ramalho Brunet foi logo me falando: “meu marido foi o seu médico". Eu disse que sempre tinha isso na minha lembrança que o Dr Atencio além de ser o meu médico era amigo da nossa família. Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DE ROSE MARY RAMALHO BRUNET MEDEIROS, PARA CLEMILDO BRUNET

• Rose Medeiros
Meu primo querido!!! Não tenho palavras para lhe agradecer o seu empenho de organizar e concretizar o meu sonho!!! Fiquei muito gratificada em poder fazer a homenagem para o papai . Ele ainda vive nos nossos corações!!!A fazenda Cajazeiras é tudo que podemos ter para que essa lembrança seja materializada. Fiquei recompensada com as palavras que ouvi ontem sobre o meu pai. Foi tudo o que pensei e idealizei, e isso não seria possivel sem a sua ajuda. Com todo meu carinho sua prima Rose Medeiros
01 DE AGOSTO: HOMENAGEM A CLEMILDO PELO TRANSCURSO DE SEU ANVERSÁRIO!

Deus está sempre contigo
Ele renova o teu coração
Unge os teus pensamentos
Sempre a vida com gratidão

Dar-te força e Coragem
E faz viver com emoção

A vida é sempre bela
Mesmo que haja provação
A Mão de Deus torna singela

Dar a ti felicidade
E a Saúde para viver

Cada momento de tua vida
O amor de Deus te faz sentir
Reinar em ti toda hora
Altivez está em ti
Com o teu dom a disputar
A estrela sempre a brilhar
Os teus anos vem florir

Maria de Lourdes P. de Almeida Araújo

COMENTÁRIO DE WJ.SOLHA

Beleza, meu caro. Alcancei o tempo do Cine Lux ainda de Affonso Mouta, com salas sempre cheias, ainda vejo na memória, o infalível padre Andrade a chegar mancando, vejo uma área reservada a prostitutas, vejo a infalível mãe de Eneida, esposa do colega do BB, Ramiroo, . a bilheteria na curva da esquina. Infelizmente posso dizer que seu Affonso, que mantinha um padrão alto de filmes que projetava, morreu em meu lugar. Ione, minha mulher, estava em Fortaleza, com um problema de saúde e pedi à Brasil Oiticica que, se fosse possível, me desse uma vaga em seu avião que ia semanalmente para lá. Tudo certo, mas, quando chegou o dia, recebi a ligação dizendo que, infelizmente, teriam de levar um motor que precisaria de reparos urgentes, só possíveis no Ceará. Era uma mentira gentil: tinham cedido o lugar a mim prometido para seu Affonso. Que foi tomar o avião e foi sugado pela hélice, que lhe abriu o abdôme. No Cine Lux sofri muito vendo os copiões de O Salário da Morte, um dos rolos completamente desfocado, pelo que tivemos de refilmar tudo de novo.
Quanto ao cinema de Patos, eu me lembro dele com o nome de Eldorado. Indelével porque o cine Eldorado, em Sorocaba, de onde eu viera, era o único cinema que eu jamais frequentara.
Boas lembranças. Bom texto, meu caro.

COMENTÁRIO: DIA DO PROFESSOR.

Prezado Clemildo,

Parabenizo o ilustre colunista, pelo brilhante artigo sobre a origem da data comemorativa 15 de outubro "DIA DO PROFESSOR", acredito que um grande número de colegas nossos, não conhecem o motivo pelo qual comemora-se nesta data. Fico honrado e agradecido (enquanto profissional) pelo encorajamento, incentivo e prestígio que o colunista faz ver ao leitor sobre esse profissional,... Que infelizmente não é reconhecido pelos nossos governantes. Uma prova da falta desse reconhecimento está no embate jurídico sobre o reconhecimento e pagamento do PISO SALARIAL.

Muito obrigado Clemildo, por lembrar dessa figura tão importante na formação dos demais profissionais. O PROFESSOR.

Curimatá(PI), 13 de outubro de 2012

Francisco De Assis Soares

FELICITAÇÔES

Caro amigo Clemildo, você me surpreendeu com o seu encantador artigo que molda parte da minha vida e de meus amigos em Pombal. A sua inteligência lhe acompanha pelos mais recônditos lugares de sua alma. Parabéns meu amigo, não merecia tanto, valeu para relembrar esses bons momentos relatados. Abraço do amigo Paulo Abrantes.

RIACHO DE PRATA: TERCEIRA OBRA LITERÁRIA DE PAULO ABRANTES!

Dr Paulo foi um imenso prazer conhecê-lo pessoalmente e poder ouvi-lo dia 30.09.11 na ocasião da inauguração da Biblioteca da Câmara Municipal de Pombal que leva o nome de nossa Mãe Maria do Bom Sucesso Lacerda Fernandes; com voz mansa e doce, falou com sua simplicidade sobre o evento que estava acontecendo e apresentou sua nova obra a qual fui premiado por vós e que vou lê-lo com muito apreço e depois comentar aqui mesmo neste blog.
Queria agradecê-lo em primeiro lugar, em meu nome e da minha família pela sua presença ao evento e pelo livro a mim presenteado, saiba que a sua amizade com meus pais é sincera e pura como o sentimento de uma criança, há fidelidade mútua e o amor fraternal vos une, extensivamente agora comigo e os meus. Sucesso com esta mais nova obra literária.GRAÇA E PAZ, AMÉM.
JUNIOR BOM SUCESSO
PATOS PB, 01.10.2011.

MARINGÁ: ...FICOU SENDO A RETIRANTE QUE MAIS DAVA O QUE FALÁ...

Meu caro Clemildo:
Histórias sobre Maringá sempre povoaram o imaginário de toda gente de Pombal ao longo do tempo, alimentando o desejo de desvendar essa história. No caso presente, Jerdivan Nóbrega, meu escritor predileto, traz á tona êste palpitante tema, no seu encantador romance, "A Saga da Cabocla Maringá", apresentando como nunca vi igual, uma idéia literária que empolga e gera tanta expectativa no seio da sociedade pombalense. Porquê popularmente a Maria do Ingá ,ou seja, "Maringá", é um hino de amor, é uma canção de louvor a nossa terra, é um idílio que não gostaríamos que tivesse sido interrompido, é afinal uma história, um desfecho que tinha de ser contado, e Jerdivan fez e fez muito bem. Clemildo você está como Jerdivan, cada vez melhor, acertando no alvo que o povo de nossa terra quer saber.
"A Saga da Cabocla Maringá", de Jerdivan Nóbrega de Araújo, é uma obra muito interessante, cuja magia está no enredo e na simplicidade de linguagem utilizada pelo autor em todos os momentos. È um livro que deve ser lido por todos. Parabéns a ambos.
Paulo Abrantes é engenheiro civil e escritor pombalense.

Olá Clemildo Brunet. Bom dia!
Beleza mesmo. Isso precisa ser acessado por todos os pombalenses. É cultura.
José Haroldo.

Caro amigo Clemildo:
Como é bom constatar o carinho que vocês têm por Pombal. Faz bem para a gente e serve de exemplo. Certamente "A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ" terá grande aceitação e já que o autor é seu amigo torço pelo sucesso dele.
Um abraço bem grande Clemildo.
Ubiratan. Curitiba PR.

CARÍSSIMO CLEMILDO.
Confesso, gostei imensamente do seu comentário sobre “A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ”, o mais recente livro do conceituado escritor pombalense Jerdivan Nóbrega.
A partir do título bastante sugestivo e oportuno você foi muito feliz na peça discursiva. Admiro seu elevado discernimento e a facilidade com que discorre o conteúdo da obra direcionando seus aspectos para os diversos lados.
Seu comentário é, portanto, uma sinopse da obra que por si só já nasceu grande, graças ao reconhecido talento literário do seu autor, do qual sou admirador.
Se hoje a Lenda de Maringá passou da canção para o livro, quem sabe amanhã seja encenada e exibida por esse Brasil afora. Seria a perpetuação de uma história que nasceu para sempre.
Enfim, este é o comentário que gostaria de ter feito.
Parabéns com louvores.
Prof. Francisco Vieira.

POMBAL, SEMPRE POMBAL
Caro Amigo e Conterrâneo,
Clemildo Brunet.
Essa história da cabocla Maringá se arrasta por muito tempo. Eu era criança pequena nos arredores de Pombal e ouvia falar de histórias e estórias da retirante. Quando surgiu a música, ela mexia com a sensibilidade de muitos idosos daquela época. Homens e mulheres se manifestavam: "como é 'penosa' essa história"!
Mas ninguém se propunha a desvendar o mistério que até hoje permanece rondando por essas cercanias. O nosso grande Ruy Carneiro, talvez tenha mantido um amor proibido. Proibido, dada a diferença de classe. Ele não foi o primeiro a frustrar-se em ocasiões tais.
Conta-se, por aí, que dois irmãos originários de classe média, conheceram duas irmãs de classe menos favorecida e mantiveram um amor proibido, até que chegou ao conhecimento do público. A mãe dos rapazes lhes pediu que não casassem com aquelas moças porque não faziam futuro nenhum. Eles a obedeceram, mas na seguinte condição: Um não poria mais os pés no chão de Pombal; o outro, resolveu abraçar a vida celibatária.O caritó, para as mulheres. Assim fizeram.
Quando ela, a mamãe, adoeceu eles vierem visitá-la. Um pediu que o levassem nos braços, porque não pisaria mais nessa terra, pois assim jurara. Assim cumpriu o seu pretexto. O outro,cumpriu o propósito de não mais se casar, foi servir na Polícia Militar do Estado do Parahyba,lutou na "Revolução de Princesa", obteve uma carreira bem sucedida, no Quadro de Oficiais. E, na reserva, chegou a ser Prefeito de Pombal. E muito trabalhou pelo Município. Fez o Distrito de Paulista tomar um impulso nunca visto.
Agora, advinhe quem foram eles...
Cansei de ouvir contar essa história, quando ainda menino de calças curtas.
Forte Abraço - JOSÉ SANTOS DINIZ

Prezado amigo Clemildo Brunet:
Fiquei feliz em reencontrar você em plena movimentação cultural, escrevendo sobre a "Cabocla Maringá", um blogueiro de primeira categoria. Quero dizer a você que o site do "Caldeirão Político" www.portalcaldeiraopolitico.net está aqui as suas ordens.
Você já leu o seu artigo "DA CANÇÃO PARA O LIVRO - A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ", já inserido no nosso site? Quero continuar transcrevendo os seus artigos. Pode encaminhá-los. Como também outras notícias de Pombal.
CHICO CARDOSO

Olá meu amigo!
Essa história da existencia em corpo e alma da cabocla Maringá, bem como a sua presença nas terras de Pombal, deixou-me encafifado por muito tempo. Busquei vesitigios da sua presença onde pudesse encontra-lo, Li a obra de Jose Gregorio que narra os principais acontecimentos de Pombal, exato no tempo que possivelmente a Cabocla poderia estar entre nós. Nada, nenhuma referencia àquela fascinante mulher. Conversei a exaustão com a minha Mãe, por sinal da mesma idade de Ruy. Amigos de infancia e adolescencia, estudaram juntos, por isso firmaram uma amizade que terminou com a morte de ambos. Minha Mãe dizia que esta mulher jamais existiu em Pombal. Em sendo Maringá dotada de uma beleza singular, com certeza a sua presença no lugar teria chamado atenção das moças da época. A única paixão de Ruy em Pombal, foi uma prima de minha Mãe cujo nome era Ana Dantas de Alencar ou Nina, na intimidade da familia. Afora essa moça, não há registro de que Ruy tenha namorado outra moça.com os supostos dotes fisicos de Maringá. Em resumo, Maringá nasceu no rio de Janeiro, Não tem Mãé, só tem pai cujo nome é Joubert de Carvalho. O resto é lenda e nada mais. Jerdivan, na construção da sua obra, sabiamente manteve essa questão fora da trama, com certeza para evitar questionamentos infrutiferos que podem desviar atenção da riqueza criativa e essencia do seu livro. Abraços Ignacio Tavares

COMENTÁRIOS SOBRE O LIVRO "RIACHO DE PRATA"

Distinto amigo Paulo Abrantes.
Li Riacho de Prata.Sua literatura é empolgante, sobretudo percebo tratar-se também, de um excepcional DOCUMENTÁRIO HISTÓRICO sobre a sua terra natal - POMBAL, em detalhes de um colorido fantástico, num reflexo de sentimento familiar, social, tudo ornamentado por um paisagismo impressionante. Sinto-me diante duma leitura amena, que conforta a alma e o espírito, trazendo ao leitor mavioso recreio, que, neste vendaval turbulento que ora vivemos, é a meu ver, um caleidoscópio oriental dos velhos tempos que se foram, revestidos de humanidade e ternura, valores que não já não vemos mais, tão frequentemente.
Do companheiro-alado, velejando no mundo da nossa internet.
MILTON ALVES
Auditor da Receita Federal.

Prezado Paulo Abrantes,
Venho agradecer pelo envio do livro "Riacho de Prata - Crônicas & Contos", de sua autoria.
Parabéns pela idéia de homenagear a sua terra natal, Pombal, incluindo além de seus próprios textos, os de outros conterrâneos.
Cumprimento-lhe ainda por proporcionar aos leitores essa "viagem" que remonta às origens e revivem na memória lembranças de momentos inesquecíveis, em sua vida, e certamente na de muitos pombalenses.
Atenciosamente,
Roberto CavalcanteCorreio da Paraiba

Como foi bom ler seu livro, Paulo Abrantes! Foi como se visitasse Pombal, mas não agora, e sim à época em que vivi lá, de 63 a 70! Quanta gente daquele tempo me veio à memória! Quanto riacho revivi, no seu texto gostoso, "em desabalada correnteza, ecoando um estalar de troncos e ramos partidos"!
Como foi bom saber que Nena Queiroga, que me encantou tanto com sua tranquila elegância, seus livros e suas viagens à Europa, também encantou você. Não sabia que ela ensinava religião!
E como foi gostoso ler o que você escreveu sobre a Rua Estreita, onde vivi a primeira cena do filme O Salário da Morte, na qual enchi a velha porta da farmácia do Epitácio com cinco buracos do que deveriam ser balas de festim!
Mas bom, mesmo, é o texto que v. produziu sobre A Rua Estreita, um desfile de personagens fabulosos, como seu Zé de Duca e a quebra de resguardo da mulher por conta de um lobisomem; como seu Hormídio puxando a gaveta para dela tirar o catálogo homeopático, com que curaria a pobre senhora; com o transe do espírita Generino, com a pregação de Pedro Marcelino!
Sucesso pra você e seu livro, meu caro!
W.J.Solha.

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO PIANCÓ: QUEM VAI CUIDAR DO NOSSO RIO?

Meu caro Clemildo, Pombal tem essa felicidade de ter filhos como você, filho que relata e traz guardado no peito uma história que agrada e reacende as lembranças de nosso tempo de banhos neste rio abençoado de tantas gerações. Obrigado pelas referências, este texto escrevi em momento de inspiração e de saudade. Um abraço fraternal, Paulo Abrantes

COMENTÁRIO SOBRE A POSTAGEM "Dr. Avelino, o médico: Uma das maiores lideranças Políticas de Pombal

Clemildo amigo,
Inicialmente os agradecimentos pela parte que me coube como médico filho de Pombal. Em seguida, parabéns pela homenagem feita ao Dr. Avelino. Abraços Carneiro Arnaud

Amigo Clemildo.
Além de brilhante, sua ideia foi por demais oportuna em homenagear a classe médica na pessoa do saudoso Dr. Avelino Elias de Queiroga.
Homenageando o inesquecível "Bolinha", você está resgatando com muita justiça um dos maiores expoentes de nossa história. Sua contribuição foi imensurável para com a nossa terra, não apenas como médico e político, mais sobretudo, como amigo, qualidades que lhe constituíram como um dos maiores líderes populares de Pombal e região.
Parabéns.
Abraços: Prof. Francisco Vieira.

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

FOTO DO ENCONTRO

FOTO DO ENCONTRO
EU E ROBSON PIRES

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.
Visita de Clemildo a Rádio Rural 95 FM em Caicó. Na foto com Clemildo os comunicadores Ronyson Nery e Yanny Danniely.
Tecnologia do Blogger.

CLEMILDO FAZ VISITA DE CORTESIA A COLEGA DE PROFISSÃO EM CAICÓ RN.

Nesta quarta feira dia (02), estive na Rádio Rural de Caicó, ocasião em que visitei o colega Robson Pires (pombalense), que apresenta o Grande Jornal Rural da emissora; fiz-lhe o convite para prestigiar a solenidade da entrega da Medalha Epitácio Pessoa. "Conheci o Robson menino nas ruas de Pombal, ele tinha o apelido de Pelé e eu costumava dizer é o único Pelé branco. Hoje em Caicó ele é temido por suas reportagens e conhecido como o Xerife do Rio Grande do Norte"

POMBALENSE ASSISTE PELA TV ASSEMBLÉIA, SESSÃO ESPECIAL DA MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Prezado Clemildo:
Impossibilitado de comparecer à Assembléia Legislativa para prestigiar o Ilustre conterrâneo no ato de recebimento da merecida Comenda, quando todos que o conhece, ficamos felicíssimos, venho, embora tardiamente, mas, nunca é tarde para recolher o seu grande valor, como profissional, como ser humano.
Submeti-me a uma cirurgia oftalmológica, mas fiz questão de ligar para o colega que me operou para que liberasse e fui liberado para assistir pela TV Assembléia, a tão honrosa Sessão Especial, ao lado de meu querido pai, aposentado dos Correios e Telégrafos, que com muito orgulho também prestigiou o filho do saudoso Seu Napoleão grande amigo dele.
Como médico orgulha-me de ser pombalense e de ter presenciado boa parte da sua crescente trajetória profissional no rádio.
PARABENS CLEMILDO BRUNET. DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO.
MANOEL ANGELO FILHO

AGRADECIMENTO!

Caro amigo Clemildo:
Agradeço sensibilizado pelos cumprimentos enviados na passagem do meu aniversário.
O tempo passa depressa e a gente nem sente. Eu sou muito grato a Deus pela longa vida que me deu, pela família com que me brindou e pelos amigos com os quais fui presenteado e entre os quais você se destaca.
Muito obrigado pela carinhosa homenagem, desejo a você e seus familiares um Feliz Natal e de um Ano Novo de muitas alegrias com as bênçãos de Deus.
Um grande abraço.
Ubiratan.

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL DE FIM DE ANO

CONDOLÊNCIAS

A passagem para o Oriente Eterno do Irmão Francisco Fernandes da Silva, conhecido por Bibia, esposo de Dona Cessa poetisa pombalense falecida a um ano, foi uma grande perca para a Maçonaria brasileira e para a nossa Pombal. Aos seus Familiares manifetamos sentimentos de pêsames rogando ao GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO que os iluminem e guarde para sempre. Alberto Salgado Bandeira e Fátima Bandeira

Caro amigo Clemildo!

Ao ler no seu conceituado Blog a noticia da morte do amigo Bibia, confesso que fiquei confuso por algum instante. Logo Bibia? Perguntei-me. É isso mesmo, ninguém pode fugir dos ataques traiçoeiros da maldita morte. Sem querer desmerecer os demais amigos e amigas, aqui em Pombal, dois casais de amigos faziam a diferença para mim: refiro-me ao compadre Belino e comadre Lili, ambos de saudosa memória e a Bibia e Cessa. Quantas e quantas vezes a gente se reunia lá na casa do alto para jogarmos conversa fora! Depois do falecimento de Belino e Lili, restaram-me Cessa e Bibia. E agora? Ora, só me resta preservar na memória os bons momentos de convivência harmoniosa que mantivemos por dezenas de anos. Bibia, peço ao Senhor Jesus que lhe dê a paz e a felicidade que você sempre desejou em vida. Ademais, tenho certeza de que o seu encontro com a sua amada Cessa será comemorado com grande festa patrocinada por todos os amigos que estão na eternidade. Aos filhos e netos desse belo casal que Deus reclamou, desejo-lhes muita paz e conforto, pois vale a pena lembrar que morte não é o fim, é apenas uma passagem de uma vida para outra, Aceitem todos meus sentimentos.
Ignácio Tavares

DE UBIRATAN LUSTOSA: RECEBI O LIVRO

Ubiratan Lustosa
Para CLEMILDO BRUNET
De:
Ubiratan Lustosa (ulustosa@ulustosa.com)
Enviada:
sábado, 29 de outubro de 2011 19:02:10
Para:
CLEMILDO BRUNET (brunetcomunicador@hotmail.com)
Olá, amigo Clemildo.

Recebi o livro "Riacho de Prata", de autoria do seu amigo Paulo Abrantes, e agradeço a sua gentileza de me enviar esse presente. Na primeira folheada já percebi que vou saber mais sobre a sua Pombal querida e isso me trará muita alegria. Por coincidência, gravei meu programa na quarta-feira, para ser apresentado domingo, e nele estará a música "Maringá", com Carlos Galhardo. Aproveitei para lhe mandar um abraço.
Renovo meus agradecimentos e envio um grande abraços a você, pedindo que seja extensivo ao autor Paulo Abrantes.
Ubiratan.
Curitiba - PR.
LINK: http://www.e-parana.pr.gov.br/modules/programacao/radioam_ao_vivo.php
DO PROGRAMA DE UBIRATAN, APRESENTADO ÀS 6 HORAS DA MANHÃ DOS DOMINGOS (NOSSO HORÁRIO).

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
EM SEU DISCURSO CLEMILDO FEZ UM RELATO HISTÓRICO DA RADIOFONIA POMBALENSE E LEMBROU VELHOS COMPANHEIROS!

COMENTÁRIOS: A EVIDÊNCIA DA MÚSICA BREGA...

Clemildo Brunet,
Sua matéria publicada sobre o BREGA é excelente e muito oportuna e irá contribuir para a aprovação do Projeto de Lei.
José de Sousa Dantas -Poeta e Escritor pombalense.

Adilson Ribeiro
clemildo brunet, parabéns pela matéria sobre o brega. As vezes eu acho que se Elvis presley fosse brasileiro, ele não passaria de um cantor de brega. Então eu só quero dizer que nao adianta fugir, qualquer cantor brasileiro é brega. Não pense que... Caetano Veloso é menos brega do que Waldick. A América, a Europa, nao gostam de brasileiros. Porque o próprio brasileiro não se gosta, quer ser americano de qualquer jeito. Ver se lá em nova york, tem alguma frase em portugues. Aqui no Brasil é pit stop, personal trainer, as propagandas de produtos é quase tudo em inglês. Temos que nos valorizar. Um cantorzão como o Nilton Cesar, se fosse americano, era o rei de qual coisa. Porque o americano se ama e ama seus idolos. Parabéns ao nobre deputado Tião Gomes, que dê certo sua iniciativa em relação ao brega.
Adilson Ribeiro - Cantor e Compositor.
Ananindeua, Brazil.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.
Radialista Clemildo Brunet ladeado pelo Vice Geraldinho e a Prefeita Polyana.

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

TIBURTINO GOMES DE SÁ: SEGUIDOR DO BLOG COM MUITA HONRA!

Seu blog, meu caro primo Clemildo é muito profundo e de muito conhecimento, próprio da família, que diz - "Sá quando não é inteligente demais é 'doido'" Brincadeira. Já sou seu seguidor com muita honra. Mais tarde estarei fazendo um "tourner" pelo blog! Saudações primo!
Sousa,11/10/2011
Tiburtino Gomes de Sá

É ASSIM QUE SE FAZ CIDADANIA

Caro amigo Clemildo.
O seu Portal está maravilhoso. Uma homenagem bem merecida. Os paraibanos reconhecem o seu valor, especialmente os pombalenses. É assim que se faz cidadania. É demonstrando amor pela terra onde nasceu. Patriotismo, por que não dizer. São valores que jamais a História de Pombal os excluirá de suas páginas. Você está de parabéns. Sinto-me feliz quando vejo um conterrâneo trazer ao conhecimento público o retrato falado do nosso Município, como pioneiro do Sertão Paraibano. Portanto, volto a dizer: Você merece mais do que a homenagem que lhe foi prestada pelo Poder Legislativo do Nosso Estado.
Forte Abraço.
José Santos DINIZ.

COMENTÁRIO DO DR. ELISEU JOSÉ DE MELO NETO NO FACEBOOK

Eliseu José De Melo NetoClemildo Brunet de Sá Agradeço muito. Você fez a minha biografia com muita precisão. Detalhes da minha vida que até por mim passava desapercebido, você publicou com precisão. Parece que teve ajuda de alguém muito próximo. Foi muito real. Felicidades! E muita saúde para você, que considero como um dos meus grandes amigos!
O RÁDIO AINDA É O MAIOR MEIO DE COMUNICAÇÃO!

FAZENDA RAMADINHA

FAZENDA RAMADINHA
4 JANEIRO 2009

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL. OUTUBRO 2014

À MEMÓRIA DE DONA CESSA: EXEMPLO A SER SEGUIDO POR TODOS NÓS...

Estimado amigo Clemildo:
Lindo e comovente o seu artigo. Sinto-me honrado por você ter incluído nele a citação do meu texto sobre saudade. Na verdade, esse carinho que você e o povo de Pombal dedicam à memória de Dona Cessa é um exemplo a ser seguido por todos nós. Pessoas como ela sempre devem ser lembradas pela sua doação à coletividade e grandeza de sentimentos.
Parabéns, amigo, e um grande abraço.
Ubiratan.

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
APRESENTAÇÃO DA CANTORA NARA CASTRO

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
COMPOSIÇÃO DA MESA. AO CENTRO O PROMOTOR DE JUSTIÇA SEVERINO COELHO VIANA AUTOR DA OBRA LITERÁRIA.

COMENTÁRIO SOBRE O ARTIGO: LINDUARTE NORONHA: "uma saudade a mais, uma esperança a menos".

Caro Clemildo,
O seu artigo em homenagem ao cineasta Linduarte Noronha, é uma página feliz não só pela lembrança da morte daquele que viria inspirar o chamado Cinema Novo no Brasil, como nos trazer um relato inédito, do escritor Solha , de suma importância histórica para a compreensão daqueles que esperavam da película "O Salário da Morte" um desfecho feliz de vingança e vitória. Para melhor entender, nos anos 70, o longa-metragem "O Salário da Morte” foi e é, um registro histórico para o cinema paraibano, em especial para Pombal, como fator de notoriedade, como o foi Aruanda para o cinema nacional, devido ter surgido numa cidade interiorana de pequeno porte. Na época, Solha, surpreendeu o mundo artístico paraibano com o seu roteiro original debaixo do braço e partiu para a capital na busca de pessoas competentes e identificadas com a arte cinematográfica para dar asas a sua imaginação, ao seu projeto. Não entenderam que estavam diante de um jovem ousado, inteligente, de idéia privilegiada, um visionário do sucesso. Aí, aconteceu o pior, cortaram a luz da película, o seu roteiro original, aquele que se dirigia para o sucesso, dando lugar a uma tentativa frustrada. Solha, vendeu tudo, casa, carro, tomou dinheiro emprestado, e nada disso o abalou. Continua forte e firme como as aroeiras e baraúnas de nosso sertão e escrevendo divinamente e colhendo os bons frutos que a História Universal da Angústia lhe conferiu e a alegria do fantástico Árkadich lhe proporciona. Assim é o Solha, impávido colosso.
Paulo Abrantes

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!
ALMOÇO FAZENDA RAMADINHA

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
SEVERINO COELHO VIANA FAZENDO APRESENTAÇÂO DE SUA SÉTIMA OBRA LITERÁRIA.

AO IMORTAL POETA

AO IMORTAL POETA
RONALDO CUNHA LIMA

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO: A FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL OFICIALIZADA...

Parabéns, CLEMILDO, pelas suas excelentes e oportunas matérias publicadas em seu site na internet, referentes ao DIA ESTADUAL DA MÚSICA BREGA e à FESTA DO ROSÁRIO EM POMBAL, esta como você bem disse: “...EMBORA TARDE...”, mas agora instituída no calendário de eventos do Estado.
São matérias sumamente importantes para a divulgação e o fortalecimento da cultura do Estado, fazendo com que as pessoas tomem conhecimento e valorizem mais as manifestações culturais de Pombal e do Estado.
José de Sousa Dantas - Poeta e Escritor Pombalense

O ANIVERSARIANTE DE HOJE 30/06/12, COM A FAMÍLIA!

PARABÉNS CESSINHA...

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA
Edmilson Pereira Silva - Aqui apareço ao lado de um grande amigo e uma referência do rádio paraibano, Clemildo Brunet de Sá

CLEMILDO ANIVERSÁRIO 1° DE AGOSTO

de Prepare-se está para Clemildo Brunet.

Parabéns!!! Este dia foi especialmente preparado pelo SENHOR; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. (Salmos 118:24) Deus te abençoe grandemente

de Cassimiro Neto para Clemildo Brunet.

Parabéns! Hoje é mais um dia de festa. É o dia que celebramos o teu aniversário. E nesse dia festivo te cercamos de abraços e felicitações. Você é uma pessoa muito querida e por isso todos os teus amigos e parentes te desejam tudo de bom. E eu, presenteio você com essa singela homenagem. Porém repleta de todo o meu carinho. Que Deus te ilumine, todos os dias de sua vida! Abraços e FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Cassimiro Neto.

de Elias para Clemildo Brunet.

FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.

Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes.

Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.

É ser grato, reconhecido, forte, destemido.

É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;

Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

São os meus mais sinceros votos

Elias Mesquita

de Chagas Vitoriano para Clemildo Brunet.

Quero nesta data especial, rogar a Deus que sua vida seja plena de muitas felicidades, que a luz do Divino Redentor lhe ilumine a cada passo e que só coisas boas lhe aconteçam!!! Meus sinceros Parabéns!!!

Caro Clemildo,

Parabéns pelo seu aniversário!

Receba meus cumprimentos e os melhores votos de saúde e felicidades.

São passados 63 anos de nossas vidas, temos apenas um mês de diferença de idade. Sentamos no mesmo banco escolar da Igreja Paroquial de nossa infância querida em Pombal. Nunca duvidei que estivesse diante de um talentoso artista, pelo seu espírito irrequieto, inteligente e capaz. O tempo mostrou que ali em Pombal, residia um dos maiores radialistas do sertão. Este homem que foi agraciado com a maior condecoração da Assembléia Legislativa, a “Medalha Presidente Epitácio Pessoa” numa justa homenagem que lhe foi prestada no ano de 2010.

Quero lhe dizer neste 1º de agosto, neste alvorecer de sua nova idade, com as bênçãos de Deus, sua vida seja de paz e que seus desejos e projetos se realizem.

Com um grande abraço, do amigo de infância, Paulo Abrantes.

primo/amigo, Clemildo Sá, não poderia me furtar jamais de partilhar deste momento de alegria em sua vida, pela passagem de mais um aniversário na certeza de que você vem cumprindo sábio e fielmente com a doutrina que o Senhor lhe outorgou à ser cumprida no decorrer da sua estada neste plano de existência! Que Deus te abençoe sempre! E... FELIZ ANIVERSÁRIO!

Tiburtino Castelo Sá Gomes.

Clemildo Brunet, A equipa do Palco Principal deseja-te um feliz aniversário! Obrigado por continuares conosco. Que a música esteja sempre contigo! Parabéns!

A equipa do Palco Principal

DE VERNECK ABRANTES PARA GENIVAL TORRES

Genival Torres,

Agradecemos as suas palavras motivadoras e de alerta sobre a importância histórica de lembrar as datas marcantes da nossa cidade.

Na verdade, os 150 anos de elevação ao status de cidade, deveríamos ter estabelecido um marco dessa passagem, assim como ficou registrado a denominação do Bar Centenário quando dos 100 da nossa cidade, também nesse mesmo dia, citar o lançamento do livro do nosso Wilson Seixas: O Velho Arraial de Piranhas. Por quanto, até então, ficamos sem um marco de lembrança dos 150 anos do aniversário de Pombal. Que continue nos prestigiando com seus belos texto, onde mantemos em arquivo.

Um abraço com admiração,

Verneck Abrantes

BODAS DE OURO

BODAS DE OURO
Almir e Marlene em Natal Comemorando 50 anos de Feliz União Conjugal. Parabéns pelas Bodas de Ouro!

CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA

Prezado Clemildo,

Lembro aos meus ilustres conterrâneos, fui propositadamente bastante sucinto nas indicações no meu texto, Descaso ou Indiferença, para não ser prolixo. Ainda sensibilizado com a resposta do nosso ilustre escritor pombalense, Verneck Abrantes, e concordando plenamente com a sua indicação, mais ainda, e como referência para análise posteriori, caso Pombal queira deixar um marco material, paralelo, exposto à visitação pública, temos a Chaminé da Brasil Oiticica que poderia ser denominada Chaminé Sesquicentenária, como homenagem alusiva data, e de certa forma, tornando real a possibilidade de não se jogar por terra essa construção que é um marco na indústria da cidade. Transformando numa monumental peça da construção civil, um dos segmentos que fizeram, e que ajudaram a construir a história da nossa gente. Fraternal abraço a todos.

Genival Torres Dantas

CLEMILDO,

Como marco da passagem dos 150 anos da elevação de Pombal ao status de cidade, veja a ideia de Genival Torres Dantas: CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA. Com uma pequena praça no seu entorno e Pombal teria mais uma referência histórica e lugar para visitas turísticas, exposição de fotografias ou representações artísticas. Achei excelente o pensamento de Genival.

Um abraço,
Verneck

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.
Nesta foto registro o meu encontro em terra potiguar com o conterraneo amigo e Empresário no Rio de Janeiro, Almir Almeida. Na conversa matamos saudades dos velhos tempos de nossa Pombal.

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO
Mª DE LOURDES ALMEIDA PEREIRA DE ARAÚJO NA FOTO COM CLEMILDO

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

Um dos últimos políticos da Paraíba que soube honrar com altivez e destemor a prática da honestidade nos procedimentos com o erário público, esse sim, fez parte da geração onde a política era feita pelo o idealismo de servir ao povo a exemplo do Senador Ruy Carneiro e do Deputado Federal Janduhy Carneiro, assim era o poeta, ex vereador, ex- prefeito, ex-deputado estadual, ex-governador, ex senador e ex-deputado federal RONALDO CUNHA LIMA. A PARAÍBA NÃO SÓ PERDE UM POLÍTICO AUTÊNTICO, MAS UM GRANDE HOMEM QUE SOUBE REPRESENTÁ-LA MUITO BEM NO CENÁRIO NACIONAL. NOSSA SOLIDARIEDADE DE PESAR AO SENADOR CÁSSIO CUNHA LIMA, EXTENSIVO A TODA FAMÍLIA!

Clemildo Brunet - Radialista.

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA
REGISTRAMOS COM GRANDE SATISFAÇÃO NA DATA DE HOJE 07 DE FEVEREIRO, O ANIVERSÁRIO DO AMIGO FRANCISCO FERNANDES DA SILVA, BIBIA, QUE DEUS LHE CONCEDA MUITOS E MUITOS ANOS DE VIDA E MUITAS FELICIDADES JUNTO A SUA ESPOSA CESSA E TODA FAMÍLIA. PARABÉNS E FELIZ ANIVERSÁRIO!

TWITTER X FACEBOOK

- Parabéns pelos temas enfocados através do seu BLOG. Vc é o Cara

: parabéns pelos cinco anos do seu blog. Conheço a sua garra e o seu profissionalismo. Siga em frente.

MARINGÁ - O NOME VERDADEIRO.

Graças à interferência de meu estimado amigo paraibano Clemildo Brunet, acabo de receber o livro do escritor Severino Coelho Viana "Maringá - o nome verdadeiro". Ele trás novas descobertas sobre a bela Maria do Ingá que Joubert de Carvalho resumiu para Maringá em sua composição famosa. A existência de Maria do Ingá, por algum tempo considerada pura imaginação poética,... Aos poucos ganhou contornos de realidade e já se descobriu até o verdadeiro nome dela. Já diversas vezes focalizei esse assunto em meu programa "Revivendo" e após concluir a leitura do livro voltarei a ele porque é muito interessante, especialmente para nós paranaenses que temos uma grande cidade com esse nome. Meus agradecimentos ao escritor Severino Coelho Viana e ao Clemildo Brunet.

Ubiratan Lustosa - Radialista paranaense.

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
TAYANE DEYSE- BALIZA, FILHA DO RADIALISTA E PROFESSOR CEZÁRIO DE ALMEIDA

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
PELOTÃO ESPECIAL HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

LANÇAMENTO/AGRADECIMENTO

Estimado amigo
Clemildo Brunet:

Agradecemos pela reportagem que fez sobre o lançamento do oitavo livro de nossa autoria, intitulado de MARINGÁ – O NOME VERDADEIRO,
evento cultural realizado nas dependências do Pombal Ideal Clube.
Os Promotores de Justiça, Bertrand Asfora e Amadeus Lopes Ferreira, ficaram encantados pelo comparecimento maciço de tão seleto auditório assim como o nível cultural do povo de Pombal.
O seu artigo já repercute a nível estadual, pois a nossa caixa de e-mail está lotada, vamos lendo aos poucos.
Em nome de minha família, agrademos pela cobertura que deu ao evento. É neste caminho que Pombal deve apresentar os seus valores.
Sentimos que a cada lançamento aumenta o número de participantes, isto é uma prova inconteste do crescimento cultural de nossa terra.
Além do Blog Clemildo Brunet Comunicação, idêntica reportagem foi reproduzida no Portal Pombal e Rádio Opção.
O Caldeirão Político fez uma reportagem de todo o lançamento, através do radialista Chico Cardoso.

SEVERINO COELHO VIANA

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
HOMENAGEM AO LORD AMPLIFICADOR DE CLEMILDO BRUNET
PARA SATISFAÇÃO NOSSA E DE SEUS PAIS, REGISTRAMOS A VITÓRIA DA NOSSA COLUNISTA DO CANTINHO DA SAÚDE, DOUTORA Mª DO BOM SUCESSO LACERDA FERNANDES NETA, QUE FOI GRADUADA EM MEDICINA PELA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE NESTE MÊS DE JUNHO DE 2012. CESSINHA NETA É NATURAL DE PATOS MEMBRO EFETIVO DA ACADEMIA PATOENSE DE ARTES E LETRAS (DESDE 2009). ESCRITORA E POETISA TEM PARTICIPADO DE
AMOSTRAS DE POESIA E FOTOGRAFIA E PUBLICADOS ARTIGOS RELACIONADOS A SUA ÁREA DE ATUAÇÃO, EM JORNAIS, REVISTAS E SITES HAVENDO SIDO CLASSIFICADA EM SETE CONCURSOS PÚBLICOS. A CESSINHA, NOSSOS PARABÉNS!
contato: sucessomed@hotmail.com

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

SOBRE HOSPITAL NAPOLEÃO LAUREANO: "JUBILEU DE OURO PELA VIDA"

Caro Clemildo,

parabéns pelo magnífico relato sobre o Hospital Napoleão Laureano, sobretudo porque você deu enfoque merecidamente, a pessoa extraordinária de Dr. Antonio Carneiro Arnaud que exprime uma personalidade de sentimentos, espiritualidade e humanismo para com os seus conterrâneos, representando um orgulho para todos nós paraibanos. Dr. Carneiro, desempenhou um importantíssimo papel na sua formação, deu asas a sua expansão, que cabe repetir a frase do Ministro Alcides Carneiro: "Esta é uma casa que por infelicidade se procura e por felicidade se encontra" Parabéns a você e a ele.
Abraço, do amigo Paulo Abrantes.

Clemildo amigo,

Gostei muito do seu artigo. Você retratou com fidelidade toda a vida não somente do Hospital Napoleão Laureano, mas também da Fundação Laureano a entidade mantenedora, da qual foi Diretor Presidente o nosso conterrâneo Dep. Janduhy Carneiro e hoje tenho a honra de ocupar a tão importante função. Muito já foi feito, mas ainda existe muito para ser feito. Em breve estaremos instalando a Ressonancia Magnética e se Deus quizer tambem o PET-Scam. Divulgue tudo no seu BLOG que é muito consultado. Abraços Carneiro Arnaud.

Amigo Clemildo:

Muito oportuna a sua evocação da figura extraordinária de Napoleão Laureano. Meus parabéns pelo seu trabalho.

Um fraternal abraço do

Ubiratan.

Berta Leticia Wanderley Clemildo,parabéns, pela sua reportágem, sobre o Laureano, está muito boa mesmo! Nós estamos precisando do número do seu celular para entrarmos em contato com você,

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A DIFUSORA GUARANI DE MANOEL BANDEIRA!

Seguidores

DE IGNÁCIO TAVARES PARA CLEMILDO

MENSAGEM DE IGNÁCIO TAVARES EM RESPOSTA AOS MEUS AGRADECIMENTOS...

Caro Clemildo
A minha amizade com vocês, pode-se dizer, é histórica. Os amigos, Clovis e Cláudio, ambos de saudosa memória, Carlos e você sempre formaram uma amizade sem fronteiras. Quanto ao seu pai e sua mãe dona Sinhazinha, guardo boas lembranças, pois frequentava a sua casa com certa liberdade, qual fosse um membro da família, dada a minha amizade com os meninos, como carinhosamente éramos chamados por nossos pais. Seja feita a sua vontade, o texto é seu e de toda família. Abraços Ignácio

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
VICE PREFEITO DR. GERALDINHO E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
PREFEITA POLYANA E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
CIRCULANDO - ESPECIAL ANIVERSÁRIO DE POMBAL. EDIÇÃO JULHO/ 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 3ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" JULHO DE 2014.

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 2ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO DE 2013.

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007
PROF DR. JOSÉ CEZÁRIO RECEBE COMENDA DE HONRA AO MÉRITO NO "LA FIESTA" EM CAJAZEIRAS NO DIA 23-02-2008.

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"
CLEMILDO RECEBE OS CUMPRIMENTOS DE SEU VELHO COMPANHEIRO DA RÁDIO ALTO PIRANHAS RADIALISTA GERALDO NASCIMENTO EM 23-02-2008 CLUB LA FIESTA EM CAJAZEIRAS.

JORNAL"ALTO SERTÃO"

JORNAL"ALTO SERTÃO"
PRIMEIRA EDIÇÃO OUTUBRO/2013

SOBRE O ARTIGO "CLEMILDO BRUNET" DE ONÉLIA QUEIROGA.

Clemildo, li o que Onélia escreveu e lacrimejei... como me lembro da bolacha peteca e do pão doce... a peteca molhada no leite e frita com manteiga de garrafa... é demais a saudade... assino embaixo tudo que ela falou sobre vc.
Maryloide Brunet

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO
COMENDAS RECEBIDAS EM 2007

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"
Caro Clemildo, confesso que é muito gratificante e emocionante ler artigos que relatam histórias do meu amado e querido pai. Obrigado por guardar com tanto carinho, lembranças do saudoso Zeilto Trajano. Ass.Marcia Rejane (A caçulinha do Zeilto) Foto com Clemildo.

GREGÓRIO DANTAS

GREGÓRIO DANTAS
HOMENAGEM PÓSTUMA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA
HOMENAGEM PÓSTUMA

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!
Na manhã deste dia 18 de janeiro de 2010, na sede do CECAN em Natal RN, o radialista Clemildo Brunet em visita de cortesia a Secretária Geral da Instituição, Sra. Joelma Alves, fez a entrega do texto: "OS 60 ANOS DA LIGA NORTE RIO-GRANDENSE CONTRA O CÂNCER". Na oportunidade, a Secretária agradeceu e parabenizou o radialista; porém, fez uma correção no parágrafo da DEPECON; onde se ler (17 vagas de residencia médica), leia-se 08 vagas R1, admtindo ter sido um erro do site da Liga.

SÉRGIO LUCENA

SÉRGIO LUCENA
HOMENAGEM PÓSTUMA

CONGRATULAÇÕES E JUSTIFICATIVA

Ignácio:
Sem dúvida Clemildo, foi um momento histórica pra voce e todos nós pombalenses que acompanhamos todo seu trabalho, assim como a sua vitoriosa trajetória no mundo do rádio e do jornalismo. Infelizmente, como já lhe expliquei fui um ausente nesta grande festa. Mas, onde estava, numa reunião demorada e cansativa, lembrava-me a todo momento, com uma ponta de tristeza por não estar presente. Tem nada não, noutras oportunidades nos encontraremos. O que conteceu foi apenas início de uma série de manifestação de reconhecimento do seu valor como abnegado homem de comunicação,com relevantes serviços prestados a comunidade do qual é parte integrante, Abraços Ignácio Tavares.

Caro amigo Clemildo:

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao amigo o convite da sessão da entrega da Medalha Epitácio Pessoa ao nobre repórter. Não pude comparecer, fato que já havia explicado a você por conta de exames de saúde que iria realizar na capital paraibana. Mas, acompanhei o desenrolar da sessão da Assembléia Legislativa, através da Rádio Liberdade FM 96,3. Gostei muito do que você falou lembrando as coisas do rádio de Pombal - PB. E naquele momento lembrei muito da campanha de prefeito do ano de 1976, embate que ficou marcado em minha memória, embora adolescente, via você na veraneio do PMDB, veículo que você mesmo denominou de amarelinho, como também do célebre comício da rua Capitão Lindolfo, mais conhecida como rua do Fogo, onde você, juntamente com José Coelho, hoje residente em São Paulo, anunciavam a presença naquele momento do grande orador e saudoso senador o Dr. Marcos Freire. Do amigo de sempre, Joaquim Candido da Silva Filho.

Postagens mais populares

Barra de vídeo

Loading...

EXCLUSIVO: ENTREVISTA DO CANTOR NILTON CESAR AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CLIQUE NO PLAY E OUÇA A ENTREVISTA.

COMENTÁRIO: A FAMÍLIA "ESPALHA" E SEUS MENESTRÉIS.

Gostaria de parabenizar o amigo professor Vieira pelo belo artigo sobre a família Espalha. Tive o prazer de conhecer um dos membros desta conceituada família o saudoso Bideca, seresteiro por ofício e boêmio por natureza. A sua ausência hoje sentida por todos que com eles conviveram me fazem refletir, "Belos tempos, Belos dias"
Adriano Fernandes

Caro Vieira, bom dia.

Somente hoje tomei conhecimento do seu artigo sobre os “Espalhas”, estava de férias e me desliguei de tudo.

Fiquei surpreso e emocionado com o artigo e a origem da palavra “espalha”, confesso que desconhecia esses detalhes.

Aquela rua em que morou Chico Espalha (por várias décadas), deveria ter o seu nome, porque ele foi um dos pioneiros dali, juntamente com meu avô “seu Otávio frandeleiro”, Euclides, Zé Branco, Julio Barbosa, e outros mais que não recordo no momento.

Infelizmente a intitularam Domingos de Medeiros, que talvez nem conhecesse o local e nem a família Espalha. Lamentável.

Agradeço em nome de todos os Espalhas em vida, e a lembrança registrada daqueles que se foram e fizeram parte do nosso convívio.

Até uma próxima oportunidade

Valdir Mendonça

AGRADECIMENTO

Meu amigo-irmão Clemildo, agradeço de todo coração os seus elogios com relação ao meu (nosso) passado pelo mundo radiofonico - principalmente em Pombal onde tudo começou.
Logo que cheguei em Cajazeiras na manhã da sexta-feira foram muitos amigos me informando da sua postagem no face book - (você tem seguidores que não acaba mais).
Também minha imensa surpreza da informação por parte da presidente da API Marcela Sintônio, o ex-presidente da nossa Associação João Pinto e vários e vários outros colegas da imprensa paraibana que foram a Cajazeiras para a festa da Reencontro e que são seus assíduos leitores-seguidores.
Por fim agradeço pelas gentis palavras dizendo; você foi generoso até demais para com esse seu discípulo.
Obrigado Irmão!!
Otacílio Trajano

CONGRATULAÇÕES / MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Mary Loide Brunet:
Parabéns! Vc fez por merecer! Também fico muito feliz e honrada com a honra que lhe é reconhecida. Mary Loide.

Marcelino Neto:
Amigo Clemildo! Não pude comparecer ao seu evento maravilhoso. No entanto registrei na Espinharas de Patos o fato e acredite fiquei muito feliz pela sua conquista. Certamente entre tantos importantes nomes da radiofonia pombalense e paraibana o seu para mim é um dos maiores destaques. Um abraço professor!