CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Segundo Turno: Novas chances velhos Vícios

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Com a aproximação do dia 07 de outubro, as pesquisas eleitorais começam a mostrar as reais possibilidades de cada candidato ao executivo e legislativo municipal, em todo Brasil. A propaganda se acelera na tentativa de reverter quadros, fugir de posições desconfortáveis, marcando posição, possibilitando um possível acerto, com os vitoriosos, nas futuras administrações. Esse é o Brasil da política onde o balcão de negociações é uma realidade quase irreversível nessa mentalidade arcaica de políticos viciados no poder, com forte desejo de perpetuação nos seus cargos. Peremptoriamente, esse é

ROBERTO MULLER CHEGA A POMBAL E DAR ENTREVISTAS AS EMISSORAS DE RÁDIO!


Roberto Muller já está em Pombal para cantar na 24ª versão de a Rejeitada no Pombal Ideal Club. Hoje pela manhã o conduzi até o local de sua hospedagem.
É um amigo que tenho de longas datas desde sua primeira apresentação em Pombal em 1969. 
Logo mais ao meio e dia e meia dará entrevista na Maringá 98 FM e logo depois outra entrevista na Rádio Opção 104 FM, dentro dos programas BREGAS das duas emissoras neste sábado.

Clemildo Brunet - Radialista, Blogueiro e Colunista.


VOTO LIVRE E CONSCIENTE

Maciel Gonzaga
Maciel Gonzaga*

As eleições de 07 de Outubro se aproximam. Não resta a menor dúvida de que nada pode ser tão importante para a sociedade quanto a conquista plena da liberdade de expressão, como o direito de poder escolher seus representantes pelo voto livre e consciente.
O grande desafio da Justiça Eleitoral, assessorada por demais órgãos de controle e de toda a sociedade consciente nestas eleições tem sido a fiscalização dos candidatos de grande poder econômico, para que se evite a compra e a venda de votos, prática disseminada no Brasil, especialmente nas camadas mais pobres da população.

O voto livre e consciente é um direito inalienável do povo plenamente assegurado pela nossa Constituição Federal. Foi um conquista árdua e

25 DE SETEMBRO: A IMPORTÂNCIA DO RÁDIO!

Clemildo Brunet



CLEMILDO BRUNET*

Considero o Rádio, a despeito de outros meios de comunicação mais modernos, como o maior veículo de massa. Não há fronteiras nem limites que impeça o rádio penetrar a onde quer que seja no seu raio de ação. Seja no campo, na cidade, nos lugares altos e baixos, entre ricos e plebeus, independente de raça, tribo e nação, aí o rádio está presente.

A história do rádio se confunde com a história de nossa gente. No inicio da comunicação do rádio a finalidade era o entretenimento e

PASSADO

Onaldo Queiroga

Onaldo Queiroga*

            Que tempo é esse denominado passado? Será talvez um imaginário mundo que mesmo já vivido continua a habitar e interferir no nosso presente. Vinicius de Morais dizia que: “o passado é como o último morto que é preciso esquecer para ter vida”.
            Mas na verdade jamais podemos esquecer o passado, pois é dele que extraímos as lições já vividas para assim não incidirmos nos mesmos erros anteriormente cometidos. É com

SERESTA MODERNA: ATÉ DEMAIS

Prof. Francisco Vieira

Por Francisco Vieira*


“Seresta moderna, não tem poesia/Não tem noite de lua, não tem luar/Não tem cavaquinho, não tem violão/Nem mesmo pandeiro para o samba ritmar/...”

            Houve época que cantar para a mulher amada era a melhor forma de expressar o sentimento do amor. A propósito, era a serenata, um costume oriundo da Península Ibérica, difundida pelos enamorados e

Samba do Crioulo Doido

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Quando Sérgio Marcus Rangel Porto, ou simplesmente Sérgio Porto, pseudônimo Stanislaw Ponte Preta, escreveu a paródia “samba do crioulo doido”, em 1968, tentava ironizar os sambas de enredo que tinham como obrigatoriedade os temas históricos, ele simplesmente fez um samba sem nexo e sem sentido, mas inteligentemente usava a historia como cortina cultural. Transformando o absurdo numa obra inesquecível para a música popular brasileira.

O atual momento político brasileiro com vênia ao ilustre autor, como dizem na linguagem jurídica, virou um verdadeiro samba do crioulo doido. Por conta da atuação dos ministros do STF, supremo tribunal federal, e

Luiz Gonzaga e a defesa do assum preto

Romero Cardoso

José Romero Araújo Cardoso(*)

Há pouco tempo era comum o sertanejo cometer a absurda prática de cegar o assum preto com instrumentos perfurantes toscos, os quais invariavelmente causavam-lhe danos irremediáveis que o levava à morte.

Para desfrutar do canto sonoro produzido quando esse pássaro era submetido ao suplício da cegueira induzida, não se importavam com o sofrimento atroz que passava a atormentar a pobre ave.

Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira quando compuseram esse grande sucesso tornaram os adeptos dessa prática mais sensível ao drama de uma existência marcada pela aflição dessas aves, pois não enxergando a luz emitia gritos desesperados de dor e

DIA DO RADIALISTA: 21 DE SETEMBRO OU 07 DE NOVEMBRO?

Ubiratan Lustosa

Por Ubiratan Lustosa, Radialista em Curitiba - Paraná

Durante muito tempo o Dia do Rádio, ou da Radiodifusão, e o Dia do Radialista foram comemorados juntamente, em 21 de Setembro que é também o Dia da Árvore. A celebração teve início em 1945, quando um decreto assinado pelo presidente Getúlio Vargas fixou os níveis mínimos de salário dos trabalhadores em empresas de radiodifusão.

Nos anos 80, por ocasião do IV Congresso Brasileiro de Radiodifusão, realizado na Bahia, os proprietários de Emissoras decidiram estabelecer uma data para comemorar em separado O Dia da Radiodifusão. Escolheram 25 de Setembro, pois nesse dia nasceu Roquette-Pinto. Edgard Roquette-Pinto, médico, antropólogo e

O necessário e urgente debate cívico

Genival Torre Dantas

Genival Torres Dantas*

Seria uma das muitas sessões do senado federal onde a ausência de parlamentares é uma constante nesses tempos pré-eleitorais. A falta de pauta torna o tempo enfadonho, e a troca de lugar entre a presidência da mesa e a tribuna se faz necessário para que não sejam encerrados os trabalhos pela quantidade mínima de componentes no plenário, até o último discurso do orador inscrito, cujo tempo de pronunciamento deixa de ser importante para o controle da mesa, em obediência ao regimento interno.

E foi exatamente na terça-feira última, (18), quando parecia que tudo estava indo para mais um final melancólico, sem um tema que viesse a chamar atenção dos ouvintes ou telespectadores, assim como eu. Surge na tribuna o líder do PSDB, senador Álvaro Dias, tratando de um tema muito atual, o caso mensalão, em julgamento no Supremo Tribunal Federal, STF, e

ODAIR JOSÉ E ROBERTO MULLER ROMANTIZAM OS 24 ANOS DA REJEITADA!


Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

Parece incrível que a Rejeitada há alguns anos atrás, tenha tido seu começo pelo ideal de quatro rapazes: Nestor Nunes, Pedro França,  Sérgio Paulo e Galdino Mouta, que deram por falta do Serviço de alto Falantes do Parque Maia, aquele, que em tempos passados através de seu Serviço de Alto Falantes, alimentava as emoções de seus ouvintes com a música estilo brega românticas, canções essas que deixavam ultrapassar de forma transparente todo sentimento do âmago da alma humana.

Pois bem: Esses rapazes queriam tão somente em meio a festa do Rosário no centro da cidade, encontrar um lugar onde pudessem ouvir as músicas do seu gosto predileto, mas, foram repelidos e rejeitados peremptoriamente pela maioria das barracas instaladas na festa. Finalmente, para ouvirem a fita cassete, os rapazes encontraram guarida na barraca de Mariquinha de Jaca (saudosa memória), bem em frente ao Banco do Brasil, local distante do evento. Daí nasceu a REJEITADA!

Duas décadas são passadas e

Vencer é preciso

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Os últimos fatos ocorridos na administração federal nos levam a uma reflexão mais profunda e objetiva. No comunicado da presidente Dilma Rousseff, dia 06 último, pela televisão, nos foi dito por ela da redução do custo na conta de energia elétrica. Atitude elogiável pela necessidade que temos de incentivarmos a produção industrial em nosso país. Entretanto, verificamos que a implantação da redução dar-se-á a partir de janeiro de 2013, com desoneração de impostos, incluindo-se aí o ICMS, imposto de recolhimento e uso dos Estados, além disso, as reduções na ordem de 16.2% para o consumidor residencial, e

CINEMA DA CIDADE

Severino Coelho Viana

Por Severino Coelho Viana*

No meio da turbulência diária vez por outra surge uma chispa de uma boa ideia, quando há poucos meses, a Presidente Dilma Rousseff sancionou a lei n° 12.599, de 23 de março de 2012, criando o Programa Cinema Perto de Você e o Projeto Cinema da Cidade, que a nosso sentir, esta ação governamental é uma forma de reviver o passado cultural nos bairros das metrópoles e nas cidades interioranas. Os mais antigos reacenderão as brasas incandesces do saudosismo, enquanto os mais moços manterão a chama viva de preservação da cultura de um bom tempo que jamais deverá ser sepultado.
Uma leitura dinâmica sobre a vigência da nova lei, o nosso pensamento se voltou para o sertão paraibano, relembrando os velhos e bons tempos da cidade de Pombal, com o Cine Lux; Cajazeiras, com o Cine Apolo XI; Sousa, com Cine Gadelha; e

A IGREJA DO ROSÁRIO DE POMBAL E O SINCRETISMO RELIGIOSO

Romero Cardoso

José Romero Araújo Cardoso (*)

O marco do triunfo dos europeus e das ideias que traziam o signo da Cruz, quando da colonização brasileira, era a construção de igrejas católicas. A partir da edificação de inúmeros templos, surgiram diversos aldeamentos na região nordeste, bem como em diversos lugares espalhados pelo Brasil.

Em Pombal, Estado da Paraíba, o testemunho dessa fase ainda se conserva através de relíquia histórica representada pela igreja do Rosário. A construção, em estilo barroco, se concretizou em devida promessa feita pelos conquistadores a Nossa Senhora do Bonsucesso quando das fulminantes e mortíferas investidas dos indígenas, precursoras do estilo de guerrilha que caracterizou dos salteadores das caatingas, principalmente durante o século XIX e

Dona Cessa Lacerda, se estivesse ainda no nosso convívio estaria completando hoje 73 anos de vida!


D. CESSA MINHA AMIGA, PARABÉNS!

Clemildo e Cessa
CLEMILDO BRUNET*

Posso lhe chamar de amiga? Creio que sim, pois me considera deste modo. Porque amigo não é somente aquele que está perto. Amigo mesmo ausente sempre está presente e cada encontro é marcado com alegria e risos, atitude que nos faz suspirar com o diálogo das coisas passadas lembrando os bons tempos de outrora.

O dia 17 de setembro data do seu natalício chega com a estação da primavera, onde tudo brilha e faz lembrar o estribilho de uma canção da cantora Vanusa que diz: “Fui eu que primavera só não viu as flores, os sois, nas manhãs de setembro! Eu quero sair, eu quero falar, eu quero ensinar o vizinho a cantar, eu quero sair, eu quero falar, eu quero ensinar o vizinho a cantar nas manhãs de setembro, nas manhãs de setembro” (bis).

Dona Cessa traz em sua bagagem os títulos que muito a dignificam: Escritora, poetisa, artista plástica, contista, historiadora e

LIVRE PARA NADAR NAS ÁGUAS DO PIANCÓ


Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Faz muito tempo, muito tempo mesmo. A barragem de Mãe D’água ainda não havia sido construída. As cheias do Piancó aconteciam com mais freqüência. Bastava uma chuva grande à montante da bacia do Açude de Coremas, para que o rio transbordasse, invadindo a Rua de Baixo. Eu gostava dessa situação, pois quanto mais cheio estivesse o rio maior era a festa da meninada da Rua do Comércio. Para meninada daquela época a natação nas águas barrentas do Piancó era a melhor diversão. Os lugares mais frequentados para os nossos banhos diários era a pedra da sedan, ainda a pedra redonda e o buraco de Zé Bispo. Mas, o grande desafio era penetrar rio adentro em épocas de cheias.

O primo Dão era o meu companheiro de aventuras no enfrentamento das águas  do Piancó. Devia ter cerca de doze anos e

Orgulho de Pertencer à família Mariz de São João do Rio do Peixe (PB)


Romero Cardoso
José Romero Araújo Cardoso(*)

Minha avó materna, de nome Benigna Lourdes de Sousa, fazia referências à sua bisavó, tratando-a por “Mãe” Catarina, esposa do judeu João Ignácio Cardoso D´Arão, cuja odisséia a fim de se livrar da pena irretorquível do Tribunal do Santo Ofício obrigou-o juntamente com familiares fugidos do litoral paraibano a peregrinar pelos sertões ermos, adustos e esquecidos das Províncias cearense e paraibana.

A família Cardoso D´Arão trazia na memória o martírio de membro da comunidade judaica instalada nos arredores da antiga Vila da Jacoca, hoje município do Conde (PB). Com relação a

SALES DANTAS: O CONTERRÂNEO PRODIGIOSO DA COMUNICAÇÃO



Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

“A minha grande formação vem de saber ouvir as pessoas e dar valor aos sonhos dos outros” (Sales Dantas)


Feliz é aquele que descobre sua vocação desde cedo e a tem como apanágio em sua vida para exercê-la com dignidade e honradez, principalmente quando essa vocação envolve a coisa pública, que o torna conhecido e reconhecido pelo desenvolvimento de suas ações benfazejas e faz jus ao trabalho que executa com desvelo e amor perante a sociedade.

Assim é o nosso amigo e conterrâneo Francisco Sales Leite Dantas conhecido na nossa mídia com o nome de guerra simplesmente por Sales Dantas, a quem chamo de o conterrâneo prodigioso da comunicação. Nasceu em Pombal no dia 11 de setembro de 1967 filho da professora Risalva e do comerciante Inácio Dantas e

Necrófagos e usurpadores

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Hoje na minha caminhada matinal, pela praia do gravatá, deparei-me com uma cena corriqueira nos últimos tempos: animais em estado de decomposição sendo devorados por urubus que ficam a espera que restos de peixes ou animais sejam jogados à areia pelas ondas do mar.
Dessa feita era uma tartaruga marinha, certamente tenha se enroscada nas redes dos pescadores que pescam no mar catarinense, sobrevivem dessa arte secular, aqui na região, mas ainda não aprenderam a respeitar o meio ambiente em que vivem e sobrevivem dele.
Um quadro tétrico para uma praia tão bonita e cuidada pelos moradores, turistas e veranistas que aqui freqüentam. Verdadeiro contraste para ser visto logo pela manhã.
Olhando o mar e o vai e

Pombal receberá oficina para elaboração de projetos do FIC 2012 dia 12

Luizinho Barbosa

A cidade de Pombal recebe neste dia 12 de setembro, quarta-feira, das 9h às 13h, na Academia de Letras de Pombal, a oficina para elaboração de projetos a serem enviados ao Fundo Estadual de Incentivo à Cultura Augusto dos Anjos (FIC), edição 2012.
A oficina “FIC por Dentro” será oferecida gratuitamente, ministrada pelo articulador da 10ª Regional da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) Laercio Ferreira Filho e têm o objetivo de oferecer aos produtores culturais, futuros proponentes do FIC acesso ao conhecimento técnico na elaboração de projetos.
A iniciativa de trazer para Pombal o referido evento é do Professor de Artes Luizinho Barbosa, Centro Livre de Arte Popular, Academia de Letras de Pombal, contando com a parceria da Escola Estadual “Arruda Câmara” e 13ª Regional de Ensino serão contatados ainda a Prefeitura Municipal de Pombal, Secretarias e

PARLAMENTAR POMBALENSE CELEBRA DIA DO BREGA NA PARAÍBA. DATA É UMA HOMENAGEM A WALDICK SORIANO!


Tião comemora dia do brega; data homenageia Waldick Soriano
Tião comemora dia do brega; data homenageia Waldick Soriano

Autor da lei que comemora o dia estadual do brega, o deputado estadual Tião Gomes (PSL) está comemorando nesta terça-feira (04) o primeiro aniversário da data, que foi sancionada ainda no ano passado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB).

Para Gomes, o verdadeiro ‘bregueiro’ é um homem apaixonado pela vida e que não dispensa a combinação brega e cachaça e por isso a data de hoje deve não só ser lembrada, mas também comemorada, já que também faz parte da cultura do Brejo.

“Brega é aquilo que você sente, mas muitas vezes esconde, brega é cultura, brega é musica, brega é filosofia de vida e não pode cair no esquecimento nunca”, destacou.

 Tião Gomes ainda lembrou que não é apenas ele o único parlamentar que aprecia o brega e

SALVE 12 DE SETEMBRO: O dia da Seresta!

Ignácio Tavares

“Poetas seresteiros, namorados correi
É chegada a hora de escrever e cantar
“Talvez as derradeiras noite de luar” (G. Gil)

Ignácio Tavares*

Nos bons tempos quando a gente podia ficar até altas horas a jogar conversa fora, noite à dentro, havia aqui na terrinha um time de notívagos que se reunia em pontos estratégicos até que os primeiros raios de sol surgissem no horizonte leste da cidade. Fiz parte desse grupo, de saudosa memória. É pena que alguns, a esta altura, estejam na eternidade, infelizmente.

Como eram gostosas as noites da minha terra! Conversávamos sobre todas as coisas que nos vinham a cabeça, principalmente quando se tratava de política, futebol, entre outras futricagens. Por que tanto fascínio pela noite?

Fim de uma história e começo de um novo tempo

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Vendo o desenrolar da última reunião do Supremo Tribunal Federal (STF) fiquei analisando a importância histórica, naquele momento, daquela suprema corte para a manutenção da democracia brasileira. Não se tratava apenas de mais uma reunião ou mesmo a continuação do julgamento do famoso mensalão, caso surgido a partir de atos praticados por políticos, operadores e seguidores da imoralidade na administração pública nos últimos tempos. Não estou me referindo a partido ou partidos políticos, mas a pessoas colocadas no lugar errado, no cargo errado, a executar tarefas indesejáveis. Era muito esperado pela nação o voto do meritíssimo ministro Cezar peluso, escolhido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e indicado pelo então ministro da justiça, Marcio Thomaz Bastos, que irá se aposentar no próximo dia 03 de setembro, por força da constituição federal, que obriga a aposentadoria compulsória, dos magistrados, aos 70 anos de idade. Independente da sua vontade, lucidez ou plenitude para sua atividade.

Confesso, pude verificar um plenário harmonicamente preparado para um evento histórico movido pelo senso de vontade jurídica naquele ambiente que fazia justiça ao nosso judiciário. Era certamente o último ato de um juiz que soube honrar a toga por todos os cargos que passou durante seus 44 anos de dedicação e