terça-feira, 28 de fevereiro de 2012


José de Sousa Dantas
José de Sousa Dantas*

Todo mundo assistiu à atração
das Escolas do Rio de Janeiro,
com o show da TIJUCA e da SALGUEIRO,
a TIJUCA, o enredo do BAIÃO,
que ficou na primeira posição,
e a SALGUEIRO, a segunda, na final,
no desfile do Grupo Especial
sob o tema CORDEL Branco e Encarnado,
e o Nordeste foi bem representado
COM BAIÃO E CORDEL NO CARNAVAL.

Foi no Rio de Janeiro
que LUIZ, REI DO BAIÃO,
começou sua carreira
com destaque e projeção,
tocando valsa e chorinho,
“Apanhei-te Cavaquinho”,
outras músicas de raiz,
e o RIO homenageou
com um verdadeiro show
os 100 anos de LUIZ.

A UNIDOS DA TIJUCA
deu um show de atração
revelando para o mundo
a bela apresentação
com um desfile vibrante,
num clima contagiante,
carregado de emoção,
realizando os seus planos,
comemorando os 100 anos
de LUIZ, REI DO BAIÃO.

"Dia em que a Realeza
desembarcou na Avenida
para coroar o REI"
LUIZ que viveu a vida
tocando samba e BAIÃO,
enaltecendo o sertão
do nordeste brasileiro,
levando música e POESIA,
arte, dança e alegria
ao povo do mundo inteiro.

Um desfile memorável
pela representação
do Mestre LUIZ GONZAGA
com a sanfona na mão,
no adereço de um carro
otalmente cor de barro
e vivas alegorias,
exaltando VITALINO,
o folclore nordestino,
com as suas fantasias.

O BAIÃO pela TIJUCA,
classificado em primeiro,
e em segundo lugar
o CORDEL pela SALGUEIRO,
comprovando que o Nordeste
tem seu destaque inconteste
e riqueza cultural
de elevada expressão,
na mistura de BAIÃO,
de CORDEL e CARNAVAL.

O REI DO BAIÃO inspira
e se encontra inspirado,
lá do Alto comemora
seu valioso legado,
dando oportunidade
para criatividade
em eventos culturais
de forró, samba e BAIÃO,
em Carnaval, São João,
e atrações especiais.

*Pombalense, Poeta, Engenheiro Civil pela UFPB com Mestrado pela Escola de Engenharia de São Carlos-SP.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Os anos 60 começaram com o homem invadindo o espaço, o soviético Iuri Gagarin (1934/1968) é o primeiro homem tripulante de uma nave espacial. Inicia-se o uso da informática na área comercial, a juventude dar seu grito de independência com a contracultura, movimentos importantes surgem, os hippies protestando contra a guerra fria, o racionalismo e a guerra do Vietnã.

A televisão passa a ser o meio de comunicação de massa com transmissões de TV em cores em todo mundo, no Brasil surgiu posteriormente, em 1972, com a transmissão da festa da uva no RS.

No cinema Frederico Felini (1920/1993) lança o clássico La Dolce Vita (A Doce Vida); Brigitte Bardot surge como o símbolo sexual da década; o diretor brasileiro, Anselmo Duarte (1920/2009 aparece com o filme o pagador de promessas, de Dias Gomes (1922/1999), e recebe a Palma de Ouro do Festival Internacional do Filme de Cannes, França.

Em 21 de abril de1960 Brasília é inaugurada, pelo Presidente Juscelino Kubitschek (1902/1976) levando o progresso e toda administração federal para o centro-oeste. Em 25 de agosto de 1961 o presidente Jânio Quadros renuncia a Presidência da República com inicio de uma grave crise política no Brasil, culminando com o golpe militar e a queda do Presidente João Goulart.

John F. Kennedy Presidente dos EUA é assassinado dia 22 de novembro de 1963; 9 de outubro de 1967, o líder revolucionário, Che Guevara (1928/1967) é executado na Bolívia; e em 4 de abril de 1968 é assassinado, também nos EUA, o líder negro norte –americano, Martin Luther King (1929/1968); com surgimento de guerras e revoluções regionais a década de 60 tornou-se uma das mais violentas, pós guerra.

Na música tivemos o surgimento de várias estrelas, os Beatles, Bob Dylan, Rolling Stones, o grupo The Jackson 5 e o Festival de Woodstock, todos, e outros tantos, mudaram o comportamento musical mundial.

No Brasil os festivais tiveram sua importância musical na década de 60, com o surgimento de grandes compositores e interpretes, destaque para Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Torquato Neto, Tom Zé, Os Mutantes, fizeram a cabeça de uma juventude com desejo de mudanças no plano sócio-político no Brasil.

A MPB se mantém mais sólida com a manutenção da Bossa Nova, movimento surgido na década anterior. Nomes como Tom Jobim (1927/1994), Vinicius de Moraes (1913/1980), Roberto Menescal, Carlos Lyra, João Gilberto, Nara Leão (1942/1989), Leny Andrade, e uma quantidade enorme de compositores, cantores e músicos, responsáveis pela sobrevivência do movimento maior dentro da MPB que é a Bossa Nova.

Nesse conjunto de astros surge uma estrela, em 1960, lançou seu primeiro disco, e sua primeira composição, Não Devo Insistir, na voz de Dora Lopes (1922/1983). Respaldado na sua cultura musical, Pery Oliveira Martins (1937/2012), adotou o nome artístico de Pery Ribeiro, nasceu artista, filho de Herivelto Martins (1912/1992) e Dalva de Oliveira (1917/1972), nomes que dispensam comentários, dentro da MPB.
Pery Ribeiro carregava sobre os ombros uma responsabilidade musical muito grande, não podia falhar na sua carreira artística, assim sendo, deu continuidade ao seu trabalho e em 1961 grava um disco com clássicos, com destaque para Manhã de Carnaval e Samba de Orfeu, ambas de Luiz Bonfá(1922/2001) e Antonio Maria (1921/1964), O Barquinho, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli (1928/1994), dentro tantos outros sucessos, todos em 78 rpm.

Foi em 1962 que lançou o seu primeiro LP, Pery Ribeiro e seu Mundo de Canções, com interpretações inesquecíveis como Caminhemos, composição do seu pai, Herivelto Martins, Esquecendo você, de Tom Jobim, e Meu nome é Ninguém, uma parceria de Haroldo Barbosa(1915/1979) e Luiz Reis(1926/1980). Pery é Todo Bossa, é o nome do seu disco de 1963 com a música Garota de Ipanema, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, mundialmente famosa. Foi em 1964 que o Pery Ribeiro lança o disco Pery Muito mais Bossa, destaque para a composição de Carlos Lyra e Geanfrancesco Guarnieri (1934/2006).

Continua lançando seus discos, em 1965 o Gemini V, 1966 vem o Bossa 3, e em 1967 lançou no México o Gemini V e Pery. Foi em 1968 que suspende uma excursão aos EUA e Europa, em decorrência do estado de saúde da sua mãe, Dalva de Oliveira, retorna ao Brasil e grava o LP Pery Ribeiro, onde consta as composições, Pra Você, de Silvio Cesar, e Coisas, do Taiguara (1945/1996).

Em 1972, apesar da morte da sua mãe, Dalva de Oliveira, lança dois discos, o Gemini 5 anos depois, e Pery Ribeiro.

Em 1974 volta ao México e grava o disco Abre Alas. Em 1975 é editado o disco Herança, composição título, de Francis Hime e Paulo Cesar Pinheiro. Em 1976 que é lançado o disco Bronzes e Cristais, música título de Alcyr Pires Vermelho (1906/1994) e Nazareno de Brito (1925/1981), um dos melhores discos da MPB. Encerra a década de 70 com o disco Alvorada, composição título de Cartola (1908/1980), Hermínio Bello de Carvalho e Carlos Cachaça (1902/1999).

Inicia a década de 80 com dois discos, Os Grandes Sucessos da Bossa Nova, e Pery Ribeiro Sings Bossa Nova Hits. Em 1981 lança o Brasileiríssimo, com o sucesso Agonia, música do Osvaldo Montenegro. Foi em 1986 que lançou o disco Pra Tanto viver, música título de sua autoria.

Em 1991 grava um disco independente com música título Ave Maria no Morro, de Herivelto Martins. Em 1992 vem novamente com Cartola, na composição As Rosas não Falam, e Bom dia Tristeza, a belíssima parceria de Adoniran Barbosa (1910/1982) e Vinícius de Moraes. Em 1995 faz uma homenagem ao compositor Adelino Moreira, lançando o CD Pery Interpreta Adelino Moreira. Em 1997 grava o CD A Vida é Só Para Cantar, e três CDs com participação de vários cantores.

Retorna aos EUA e grava um disco em 1999, Tributo a Taiguara. 2004 participa do DVD da sinfônica paulistana, de Billi Blanco (1924/2011), em homenagem a SP. Em 2006 em participação no DVD sinfonia do Rio de Janeiro, parceria de Billi Blanco e Tom Jobim.

Pery Ribeiro faleceu no último dia 24, deixando na MPB uma lacuna que será sentida por muito tempo, principalmente pela sua capacidade de escolher boas músicas para o seu repertório, bons músicos para gravar seus discos, e seus parceiros musicais. A Bossa Nova perde um dos seus maiores representantes, principalmente no mercado internacional, aonde ele tinha um valor reconhecidamente maior que o prestigio que teve, em vida, dentro do Brasil.

Obrigado Pery Ribeiro pelo profissional competente e responsável que você foi.

*Escritor pombalense e empresário em Santa Catarina.
Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Esse menino Baião continua um iluminado, um pé quente. Aliás, não foi à toa que no seu nascimento, Januário presenciou uma zelação cortando os céus do Exu e também a cigana não estava errada quando o colocou nos braços e disse: Esse menino pertence ao mundo.

Já amanhecia a terça-feira de carnaval, quando a Unidos da Tijuca, a penúltima Escola a desfilar no carnaval de 2012, lançou-se na Avenida Marquês de Sapucaí, com um espetáculo repleto de surpresas a Tijuca trouxe um brilho maior, o brilho de uma "Lua - Luiz" que no sertão é mais intenso. Contagiou o público. A Tijuca é uma das mais antigas Escolas de Samba do Rio de Janeiro, para se ter uma ideia, ela participou do primeiro desfile oficial no ano de 1932, mesmo assim, só havia sido bicampeã do carnaval carioca.

Foi com samba enredo focado na vida e obra de Luiz Gonzaga que o carnavalesco Paulo Barros levou para a avenida uma magia singular, a começar pela comissão de frente que trouxe como tema “O Rei mandou tocar o fole!". Os seus integrantes carregavam sanfonas que se abriam, ganhavam vidas, de repente delas emergiam um tubo sanfonado, escondendo os integrantes, que por suas vezes, dentro dos tubos, passaram a realizar movimentos belos e enigmáticos. Como se não bastasse, outra surpresa vinha logo em seguida, o surgimento de uma enorme mola colorida, representando a alma daquele instrumento e após movimentos espetaculares, de dentro dela saía Luiz Gonzaga.

Com o enredo "O dia em que toda a realeza desembarcou na Avenida para coroar o rei Luiz do Sertão", o carnavalesco desfilou suas alas e carros alegóricos, contou é claro com a bateria do mestre Casagrande, que misturando samba com baião, permitiu que a Tijuca levasse o público presente ao sambódromo, ao delírio, conquistando assim o tricampeonato. A família real estava lá, Rosinha Gonzaga e Daniel Gonzaga, filha e neto do Gonzaga.

O samba, inicialmente, foi criticado, inclusive por mim, pois outros que concorreram, e que perderam, contavam a trajetória do rei com mais detalhes. Hoje vejo que o samba levado à Avenida pela Tijuca nos mostrou um Luiz que não só pertence ao Nordeste, pois na verdade essa estrela chamada “Lua” brilha em todo o céu brasileiro.

*Pombalense e Juiz de Direito da 5ª Vara Cível de João Pessoa PB.
onaldoqueiroga@oi.com.br

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

“Acabam-se os nossos anos como um breve pensamento... Porque tudo passa rapidamente e nós voamos”. Estas frases de Moisés transmite uma realidade pertinente ao percurso da nossa existência, tornando-se de somenos importância quais seja a quantidade de anos com que venhamos alcançar neste mundo. Quem diria hein? Doze meses são passados da morte de dona Cessa e somos sacudidos pelo sentimento de saudade que nos faz lembrar aquela que em vida, cumpriu de modo cabal, a missão que lhe fora entregue pelos desígnios do Altíssimo.

Quem conheceu dona Cessa sabe que ela era uma pessoa dedicada às artes e dentro dessa área de sua atuação a prática de traduzir nos quadros que pintava o sentimento elevado de todo o seu ser nas gravuras esboçadas em tela. A pureza de sua alma transbordava nos versos que compunha e isso me faz pensar nas palavras do historiador e pesquisador pombalense Wilson Nóbrega Seixas que disse certa vez: “A nossa poetisa Cessa, já nasceu assim, porque trouxe nas veias, o sangue dos primitivos habitantes das Algarves, distrito e província de Portugal, que povoaram os sertões da Paraíba, na segunda metade do século XVIII; em qualquer época teria naturalmente de manifestar a sua vocação poética e a sua inteligência privilegiada, como um fruto que já brotasse amadurecido, ou como uma rosa que já surgisse aberta em pétalas”.
Permitam-me citar UBIRATAN LUSTOSA, Advogado, Poeta, Compositor, Teatrólogo e Jornalista de Curitiba Paraná, QUE ESCREVEU:

CURTIR SAUDADE:

“Saudade é um sentimento de falta. Falta de alguém, de algum lugar, de alguma coisa. Nós brasileiros sempre sentimos saudade e em certas ocasiões nem sabemos de quem ou de que. Sentimos saudade e pronto. Nossa alma é tocada por esse misto de tristeza e alegria, de melancolia e terna ventura, ah, quantos outros sentimentos a saudade comporta. A pessoa sente saudade de pessoas e de objetos, de locais e fatos, de alguém que quis bem, da cidade em que nasceu, de algum animal muito querido, saudade de casas em que morou, de viagens que fez, e sem querer começa a repassar pela memória os acontecimentos de outros tempos e se apraz em recordar.

O tempo é como um véu a envolver o passado, uma neblina que deixa entrever sem revelar, pondo um fascinante toque de poesia em tudo que já se foi. Sim, são muitos os motivos para sentir saudade, essa vontade ardente de viajar nas asas do pensamento e reviver o tempo que passou”.

Saudade dona Cessa nada mais que saudade...
Os grandes legados deixados por dona Cessa para quem a conheceu e principalmente para sua família, foram os títulos honoríficos alcançados pelas suas realizações em vida, tais como, os que dignificam a sua agenda cultural, que servirá num futuro bem próximo para estudos e pesquisas das gerações do porvir, interessadas em saber os reais motivos das tão merecidas honrarias que ela em vida foi merecedora.

Fundadora e Presidente da Academia de Letras de Pombal, idealizadora e fundadora da Associação Poética pombalense ASPONPS Professor Newton Pordeus Seixas, fundadora e coordenadora do Tinju Teatro Infanto-Juvenil, professora, contista, escritora, poetisa, historiadora, artista plástica, Madrinha dos comunicadores de Pombal.

Em 2007 - dona Cessa foi agraciada com o Troféu Imprensa Radialista “Clemildo Brunet” na AABB de Pombal, ocasião em que ela demonstrando seu carinho para com a Imprensa de sua terra natal, fez a entrega em nome da Academia de Letras de Pombal do Certificado “Honra ao Mérito” aos afilhados da comunicação.

Inauguração da Biblioteca
Ao completar 07 meses de sua morte, dona Cessa foi homenageada pela Câmara Municipal de Pombal, que numa justa e merecida homenagem deu o seu nome a Biblioteca Pública daquela casa legislativa, perpetuando o seu nome a história daquela casa de leis e ao Município de Pombal, fato ocorrido no dia 30 de setembro de 2011.

Havendo concluído seu curso profissionalizante aos 19 anos de idade, dona Cessa teve o seu ingresso como professora na antiga Escola Normal “Josué Bezerra”. No total foram 36 anos de serviços como educadora, tarefa feita com muito amor e esmero. Era graduada em Letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Cajazeiras onde fez também pós-graduação em língua Portuguesa.

Casou-se aos 22 anos com Francisco Fernandes da Silva (Bibia) tendo sido premiada por Deus como fruto do seu amor com Bibia, com os seguintes filhos: Júnior, Cimar, Tim, Rominho e Candinha.

25 de fevereiro lembra o fatídico dia de sua morte o ano passado. A missa de primeiro aniversário em memória de Maria do Bom Sucesso de Lacerda Fernandes (dona Cessa) será celebrada domingo (26), às 09:00 horas da manhã na Igreja Matriz do Bom Sucesso na cidade de Pombal.

Pombal, 24 de fevereiro de 2012.

*RADIALISTA, BLOGUEIRO E COLUNISTA
twitter: @clemildobrunet e @brunetcomunica  
Ignácio Tavares
IGNÁCIO TAVARES*

Quando residia na terrinha, no decorrer da semana, habitualmente costumava estudar até meia noite e meia, depois saia à procura de amigos para um bom papo acompanhado de alguma coisa mastigável.

Sabia muito bem onde encontrá-los depois da meia noite para uma boa conversa. O boteco de Beliscada era um dos lugares, onde sempre podia encontrar um ou mais amigos notívagos como eu. Havia ainda o café de Joaquim do Grude que passava a noite aberto a espera dos habituais fregueses da madrugada.

Outro ponto era a birosca de seu Ignácio, localizada quase em frente ao sobrado de Joaquim Assis, nas proximidades da antiga agencia do Banco do Brasil. Neste local, àquelas horas da noite, com certeza encontraria os amigos Epitácio Queiroga, Rubens Medeiros, Joaquim Assis, entre outros amantes da noite.

A conversa era boa. Rubens, não bebia, mas era um versátil conversador. Gostava de um bom papo. Sábio, de inteligência aguçada, por isso, valia a pena escutá-lo, mesmo que não estivesse a concordar com as idéias embutidas nos relatos a que costumava fazer.

As suas estórias podiam ser interessantes, mas, ao concluí-las, no meu modo de pensar, provocavam mais duvidas do que certezas. Isso porque ideologicamente navegávamos em mares diferentes e o amigo tinha consciência dessa divergência no nosso modo de pensar.

É tanto que à todo momento que o amigo estava a expor suas idéias, com certa frequência fixava-me o olhar a espera de uma reação. Como não estava a fim de alimentar discussões ideológicas, preferia ficar calado, pois no momento o que mais me interessava era degustar a saborosa farofa de torresmo de seu Ignácio.

Era isso mesmo, pois a minha presença àquelas horas da noite na birosca de seu Ignácio devia-se dos cocrantes torresmo de tripa com farinha, além do prazer de conversar com amigos. O papo era diversificado, mas, às vezes concentrava-se entre os que mais falavam.

Epitácio Queiroga gostava de provocar Rubens opondo-se às suas argumentações eivadas de idéias políticas conservadoras. Rubens ficava possesso com as colocações de Epitácio contra suas idéias. A conversa alongava-se até altas horas, qual uma cantilena sem fim.

Eu e Joaquim observávamos a conversa dos dois, sem emitir qualquer opinião para ver quando iam parar. Entre uma conversa e outra, seu Ignácio trazia mais um prato de tripa torrada com farinha, acompanhada de meia garrafa de Pitu. A noite já era uma criança, mas as conversas, muitas vezes, estavam apenas começando.

Para mudar o rumo do papo, a gente insultava Epitácio pra que ele cantasse a música Nancy do repertório de Francisco Alves. O amigo tinha uma voz bonita e afinada. Conhecia quase todos os clássicos do Chico Alves, o rei da voz. Passado esse momento, mais uma vez Rubens provocava Epitácio para mais uma conversa infindável. Mais uma vez eu e Joaquim procurávamos desviar atenção de Rubens.

Mesmo assim Rubens insistia. A nova conversa passou a girar em torno da obra que havia sido concluída na Praça Getúlio Vargas. A prefeitura instalou novos bancos e mudou o piso em toda extensão da Praça. Rubens teimava com Epitácio, que em toda obra havia sido posto exatos, 12 mil pisos do tipo mosaico.

Epitácio desafiou Rubens pra apostar alegando que não havia 12 mil pedras ao longo de toda praça. Pra acirrar a discussão, num calculo fajuto, estimou que no máximo 9.500 pedras haviam sido postas em toda extensão da praça. Rubens concordou em apostar que realmente foram assentados 12.000 mosaicos, nem mais, nem menos.

A aposta foi feita, não me lembro o que foi que valeu. Rubens se dispôs a contar todos os mosaicos a fim de dirimir as dúvidas. Começou pela coluna da hora e seguiu praça acima. Nesse meio tempo todo mundo se evadiu e Rubens, sem sentir a ausência dos amigos continuou o seu penoso trabalho.

O dia já estava perto de amanhecer. Mané Capitula tangia seus jegues adestrados em direção o rio pra apanhar a água da sua freguesia. Enfim, Rubens terminou a contagem. Olhou em direção a birosca de seu Ignácio, não viu ninguém. Aí percebeu que todo mundo havia ido embora, apenas ele se encontrava na praça, naquelas horas da manhã.

Por volta das onze horas do dia seguinte, horário que Epitácio chegava à farmácia, Rubens apresenta-se com um pedaço de papel abarrotado de números. Falou: ô Epitácio, ninguém acertou a quantidade de mosaicos postos na praça. Foram exatamente 10 250.

Epitácio, gozador como sempre, ostenta um sorriso maroto e fala pra Rubens: ótimo! Neste caso ninguém ganhou a aposta. Mas, confesso que mantenho as minhas dúvidas, portanto acho que deve ser feita uma recontagem. Retrucou Rubens: concordo, mas, desta vez, você é quem vai recontar. Risos.....

Na noite seguinte, no mesmo lugar estávamos todos a conversar miolo de pote, noite à dentro, até o momento em que Mané Capitula passasse, novamente, com sua tropa de burros em direção ao Piancó.

Como notívagos displicentes, os chocalhos dos jegues de Mané Capitula era a referência que nos levava a entender que a noite já estava a findar. Só nos restavam partir em direção às nossas respectivas casas, a fim de nos rendermos ao sono dos justos.

Que saudades dos amigos que já não estão entre nós. Que saudades do tempo que a gente podia conversar até altas horas da madrugada sem medo de ser feliz, não é? Tempo! Tempo, por que tanta perversidade?

João Pessoa, 24 de Fevereiro de 2012

*Economista e Escritor pombalense.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Genival Torres Dantas
GENIVAL TORRES DANTAS*

Na minha infância via os carnavais com seus corsos, poucos foliões, mas, muita alegria. A festa se resumia apenas ao carnaval de salão, no clube da cidade, Pombal, ternura nordestina, e os desfiles em carros abertos, normalmente um tambor com água para que seus ocupantes pudessem molhar os pedestres que ficavam nas calçadas olhando, e também participando daquela festividade.

Sai da cidade pequena, fui para o grande centro, no caso a cidade de Recife, com suas avenidas e pontes, onde o carnaval tinha um colorido especial com seus blocos e maracatus, orquestras de frevos e seus passistas, era admirador do bloco do São José, do bairro do mesmo nome, aonde fica localizado o mercado São José, próximo ao centro do Recife e ao marco zero, encontro dos foliões. Estudei lá, na Capital pernambucana até 1973, deixei para trás três grandes amores, o glorioso Santa Cruz, de tantas glorias, a faculdade e a alegria de um povo que sabia festejar seu carnaval até mesmo da adversidade.

Em São Paulo pude conviver com uma nova realidade, dentro dela o carnaval paulistano com todo seu gigantismo e empenho, a tradição dos clubes e escolas de samba fazia e faz a alegria de um povo que não se cansa, incansável nos seus ideais e objetivos. Os desfiles antes nas avenidas São João, Tiradentes, depois de 1993, data da inauguração do Sambódramo do Anhembi, na gestão da prefeita Luiza Erundina, paraibana, o paulistano passou a ter mais conforto para assistir ao desfile da sua escola preferida, principalmente depois da ampliação pelo prefeito Paulo Maluf, em 1996.

Nesse período estive no Rio por várias vezes para ver o desfile maior do carnaval brasileiro, a evolução e o crescimento da cidade e o gigantismo do carnaval também fez os desfiles passarem por vários palcos, sendo que a avenida Presidente Vargas recebesse essa festa por muito tempo, dois anos na avenida Presidente Antonio Carlos, motivado pela construção do metro carioca, e em seguida para avenida Marquês de Sapucaí, antes mesmo da implantação do Sambódramo, Passarela professor Darcy Ribeiro, cuja inauguração ocorreu em 1984, pelo prefeito Jamil Haddad. O Sambódramo carioca, projeto do grande arquiteto Oscar Niemayer, foi completado e reinaugurado em 12 último, pelo prefeito Eduardo Paes e a presença histórica do seu criador, Oscar Niemayer, hoje com 104 anos de idade.

O carnaval não é apenas espaço físico, tem toda uma história musical e cultural. No carnaval pernambucano a festa se agigantou, em 1978 foi criado o bloco Galo da Madrugada, no mesmo bairro São José e seu mercado municipal, tendo, esse ano, saído às ruas do Recife com 2 milhões de participantes. Os Bonecos de Olinda dão outra mostra de participação popular com seu arrastão carnavalesco.

Em salvador os foliões se superam atrás do trio elétrico, invenção do Dodô(Antonio Adolfo Nascimento) e Osmar(Osmar Macedo), cuja alegria é patrocinada principalmente pela energia das insuperáveis rainhas da alegria e beleza baiana, Ivete Sangalo e Claudia Leite.

Rio e São Paulo são protagonistas de espetáculos só comparáveis a grandiosidade do seu povo, com escolas apresentando luxo e beleza aos amantes dessa festa popular, imortalizada por grandes compositores que fizeram e fazem a alegria do nosso Brasil.

Para resumir a lista dos grandes nomes do mundo musical, tivemos quatro figuras que representam muito bem essa constelação de astros.

O Lamartine Babo, 1904/1963, com seus hinos aos clubes cariocas, e suas marchas, marcaram profundamente o memória de todos nós. Ary Barroso,1903/1964, com toda sua criatividade musical, se tivesse composto apenas a Aquarela do Brasil já teria justificado sua presença no mundo musical, um dos maiores e melhores compositores da MPB de todos os tempos.

Carlos Alberto Ferreira Braga, Braguinha, ou simplesmente João de Barros, 1907/2006, fez músicas inesquecíveis, As pastorinhas, em parceira com Noel Rosa, Carinhoso, uma composição em conjunto com Pixinguinha, duas músicas eternamente lindas, até hoje fazem a cabeça de todas as gerações.

Noel Rosa, 1910/1937, assim como Castro Alves, morreu jovem, deixando uma obra invejável, tanto na quantidade com na qualidade dos sambas que compôs, Último desejo, Palpite infeliz, Antonico, foram canções eternas de um compositor de grande versatilidade e poder de criação, desenvolvendo temas consagrados pelo grande público, tido como um dos maiores compositores da nossa MPB.

Hoje 21 de fevereiro de 2012, terça-feira, depois da última escola passar na avenida Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, percebo que realmente o tempo fez os ritmos se transformarem, o próprio samba tem outro ritmo, com introdução de novos instrumentos na bateria das escolas, entretanto, a alegria se mantém viva, a juventude continua a ser o principal ingrediente da festa, a música a proporcionar calor e energia aos foliões dispostos a viver até o último minuto de mais um carnaval de muito nível. Aqui em SC o tempo não está favorável aos foliões que certamente esperavam um dia de sol para recuperar na praia as energias perdidas na noite anterior, chove e nem mesmo caminhar na areia ou calçadão é possível. Mais um carnaval que está indo embora deixando para trás sonhos e fantasias, para até o próximo ano, na cabeça do sonhador que gasta fortunas para viver esse momento mágico.

Pombalense, Escritor e Empresário em Navegantes - SC.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

QUEM ESTÁ NA FOTO? ANO 1970.
Amisterlane Araújo
 Amisterlane Araújo*

Na última semana uma das notícias que mais teve repercussão na mídia, foi o julgamento de Lindemberg Alves, acusado de ter sido o responsável pelo homicídio de Eloá Pimentel, sua ex-namorada e pela lesão corporal sofrida pela amiga da vítima, Nayara.

Entretanto, a mídia ensinou a sociedade a considerar o réu culpado antes mesmo de ser julgado. É importante lembrar que, a nossa constituição é contundente ao resguardar o princípio do devido processo legal e da ampla defesa, além do que preleciona o ordenamento penal, que diz que o réu só é considerado culpado após o trânsito em julgado, ou seja, quando não couber mais nenhuma via processual para recorrer.

Mas, deixando toda essa parte técnica de lado, o que de fato mais me chocou foi, quando a advogada de Lindemberg Alves pediu a remissão judicial em favor do seu cliente, por razões emocionais, pedido que foi denegado pela juíza Milena Dias, foi ver que, quando o referido fato veio à tona na mídia, a advogada do réu foi logo considerada a grande vilã de toda a história, e o que é pior, vários cristãos, concordaram em condenar o acusado, antes mesmo do fim do processo e análise probatória!

Não estou aqui defendendo o réu, nem querendo inocentá-lo, contudo, o fato é que não se pode julgar alguém de tal maneira, ainda mais quando se resguarda princípios como os que Jesus Cristo ensinou.

Ora, nossos princípios cristãos nos ensina que todos nós podemos e devemos ser perdoado pelo Pai, desde que se arrependa de todo o coração.

Como bem explicitou, o Rev. Pedro de Mira, em um post na rede social, parafraseando-o ele mencionou: “Se Jesus agisse da maneira como nós agimos em relação ao acusado do caso Eloá nenhum de nós estaríamos perdoados, é válido ressaltar ainda, que o fato de está perdoado, não significa está isento de responder pelos atos.”

Assim, o Tribunal do Júri, achou por bem condenar o réu, sendo a sentença prolatada pela juíza Milena Dias com todas as agravantes e atenuantes que foram aplicáveis ao caso no total de 98 anos e 10 meses. Porém, é importante esclarecer irmãos, que o processo não está findo, inclusive a advogada do réu já se pronunciou e disse que vai pleitear pela anulação do julgamento pelo júri.

Por fim, o que quis demonstrar é que nós como cristãos não devemos agir precipitadamente condenando alguém sem quaisquer provas, capazes de demonstrar a culpa da pessoa acusada. Ademais, foi o próprio Cristo que nos ensinou a perdoar e a tirar primeiro o argueiro dos nossos olhos para depois tirar o do irmão.

“Por que vês tu, pois, o argueiro no olho do teu irmão, e não vês a trave no teu olho? Ou como dizes a teu irmão: Deixa-me tirar-te do teu olho o argueiro, quando tens no teu uma trave? Hipócrita, tira primeira a trave do teu olho, e então verás como hás de tirar o argueiro do olho de teu irmão.” Mateus, 7: 3-5

*Pré-concluinte do curso de Direito da UNIPÊ em João Pessoa e membro comungante da Igreja Presbiteriana Filadélfia no Valentina Figueiredo.

Fonte: Blogdiaconos_Secretaria Presbiterial de Apoio às Juntas Diaconais_Presbitério Sul PB.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*


“Eis que clamo: Violência! Mas não sou ouvido; grito: socorro! Porém não há justiça”. Jó 19:7


A Barbárie registrada na madrugada de sábado para domingo (11/12), na cidade de Queimadas região do agreste paraibano, em que um bando (sete maiores e três menores) encapuzado e de máscara, fortemente armado, invadiu a casa onde se realizava a comemoração de um aniversário, traz consigo o estigma da selvageria, difícil até para uma avaliação acurada de agentes e peritos da polícia, pela complexidade do caso e por tratar-se de um fato inusitado para essas bandas.

Uma ação premeditada quinze dias antes por dois irmãos donos da festa. Uma simulação de assalto para encobrir um estupro coletivo praticado em seis mulheres que foram convidadas para a festa. Duas foram executadas sumariamente por haver reconhecido o algoz aniversariante, que estava recebendo como presente do irmão, a mulher dos seus desejos animalescos a fim de constranger a vítima com violência para o coito.
Fachada da casa do estupro coletivo 
A que ponto chega à violência na Paraíba, pois o Governador Ricardo Coutinho que é o comandante geral da polícia do estado acha-se impotente para combater a criminalidade e solta para a Imprensa a infeliz frase “cada um que se cuide”. Por outro lado o comandante da Polícia militar da Paraíba Cel. Euler Chaves entrevistado do Programa “Polêmica Paraíba” na tarde desta quarta (15), quando questionado sobre as estatísticas de violência na Paraíba, acusou a imprensa de está amedrontando a sociedade, declarando que este fator depende muito da imprensa. “Parte de vocês fazem isso de maneira instantânea, tipo hiperbolizando os fatos. Sendo assim, gera aspectos sensacionalistas que naturalmente na mente das pessoas, do cidadão comum que faz uma leitura rápida daquele episódio ver como insegurança”.

A despeito dessas declarações, enaltecemos a ação conjunta das Policias Civil e Militar, que em menos de 24 horas, já tinha posto a mão em alguns desses elementos que participaram da tragédia de Queimadas, conseguindo dessa forma desvendar o mistério de tudo que estava por trás da festa de aniversário do dito cujo, idealizador da simulação do assalto que não houve. A mulher dele disse a policia que na sua casa não tinha o dinheiro que supostamente fora subtraído.
Assistir pela TV a frieza do principal articulador dessa trama depois do ocorrido. Estava em casa tomando um energizante aparentando uma tranquilidade como se nada tivesse ocorrido. O irmão para disfarçar foi logo cedo a delegacia da cidade fazer o boletim de ocorrência registrando a tragédia como assalto, acusando o bando de ter levado da casa da festa o valor de cinco mil reais. Mais tarde ambos se encontravam no velório das duas vítimas fatais quando foram presos pela polícia.

O que intriga as autoridades que investigam esses crimes é o fato de além de tal façanha haver sido premeditado há quinze dias, o ocorrido se deu acompanhado de um estupro coletivo com seis mulheres molestadas sexualmente, duas das quais foram executadas impiedosamente, quando estavam sendo levadas reféns em um carro de um dos convidados, uma saltou do veículo ao lado de uma Igreja Católica foi executada a tiros quando tentava fugir. A outra tendo sido executada pelos meliantes teve seu corpo desovado em uma estrada que liga Queimadas a Fagundes.

As investigações em torno da barbárie de Queimadas prosseguem. Já se sabe que os dois irmãos Eduardo e Luciano dos Santos Pereira mentores da festa, também são investigados por dois assassinados na favela da Rocinha, na zona sul do Rio, estavam sendo procurados pela polícia carioca, pois além desses crimes, existem também envolvimento em assaltos a bancos e homicídios no Estado nordestino.

Após os depoimentos dos acusados a Corregedoria do Tribunal de Justiça do Estado, em contato direto com o Secretário de Administração Penitenciária, solicitou a transferência dos sete adultos envolvidos no sinistro, por uma questão de segurança; já que havia o receio que eles fugissem ou que fossem vítimas da população de Queimadas em vingança pelo que fizeram as seis mulheres. Os sete adultos chegaram a PB 1 em João Pessoa, pouco antes das 18 horas de ontem (15). O comboio foi organizado pela Polícia Civil e chefiado pelo delegado Regional André Rabelo. Os sete envolvidos no crime estavam detidos na Centra de Polícia, em Campina Grande. Os três menores estão detidos no Lar do Garoto em Lagoa Seca.

Só nos resta clamar como o salmista Davi:

Socorro, Senhor!
“Porque já não há homens piedosos; desaparecem os fieis entre os filhos dos homens”.
Sl. 12:1. Revista e Atualizada no Brasil - Edições Vida Nova – SBB.

Pombal, quinta feira, 16 de fevereiro 2012.

*Radialista, Blogueiro e Colunista

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Eronildo Barbosa
Eronildo Barbosa*

O mundo do trabalho passou por radicais transformações nas últimas décadas, tendo como resultado, entre outras coisas, o aumento do desemprego e da miséria de uma parte da população, a precarização do trabalho e a queda substancial das atividades sindicais. Soma-se a isso a perda paulatina dos direitos sociais dos trabalhadores, conquistados com dificuldades ao longo dos últimos séculos.

Esse processo é resultado direto de uma nova reorganização do capital ocorrida a partir da década de 1980, com o objetivo explícito de ampliar as taxas de lucro que vinham caindo desde os anos 1970, por conta de mais uma crise econômica.

A história do modo de produção capitalista registra momentos de crise e de prosperidade econômica. É da lógica dessa formação social o aparecimento em períodos cada vez mais curtos de convulsões econômicas. Essas crises estão ligadas diretamente ao fato de que no capitalismo os bens produzidos são transformados em mercadorias.

Cada organização econômica produz a quantidade de bens que acredita ser possível vender, sem a preocupação com as demandas do mercado. Essa questão é determinante para o surgimento das crises, como muito bem analisou o velho Karl Marx, em seu famoso livro - O Capital.

O que acontece é que a disputa entre os capitalistas pelos nichos de mercado cria estoques de mercadorias não vendáveis. Uma parte delas fica encalhada. Com isso a taxa de lucro da organização econômica começa a cair. Mesmo as empresas que atuam em regime de monopólio ou oligopólio são afetadas pelas tensões econômicas.

Seus produtos também ficam parados nas gôndolas e nos depósitos porque os consumidores não têm condições econômicas de comprá-las. Esse fenômeno é conhecido como subconsumo.

Para tentar se defender dos efeitos da crise o empregador efetiva cortes nos custos do capital variável. Os postos de trabalho são os primeiros a serem atingidos. Na seqüência a crise vai se espraiando até se tornar universal, como nas décadas de 1930, 1970, 1990 e 2008 até os dias de hoje.

O mais grave é que parcela expressiva dos trabalhadores que perdem os seus empregos dificilmente volta ao mercado de trabalho. As novas tecnologias e a reformulação do processo produtivo que são administrados como recursos de superação das crises os conduzirão compulsoriamente para o chamado exército industrial de reserva, peça chave no processo de acumulação e desenvolvimento do modo de produção capitalista.

O empregador sabe que a existência de força de trabalho desempregada ou subempregada colabora diretamente para a queda da massa salarial e cria um ambiente favorável ao capital.

A história mostra que o medo do desemprego impacta o processo de organização do trabalhador. Os sindicatos, nesses momentos, perdem força e tendem a refrear as suas reivindicações mais imediatas,

Mas, por outro lado, as crises econômicas também são portadoras de oportunidades. O capital, nelas, procura alternativas para recompor a tendência decrescente da sua taxa de lucro.

Na década de 1970, por exemplo, depois de mais uma crise, o capital procurou soluções para elevar seus lucros. Nessa tarefa contou com o concurso das idéias neoliberais, formuladas nos anos 1940 por um grupo de economistas liderados por Friedrich Hayek, cuja base teórica apontava para o combate direto ao Estado de Bem-Estar criado nas décadas de 1940 e 1950 na chamada era de ouro do modo de produção capitalista.

Então, o que estamos assistindo nos últimos anos é um esforço danado das nações centrais para saírem da crise que elas criaram.

As dificuldades não são poucas e nem pequenas. Enquanto os capitalistas acharem que o desemprego e a especulação financeira criam riqueza o mundo continuará perdendo oportunidade de melhorar as condições de vida dos seus habitantes.

O que cria riqueza é o trabalho humano. Esse deve ser estimulado e bem remunerado. Essa é uma das saídas para as crises. Sem aumento do consumo não pode haver crescimento econômico. Essa é uma lição básica da economia política.

*È doutor em educação e professor universitário.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

A sinergia que há entre os poderes constituídos em busca de um objetivo maior que é o bem estar geral, o desenvolvimento, material e humano, e a segurança de uma nação, tem se exaurido, em nosso país, na proporção em que a participação de alguns membros, sem necessidade, procura intervir no assunto sem a menor competência.

Nos últimos 40 anos a nossa agricultura evoluiu praticamente pelas mãos da iniciativa privada, quando houve um verdadeiro êxodo dos agricultores do Sul do país, em busca de terras férteis, principalmente no centro-oeste, que pudessem ampliar a área agricultável, particularmente na cultura da soja, produto de valiosa moeda no mercado exportador e consumo interno. Em decorrência desse fato passado, hoje temos uma estimativa de 70.2 milhões de toneladas de soja para a safra deste ano.

Todo esforço da iniciativa privada não é acompanhado pelo poder público em não trabalhando na infra-estrutura para proporcionar o escoamento da safra mais agilidade e menor custo por tonelada transportada, sendo, portanto, a logística o grande entrave do processo produtivo da nossa agricultura e pecuária no nosso país.

O descaso com nossas rodovias é um caso impressionante, sem manutenção, com trechos praticamente sem a menor condição de trafego tornando o transporte rodoviário, de carga, o maior agregador de custos para o setor, e a perda de grãos, muitas vezes com ausência do próprio transporte, o vilão econômico.

O nosso país é um privilegiado quando o assunto é comodities, temos uma área agricultável inferior a 20%, explorada, reservas mundiais de 13% da água potável, produção de 80% da extração do minério de ferro consumido mundialmente, muito embora só tenhamos 5% do mercado de aço, sendo esse nosso grande pecado, vendermos matéria prima sem nenhuma valor agregado que represente geração de emprego para nossa gente.

Somos possuidores de uma reserva de petróleo no pré-sal, cujo volume tem superado a expectativa dos pesquisadores, em virtude de descobertas de novos poços a cada dia, em nossas águas profundas. Sem contar que no plano energético o grande negócio ainda seria reativarmos e incentivarmos o pró-álcool, para produção do álcool, como energia alternativa e renovável, com menos de teor de contaminação ambiental, tanto na produção como no consumo.

Quando tratamos do nosso parque industrial verificamos que estamos num processo de involução quando comparamos os demais países do Brics. Tínhamos em 1980 uma produção que se equiparava a China e Indonésia juntas, hoje representamos 15% da produção dessas duas nações. A nossa mão de obra é tida como uma das mais caras quando tratamos de chão de fábrica, entretanto os nossos operários ganham salários ainda incompatíveis com suas necessidades básicos, o custo decorrer da gula do governo em manter percentuais acima da média mundial com uma contrapartida de serviços inferiores ao que preconiza o bom senso.

No mercado de serviços a coisa vai ficando cada vez mais feia, nessa última semana tivemos um leilão da concessão dos serviços nos aeroportos de Cumbica, Viracopos e Brasília, o filé do boi foi servido por R$24.5 bilhões, a carcaça do boi, aeroportos deficitários, não vão a leilão, com a primeira parcela a ser paga (1) um ano após a assinatura do contrato, o restante em (12) doze parcelas anuais, fonte Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Os consórcios que ganharam as concessões certamente serão privilegiados pelo BNDS no aporte de recursos ao projeto, em até 80% dos valores contratados.

Falando de aeroportos, estamos entrando na semana pré-carnavalesca e duas Capitais nos deixa preocupados, Salvador com uma greve, na polícia militar, de 11 dias, com intervenção, desnecessária, de vários setores do governo federal, inclusive, participação direta, do ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, sem nenhum efeito positivo, pelo contrário, e por conseqüência, desencadeou-se a greve no Rio de Janeiro dos policiais civis, militares e bombeiros, tumultuando mais ainda a situação nas duas Capitais, gerando intranqüilidade na população e um nervosismo na industria de hotelaria e turismo, pois, caso o assunto não seja resolvido em caráter emergencial, o transtorno que virá por conta da situação será refletida não apenas no carnaval, maior calendário turístico do nosso pais, mas, na copa do mundo de 2014, no Brasil, e as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Antes que o desfile da incompetência aconteça, é melhor que as partes cheguem num acordo, usem o bom senso, o equilíbrio e a tolerância, procurem proporcionar uma festa de alto nível para os turistas e não estraguem com a soberba, prepotência e a falta de visão futurista, uma fonte de renda que nos traz dividendos não apenas no período do carnaval, e sim, em todos os meses do ano, com a presença de turistas em nossa terra, trazendo divisas para nossa balança comercial e demonstrando o respeito que sempre tivemos para com os nossos visitantes, e nos proporcionando a continuidade do título de país do povo mais alegre do mundo.

*Pombalense, Escritor e Empresário em Navegantes - SC.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

O homem sepultou a privacidade. A espionagem , instrumento de guerra e também usado pelas polícias de todo o mundo como uma ferramenta importante na investigação e elucidação de crimes, também tem seu lado negativo, isto quando está a serviço daqueles que agem à margem da lei.

No tempo de Sherl o ck Holmes, a sua espionagem era voltada para o bem, para a elucidação dos mais enigmáticos delitos , e, o que se percebe das anotações sobre o referido personagem , é que ele sempre se conduzia imbuído da ética. O triste é quando essa espionagem está à disposição do lado contrário.

Nos dias atuais, com o avanço da indústria tecnológica, a espionagem ganhou novos aliados, instrumentos que o cidadão comum nem imagina. No tempo da internet e dos celulares, encontramos diversos programas , que hoje não estão agrupadas somente ao imaginário da ficção cientifica.

Sabemos que a polícia está bem estruturada e possui equipamentos eletrônicos capazes de promover o grampo telefônico, quando , obviamente, autorizado por decisão judicial. Mas, o incrível é que hoje qualquer um pode adquirir, sem burocracia, um programinha denominado de REXSPY, ou outro do mesmo gênero, uma espécie de vírus que consegue, com uma facilidade espantosa, grampear qualquer telefone celular, e, o mais grave, transformar o aparelho em uma espécie de microfone, permitindo que aquele que realizou o grampo passe a escutar e gravar toda a conversa havida entre o usuário do celular grampeado e seus interlocutores. Aliás, esses programas não só grampeiam conversas, mas alcançam, também, todas as informações constantes do celular, e, caso haja troca de chip, o programa tem condições de identificar e continuar agindo.

Essa tecnologia poderá ser usada pelo crime organizado para acompanhar a ação de suas vítimas e da polícia, bem assim por escritórios advocatícios para monitorar, indevidamente, os passos a serem dados pelos advogados contrários aos seus constituintes. Estamos em ano de eleição. Quem garante que políticos não usarão essa tecnologia na guerra eleitoral que logo mais estará instalada nas ruas e nos tribunais?

É tempo de insegurança, mas prefiro ainda acreditar na existência de homens dignos e honrados que não temem esse tipo de tecnologia, pois costumam andar sempre com a verdade à mão. Quem assim age não tem ética, não merece credibilidade. São seres podres, que não possuem amigos e não confiam sequer na sua própria sombra . São desprovidos de Deus. Que pena!

*Pombalense e Juiz de direito da 5ª Vara Cível de João Pessoa – PB.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Nonato Bandeira e Clemildo Brunet (foto)
CLEMILDO BRUNET*

Este ano marca as eleições municipais em todo país. Aqui na Paraíba não poderia ser diferente. Na capital do Estado já se especula nomes de pré-candidaturas que deverão ser definidas ou homologadas pelos partidos ou coligações, nas convenções a serem realizadas no mês de junho do ano em curso.

Até o dia 14 de janeiro tinha-se como certa a pré-candidatura de Luciano Agra atual Prefeito de João Pessoa apoiado pelo Governador Ricardo Coutinho. No entanto, com a desistência deste ao posto, deu-se início a uma série de especulações de quem seria o pré-candidato que receberia o apoio do atual Governador da Paraíba. Mas, Ricardo escolheu Estelizabel Bezerra, do PSB seu partido, e ex-secretária de seu Governo para suceder Luciano Agra na Prefeitura de João Pessoa.

Entre os pretensos a suceder o Prefeito Luciano Agra surge também o nome de Nonato Bandeira, 46 anos, Jornalista, formado pela UFPB, já tendo exercido várias funções de revisor a editor geral. Fez parte da diretoria do Sindicato dos Jornalistas e foi Presidente da Associação Paraibana de Imprensa, tendo sido também o responsável pelo projeto que implantou a primeira TV Pública na Paraíba, a TV Assembleia, na gestão do hoje vice-governador Rômulo Gouvêia.

Sua militância política vem desde os tempos que frequentou a universidade nos movimentos estudantis, tendo exercido funções como diretor de Centro Acadêmico e do Diretório Central dos Estudantes. Nonato conheceu Ricardo Coutinho nos idos de 1990 e mantém até hoje uma sólida amizade com o Governador, tendo ocupado a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de João Pessoa no primeiro mandato de Ricardo como Prefeito e no segundo como Chefe de Gabinete. Atualmente ocupa a pasta da Secretaria de Comunicação Social do Estado, tendo sido o único Secretário que acompanhou o Governador na viagem a Brasília para assistir a posse de Aguinaldo Ribeiro no Ministério das Cidades, na última segunda feira dia 06.

Apesar de não ser o pré-candidato escolhido pelo Governador para sucessão municipal de João Pessoa, Nonato Bandeira tem contado com o apoio de amigos do próprio partido do Governador e de outras agremiações partidárias aliadas a Ricardo Coutinho, resultando com isso a criação de uma frente democrática em torno de seu nome.

Em 2008 ele foi cotado para figurar como vice na chapa de Ricardo Coutinho e teve mais votos no conselho político das alianças que formavam os partidos aliados; porém, não logrou êxito na indicação final perdendo para o hoje Prefeito Luciano Agra. Nonato também poderia ter sido indicado como candidato a Vice Governador na Chapa de Ricardo Coutinho nas eleições de 2010, abdicou dessa pretensão e tornou-se o principal articulou para o estabelecimento de uma aliança com Cássio Cunha Lima do PSDB, com o fim de consolidar a vitória de Ricardo pra Governador e Cássio para o Senado.

Nos embates dessa arena política, eis que o PPS partido do qual Nonato Bandeira é filiado, surge de repente com um impasse: Outro pretenso pré-candidato pela legenda, o Deputado Estadual Janduhy Carneiro diz não apoiar Nonato e vai manter sua pré-candidatura a Prefeito da Capital. Diante do imbróglio, ninguém sabe ao certo o motivo do silêncio de Ricardo Coutinho, em não se indispor com a Frente Democrática de Nonato, talvez, quem sabe, seja a intransigência de Janduhy em ser pré-candidato do PPS ou talvez uma segunda opção para Ricardo nas eleições deste ano, caso as pesquisas favoreçam a candidatura do seu atual Secretário de Comunicação. É esperar pra ver.

Pombal, quarta feira, 08 de fevereiro de 2012.

*RADIALISTA, BLOGUEIRO E COLUNISTA
Morreu na manhã desta quarta-feira (8), por volta das 8h, o cantor Wando. Ele estava com 66 anos e foi internado no dia 27 de janeiro com problemas cardíacos graves no Hospital Biocor, em Nova Lima, em Minas Gerais. Após passar por uma angiolplastia, reduzindo significativamente o risco de morte, o cantor apresentou uma melhora, mas sofreu uma parada cardíaca.

Wando estava com nível de 90% de obstrução de três artérias e precisou respirar com a ajuda de aparelhos durante o período de sua internação. Após a cirurgia de angioplastia, o nível caiu para 40%, sendo considerada uma melhora representativa do ponto de vista da equipe médica.

Apesar de não fumar e não consumir bebidas alcoólicas, Wando mantinha péssimos hábitos alimentares e era bastante sedentário. Ao dar entrada no hospital, ele estava pesando 110 kg, 30 a mais do recomendado pelos médicos. Outro agravante é o histórico familiar do artista: seu pai e irmão também morreram em decorrência de problemas cardíacos.

Wando, o rei das calcinhas

Wanderley Alves dos Reis nasceu no dia 2 de outubro de 1945, em uma pequena fazenda na cidade de Bom Jardim, em Minas Gerais. Ainda criança, mudou-se para Juíz de Fora e ganhou da avó o apelido de Wando.

Em Minas Gerais, começou a estudar violão erudito e já tinha uma banda na cidade de Congonhas, onde tocava em festas da região. Mais tarde mudou-se para Volta Redonda, no Rio de Janeiro, e trabalhou como entregador de leite e de jornal, além de feirante e caminhoneiro.

Desistiu do violão clássico e começou a "fazer canções de amor para as moças", como ele mesmo narrou em sua própria biografia, disponível em seu site oficial. Alcançou o sucesso em 1973, com Nega de Obaluaê, que já ganhou versões de nomes como Pedro Luís e a Parede, João Sabiá, Benito di Paula, Sambasonics, entre outros.

Em São Paulo, gravou com Jair Rodrigues O Importante é Ser Fevereiro, que também estourou no início da década de 70, mas foi com a faixa Fogo e Paixão que ele consolidou sua carreira de cantor e compositor.

Com álbuns intitulados Ui-Wando de Paixão, Obsceno, Depois da Cama e Vulgar e Comum é Não Morrer de Amor, por exemplo, Wando recebeu o título de "o cantor mais erótico do Brasil". Seus shows eram famosos por cenários com camas, haréns e, claro, a distribuição de calcinhas perfumadas.

Discografia:
Gloria a Deus e Samba na Terra (1973)
Wando (1975)
Porta do Sol (1976)
Ilusão (1977)
Gosto de Maçã (1978)
Gazela (1979)
Bem-vindo (1980)
Pelas Noites do Brasil (1981)
Fantasia Noturna (1982)
Coisa Cristalina (1983)
Vulgar é Comum é Não Morrer de Amor (1985)
Ui-Wando Paixão (1986)
Coração Aceso (1987)
O Mundo Romântico de Wando (1988)
Obsceno (1988)
Tenda dos Prazeres (1990)
Depois da Cama (1992)
Mulheres (1993)
Dança Romântica (1995)
O Ponto G da História (1996)
Chacundum (1997)
Palavras Inocentes (1998)
S.O.S. de Amor (1999)
Picada de Amor (2000)
Fêmeas (2001)

Fonte: Terra

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Temos passado por um processo de violência de abrangência mundial, usa-se até um jogo de futebol para exprimir toda ira contra a própria raça humana, chegando a mais de 70 mortos numa única situação em um estádio onde a confraternização devia ser o principal motivo de um embate futebolístico.

A luta pela derrubado de governos continua a fazer vítimas e mostrar todo estresse coletivo, o respeito pelo próximo é um sentimento que deixamos de lado para garantirmos nosso espaço dentro de uma sociedade em estado falimentar, onde não há limites para se conseguir uma posição ou destaque no meio.

No Estado da Bahia a greve dos membros da polícia militar tem mobilizados recursos financeiros, materiais e humanos no sentido de dar um pouco de tranqüilidade à população tão carente de segurança nesses tempos de tanta dificuldade. Não é justo que em nome das nossas reivindicações prejudiquemos os outros, mas, a indiferença ao próximo no leva a esse tipo de comportamento.

É muito triste vermos atitudes injustificáveis, principalmente por pessoas ou grupos que sendo formadores de opinião deviam usar toda sua capacidade para o crescimento do coletivo, entretanto, como se nada devesse ou não tivesse satisfação a dar, procuram trabalhar para o seu próprio bem estar, verdadeiro gesto de egoísmo, ignorando o conjunto do qual fazem parte.

Quando se trata de política, o tema aqui no Brasil fica assustadoramente preocupante, não sabemos se realmente foi perdido o respeito pelo ser humano, eleitores, ou se o sistema está realmente fora de propósito. Em nome da governabilidade temos visto, nos últimos dias, coisas que duvidávamos que um dia viesse acontecer. A corrupção ativa e passiva continua sendo responsável por queda de ministros e de ocupantes de cargos no segundo e terceiro escalão na administração federal.

O Mario Negromonte deixa o Ministério das Cidades envolvido numa atmosfera negativa, por práticas impróprias a um Ministro de Estado, com ele caiu o seu chefe de gabinete, Cássio Peixoto, demitido depois das notícias de que se reuniu com lobistas. Também caiu o chefe da assessoria parlamentar, homem de confiança de Negromonte, João Ubaldo Coelho Dantas. O palácio da alvorada nada disse a respeito, um silêncio total, na sequência é nomeado o novo ministro para a pasta, dessa vez uma preferência pessoal da presidente Dilma e do mesmo partido do Mario Negromonte,PP. O escolhido para essa nova vaga é o deputado federal, paraibano, 42 anos, nascido em Campina Grande, dois mandatos a deputado estadual pela Paraíba, 2003/2011, secretário da agricultura irrigação e abastecimento da Paraíba, 1998/2002; secretário da ciência e tecnologia e recursos hídricos e meio ambiente da Paraíba, 2008/2009; secretário de ciência e tecnologia da cidade de João Pessoa, Paraíba, 2009/2010.

O novo ministro é administrador e engenheiro civil, com MBA em gestão empresarial pela FGV. Uma bela carreira para um jovem político que tem uma longa estrada pela frente numa classe carente de novos líderes.

Infelizmente o ministro que assumiu hoje já vem lastreado com denúncias de corrupção, favorecimento de verbas, como deputado, e ocultação, à justiça eleitoral na última eleição, da sua participação societária em empresas de comunicação e construção civil. Vamos esperar as apurações que certamente vão ser realizadas por solicitação da oposição no Congresso Nacional

Por outro lado, é demitido sumariamente da presidência da casa da moeda, Luiz Felipe Denucci, acusado de corrupção no exercício do cargo. Esse caso é impressionante, trata-se de uma pessoa indicada por um partido político, o PTB Do Roberto Jefferson que alega ter apenas encampado o apadrinhamento a pedido do governo. O ministro Guido Mantega, pessoa respeitosa e respeitável, até então sem nenhum ato que o desabone junto a opinião pública, alega que não conhecia o economista e que a indicação é de responsabilidade do próprio PTB, e a saída do presidente, da casa da moeda, deve-se a pressão política.

Interessante é que qualquer pessoa para assumir qualquer cargo na empresa privada ou pública, por mais simples que seja, é obrigada a passar por teste ou concurso, no caso de cargo público, informando um “curriculum vitae”, provando sua idoneidade financeira e moral. Entretanto, para assumir cargos de confiança, no governo federal, principalmente, é suficiente a indicação política. Hoje temos 17 partidos que fazem parte da base aliada, responsáveis pela sustentação política e governabilidade do país.

Esses partidos fizeram loteamento de todos os cargos de confiança, causando um dano irreparável ao poder central, esse fato tem mantido a Presidente da República, numa verdadeira camisa de força, o mais triste, não é responsabilidade apenas da situação, ou governo atual, a prática vem se arrastando por governos anteriores. Nós, simples eleitores mortais, não temos saída, não vemos solução imediata e nem a curto prazo para uma solução. Urge uma mudança radical no sistema político, para tanto, se faz necessário uma reforma imediata, para que isso aconteça é preciso coragem e atitude política, o que tem faltado aos nossos representantes.

*Ex-locutor do Lord Amplificador, Escritor pombalense, é Empresário em Navegantes - Santa Catarina.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Há algumas dezenas de anos o Piancó era um Rio limpo de águas cristalinas. Era densamente povoado por diversas espécies de peixes em quantidade generosa capaz de atrair pescadores dos diversos recantos da cidade, até mesmo de municípios vizinhos.

Não fui diferente, pois adorava pescar. Pescar para mim era uma boa terapia para me libertar do tédio do dia a dia das atividades escolares. O meu landuá, bem como as varas de pescas, estava aposto quando havia oportunidade de mais uma aventura como pescador peixes miúdos.

Convém salientar que o tema central desse escrito diz respeito à estória de um menino que alimentava a ilusão de ser um eficiente pescador tarrafeiro. Ou melhor, queria pescar com tarrafa, a exemplo de Nicodemos e Vital, considerados exímios mestres da arte de pescar.

As águas do Piancó ostentavam nas suas profundezas, uma grande diversidade de peixes o que despertava interesse dos habituais pescadores. O ambiente ideal para o inicio de um ciclo de pesca acontecia quando as águas do rio atingiam o nível de baixa vazante. Quanto menos águas, maiores são as possibilidades de sucessos. Assim teorizava o mestre Nicodemos.

Não obstante ser apenas um aprendiz de pescador o meu desejo de pescar aguçava-se cada vez mais, quando via os mestres da arte da pesca encher suas cabaças de peixes, em intervalos de tempo relativamente curtos, em razão da grande quantidade de pescados que povoavam o rio

Nas minhas elucubrações fantasiosas queria ser igual aos dois melhores pescadores do lugar. No meu imaginário este dia haveria de chegar, pois, na minha cabeça não havia espaço para outras coisas a não ser o desejo de ser um exímio pescador.

No meu modo de pensar Vital e Nicodemos pareciam dois mágicos a lançarem suas tarrafas, que mais pareciam dois extensos leques abertos que pousavam repentinamente sobre as cristalinas do Piancó. Nas maiorias das vezes as tarrafas eram arrastadas repletas de curimatãs, piaus, sovelas, entre outros peixes de menor importância.

Nessa época o rio não era perenizado a exemplo de hoje. Quando terminava a estação invernosa, lá pelo fim do mês de junho, as águas começavam a minguar até restar apenas um pequeno filete a recarregar os principais poços situados ao longo do banhado. Reafirmo que: era a partir desse momento que os tarrafeiros, com maior freqüência entravam em ação.

Ao chegar o mês de setembro o rio apartava, razão para formação dos poços do Araçá, Panela, Redondo e Cambôa, todos localizados a uma distância mínima de um a dois quilômetro da cidade, quando muito quatro, como é o caso da Cambôa.

O menino curioso, que tanto desejava ser um eficiente pescador hoje escreve suas reminiscências. Apesar dos meus desejos incontidos, enquanto criança, a arte de pescar não evoluiu dentro de mim. Por isso, por não saber tarrafear a única alternativa que dispunha era usar varas de anzóis e landuá como instrumentos de pesca.

Nas minhas caminhadas rio-abaixo com o primo Benigno de Cândido a cata de peixes aprisionados em poços isolados, jamais nos afastávamos dos domínios da propriedade de Sá Ana, nossa saudosa Avó. Por isso, o nosso ambiente de pesca restringia-se as áreas próximas aos poços da Panela e Araçá, isso porque temíamos a presença do Caboclo D’água que tanto falavam Zé Jó, Vital, bem como outros pescadores que, vez por outra apareciam pra conversar no lajedo em frente à casa de farinha.

Tinha jeito não, na minha cabeça não dava outra coisa, pois, queria ser um habilidoso pescador tal qual Vital e Nicodemos. Para isso tinha que aprender lançar a tarrafa, coisa que nunca consegui. O tempo passa e o menino que tanto desejava ser pescador tarrafeiro chega à idade adulta, infelizmente, sem jamais ter aprendido a arte de lançar tarrafa. O menino criou asas, voou para lugares distantes, mas ainda guarda as lembranças daqueles bons momentos que marcaram a sua vida.

É claro que o tempo deixa marcas. A maior delas é a frustração que carrego, por não ter tido o prazer de comer um pirão a beira do rio feito com peixes pescado por mim claro, depois daquele ritual típico, qual seja, fixar a tarrafa nos dentes, ainda, em cada uma das mãos segurar os extremos e num giro de cento e oitenta graus, por conseguinte disparar um certeiro lance sobre um desprevenido cardume de curimatãs a vagar sob as águas do Piancó. Era assim que Vital e Nicodemos faziam, mas infelizmente nunca consegui fazê-lo.

O tempo continua a passar. Já não se pesca com tarrafas e landuás como antigamente. Os pescadores que usavam os referidos artefatos, não existem mais. Ademais, pra nossa tristeza, o Piancó, piscoso de águas cristalinas apresenta-se hoje, qual um rio doente, quase sem vidas, o pior, sem perspectivas de cura no curto prazo.

Tudo mudou inclusive Eu. Na cabeça do menino que tanto desejava ser pescador, só resta uma pálida lembrança e nada mais.

João Pessoa, 07 de Fevereiro de 2012

*Economista e Escritor pombalense.

10 Anos

DEZ ANOS DE BLOG Clemildo Brunet* Para brindar tão glorioso acontecimento, ele acontece juntamente com os duzentos e nove anos de imprensa em nosso país, justamente na semana que intercala as duas datas importantes para os nossos meios de comunicação: 1 de junho – Dia da Imprensa Nacional Brasileira e 7 de Junho Dia da Liberdade de Expressão.

Postagem Destaque

Jornalista e escritor faz revelação sobre importante político de Pombal e fala da história de “Maringá”

O jornalista disse o município tem avançado nessa nova gestão, mas precisa alavancar em áreas mais importantes. O Caldeirão Político ...

Quem sou eu

Minha foto
CLEMILDO BRUNET DE SÁ – Iniciou sua carreira radiofônica em 1961 nas antigas difusoras de Pombal. Em 1966 montou sua própria emissora “A VOZ DA CIDADE”, que teve o seu destaque na formação de muitos profissionais que atuam hoje nos veículos de comunicações como: Rádios, Jornais, TVs e Portais da Web. Em 1968 instalou o serviço de Alto Falantes “LORD AMPLIFICADOR”. Atuou no rádio como: Locutor, redator, comentarista, repórter e noticiarista. Foi correspondente durante dez anos do Jornal Estadual da Rádio Tabajara da Paraíba entre 1980/1990. Ex-diretor comercial das Rádios Maringá AM e Liberdade 96 FM de Pombal. Passando ainda pela Opção 104 FM de Pombal e Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras exercendo nesta última, suas atividades jornalísticas nos Programas, Rádio Vivo e Trem das Onze. Foi agraciado com a mais alta honraria da Assembléia Legislativa da Paraíba “A Medalha Epitácio Pessoa”, no dia 10 de junho de 2010. Aposentado, atualmente vem divulgando temáticas sobre o rádio, a cultura e a história de Pombal, em seu Portal CLEMILDO, COMUNICAÇÃO & RÁDIO. Sigam-me no Twitter: http://twitter.com/clemildobrunet

Arquivos do Blog

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.

VISITA DE CORTESIA A PRODUTORA DE VÍDEOS "SALES DANTAS" EM JOÃO PESSOA-PB.
CLEMILDO E SALES DANTAS EXIBINDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007".

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.

NO RESTAURANTE "CACIOROLLE" EM JOÃO PESSOA.
ELIEZER GOMES OFERECE LAUTO ALMOÇO AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET E AO CRONISTA ESPORTIVO JOSÉ CARLOS ARAÚJO.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
OS RADIALISTAS DA TERRA DE MARINGÁ QUE FORMAM A GRANDE COMISSÃO DA FESTA.

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

´TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
CERIMONIAL: ADELTON ALVES, LADEADO PELAS PROFESSORAS: DIANA E SONIA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
A GRANDE COMISSÃO COMPOSTA PELOS RADIALISTAS DE POMBAL.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ENTREGA DO CERTIFICADO "PARCEIRO AMIGO DA IMPRENSA" AO REPRESENTANTE DA CASA BORBOREMA.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07
ALDO NUNES DO SEBRAE RECEBE DAS MÃOS DE CLEMILDO "O TROFÉU IMPRENSA 2007.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO EM SEU DISCURSO AGRADECEU AS HOMENAGENS A ELE TRIBUTADAS.

AGRADECIMENTO

Meu querido Clemildo Brunet

Tomei conhecimento por intermédio de minha mãe, Dona Zélia que o nobre Jornalista tinha feito uma homenagem ao meu querido e inesquecível Pai, Cirurgião Dentista e Historiador Wilson Nóbrega Seixas, em seu Blog, de pronto como seu filho mais velho estou lhe enviando esse E-mail agradecendo em nome de minha família as atenções.

Do conterrâneo e amigo,

Antonio Chateaubriand Carneiro Arnaud Seixas

CONGRATULAÇÕES

Clemildo amigo,

Gostei de suas palavras sobre o nosso conterrâneo Paulo Abrantes. Você, como sempre, valorizando os filhos da terra. Abraços para você e para o homenageado.
Carneiro Arnaud

PASTOR CLODOALDO

Querido Clemildo
Agradeço a Deus a oportunidade que me concedeu de conhecer pessoalmente o meu primo Pr Clodoaldo. Os que confiam no Senhor são como águias, renovam-se e revigoram as forças. São ditosos e, asseguram-nos as escrituras, frutuosos todo tempo. As bênçãos de Deus se revelam na longevidade e a misericórdia Dele proporciona-nos ver os filhos dos filhos. No caso aqui , poderei dizer , primo dos primos. Tive o privilégio de conhecer, pessoalmente, o Pr Clodoaldo na ocasião das comemorações do centenário de nascimento do meu saudoso e amado Pai ( Flavio Brunet) . Como foi gratificante para mim, encontrar o Pr Clodoaldo , pois eu só ouvia falar dele. Não me lembro se o conheci quando ele era criança, mas tenho certeza que nunca nos havíamos encontrado. Depois que ele dedicou sua vida ao Ministério, encontrá-lo, como servo de Deus, foi como um refrigério a minha alma.
Lendo seu relato, vi como o Nosso Deus é Misericordioso com aqueles que obedecem a Sua Palavra. Posso imaginar como foi a vida desse homem de Deus que entregou sua vida para proclamação do Evangelho. Sei perfeitamente o quanto é difícil para um missionário iniciar um trabalho!! Mas sei, também, o quanto é agradável fazer a obra de Deus. As dificuldades se sobrepujam ao regozijo das nossas almas. Parabéns, Pr Clodoaldo, por mais um ano de vida dedicado ao serviço do Nosso Senhor Jesus Cristo, levando mensagem de Salvação. Parabéns Clemildo, pelo dom que Deus lhe deu. Você sabe, como ninguém, homenagear as pessoas que lhe são queridas. Um grande Abraço Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

PARABÉNS PELO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FlÀVIO BRUNET DE SÁ

Caro Clemildo,
Moro em São Luís, Ma, e já estive na Paraíba , terra querida do meu pai, que aí nasceu e morou até os dezoito anos, em Catolé do Rocha.Veio muito cedo para o Maranhão e aqui se estabeleceu. Faleceu em 1979, com 68 anos. Ele falava com saudades da sua terra e me fez gostar dela. Por isso, eu amo a Paraíba .
Associo-me às homenagens prestadas in memoriam, ao seu Flávio Brunet que não conheci pessoalmente, mas que admiro e respeito pelos seus feitos em prol da família, da igreja e da comunidade. Aprendi a admirá-lo também pelo amor a ele dedicado pela sua filha Rose Mary,
Parabéns pelas festas do centenário de nascimento desse ilustre paraibano que sem alarde , deixou um legado que se perpetuou nas novas gerações de filhos, netos , sobrinhos e amigos. Ao lado de D. Eunice, de saudosa memória,soube construir um patrimônio irretocável de amor, generosidade, e , sobretudo, de um testemunho de vida que o tempo não vai conseguir apagar.
E a você, de modo especial, toda a minha admiração pelo blog que destaca de forma brilhante essa comemoração. Que ela sirva de inspiração a todos quantos busquem como paradigma aqui na terra, um homem valoroso, trabalhador e temente a Deus. Seu Flávio aqui viveu de modo digno, desempenhando a contento a obra que lhe foi confiada por Deus
Com estima,
Dina Barreto da Silva

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO EMPRESÁRIO GENIVAL TORRES DANTAS EX-INTEGRANTE DO LORD AMPLIFICADOR NA DÉCADA DE 70.

AUSÊNCIA JUSTIFICADA!

Bom dia Clemildo!
Conseguir entrar no seu blog e vir todas as homenagens dedicadas a seu Flávio, mais do que merecido como todos nós sabemos.
Não podemos marcar presença, pois Júlio estava com problema alergico e tive medo de viajar.
Parabéns pelo seu maravilhoso trabalho.
Obrigado
JÚLIO E SÔNIA BRUNET

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O DESEMBARGADOR RAPHAEL CARNEIRO ARNAUD EM SEU DISCURSO REFERIU-SE AOS RELEVANTES SERVIÇOS PRESTADOS POR CLEMILDO A COMUNICAÇÃO PARAIBANA.

PARABÉNS, PELO BLOG

Elias Medeiros
Estimado Clemildo. Acessei seu blog. Parabéns. Encontramos poucos blogs hoje em dia como o seu. Um blog sério que promove valores (espirituais, familiares, amizades, etc) que muitos blogeiros esqueceram de ressaltar. Parabéns, portanto, pelo blog muito informativo e formativo. Elias e Fokjelina Medeiros

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB EM 14-11-07.
CLEMILDO CUMPRIMENTA A MADRINHA DOS RADIALISTAS COM UM BEIJO.

COMENTÁRIO: O CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ.

Rivanilda Ramalho de Sá comentou sobre a sua postagem no blog



...tudo que ele faz será bem sucedido. Salmo 1.3 Assim é as coisas que você promove. Foi um evento perfeito organizacionalmente e emocionalmente... Uniu gerações da família...Agradável aos olhos de Deus. Parabéns!

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
ACADEMIA DE LETRAS DE POMBAL ENTREGA CERTIFICADO HOMENAGEANDO OS RADIALISTAS DE POMBAL.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
O JORNALISTA JOÃO COSTA EM SEU DISCURSO ENALTECEU AS QUALIDADES DO HOMENAGEADO!

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.

TROFÉU IMPRENSA 2007 NA AABB DE POMBAL EM 14-11-07.
DONA CESSA MADRINHA DOS RADILISTAS ENTREGA O TROFÉU IMPRENSA AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET.

NOVO CONTADOR DE VISITA INICIADO EM 27/06/12









SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÂO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU ESTA PLACA CARACTERIZANDO O RECONHECIMENTO DA CÂMARA DE VEREADORES!

JOÃO LEITE FILHO CUMPRIMENTANDO O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET NO MOMENTO DA ENTREGA DA COMENDA.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÃMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO DIA 14-11-07.
CLEMILDO RECEBEU MAIS ESTA COMENDA DAS MÃOS DO PRESIDENTE DA CASA.

MEU PRIMO GOSTARIA QUE VOCÊ POSTASSE A NOSSA GRATIDÃO PELA ORGANIZAÇÃO DA FESTA.

Pensava eu, em prestar uma homenagem ao meu pai, primeiramente agradecendo a Deus o que ele representou para sua família enquanto viveu. Depois queria que a meus filhos e convidados soubessem um pouco mais da vida desse grande homem. Abro aqui um parêntese para dizer, que vivemos no mundo de hoje em que honestidade é sinônimo de desvantagem. As pessoas só querem tirar vantagens uns dos outros sem se importarem do verdadeiro sentido da Vida. O ter é mais importante do que o SER. Sempre vi meu pai, pensando nos outros, nutria suas amizades com aqueles que gostavam não por aqueles que tinham maiores condições de vida. Sempre teve amigos verdadeiros. Voltando agora, dos meus pensamentos sobre meu querido e saudoso pai. Não poderia fazer o que pretendia sem ajuda desse importante comunicador. Clemildo fez o link do meu passado com o presente. Muito Obrigada, dileto primo!!!

Rose.

EMOCIONADA AO VER FAMÍLIA REUNIDA

Fiquei muito emocionada ao ver a família reunida. Agradeci a Deus por estar presente primeiro porque sei o quanto a minha avó Eunice ficaria feliz se viva estivesse; segundo porque considerei um milagre o meu chefe me liberar para viajar, já que havia muito trabalho no gabinete e me surpreendi quando ouvi ele dizer que considerava importante a minha presença no evento.
Não poderia imaginar uma homenagem mais bonita para o meu avô. Agradeço a todos que compareceram, principalmente, ao Pastor Clodoaldo, por ter sido um instrumento de Deus para trazer a mensagem, ao Dr. Clemildo pela organização de reunir todas as informações sobre o ”seu Flavio", aos meus tios Rose e Eli pela iniciativa, amo vocês.
Miriam Brunet

CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE FLÁVIO BRUNET DE SÁ!

Obrigada Clemildo pelo relato das nossas homenagens ao nosso Pai Flavio Brunet de Sá. Agradecemos a Deus, o que papai representou para nós, em vida. Comemoramos os 100 anos de nascimento dele. Esse exemplo de vida merecia ser lembrado até para as pessoas que não tiveram o privilégio de conhecê-lo. Fiquei muito feliz com o que aconteceu naquela noite. Agradeço de coração a todos que compareceram e, de uma forma ou de outra contribuíram para uma noite tão agradável. Uma noite de pura emoção!!! Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DOUTOR ATÊNCIO, MEU MÉDICO!

Gostei de ler o brilhante relato sobre a vida do Dr. Atencio. Ele foi o meu médico, nos primeiros meses de meu nascimento. Sempre ouvi a Mamãe e minha babá Raquelzinha falar sobre o Dr Atencio, da sua dedicação como médico. No ano de 2001, encontrei com a D. Cacilda em João Pessoa. Ela me reconhecendo como filha de Flavio Brunet de Sá e Eunice Ramalho Brunet foi logo me falando: “meu marido foi o seu médico". Eu disse que sempre tinha isso na minha lembrança que o Dr Atencio além de ser o meu médico era amigo da nossa família. Rose Mary Ramalho Brunet Medeiros.

DE ROSE MARY RAMALHO BRUNET MEDEIROS, PARA CLEMILDO BRUNET

• Rose Medeiros
Meu primo querido!!! Não tenho palavras para lhe agradecer o seu empenho de organizar e concretizar o meu sonho!!! Fiquei muito gratificada em poder fazer a homenagem para o papai . Ele ainda vive nos nossos corações!!!A fazenda Cajazeiras é tudo que podemos ter para que essa lembrança seja materializada. Fiquei recompensada com as palavras que ouvi ontem sobre o meu pai. Foi tudo o que pensei e idealizei, e isso não seria possivel sem a sua ajuda. Com todo meu carinho sua prima Rose Medeiros
01 DE AGOSTO: HOMENAGEM A CLEMILDO PELO TRANSCURSO DE SEU ANVERSÁRIO!

Deus está sempre contigo
Ele renova o teu coração
Unge os teus pensamentos
Sempre a vida com gratidão

Dar-te força e Coragem
E faz viver com emoção

A vida é sempre bela
Mesmo que haja provação
A Mão de Deus torna singela

Dar a ti felicidade
E a Saúde para viver

Cada momento de tua vida
O amor de Deus te faz sentir
Reinar em ti toda hora
Altivez está em ti
Com o teu dom a disputar
A estrela sempre a brilhar
Os teus anos vem florir

Maria de Lourdes P. de Almeida Araújo

COMENTÁRIO DE WJ.SOLHA

Beleza, meu caro. Alcancei o tempo do Cine Lux ainda de Affonso Mouta, com salas sempre cheias, ainda vejo na memória, o infalível padre Andrade a chegar mancando, vejo uma área reservada a prostitutas, vejo a infalível mãe de Eneida, esposa do colega do BB, Ramiroo, . a bilheteria na curva da esquina. Infelizmente posso dizer que seu Affonso, que mantinha um padrão alto de filmes que projetava, morreu em meu lugar. Ione, minha mulher, estava em Fortaleza, com um problema de saúde e pedi à Brasil Oiticica que, se fosse possível, me desse uma vaga em seu avião que ia semanalmente para lá. Tudo certo, mas, quando chegou o dia, recebi a ligação dizendo que, infelizmente, teriam de levar um motor que precisaria de reparos urgentes, só possíveis no Ceará. Era uma mentira gentil: tinham cedido o lugar a mim prometido para seu Affonso. Que foi tomar o avião e foi sugado pela hélice, que lhe abriu o abdôme. No Cine Lux sofri muito vendo os copiões de O Salário da Morte, um dos rolos completamente desfocado, pelo que tivemos de refilmar tudo de novo.
Quanto ao cinema de Patos, eu me lembro dele com o nome de Eldorado. Indelével porque o cine Eldorado, em Sorocaba, de onde eu viera, era o único cinema que eu jamais frequentara.
Boas lembranças. Bom texto, meu caro.

COMENTÁRIO: DIA DO PROFESSOR.

Prezado Clemildo,

Parabenizo o ilustre colunista, pelo brilhante artigo sobre a origem da data comemorativa 15 de outubro "DIA DO PROFESSOR", acredito que um grande número de colegas nossos, não conhecem o motivo pelo qual comemora-se nesta data. Fico honrado e agradecido (enquanto profissional) pelo encorajamento, incentivo e prestígio que o colunista faz ver ao leitor sobre esse profissional,... Que infelizmente não é reconhecido pelos nossos governantes. Uma prova da falta desse reconhecimento está no embate jurídico sobre o reconhecimento e pagamento do PISO SALARIAL.

Muito obrigado Clemildo, por lembrar dessa figura tão importante na formação dos demais profissionais. O PROFESSOR.

Curimatá(PI), 13 de outubro de 2012

Francisco De Assis Soares

FELICITAÇÔES

Caro amigo Clemildo, você me surpreendeu com o seu encantador artigo que molda parte da minha vida e de meus amigos em Pombal. A sua inteligência lhe acompanha pelos mais recônditos lugares de sua alma. Parabéns meu amigo, não merecia tanto, valeu para relembrar esses bons momentos relatados. Abraço do amigo Paulo Abrantes.

RIACHO DE PRATA: TERCEIRA OBRA LITERÁRIA DE PAULO ABRANTES!

Dr Paulo foi um imenso prazer conhecê-lo pessoalmente e poder ouvi-lo dia 30.09.11 na ocasião da inauguração da Biblioteca da Câmara Municipal de Pombal que leva o nome de nossa Mãe Maria do Bom Sucesso Lacerda Fernandes; com voz mansa e doce, falou com sua simplicidade sobre o evento que estava acontecendo e apresentou sua nova obra a qual fui premiado por vós e que vou lê-lo com muito apreço e depois comentar aqui mesmo neste blog.
Queria agradecê-lo em primeiro lugar, em meu nome e da minha família pela sua presença ao evento e pelo livro a mim presenteado, saiba que a sua amizade com meus pais é sincera e pura como o sentimento de uma criança, há fidelidade mútua e o amor fraternal vos une, extensivamente agora comigo e os meus. Sucesso com esta mais nova obra literária.GRAÇA E PAZ, AMÉM.
JUNIOR BOM SUCESSO
PATOS PB, 01.10.2011.

MARINGÁ: ...FICOU SENDO A RETIRANTE QUE MAIS DAVA O QUE FALÁ...

Meu caro Clemildo:
Histórias sobre Maringá sempre povoaram o imaginário de toda gente de Pombal ao longo do tempo, alimentando o desejo de desvendar essa história. No caso presente, Jerdivan Nóbrega, meu escritor predileto, traz á tona êste palpitante tema, no seu encantador romance, "A Saga da Cabocla Maringá", apresentando como nunca vi igual, uma idéia literária que empolga e gera tanta expectativa no seio da sociedade pombalense. Porquê popularmente a Maria do Ingá ,ou seja, "Maringá", é um hino de amor, é uma canção de louvor a nossa terra, é um idílio que não gostaríamos que tivesse sido interrompido, é afinal uma história, um desfecho que tinha de ser contado, e Jerdivan fez e fez muito bem. Clemildo você está como Jerdivan, cada vez melhor, acertando no alvo que o povo de nossa terra quer saber.
"A Saga da Cabocla Maringá", de Jerdivan Nóbrega de Araújo, é uma obra muito interessante, cuja magia está no enredo e na simplicidade de linguagem utilizada pelo autor em todos os momentos. È um livro que deve ser lido por todos. Parabéns a ambos.
Paulo Abrantes é engenheiro civil e escritor pombalense.

Olá Clemildo Brunet. Bom dia!
Beleza mesmo. Isso precisa ser acessado por todos os pombalenses. É cultura.
José Haroldo.

Caro amigo Clemildo:
Como é bom constatar o carinho que vocês têm por Pombal. Faz bem para a gente e serve de exemplo. Certamente "A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ" terá grande aceitação e já que o autor é seu amigo torço pelo sucesso dele.
Um abraço bem grande Clemildo.
Ubiratan. Curitiba PR.

CARÍSSIMO CLEMILDO.
Confesso, gostei imensamente do seu comentário sobre “A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ”, o mais recente livro do conceituado escritor pombalense Jerdivan Nóbrega.
A partir do título bastante sugestivo e oportuno você foi muito feliz na peça discursiva. Admiro seu elevado discernimento e a facilidade com que discorre o conteúdo da obra direcionando seus aspectos para os diversos lados.
Seu comentário é, portanto, uma sinopse da obra que por si só já nasceu grande, graças ao reconhecido talento literário do seu autor, do qual sou admirador.
Se hoje a Lenda de Maringá passou da canção para o livro, quem sabe amanhã seja encenada e exibida por esse Brasil afora. Seria a perpetuação de uma história que nasceu para sempre.
Enfim, este é o comentário que gostaria de ter feito.
Parabéns com louvores.
Prof. Francisco Vieira.

POMBAL, SEMPRE POMBAL
Caro Amigo e Conterrâneo,
Clemildo Brunet.
Essa história da cabocla Maringá se arrasta por muito tempo. Eu era criança pequena nos arredores de Pombal e ouvia falar de histórias e estórias da retirante. Quando surgiu a música, ela mexia com a sensibilidade de muitos idosos daquela época. Homens e mulheres se manifestavam: "como é 'penosa' essa história"!
Mas ninguém se propunha a desvendar o mistério que até hoje permanece rondando por essas cercanias. O nosso grande Ruy Carneiro, talvez tenha mantido um amor proibido. Proibido, dada a diferença de classe. Ele não foi o primeiro a frustrar-se em ocasiões tais.
Conta-se, por aí, que dois irmãos originários de classe média, conheceram duas irmãs de classe menos favorecida e mantiveram um amor proibido, até que chegou ao conhecimento do público. A mãe dos rapazes lhes pediu que não casassem com aquelas moças porque não faziam futuro nenhum. Eles a obedeceram, mas na seguinte condição: Um não poria mais os pés no chão de Pombal; o outro, resolveu abraçar a vida celibatária.O caritó, para as mulheres. Assim fizeram.
Quando ela, a mamãe, adoeceu eles vierem visitá-la. Um pediu que o levassem nos braços, porque não pisaria mais nessa terra, pois assim jurara. Assim cumpriu o seu pretexto. O outro,cumpriu o propósito de não mais se casar, foi servir na Polícia Militar do Estado do Parahyba,lutou na "Revolução de Princesa", obteve uma carreira bem sucedida, no Quadro de Oficiais. E, na reserva, chegou a ser Prefeito de Pombal. E muito trabalhou pelo Município. Fez o Distrito de Paulista tomar um impulso nunca visto.
Agora, advinhe quem foram eles...
Cansei de ouvir contar essa história, quando ainda menino de calças curtas.
Forte Abraço - JOSÉ SANTOS DINIZ

Prezado amigo Clemildo Brunet:
Fiquei feliz em reencontrar você em plena movimentação cultural, escrevendo sobre a "Cabocla Maringá", um blogueiro de primeira categoria. Quero dizer a você que o site do "Caldeirão Político" www.portalcaldeiraopolitico.net está aqui as suas ordens.
Você já leu o seu artigo "DA CANÇÃO PARA O LIVRO - A SAGA DA CABOCLA MARINGÁ", já inserido no nosso site? Quero continuar transcrevendo os seus artigos. Pode encaminhá-los. Como também outras notícias de Pombal.
CHICO CARDOSO

Olá meu amigo!
Essa história da existencia em corpo e alma da cabocla Maringá, bem como a sua presença nas terras de Pombal, deixou-me encafifado por muito tempo. Busquei vesitigios da sua presença onde pudesse encontra-lo, Li a obra de Jose Gregorio que narra os principais acontecimentos de Pombal, exato no tempo que possivelmente a Cabocla poderia estar entre nós. Nada, nenhuma referencia àquela fascinante mulher. Conversei a exaustão com a minha Mãe, por sinal da mesma idade de Ruy. Amigos de infancia e adolescencia, estudaram juntos, por isso firmaram uma amizade que terminou com a morte de ambos. Minha Mãe dizia que esta mulher jamais existiu em Pombal. Em sendo Maringá dotada de uma beleza singular, com certeza a sua presença no lugar teria chamado atenção das moças da época. A única paixão de Ruy em Pombal, foi uma prima de minha Mãe cujo nome era Ana Dantas de Alencar ou Nina, na intimidade da familia. Afora essa moça, não há registro de que Ruy tenha namorado outra moça.com os supostos dotes fisicos de Maringá. Em resumo, Maringá nasceu no rio de Janeiro, Não tem Mãé, só tem pai cujo nome é Joubert de Carvalho. O resto é lenda e nada mais. Jerdivan, na construção da sua obra, sabiamente manteve essa questão fora da trama, com certeza para evitar questionamentos infrutiferos que podem desviar atenção da riqueza criativa e essencia do seu livro. Abraços Ignacio Tavares

COMENTÁRIOS SOBRE O LIVRO "RIACHO DE PRATA"

Distinto amigo Paulo Abrantes.
Li Riacho de Prata.Sua literatura é empolgante, sobretudo percebo tratar-se também, de um excepcional DOCUMENTÁRIO HISTÓRICO sobre a sua terra natal - POMBAL, em detalhes de um colorido fantástico, num reflexo de sentimento familiar, social, tudo ornamentado por um paisagismo impressionante. Sinto-me diante duma leitura amena, que conforta a alma e o espírito, trazendo ao leitor mavioso recreio, que, neste vendaval turbulento que ora vivemos, é a meu ver, um caleidoscópio oriental dos velhos tempos que se foram, revestidos de humanidade e ternura, valores que não já não vemos mais, tão frequentemente.
Do companheiro-alado, velejando no mundo da nossa internet.
MILTON ALVES
Auditor da Receita Federal.

Prezado Paulo Abrantes,
Venho agradecer pelo envio do livro "Riacho de Prata - Crônicas & Contos", de sua autoria.
Parabéns pela idéia de homenagear a sua terra natal, Pombal, incluindo além de seus próprios textos, os de outros conterrâneos.
Cumprimento-lhe ainda por proporcionar aos leitores essa "viagem" que remonta às origens e revivem na memória lembranças de momentos inesquecíveis, em sua vida, e certamente na de muitos pombalenses.
Atenciosamente,
Roberto CavalcanteCorreio da Paraiba

Como foi bom ler seu livro, Paulo Abrantes! Foi como se visitasse Pombal, mas não agora, e sim à época em que vivi lá, de 63 a 70! Quanta gente daquele tempo me veio à memória! Quanto riacho revivi, no seu texto gostoso, "em desabalada correnteza, ecoando um estalar de troncos e ramos partidos"!
Como foi bom saber que Nena Queiroga, que me encantou tanto com sua tranquila elegância, seus livros e suas viagens à Europa, também encantou você. Não sabia que ela ensinava religião!
E como foi gostoso ler o que você escreveu sobre a Rua Estreita, onde vivi a primeira cena do filme O Salário da Morte, na qual enchi a velha porta da farmácia do Epitácio com cinco buracos do que deveriam ser balas de festim!
Mas bom, mesmo, é o texto que v. produziu sobre A Rua Estreita, um desfile de personagens fabulosos, como seu Zé de Duca e a quebra de resguardo da mulher por conta de um lobisomem; como seu Hormídio puxando a gaveta para dela tirar o catálogo homeopático, com que curaria a pobre senhora; com o transe do espírita Generino, com a pregação de Pedro Marcelino!
Sucesso pra você e seu livro, meu caro!
W.J.Solha.

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO PIANCÓ: QUEM VAI CUIDAR DO NOSSO RIO?

Meu caro Clemildo, Pombal tem essa felicidade de ter filhos como você, filho que relata e traz guardado no peito uma história que agrada e reacende as lembranças de nosso tempo de banhos neste rio abençoado de tantas gerações. Obrigado pelas referências, este texto escrevi em momento de inspiração e de saudade. Um abraço fraternal, Paulo Abrantes

COMENTÁRIO SOBRE A POSTAGEM "Dr. Avelino, o médico: Uma das maiores lideranças Políticas de Pombal

Clemildo amigo,
Inicialmente os agradecimentos pela parte que me coube como médico filho de Pombal. Em seguida, parabéns pela homenagem feita ao Dr. Avelino. Abraços Carneiro Arnaud

Amigo Clemildo.
Além de brilhante, sua ideia foi por demais oportuna em homenagear a classe médica na pessoa do saudoso Dr. Avelino Elias de Queiroga.
Homenageando o inesquecível "Bolinha", você está resgatando com muita justiça um dos maiores expoentes de nossa história. Sua contribuição foi imensurável para com a nossa terra, não apenas como médico e político, mais sobretudo, como amigo, qualidades que lhe constituíram como um dos maiores líderes populares de Pombal e região.
Parabéns.
Abraços: Prof. Francisco Vieira.

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

POMBALENSES SAEM AS RUAS PARA VER A SUPER LUA

FOTO DO ENCONTRO

FOTO DO ENCONTRO
EU E ROBSON PIRES

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.

VISITA DE CORTESIA A RURAL AM E FM DE CAICÓ RN.
Visita de Clemildo a Rádio Rural 95 FM em Caicó. Na foto com Clemildo os comunicadores Ronyson Nery e Yanny Danniely.
Tecnologia do Blogger.

CLEMILDO FAZ VISITA DE CORTESIA A COLEGA DE PROFISSÃO EM CAICÓ RN.

Nesta quarta feira dia (02), estive na Rádio Rural de Caicó, ocasião em que visitei o colega Robson Pires (pombalense), que apresenta o Grande Jornal Rural da emissora; fiz-lhe o convite para prestigiar a solenidade da entrega da Medalha Epitácio Pessoa. "Conheci o Robson menino nas ruas de Pombal, ele tinha o apelido de Pelé e eu costumava dizer é o único Pelé branco. Hoje em Caicó ele é temido por suas reportagens e conhecido como o Xerife do Rio Grande do Norte"

POMBALENSE ASSISTE PELA TV ASSEMBLÉIA, SESSÃO ESPECIAL DA MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Prezado Clemildo:
Impossibilitado de comparecer à Assembléia Legislativa para prestigiar o Ilustre conterrâneo no ato de recebimento da merecida Comenda, quando todos que o conhece, ficamos felicíssimos, venho, embora tardiamente, mas, nunca é tarde para recolher o seu grande valor, como profissional, como ser humano.
Submeti-me a uma cirurgia oftalmológica, mas fiz questão de ligar para o colega que me operou para que liberasse e fui liberado para assistir pela TV Assembléia, a tão honrosa Sessão Especial, ao lado de meu querido pai, aposentado dos Correios e Telégrafos, que com muito orgulho também prestigiou o filho do saudoso Seu Napoleão grande amigo dele.
Como médico orgulha-me de ser pombalense e de ter presenciado boa parte da sua crescente trajetória profissional no rádio.
PARABENS CLEMILDO BRUNET. DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO.
MANOEL ANGELO FILHO

AGRADECIMENTO!

Caro amigo Clemildo:
Agradeço sensibilizado pelos cumprimentos enviados na passagem do meu aniversário.
O tempo passa depressa e a gente nem sente. Eu sou muito grato a Deus pela longa vida que me deu, pela família com que me brindou e pelos amigos com os quais fui presenteado e entre os quais você se destaca.
Muito obrigado pela carinhosa homenagem, desejo a você e seus familiares um Feliz Natal e de um Ano Novo de muitas alegrias com as bênçãos de Deus.
Um grande abraço.
Ubiratan.

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO/2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL DE FIM DE ANO

CONDOLÊNCIAS

A passagem para o Oriente Eterno do Irmão Francisco Fernandes da Silva, conhecido por Bibia, esposo de Dona Cessa poetisa pombalense falecida a um ano, foi uma grande perca para a Maçonaria brasileira e para a nossa Pombal. Aos seus Familiares manifetamos sentimentos de pêsames rogando ao GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO que os iluminem e guarde para sempre. Alberto Salgado Bandeira e Fátima Bandeira

Caro amigo Clemildo!

Ao ler no seu conceituado Blog a noticia da morte do amigo Bibia, confesso que fiquei confuso por algum instante. Logo Bibia? Perguntei-me. É isso mesmo, ninguém pode fugir dos ataques traiçoeiros da maldita morte. Sem querer desmerecer os demais amigos e amigas, aqui em Pombal, dois casais de amigos faziam a diferença para mim: refiro-me ao compadre Belino e comadre Lili, ambos de saudosa memória e a Bibia e Cessa. Quantas e quantas vezes a gente se reunia lá na casa do alto para jogarmos conversa fora! Depois do falecimento de Belino e Lili, restaram-me Cessa e Bibia. E agora? Ora, só me resta preservar na memória os bons momentos de convivência harmoniosa que mantivemos por dezenas de anos. Bibia, peço ao Senhor Jesus que lhe dê a paz e a felicidade que você sempre desejou em vida. Ademais, tenho certeza de que o seu encontro com a sua amada Cessa será comemorado com grande festa patrocinada por todos os amigos que estão na eternidade. Aos filhos e netos desse belo casal que Deus reclamou, desejo-lhes muita paz e conforto, pois vale a pena lembrar que morte não é o fim, é apenas uma passagem de uma vida para outra, Aceitem todos meus sentimentos.
Ignácio Tavares

DE UBIRATAN LUSTOSA: RECEBI O LIVRO

Ubiratan Lustosa
Para CLEMILDO BRUNET
De:
Ubiratan Lustosa (ulustosa@ulustosa.com)
Enviada:
sábado, 29 de outubro de 2011 19:02:10
Para:
CLEMILDO BRUNET (brunetcomunicador@hotmail.com)
Olá, amigo Clemildo.

Recebi o livro "Riacho de Prata", de autoria do seu amigo Paulo Abrantes, e agradeço a sua gentileza de me enviar esse presente. Na primeira folheada já percebi que vou saber mais sobre a sua Pombal querida e isso me trará muita alegria. Por coincidência, gravei meu programa na quarta-feira, para ser apresentado domingo, e nele estará a música "Maringá", com Carlos Galhardo. Aproveitei para lhe mandar um abraço.
Renovo meus agradecimentos e envio um grande abraços a você, pedindo que seja extensivo ao autor Paulo Abrantes.
Ubiratan.
Curitiba - PR.
LINK: http://www.e-parana.pr.gov.br/modules/programacao/radioam_ao_vivo.php
DO PROGRAMA DE UBIRATAN, APRESENTADO ÀS 6 HORAS DA MANHÃ DOS DOMINGOS (NOSSO HORÁRIO).

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL EM 14-11-07.
EM SEU DISCURSO CLEMILDO FEZ UM RELATO HISTÓRICO DA RADIOFONIA POMBALENSE E LEMBROU VELHOS COMPANHEIROS!

COMENTÁRIOS: A EVIDÊNCIA DA MÚSICA BREGA...

Clemildo Brunet,
Sua matéria publicada sobre o BREGA é excelente e muito oportuna e irá contribuir para a aprovação do Projeto de Lei.
José de Sousa Dantas -Poeta e Escritor pombalense.

Adilson Ribeiro
clemildo brunet, parabéns pela matéria sobre o brega. As vezes eu acho que se Elvis presley fosse brasileiro, ele não passaria de um cantor de brega. Então eu só quero dizer que nao adianta fugir, qualquer cantor brasileiro é brega. Não pense que... Caetano Veloso é menos brega do que Waldick. A América, a Europa, nao gostam de brasileiros. Porque o próprio brasileiro não se gosta, quer ser americano de qualquer jeito. Ver se lá em nova york, tem alguma frase em portugues. Aqui no Brasil é pit stop, personal trainer, as propagandas de produtos é quase tudo em inglês. Temos que nos valorizar. Um cantorzão como o Nilton Cesar, se fosse americano, era o rei de qual coisa. Porque o americano se ama e ama seus idolos. Parabéns ao nobre deputado Tião Gomes, que dê certo sua iniciativa em relação ao brega.
Adilson Ribeiro - Cantor e Compositor.
Ananindeua, Brazil.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.

POSE PARA FOTO APÓS COLETIVA.
Radialista Clemildo Brunet ladeado pelo Vice Geraldinho e a Prefeita Polyana.

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

POSE PARA FOTO IMPRENSA, POLYANA E GERALDINHO

TIBURTINO GOMES DE SÁ: SEGUIDOR DO BLOG COM MUITA HONRA!

Seu blog, meu caro primo Clemildo é muito profundo e de muito conhecimento, próprio da família, que diz - "Sá quando não é inteligente demais é 'doido'" Brincadeira. Já sou seu seguidor com muita honra. Mais tarde estarei fazendo um "tourner" pelo blog! Saudações primo!
Sousa,11/10/2011
Tiburtino Gomes de Sá

É ASSIM QUE SE FAZ CIDADANIA

Caro amigo Clemildo.
O seu Portal está maravilhoso. Uma homenagem bem merecida. Os paraibanos reconhecem o seu valor, especialmente os pombalenses. É assim que se faz cidadania. É demonstrando amor pela terra onde nasceu. Patriotismo, por que não dizer. São valores que jamais a História de Pombal os excluirá de suas páginas. Você está de parabéns. Sinto-me feliz quando vejo um conterrâneo trazer ao conhecimento público o retrato falado do nosso Município, como pioneiro do Sertão Paraibano. Portanto, volto a dizer: Você merece mais do que a homenagem que lhe foi prestada pelo Poder Legislativo do Nosso Estado.
Forte Abraço.
José Santos DINIZ.

COMENTÁRIO DO DR. ELISEU JOSÉ DE MELO NETO NO FACEBOOK

Eliseu José De Melo NetoClemildo Brunet de Sá Agradeço muito. Você fez a minha biografia com muita precisão. Detalhes da minha vida que até por mim passava desapercebido, você publicou com precisão. Parece que teve ajuda de alguém muito próximo. Foi muito real. Felicidades! E muita saúde para você, que considero como um dos meus grandes amigos!
O RÁDIO AINDA É O MAIOR MEIO DE COMUNICAÇÃO!

FAZENDA RAMADINHA

FAZENDA RAMADINHA
4 JANEIRO 2009

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO" OUTUBRO 2014
JORNAL "ALTO SERTÃO" EDIÇÃO ESPECIAL FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL. OUTUBRO 2014

À MEMÓRIA DE DONA CESSA: EXEMPLO A SER SEGUIDO POR TODOS NÓS...

Estimado amigo Clemildo:
Lindo e comovente o seu artigo. Sinto-me honrado por você ter incluído nele a citação do meu texto sobre saudade. Na verdade, esse carinho que você e o povo de Pombal dedicam à memória de Dona Cessa é um exemplo a ser seguido por todos nós. Pessoas como ela sempre devem ser lembradas pela sua doação à coletividade e grandeza de sentimentos.
Parabéns, amigo, e um grande abraço.
Ubiratan.

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
APRESENTAÇÃO DA CANTORA NARA CASTRO

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
COMPOSIÇÃO DA MESA. AO CENTRO O PROMOTOR DE JUSTIÇA SEVERINO COELHO VIANA AUTOR DA OBRA LITERÁRIA.

COMENTÁRIO SOBRE O ARTIGO: LINDUARTE NORONHA: "uma saudade a mais, uma esperança a menos".

Caro Clemildo,
O seu artigo em homenagem ao cineasta Linduarte Noronha, é uma página feliz não só pela lembrança da morte daquele que viria inspirar o chamado Cinema Novo no Brasil, como nos trazer um relato inédito, do escritor Solha , de suma importância histórica para a compreensão daqueles que esperavam da película "O Salário da Morte" um desfecho feliz de vingança e vitória. Para melhor entender, nos anos 70, o longa-metragem "O Salário da Morte” foi e é, um registro histórico para o cinema paraibano, em especial para Pombal, como fator de notoriedade, como o foi Aruanda para o cinema nacional, devido ter surgido numa cidade interiorana de pequeno porte. Na época, Solha, surpreendeu o mundo artístico paraibano com o seu roteiro original debaixo do braço e partiu para a capital na busca de pessoas competentes e identificadas com a arte cinematográfica para dar asas a sua imaginação, ao seu projeto. Não entenderam que estavam diante de um jovem ousado, inteligente, de idéia privilegiada, um visionário do sucesso. Aí, aconteceu o pior, cortaram a luz da película, o seu roteiro original, aquele que se dirigia para o sucesso, dando lugar a uma tentativa frustrada. Solha, vendeu tudo, casa, carro, tomou dinheiro emprestado, e nada disso o abalou. Continua forte e firme como as aroeiras e baraúnas de nosso sertão e escrevendo divinamente e colhendo os bons frutos que a História Universal da Angústia lhe conferiu e a alegria do fantástico Árkadich lhe proporciona. Assim é o Solha, impávido colosso.
Paulo Abrantes

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!

CONFRATERNIZAÇÃO DE ANO NOVO!
ALMOÇO FAZENDA RAMADINHA

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!

LANÇAMENTO DO LIVRO: PODER DA CIDADANIA!
SEVERINO COELHO VIANA FAZENDO APRESENTAÇÂO DE SUA SÉTIMA OBRA LITERÁRIA.

AO IMORTAL POETA

AO IMORTAL POETA
RONALDO CUNHA LIMA

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO: A FESTA DO ROSÁRIO DE POMBAL OFICIALIZADA...

Parabéns, CLEMILDO, pelas suas excelentes e oportunas matérias publicadas em seu site na internet, referentes ao DIA ESTADUAL DA MÚSICA BREGA e à FESTA DO ROSÁRIO EM POMBAL, esta como você bem disse: “...EMBORA TARDE...”, mas agora instituída no calendário de eventos do Estado.
São matérias sumamente importantes para a divulgação e o fortalecimento da cultura do Estado, fazendo com que as pessoas tomem conhecimento e valorizem mais as manifestações culturais de Pombal e do Estado.
José de Sousa Dantas - Poeta e Escritor Pombalense

O ANIVERSARIANTE DE HOJE 30/06/12, COM A FAMÍLIA!

PARABÉNS CESSINHA...

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA

PUBLICADO NO FACEBOOK POR EDMILSON PEREIRA
Edmilson Pereira Silva - Aqui apareço ao lado de um grande amigo e uma referência do rádio paraibano, Clemildo Brunet de Sá

CLEMILDO ANIVERSÁRIO 1° DE AGOSTO

de Prepare-se está para Clemildo Brunet.

Parabéns!!! Este dia foi especialmente preparado pelo SENHOR; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. (Salmos 118:24) Deus te abençoe grandemente

de Cassimiro Neto para Clemildo Brunet.

Parabéns! Hoje é mais um dia de festa. É o dia que celebramos o teu aniversário. E nesse dia festivo te cercamos de abraços e felicitações. Você é uma pessoa muito querida e por isso todos os teus amigos e parentes te desejam tudo de bom. E eu, presenteio você com essa singela homenagem. Porém repleta de todo o meu carinho. Que Deus te ilumine, todos os dias de sua vida! Abraços e FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Cassimiro Neto.

de Elias para Clemildo Brunet.

FELIZ ANIVERSÁRIO!!

Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.

Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes.

Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.

É ser grato, reconhecido, forte, destemido.

É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;

Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

São os meus mais sinceros votos

Elias Mesquita

de Chagas Vitoriano para Clemildo Brunet.

Quero nesta data especial, rogar a Deus que sua vida seja plena de muitas felicidades, que a luz do Divino Redentor lhe ilumine a cada passo e que só coisas boas lhe aconteçam!!! Meus sinceros Parabéns!!!

Caro Clemildo,

Parabéns pelo seu aniversário!

Receba meus cumprimentos e os melhores votos de saúde e felicidades.

São passados 63 anos de nossas vidas, temos apenas um mês de diferença de idade. Sentamos no mesmo banco escolar da Igreja Paroquial de nossa infância querida em Pombal. Nunca duvidei que estivesse diante de um talentoso artista, pelo seu espírito irrequieto, inteligente e capaz. O tempo mostrou que ali em Pombal, residia um dos maiores radialistas do sertão. Este homem que foi agraciado com a maior condecoração da Assembléia Legislativa, a “Medalha Presidente Epitácio Pessoa” numa justa homenagem que lhe foi prestada no ano de 2010.

Quero lhe dizer neste 1º de agosto, neste alvorecer de sua nova idade, com as bênçãos de Deus, sua vida seja de paz e que seus desejos e projetos se realizem.

Com um grande abraço, do amigo de infância, Paulo Abrantes.

primo/amigo, Clemildo Sá, não poderia me furtar jamais de partilhar deste momento de alegria em sua vida, pela passagem de mais um aniversário na certeza de que você vem cumprindo sábio e fielmente com a doutrina que o Senhor lhe outorgou à ser cumprida no decorrer da sua estada neste plano de existência! Que Deus te abençoe sempre! E... FELIZ ANIVERSÁRIO!

Tiburtino Castelo Sá Gomes.

Clemildo Brunet, A equipa do Palco Principal deseja-te um feliz aniversário! Obrigado por continuares conosco. Que a música esteja sempre contigo! Parabéns!

A equipa do Palco Principal

DE VERNECK ABRANTES PARA GENIVAL TORRES

Genival Torres,

Agradecemos as suas palavras motivadoras e de alerta sobre a importância histórica de lembrar as datas marcantes da nossa cidade.

Na verdade, os 150 anos de elevação ao status de cidade, deveríamos ter estabelecido um marco dessa passagem, assim como ficou registrado a denominação do Bar Centenário quando dos 100 da nossa cidade, também nesse mesmo dia, citar o lançamento do livro do nosso Wilson Seixas: O Velho Arraial de Piranhas. Por quanto, até então, ficamos sem um marco de lembrança dos 150 anos do aniversário de Pombal. Que continue nos prestigiando com seus belos texto, onde mantemos em arquivo.

Um abraço com admiração,

Verneck Abrantes

BODAS DE OURO

BODAS DE OURO
Almir e Marlene em Natal Comemorando 50 anos de Feliz União Conjugal. Parabéns pelas Bodas de Ouro!

CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA

Prezado Clemildo,

Lembro aos meus ilustres conterrâneos, fui propositadamente bastante sucinto nas indicações no meu texto, Descaso ou Indiferença, para não ser prolixo. Ainda sensibilizado com a resposta do nosso ilustre escritor pombalense, Verneck Abrantes, e concordando plenamente com a sua indicação, mais ainda, e como referência para análise posteriori, caso Pombal queira deixar um marco material, paralelo, exposto à visitação pública, temos a Chaminé da Brasil Oiticica que poderia ser denominada Chaminé Sesquicentenária, como homenagem alusiva data, e de certa forma, tornando real a possibilidade de não se jogar por terra essa construção que é um marco na indústria da cidade. Transformando numa monumental peça da construção civil, um dos segmentos que fizeram, e que ajudaram a construir a história da nossa gente. Fraternal abraço a todos.

Genival Torres Dantas

CLEMILDO,

Como marco da passagem dos 150 anos da elevação de Pombal ao status de cidade, veja a ideia de Genival Torres Dantas: CHAMINÉ SESQUICENTENÁRIA. Com uma pequena praça no seu entorno e Pombal teria mais uma referência histórica e lugar para visitas turísticas, exposição de fotografias ou representações artísticas. Achei excelente o pensamento de Genival.

Um abraço,
Verneck

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.

ENCONTRO DE POMBALENSES EM TERRA POTIGUAR.
Nesta foto registro o meu encontro em terra potiguar com o conterraneo amigo e Empresário no Rio de Janeiro, Almir Almeida. Na conversa matamos saudades dos velhos tempos de nossa Pombal.

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO

HOMENAGEM DA POETISA A CLEMILDO
Mª DE LOURDES ALMEIDA PEREIRA DE ARAÚJO NA FOTO COM CLEMILDO

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

A PARAÍBA PERDE UM GRANDE ESTADISTA: RONALDO CUNHA LIMA!

Um dos últimos políticos da Paraíba que soube honrar com altivez e destemor a prática da honestidade nos procedimentos com o erário público, esse sim, fez parte da geração onde a política era feita pelo o idealismo de servir ao povo a exemplo do Senador Ruy Carneiro e do Deputado Federal Janduhy Carneiro, assim era o poeta, ex vereador, ex- prefeito, ex-deputado estadual, ex-governador, ex senador e ex-deputado federal RONALDO CUNHA LIMA. A PARAÍBA NÃO SÓ PERDE UM POLÍTICO AUTÊNTICO, MAS UM GRANDE HOMEM QUE SOUBE REPRESENTÁ-LA MUITO BEM NO CENÁRIO NACIONAL. NOSSA SOLIDARIEDADE DE PESAR AO SENADOR CÁSSIO CUNHA LIMA, EXTENSIVO A TODA FAMÍLIA!

Clemildo Brunet - Radialista.

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA

PARABÉNS AO AMIGO BIBIA
REGISTRAMOS COM GRANDE SATISFAÇÃO NA DATA DE HOJE 07 DE FEVEREIRO, O ANIVERSÁRIO DO AMIGO FRANCISCO FERNANDES DA SILVA, BIBIA, QUE DEUS LHE CONCEDA MUITOS E MUITOS ANOS DE VIDA E MUITAS FELICIDADES JUNTO A SUA ESPOSA CESSA E TODA FAMÍLIA. PARABÉNS E FELIZ ANIVERSÁRIO!

TWITTER X FACEBOOK

- Parabéns pelos temas enfocados através do seu BLOG. Vc é o Cara

: parabéns pelos cinco anos do seu blog. Conheço a sua garra e o seu profissionalismo. Siga em frente.

MARINGÁ - O NOME VERDADEIRO.

Graças à interferência de meu estimado amigo paraibano Clemildo Brunet, acabo de receber o livro do escritor Severino Coelho Viana "Maringá - o nome verdadeiro". Ele trás novas descobertas sobre a bela Maria do Ingá que Joubert de Carvalho resumiu para Maringá em sua composição famosa. A existência de Maria do Ingá, por algum tempo considerada pura imaginação poética,... Aos poucos ganhou contornos de realidade e já se descobriu até o verdadeiro nome dela. Já diversas vezes focalizei esse assunto em meu programa "Revivendo" e após concluir a leitura do livro voltarei a ele porque é muito interessante, especialmente para nós paranaenses que temos uma grande cidade com esse nome. Meus agradecimentos ao escritor Severino Coelho Viana e ao Clemildo Brunet.

Ubiratan Lustosa - Radialista paranaense.

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
TAYANE DEYSE- BALIZA, FILHA DO RADIALISTA E PROFESSOR CEZÁRIO DE ALMEIDA

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
PELOTÃO ESPECIAL HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

LANÇAMENTO/AGRADECIMENTO

Estimado amigo
Clemildo Brunet:

Agradecemos pela reportagem que fez sobre o lançamento do oitavo livro de nossa autoria, intitulado de MARINGÁ – O NOME VERDADEIRO,
evento cultural realizado nas dependências do Pombal Ideal Clube.
Os Promotores de Justiça, Bertrand Asfora e Amadeus Lopes Ferreira, ficaram encantados pelo comparecimento maciço de tão seleto auditório assim como o nível cultural do povo de Pombal.
O seu artigo já repercute a nível estadual, pois a nossa caixa de e-mail está lotada, vamos lendo aos poucos.
Em nome de minha família, agrademos pela cobertura que deu ao evento. É neste caminho que Pombal deve apresentar os seus valores.
Sentimos que a cada lançamento aumenta o número de participantes, isto é uma prova inconteste do crescimento cultural de nossa terra.
Além do Blog Clemildo Brunet Comunicação, idêntica reportagem foi reproduzida no Portal Pombal e Rádio Opção.
O Caldeirão Político fez uma reportagem de todo o lançamento, através do radialista Chico Cardoso.

SEVERINO COELHO VIANA

7 DE SETEMBRO DE 2007

7 DE SETEMBRO DE 2007
HOMENAGEM AO LORD AMPLIFICADOR DE CLEMILDO BRUNET
PARA SATISFAÇÃO NOSSA E DE SEUS PAIS, REGISTRAMOS A VITÓRIA DA NOSSA COLUNISTA DO CANTINHO DA SAÚDE, DOUTORA Mª DO BOM SUCESSO LACERDA FERNANDES NETA, QUE FOI GRADUADA EM MEDICINA PELA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE NESTE MÊS DE JUNHO DE 2012. CESSINHA NETA É NATURAL DE PATOS MEMBRO EFETIVO DA ACADEMIA PATOENSE DE ARTES E LETRAS (DESDE 2009). ESCRITORA E POETISA TEM PARTICIPADO DE
AMOSTRAS DE POESIA E FOTOGRAFIA E PUBLICADOS ARTIGOS RELACIONADOS A SUA ÁREA DE ATUAÇÃO, EM JORNAIS, REVISTAS E SITES HAVENDO SIDO CLASSIFICADA EM SETE CONCURSOS PÚBLICOS. A CESSINHA, NOSSOS PARABÉNS!
contato: sucessomed@hotmail.com

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007

PELOTÃO ESPECIAL 7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A IMPRENSA POMBALENSE

SOBRE HOSPITAL NAPOLEÃO LAUREANO: "JUBILEU DE OURO PELA VIDA"

Caro Clemildo,

parabéns pelo magnífico relato sobre o Hospital Napoleão Laureano, sobretudo porque você deu enfoque merecidamente, a pessoa extraordinária de Dr. Antonio Carneiro Arnaud que exprime uma personalidade de sentimentos, espiritualidade e humanismo para com os seus conterrâneos, representando um orgulho para todos nós paraibanos. Dr. Carneiro, desempenhou um importantíssimo papel na sua formação, deu asas a sua expansão, que cabe repetir a frase do Ministro Alcides Carneiro: "Esta é uma casa que por infelicidade se procura e por felicidade se encontra" Parabéns a você e a ele.
Abraço, do amigo Paulo Abrantes.

Clemildo amigo,

Gostei muito do seu artigo. Você retratou com fidelidade toda a vida não somente do Hospital Napoleão Laureano, mas também da Fundação Laureano a entidade mantenedora, da qual foi Diretor Presidente o nosso conterrâneo Dep. Janduhy Carneiro e hoje tenho a honra de ocupar a tão importante função. Muito já foi feito, mas ainda existe muito para ser feito. Em breve estaremos instalando a Ressonancia Magnética e se Deus quizer tambem o PET-Scam. Divulgue tudo no seu BLOG que é muito consultado. Abraços Carneiro Arnaud.

Amigo Clemildo:

Muito oportuna a sua evocação da figura extraordinária de Napoleão Laureano. Meus parabéns pelo seu trabalho.

Um fraternal abraço do

Ubiratan.

Berta Leticia Wanderley Clemildo,parabéns, pela sua reportágem, sobre o Laureano, está muito boa mesmo! Nós estamos precisando do número do seu celular para entrarmos em contato com você,

7 DE SETEMBRO 2007

7 DE SETEMBRO 2007
HOMENAGEM A DIFUSORA GUARANI DE MANOEL BANDEIRA!

Seguidores

DE IGNÁCIO TAVARES PARA CLEMILDO

MENSAGEM DE IGNÁCIO TAVARES EM RESPOSTA AOS MEUS AGRADECIMENTOS...

Caro Clemildo
A minha amizade com vocês, pode-se dizer, é histórica. Os amigos, Clovis e Cláudio, ambos de saudosa memória, Carlos e você sempre formaram uma amizade sem fronteiras. Quanto ao seu pai e sua mãe dona Sinhazinha, guardo boas lembranças, pois frequentava a sua casa com certa liberdade, qual fosse um membro da família, dada a minha amizade com os meninos, como carinhosamente éramos chamados por nossos pais. Seja feita a sua vontade, o texto é seu e de toda família. Abraços Ignácio

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
VICE PREFEITO DR. GERALDINHO E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT

CONFRATERNIZAÇÃO DO PT
PREFEITA POLYANA E O RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
CIRCULANDO - ESPECIAL ANIVERSÁRIO DE POMBAL. EDIÇÃO JULHO/ 2014

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 3ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" JULHO DE 2014.

JORNAL "ALTO SERTÃO"

JORNAL "ALTO SERTÃO"
EM CIRCULAÇÃO A 2ª EDIÇÃO DO JORNAL "ALTO SERTÃO" DEZEMBRO DE 2013.

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007

EM CAJAZEIRAS: OS MELHORES DO ANO 2007
PROF DR. JOSÉ CEZÁRIO RECEBE COMENDA DE HONRA AO MÉRITO NO "LA FIESTA" EM CAJAZEIRAS NO DIA 23-02-2008.

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"

PRESTIGIANDO A FESTA "MELHORES DO ANO 2007"
CLEMILDO RECEBE OS CUMPRIMENTOS DE SEU VELHO COMPANHEIRO DA RÁDIO ALTO PIRANHAS RADIALISTA GERALDO NASCIMENTO EM 23-02-2008 CLUB LA FIESTA EM CAJAZEIRAS.

JORNAL"ALTO SERTÃO"

JORNAL"ALTO SERTÃO"
PRIMEIRA EDIÇÃO OUTUBRO/2013

SOBRE O ARTIGO "CLEMILDO BRUNET" DE ONÉLIA QUEIROGA.

Clemildo, li o que Onélia escreveu e lacrimejei... como me lembro da bolacha peteca e do pão doce... a peteca molhada no leite e frita com manteiga de garrafa... é demais a saudade... assino embaixo tudo que ela falou sobre vc.
Maryloide Brunet

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO

ESCRIVANINHA DE CLEMILDO
COMENDAS RECEBIDAS EM 2007

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"

COMENTÁRIO DE MARCIA REJANE SOBRE A POSTAGEM "ZEILTO: 25 ANOS,UM EXPOENTE DA COMUNICAÇÃO"
Caro Clemildo, confesso que é muito gratificante e emocionante ler artigos que relatam histórias do meu amado e querido pai. Obrigado por guardar com tanto carinho, lembranças do saudoso Zeilto Trajano. Ass.Marcia Rejane (A caçulinha do Zeilto) Foto com Clemildo.

GREGÓRIO DANTAS

GREGÓRIO DANTAS
HOMENAGEM PÓSTUMA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA

ZEILTO TRAJANO DE SOUSA
HOMENAGEM PÓSTUMA

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!

HOMENAGEM: VISITA DE CORTESIA E ENTREGA DE TEXTO!
Na manhã deste dia 18 de janeiro de 2010, na sede do CECAN em Natal RN, o radialista Clemildo Brunet em visita de cortesia a Secretária Geral da Instituição, Sra. Joelma Alves, fez a entrega do texto: "OS 60 ANOS DA LIGA NORTE RIO-GRANDENSE CONTRA O CÂNCER". Na oportunidade, a Secretária agradeceu e parabenizou o radialista; porém, fez uma correção no parágrafo da DEPECON; onde se ler (17 vagas de residencia médica), leia-se 08 vagas R1, admtindo ter sido um erro do site da Liga.

SÉRGIO LUCENA

SÉRGIO LUCENA
HOMENAGEM PÓSTUMA

CONGRATULAÇÕES E JUSTIFICATIVA

Ignácio:
Sem dúvida Clemildo, foi um momento histórica pra voce e todos nós pombalenses que acompanhamos todo seu trabalho, assim como a sua vitoriosa trajetória no mundo do rádio e do jornalismo. Infelizmente, como já lhe expliquei fui um ausente nesta grande festa. Mas, onde estava, numa reunião demorada e cansativa, lembrava-me a todo momento, com uma ponta de tristeza por não estar presente. Tem nada não, noutras oportunidades nos encontraremos. O que conteceu foi apenas início de uma série de manifestação de reconhecimento do seu valor como abnegado homem de comunicação,com relevantes serviços prestados a comunidade do qual é parte integrante, Abraços Ignácio Tavares.

Caro amigo Clemildo:

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao amigo o convite da sessão da entrega da Medalha Epitácio Pessoa ao nobre repórter. Não pude comparecer, fato que já havia explicado a você por conta de exames de saúde que iria realizar na capital paraibana. Mas, acompanhei o desenrolar da sessão da Assembléia Legislativa, através da Rádio Liberdade FM 96,3. Gostei muito do que você falou lembrando as coisas do rádio de Pombal - PB. E naquele momento lembrei muito da campanha de prefeito do ano de 1976, embate que ficou marcado em minha memória, embora adolescente, via você na veraneio do PMDB, veículo que você mesmo denominou de amarelinho, como também do célebre comício da rua Capitão Lindolfo, mais conhecida como rua do Fogo, onde você, juntamente com José Coelho, hoje residente em São Paulo, anunciavam a presença naquele momento do grande orador e saudoso senador o Dr. Marcos Freire. Do amigo de sempre, Joaquim Candido da Silva Filho.

Postagens mais populares

Barra de vídeo

Loading...

EXCLUSIVO: ENTREVISTA DO CANTOR NILTON CESAR AO RADIALISTA CLEMILDO BRUNET

CLIQUE NO PLAY E OUÇA A ENTREVISTA.

COMENTÁRIO: A FAMÍLIA "ESPALHA" E SEUS MENESTRÉIS.

Gostaria de parabenizar o amigo professor Vieira pelo belo artigo sobre a família Espalha. Tive o prazer de conhecer um dos membros desta conceituada família o saudoso Bideca, seresteiro por ofício e boêmio por natureza. A sua ausência hoje sentida por todos que com eles conviveram me fazem refletir, "Belos tempos, Belos dias"
Adriano Fernandes

Caro Vieira, bom dia.

Somente hoje tomei conhecimento do seu artigo sobre os “Espalhas”, estava de férias e me desliguei de tudo.

Fiquei surpreso e emocionado com o artigo e a origem da palavra “espalha”, confesso que desconhecia esses detalhes.

Aquela rua em que morou Chico Espalha (por várias décadas), deveria ter o seu nome, porque ele foi um dos pioneiros dali, juntamente com meu avô “seu Otávio frandeleiro”, Euclides, Zé Branco, Julio Barbosa, e outros mais que não recordo no momento.

Infelizmente a intitularam Domingos de Medeiros, que talvez nem conhecesse o local e nem a família Espalha. Lamentável.

Agradeço em nome de todos os Espalhas em vida, e a lembrança registrada daqueles que se foram e fizeram parte do nosso convívio.

Até uma próxima oportunidade

Valdir Mendonça

AGRADECIMENTO

Meu amigo-irmão Clemildo, agradeço de todo coração os seus elogios com relação ao meu (nosso) passado pelo mundo radiofonico - principalmente em Pombal onde tudo começou.
Logo que cheguei em Cajazeiras na manhã da sexta-feira foram muitos amigos me informando da sua postagem no face book - (você tem seguidores que não acaba mais).
Também minha imensa surpreza da informação por parte da presidente da API Marcela Sintônio, o ex-presidente da nossa Associação João Pinto e vários e vários outros colegas da imprensa paraibana que foram a Cajazeiras para a festa da Reencontro e que são seus assíduos leitores-seguidores.
Por fim agradeço pelas gentis palavras dizendo; você foi generoso até demais para com esse seu discípulo.
Obrigado Irmão!!
Otacílio Trajano

CONGRATULAÇÕES / MEDALHA EPITÁCIO PESSOA.

Mary Loide Brunet:
Parabéns! Vc fez por merecer! Também fico muito feliz e honrada com a honra que lhe é reconhecida. Mary Loide.

Marcelino Neto:
Amigo Clemildo! Não pude comparecer ao seu evento maravilhoso. No entanto registrei na Espinharas de Patos o fato e acredite fiquei muito feliz pela sua conquista. Certamente entre tantos importantes nomes da radiofonia pombalense e paraibana o seu para mim é um dos maiores destaques. Um abraço professor!