CLEMILDO BRUNET DE SÁ

ESTELIONATO ELEITORAL

Severino Coelho Viana

Por Severino Coelho Viana*

As eleições municipais, 2012, terminaram e já divulgados os resultados finais, majoritária e proporcional, depois do primeiro e segundo turnos, com vencedores satisfeitos e derrotados conformados. Muitas promessas ditas e não sabemos se serão cumpridas. O nosso ideal não pode apagar a luz de esperança, mas não queremos que o povo seja o grande perdedor, que vive na fome, na miséria e na ignorância.

O período de propaganda no rádio e

ENTREVISTA EM POMBAL PB



Otacílio Trajano em entrevista a Clemildo Brunet, a margem do Rio Piancó do lado direito da cidade de Pombal em sua terra natal.

A MANSÃO DOS MORTOS...


“Ora, ele não é Deus de mortos, e sim de vivos” (Jesus Cristo)

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

02 de novembro no nosso calendário é a data conhecida como dia de finados. Os fiéis da Igreja Católica Romana têm por costume fazer visita aos túmulos de seus entes queridos levando velas e flores para reverenciar os seus mortos. Durante muito tempo os cristãos não se relacionavam com os mortos. Essa prática se deu com a fusão da Igreja Cristã ao Estado romano, os cristãos acabaram introduzindo alguns costumes e crenças de vários povos, entre eles o de rezar e se comunicar com os seus antepassados mortos junto à sepultura.

O Dia de Finados foi instituído mesmo no Século X, por Santo Odílio, abade beneditino de Cluny na França, para os mosteiros de sua ordem especificamente, até que,

UM CASO DE VINGANÇA EM POMBAL

Ignácio Tavares

Ignácio Tavares*

Pombal guarda muitas histórias de vinganças em nome da honra e da dignidade. Houve o caso de Lindolfinho, filho querido do todo poderoso Capitão Lindolfo,  assassinado por um jovem bastante conhecido na cidade, depois de ser agredido a golpes de chibatadas  quando passeava com a namorada na principal praça da cidade. Esse fato aconteceu, salvo engano na segunda década do século passado.

Outros casos aconteceram, mas não pretendo fazê-los objeto de citação neste texto. Quero aqui relatar apenas um caso

Uma mulher chamada dignidade

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Lendo o teor do último email dela lembrei-me de uma afirmativa do Khalil Gibran, que consiste no seguinte: “O desejo é a metade da vida, a indiferença a metade da morte”. Por ela não ser indiferente, as suas duas metades correspondem a própria vida. Posso afirmar com absoluta certeza que se trata de uma pessoa singular, sem medos, traumas ou receios, formada de um caráter acima de qualquer suspeita, professora dos princípios acadêmicos, mestra nos valores morais e éticos, fundamentada nos preceitos da fé e da esperança.

É assim que a defino como mulher, profissional e

Timóteo ia gravar hino contra a ditadura (e até hoje não sabe)


Escrito por Bruno Hoffmann

Otacílio Trajano
Enviado por Otacílio Trajano:

Caro amigo/irmão Clemildo estou lhe enviando um registro histórico dos tempos de CHUMBO em nosso Brasil; é um texto sensacional escrito por Bruno Hoffmann e que encontrei em meus guardados e por hoje 25 de outubro é o dia da democracia veja acredito valer o registro em seu blog.
Agradeço as postagens feitas por você no "face" com o meu depoimento embaixo da ponte e a musica (IRMANDADE DO ROSÁRIO) que compus para o nosso grupo folclórico pombalense que lhe mostrei em sua casa e

VELHOS TEMPOS, BELOS DIAS

Jerdivan Nóbrega de Araújo

Jerdivan Nóbrega de Araújo*

Se um dia eu voltar a Pombal, digo minha alma, pois meu corpo volta sempre, algumas coisas, fatos e lugares teriam que estar à minha espera. Algo assim, como ouvir os dados rolarem em uma tábua de ludo nas muitas sombras das  algarobas da Rua Nova á Rua de Baixo. Ouvir o sino da Matriz no martelo agalopado de Cícero de Bembem, ou acompanhar enterros nos passos trôpegos de Padre Andrade. Sorrir de uma piada de seu Raulino ou rever pessoas de nomes esquisitos como: Nego Panela, Pedro Colorau, Luzia Carne Assada, Pedro Farofa e Zefa do Coentro, Chico Caniço, chica caneca, Rita Piranha, Estelita de Valério; Mané de Bomba, Zé Babão, Antônio Ajado, Zé Gago, João Velho, Mosquito, Arrupiado, Tumbaca, Butiginha, Mané Rouco, Catita e

É HORA DE MUDANÇAS

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

O Brasil chegou no seu futuro, no universo da tecnologia, já não somos um gigante adormecido em berço esplêndido , somos, sim, o gigante que caminha em direção da superação e do sucesso percorrido e alcançado pelos líderes mundiais. Já despertamos a inveja de muitas nações, e a cobiça dos infortunados. Estamos chegando aos 200 milhões de habitantes, hoje, diferente de 50 anos atrás, não representamos uma raça faminta e perdida nas trilhas das incertezas. Superamos, não totalmente, mas um grande percentual às nossas carências de sobrevivência, principalmente nos rincões mais distantes, aonde as dificuldades são bem maiores. Claro que existem aberrações, falta de

JERDIVAN NÓBREGA: O OBSTINADO ESCRITOR POMBALENSE!

Clemildo Brunet

POR CLEMILDO BRUNET*

Seu aniversário é hoje 23 de outubro? Parabéns amigo véio Jerdivan Nobrega Araujo, um degrau a mais na sua vida, faz-nos lembrar da grande contribuição que o nobre pesquisador e escritor tem dado em todos esses anos, à História, Cultura e conhecimento para nossa gente. Parabéns, feliz Aniversário, amigo e parceiro do blog www.clemildo-brunet.blogspot.com

Eis a nossa homenagem ao pesquisador e 

A SUSTENTABILIDADE E O PODER JUDICIÁRIO

Onaldo Queiroga

Onaldo Queiroga*

A sustentabilidade é um conjunto de ações e atividades desenvolvidas pelo homem com o fim de suprir as necessidades do próprio ser humano do Século XXI, sem que haja comprometimento das gerações futuras. A sustentabilidade tem tudo haver com o desenvolvimento econômico e material da sociedade atual, sem que haja, porém, agressão ao meio ambiente, o que é possível com o uso de recursos naturais de maneira inteligente.
É um tema altamente recorrente nos atuais. Mas, o que percebemos é que ainda falta consciência ao homem, pois continua agindo intensa e

ULYSSES: DESAPARECIDO SIM, ESQUECIDO NÃO

Genival Torres Dantas
   Genival Torres Dantas*

Faz 20 anos que o Brasil chora a morte de um dos seus maiores líderes políticos e patrono da redemocratização brasileira. Ulysses Silveira Guimarães, simplesmente Ulysses Guimarães, morreu em acidente aéreo, queda de helicóptero, no sul do Estado do Rio de Janeiro, exatamente no litoral fluminense, Angra dos Reis, em 12 de outubro de 1992. Oportunidade que faleceram mais 4 pessoas, a esposa Mora Guimarães, o ex-senador Severo Fagundes Gomes e a esposa Anna Maria, além do piloto, cujos corpos foram localizados com exceção o do líder das Diretas Já, como ficou conhecido Ulysses Guimarães.

O grande político foi torcedor fanático do Santos Futebol Clube, professor de Direito Internacional Público, da Universidade Mackenzie (SP), Direito Municipal na Faculdade de Direito de Direito de Itu (SP) e

Comentário do Dr. Antonio Queiroga sobre o texto: "Dr. Avelino, médico: Uma das maiores lideranças políticas de Pombal"

Desembargador Antonio Queiroga

 Antônio Queiroga

Caro Clemildo Brunet:

Emocionei-me com a mensagem que você escreveu, no seu Blog, sobre o meu irmão, o médico Avelino Elias de Queiroga.

O seu relato perfeito da História começa a revelar os fatos tal como aconteceram. Bem diferentes daquela versão dos anos sessenta e setenta.

Acredito ser você, Cremildo, uma das pessoas mais indicadas, para falar e

Dr. Avelino, médico: Uma das maiores lideranças políticas de Pombal.


Clemildo Brunet*

Clemildo Brunet 
 Quem viveu esse tempo há de concordar comigo, que sem dúvida alguma, o Dr. Avelino Elias de Queiroga com seu serviço prestado a população de Pombal receitando de graça e utilizando-se às vezes da via pública para atender pacientes que o procuravam, fez com que mais tarde, o notável médico viesse a ser uma das maiores lideranças políticas da região de Pombal.

Dr. Avelino prescrevia o remédio ou medicamento utilizando-se até de papel de embalagens do comércio local, (fato esse que presenciei certa vez na Padaria Vitória de meu Pai), como formulário de receita médica e fazia isso na maior tranquilidade debaixo das árvores que lhe servia de sombra contra o impiedoso sol causticante do sertão.

Nascido em Sousa em 16 de abril de 1920 filho de tradicional família sertaneja, seus pais Vicente Marques e

LEMBRANÇAS QUE O TEMPO NÃO APAGA - Reminiscências III

Ignácio Tavares

Ignácio Tavares*

A nossa base para disputa futebolística era o campinho da Rua de Baixo. Aquele amontoado de casas que hoje desfiguram a velha Rua, até então, não existia. Era um espaço aberto, onde o vento circulava em todas as direções, o que tornava a Rua um lugar confortável, aprazível  até mesmo nos períodos mais quentes do ano.

Como falei no texto anterior, o Grupo Escolar, nos intervalos entre uma aula e outra, era o local onde a gente se acertava com outros grupos para uma disputa futebolística. Acertada a contenda, negociávamos aonde seria realizada a primeira partida. Sempre preferíamos que o primeiro jogo fosse realizado do campinho da estação. Não era nada confortável tanto quanto o da Rua de Baixo, mas, dava pra correr bem atrás da bola.

Havia um problema que nos incomodava. O Agente da Rede Ferroviária sempre mandava espalhar cascalhos, com o propósito de

MENSAGEM DE AGRADECIMENTO


          
Severino Coelho Viana
Neste momento de confraternização, de muita alegria, abraços calorosos e sorrisos fraternos, não podendo comparecer pessoalmente às festividades do sesquicentenário da cidade de Pombal, minha Terra Natal e da Cabocla Maringá, por causa do ataque da virose juntamente com uma crise de rinite alérgica, faço-me representar  a esse ato solene pelo mui digno professor, JOSÉ CESÁRIO DE ALMEIDA.
         
À comissão organizadora desse evento, denominado de “ENCONTRO DOS FILHOS DE POMBAL”, encarecidamente, quero agradecer pela inclusão do meu nome como um dos homenageados, em razão da minha modesta contribuição à cultura pombalense, e,

COISAS DA MINHA TERRA

Prof. Vieira

FRANCISCO VIEIRA*
           
 Pombal é uma cidade semelhante a outras tantas e diferente como ela só. Fatos curiosos, casos hilariantes e personagens emblemáticas, fazem sua história, imprimindo ao lugar um caráter suigeneris.
Na Terra de Maringá o simples tem conotação especial. O que seria comum em outro lugar, aqui tem algo a mais: um toque mágico e inexplicável que faz a diferença. Em Pombal o riso tem mais graça e o belo mais beleza.
            Como se não bastasse ser a terra de Rui Carneiro – senador durante vinte e oito anos consecutivos, Celso Furtado – o mais renomado economista do Brasil, quiçás do mundo, Leandro Gomes de Barros – poeta popular e

DIA DO PROFESSOR(a)

Clemildo Brunet

CLEMILDO BRUNET*

Você sabe como surgiu o Dia do Professor(a)?
O Dia do Professor(a) é comemorado em 15 de outubro. Mas poucos sabem como e quando surgiu este costume no Brasil.

No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila) D. Pedro I baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava de bastante coisa: Descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A ideia  inovadora e

Sorrisos e Lágrimas, uma Realidade implacável

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Ainda há muita gente contabilizando o resultado das últimas eleições, no 1° turno do dia 07 último. Sempre quando há ganhadores os perdedores entram num estágio de profunda lamentação pelo insucesso ocorrido, assim é em qualquer situação quando acontece uma competição. Na política o fenômeno se repete, os competidores se lançam à luta pelo resultado favorável, todos acreditam nela, poucos conseguem o resultado positivo, o número de competidores é muito grande, portanto, a choro das carpideiras, ou não, é enorme.


Nessa eleição tivemos vários resultados que mostraram a evolução da nossa mentalidade política, ainda não é o ideal, mas é

Religiosidade, Paixão e Civismo


Genival Torres Dantas*

Genival Torres Dantas
Desde quando o homem sentiu a necessidade de não mais vagar pela terra, parando com a vida nômade, se fixando em algum lugar, procurando assegurar sua sobrevivência com o produto do seu trabalho, com a pesca e o cultiva da terra. Com esse novo modo de vida surgem mudanças profundas no seu comportamento e relacionamento com os demais membros dos grupos que foram se formando ao longo do tempo.

Com o estabelecimento em áreas determinadas o sentimento pelo lugar escolhido foi determinante para que os primeiros grupos formassem comunidades e procurasse se ajudar mutuamente. Evidentemente aparecem os princípios sociais, divisão de tarefas, conceitos, princípios filosóficos, e

Boa pescaria, boa comilança!



O Engenheiro Civil Severino Mascena Dantas Neto e os cunhados José Alves de Sousa (Dezinho) e Joseildo de Biu, realizaram uma pescaria em um açude bem próximo a cidade de Pombal e vieram preparar e comer do produto às margens do Rio Piancó embaixo da Ponte que dar passagem para a cidade de São Domingos de Pombal, Palhoça Beira Rio do nosso amigo Serjão. Estava na ocasião e me convidaram para participar da festança.
Pra você ver, em pleno sertão, em um ano de seca, ainda se come um bom pescado com uma variedade de peixes de água doce. Que maravilha!



 Postado por Clemildo Brunet em 06 de outubro de 2012.



O LADO POLÍTICO DO MEU AVÔ MATERNO

Ignácio Tavares
Por Ignácio Tavares*

Pombal notabiliza-se por ser uma cidade politicamente agitada. A política partidária foi e ainda é a grande paixão do nosso povo. Nas duas primeiras décadas do século passado, os grupos políticos rivais viviam a agitar a cidade, a cata de votos, mesmo em períodos de calmaria eleitoral. O que é que você acha? Mudou alguma coisa?

Para o eleitor não havia uma terceira via, pois quem não era Republicano era Liberal. Assim como hoje, a disputa pela a hegemonia política da terrinha, naquela época, era acirrada, o que normalmente resultava em disputa ferrenha por mais espaços no mercado eleitoral.
Ninguém ficava em cima do muro, pois, todos tinham que revelar suas preferências partidárias. Em caso de indiferença o eleitor corria o risco de ficar isolado na comunidade. A política era e 

Maringá: Hino oficial de um Senador da República

Romero Cardoso

José Romero Araújo Cardoso(*)

Quando Ruy Carneiro inspirou no ano de 1932 o médico e compositor mineiro Joubert Gontijo de Carvalho a compor “Maringá”, a mais bela e emocionante ode ao sertão e a um povo sofridos e castigados com a inclemência das estiagens, instintivamente procurava uma forma de suprir musicalmente a saudade atroz que o atormentava nas distantes plagas brasileiras, em razão da necessidade de dar ênfase às suas funções públicas e privadas fora da Paraíba e, principalmente, longe de sua amada Pombal, terra natal que palmilhou e conhecia como ninguém, tanto em sua geografia física como humana.

“Maringá” teve a peculiaridade de salientar as emoções incondicionais que atrelavam Ruy Carneiro a cada paisagem do seu torrão natal, tanto natural como antrópica, tendo em vista que é exatamente isso que sua canção predileta revela em cada acorde mágico, pois a essência magistral e

PARABÉNS LIBERDADE, RÁDIO DO SUCESSO!

Clemildo Brunet

CLEMILDO BRUNET*

Ela chegou a Pombal em agosto de 1993 na sua fase experimental. É a pioneira da cidade na modalidade de Rádio FM e foi inaugurada no dia 02 de outubro do mesmo ano.
Seu nome tem um significado de muito valor. LIBERDADE: Faculdade de decidir ou agir segundo a própria determinação; Poder de agir, no seio de uma sociedade organizada, dentro dos limites impostos por normas definidas: liberdade civil; liberdade de imprensa; liberdade de ensino.

A Rádio Liberdade 96 FM está completando 19 anos de atividades radiofônicas no nosso torrão natal. Nome apropriado para uma estação de rádio que nasce da inspiração de uma palavra que não pode ficar escondida e

24ª VERSÃO DE A “REJEITADA” EM POMBAL, FÃS DE ROBERTO MULLER E ODAIR JOSÉ LOTARAM DEPENDÊNCIAS DO POMBAL IDEAL CLUBE.

Roberto Muller e Clemildo
Clemildo, Odair José e Marcelino
No último sábado (29) de setembro, as dependências do Pombal Ideal Clube foram literalmente tomadas por fãs e admiradores dos cantores: 
 Odair José e Roberto Muller. 

A "REJEITADA" em sua Vigésima Quarta versão levou a plateia ao delírio com o público presente cantando as músicas bregas romântico acompanhando seus artistas preferidos.

Odair José a "Rejeitada"

Sempre com grande aceitação entre as camadas populares, Odair José emplacou hits como “Cadê você”, “Uma vida só”, “Eu vou tirar você deste lugar” e “Assim sou eu”. Denominado de “o cantor das empregadas”, por causa da música “Deixa essa vergonha de lado”, é considerado um dos maiores nomes da música brega.






Roberto Muller a "Rejeitada"

Outro nome consagrado nacionalmente Roberto Muller, 57 anos de carreira artística, veio cantar mais uma vez na Rejeitada para alegria de seus amigos, fãs e admiradores, interpretando os grandes sucessos que ainda hoje o povo canta entusiasticamente, “Nunca mais brigarei contigo” e “Entre Espumas” além de outros dos amores desiludidos e dor de cotovelo. 


E para encerrar a noite da maior festa brega do sertão a presença marcante de Rivaldo e Teclados, interpretando músicas do cancioneiro popularíssimo. 

Mais uma vez A "REJEITADA" deu prova que tem seu público fiel e que vem mantendo essa a tradição há mais de duas décadas.