CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Memórias de um ex-pesquisador

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Trabalhar, dormir, faz bem ao corpo e a alma, não é? Os especialistas em terapia do sono recomendam uma boa noite, confortavelmente bem dormida, para que se tenha um dia agradável, sobretudo produtivo, em qualquer atividade que se exerça. É verdade, pois, constatei isso na prática.

Iniciei a vida profissional como especialista em planejamento e pesquisa, segundo os rigores do método. Foi esta atividade a qual escolhi para o exercício da minha profissão. Assim sendo, as relações de produção do campo foi o meu principal objeto de estudo. Dessa forma, o insumo básico para a elaboração dos relatórios eram os dados colhidos de forma direta no ambiente rural.

Com efeito, não havia como evitar a minha constante presença no campo na busca de informações. Trabalhei nos estados da Bahia, Ceará e

Opiniões divergentes provocam reações de constrangimentos

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Quarta-feira (28) última a Câmara Federal tomou uma posição, numa votação secreta como manda o regulamento nessas ocasiões de cassação de mandato, deixando o Brasil numa perplexidade geral. O deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO), teve seu mandato mantido depois de ser condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), numa pena de 13 anos em regime fechado, por peculato e formação de quadrilha. O parlamentar está recolhido, desde 28 de junho, no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. O presidente da câmara, deputado Henrique Eduardo Lyra Alves, no uso das suas atribuições e num ato solitário, depois da votação e o gesto de pena da pena aplicada ao deputado beneficiado pela corte, suspendeu os direitos e benefícios do deputado-condenado, incluindo salários, plano médico e a ocupação de apartamento funcional.

A Câmara Federal depois de reivindicar o direito de cassar ou não os direitos de um membro daquela casa, na gestão do presidente anterior, Marco Aurelio Spall Maia, e o STF ter enviado aquela corte a decisão da cassação, deliberou de uma forma absurda causando reações em toda sociedade brasileira. A bancada do PSDB entrou com ação na tentativa de anular a seção daquele dia e

JACINTA NOGUEIRA: ATRAENTE, VERSÁTIL, COMUNICATIVA...


Clemildo Brunet e Jacinta Nogueira
CLEMILDO BRUNET* 

Ela mesma sintetizou sua performance em uma frase: “Sou uma pessoa de bem com a vida, pois tenho tudo que amo e amo tudo que tenho”. Seu nome de batismo JACINTA DE FÁTIMA RAMOS NOGUEIRA, nasceu em Pombal no dia 28 de agosto de 1969, filha de José Nogueira e Mª Eliete Ramos Nogueira, família constituída dos irmãos: Ana, Lúcia, Corrinha, Facis, Júnior, Beta, Josimar, Valéria e Isabel. 

Faço esta homenagem a uma amiga que tive a satisfação de conhecer por ordens do ofício. Logo ao iniciar sua carreira no rádio adotou como nome de guerra na profissão de radialista “Jacinta Nogueira”. Em 1988 com a instalação da Rádio Bonsucesso de Pombal, Jacinta estreou no rádio com um programa inusitado na época. Rádio Criança, dedicado aos baixinhos de Pombal e

Lançamentos dentro da I Feira de Livros do Shopping Tambiá, promovida pelo O Sebo Cultural

23/08/2013

 Livro: O Crime da Rua da Cruz

Sobre o livro: O Poeta Jerdivan Nóbrega nos apresenta mais um livro: O CRIME DA RUA DA CRUZ. Esta obra, que considero um marco cultural na sua carreira, vem reunir o que há de melhor em sua verne literária criativa e também apresentar o teor jurídico que nela está inserida na fase atual.

É de longo tempo que admiro os escritos do poeta Jerdivan Nóbrega e a sua produção literária. Assim, tecer comentário sobre o seu livro é tarefa deveras agradável. Num ato de significativo interesse, li o seu livro e

IPB LANÇA PEDRA FUNDAMENTAL DE TEMPLO NOS 150 ANOS DE CAJAZEIRAS






IPB LANÇA PEDRA FUNDAMENTAL DE TEMPLO NOS 150 ANOS DE CAJAZEIRAS


Tomou então Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor. I Sm 7:12”

Um grito de desesperança soa no ar

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Depois das tensas e frias noites de junho, havia uma esperança em todos nós que o resultado fosse a conscientização da classe politica, para quem era apontada as manifestações, com gritos de ordens, dos jovens que desfilaram suas reivindicações pelas ruas, noites adentro; para perplexidade da grande maioria que viram nos gestos dos adolescentes da classe média, o desespero que havia e a inercia da população que acompanha o desenrolar dos fatos sem nenhuma reação contrária que viesse a deter a fúria indecente na politicagem dos que exercem o poder e se acham  donos dele, e sem nenhum constrangimento pratica o exercício do desvio de recursos de vários setores da administração pública, compartilhada entre o executivo e o legislativo e por parte de inúmeros políticos e das mais diversas correntes ideológicas, em todo território nacional, o que é mais deprimente é o uso da indecência administrativa em nome da governabilidade e

Eufrásio dos Santos

Eufrásio dos Santos
Nascido em Taperoá – PB em 22 de Agosto de 1926, filho de José dos Santos e Maria Francisca da Conceição. Casado com Gilka Batista Souto Santos e desta união nasceram três filhos, Eufrásio Júnior, Romércia, Isabel Paulina e sete netos.

Chegando a Pombal no dia 05 de Setembro de 1955, logo assumiu a função de Mecânico Industrial na Algodoeira Pereira Filho, ocupando tal atividade durante vinte e dois anos e

POMBAL EM RETALHOS

Onélia Queiroga
               
Crônicas e contos foram reunidos neste livro, com o objetivo de resgatar um valioso passado que a saudade preservou vivo.
                O filigranista da obra publicada entregou-a, agora, ao povo de sua terra natal, Pombal, em bandeja aurífica contornada por trabalho de delicada arte filiforme, repleta de sonhos.
                “Pombal em Retalhos”, de Francisco Vieira, representa uma volta ao passado tão forte que nos toca, profundamente, com sua magia sedutora e nos conduz, hipnotizados, a percorrer ruas e

Há certos dias...

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Palavras chaves: escrever é saudável, mas nem sempre estamos à vontade para o exercício da escrita todo o santo dia. É isso mesmo que estou a falar. Há dias especiais, dias normais, há também os dias aziagos em que a máquina criativa trava e nada sai.

Vejamos: às vezes sou tomado por lampejos de lembranças que até me parece um filme a exibir cenas de estórias a envolver pessoas com as quais convivi ao longo da minha vida. Que bom, hein?

A força do FESMUZA

Chico Cardoso
Escreveu: Francisco Alves Cardoso

Já estamos vivendo às vésperas do Festival de Músicas Gonzagueana, a maior festa nordestina em homenagem a Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”.

É uma promoção sem fins lucrativos, que já está vivendo o sexto ano, realizada na Comunidade São Francisco, a chamada Fazenda Cidade, encravada no município de São João do Rio do Peixe (PB).

A tradicional festividade acontecerá nos dias 23 e 24 de agosto próximo, promovida pelo Grupo União São Francisco, com apoio do “Caldeirão Político”, prefeitura de São João do Rio do Peixe e

MEU IRMÃO, MEU AMIGO, CAMARADA, OTACÍLIO TRAJANO - APAGANDO VELINHAS

Otacílio Trajano é irmão do saudoso Zeilto Trajano, dois confrades que se dedicaram de corpo e alma a comunicação, assim como eu. 

Tivemos o privilégio de acolhê-los quando do início da nossa pequena emissora em Pombal nos idos de 1966, ‘A Voz da Cidade’ que logo em seguida teria o seu potencial reconhecido como escola do rádio, exportando profissionais que mais tarde brilhariam no meio radiofônico paraibano e outros Estados da Federação. 

Otacílio Trajano além do bate papo descontraído nos leva a relembrar as doces aventuras da Rádio “A Voz da Cidade” e do Serviço de Alto Falantes “Lord Amplificador”, ouvindo também as músicas da sua discoteca nos faz regressar aos velhos tempos e as reminiscências desses veículos de comunicação. É um irmão, amigo e camarada! Desejo toda felicidade neste dia especial de origem de sua vida.

Clemildo Brunet
Radialista, Blogueiro, Colunista.

Brasil, o país das contradições

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O que temos visto, lido e ouvido nos últimos tempos parece até um pesadelo, tudo leva a contradições, idas e vindas em ritmo alucinante, àquilo que é dito pela manhã é contestado no período da tarde e mudado seu sentido no período seguinte. Culpa da incompetência de quem procura agir por impulso ou emoção, às vezes até por erro de interpretação quando não por intuição o ou disparate de quem usa e abusa do poder sem saber exerce-lo sem a truculência de quem acha que autoridade é mandar quando devia trabalhar em compartilhamento e divisão no exercício de suas funções e tarefas. Existem ainda os fatores ocorridos pela força da natureza alheios e impotentes ao controle humano.

Na área política, a partir de junho último, temos acompanhado a movimentação e agitação de países e de todos os continentes envolvimentos na catastrófica e

AS EXPEDIÇÕES CIENTÍFICAS DE LOUIS JACQUES BRUNET NO BRASIL.

Clemildo Brunet
Por Clemildo Brunet*

Louis Jacques Brunet o francês e médico naturalista da cidade de Moulins, quando aportou aqui no Brasil em 1852, não era nenhum desconhecido na França, sua intenção inicial seria explorar a flora e a fauna dos países da América do Norte. Era uma viagem que pretendia fazer com um amigo na qual lhe custaria uma fortuna. De repente num lance de aventura resolveu embarcar no primeiro navio à vela com escala por Pernambuco. Descendo em terra brasileira, deixou-se seduzir pela paisagem pernambucana, renunciando dessa forma outras regiões que pudesse conhecer.

Ele foi contratado em 1853, pelo presidente Sá e Albuquerque para “observar a posição geográfica dos principais pontos da Província; direção, curso, volume, temperatura das águas, sua composição química, quando elas apresentam propriedades particulares; estado higrométrico e temperatura da atmosfera. Inclinação e declinação da bússola, suas variações diárias”. Segundo o escritor José Américo, o plano foi sugerido naturalmente pelo francês e,

A BANDA DE MÚSICA SANTA CECÍLIA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Lembro-me como se fosse hoje. A velha banda garbosamente acompanhava a procissão do domingo à tarde, no dia do Rosário. Sem dúvida era a principal atração. Posicionava-se logo atrás do andor a caminhar em marcha lenta, a tocar o Queremos Deus que é nosso Rei. Ao lado a multidão contrita acompanhava o cortejo pelas ruas da cidade.

Ao seguir a procissão, a banda não obedecia aquela cadencia bem marcada que agente costumava observar por ocasião dos desfiles de sete de setembro. Seja, neste evento, a banda andava em marcha rápida e sincronizada, para ajustar-se às batidas da banda marcial que puxava o desfile.

No caso da procissão, quem se posicionava atrás da banda via os músicos, em fila dupla, à frente, as duas tubas conduzidas por Zé Vicente e Benigno Santana. Esses dois instrumentos, apoiados ao ombro giravam pra esquerda e

Dominguinhos: O príncipe da sanfona

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Garanhuns, terra do frio, a Suíça pernambucana, considerada a nascente que entregou ao mundo o príncipe da sanfona, o mestre Dominguinhos. Logo cedo ele mostrou-se especial, pelo dom que o ligava a música. Aos 8 anos de idade, como integrante do grupo musical “Os Três Pinguins”, se apresentou para o Rei do Baião na sua terra natal. Com 13, já morando em Nilópolis-RJ, ele passa a frequentar diariamente a residência do Gonzagão, convivência que resultou num aprendizado importantíssimo na construção não só do músico, como também do próprio ser humano. Tratado como se filho fosse por Gonzaga, Dominguinhos começa assimilar as orientações e

12 DE SETEMBRO: A FESTA DE NOSSA SENHORA DO BONSUCESSO, A PADROEIRA DE POMBAL

Jerdivan Nóbrega de Araujo
Jerdivan Nóbrega de Araujo

Não são poucas às vezes que eu me pego explicando aos filhos e amigos de Pombal, ou revisando textos que me chegam às mãos, que a padroeira da nossa cidade não é Nossa Senhora do Rosário e sim nossa Senhora do Bonsucesso, para quem foi construída e dedicada a primeira igreja do então povoado, construída entre 1698 e 1701, como marco da fundação do povoado. A princípio era uma capelinha tosca, de taipa e madeira erguida próximo onde hoje se encontra a Igreja do Rosário, (1721). Só mais tarde, foi entregue terceira igreja, hoje Matriz de Nossa Senhora do Bonsucesso (1897).

A igreja antiga foi passada para a administração da Irmandade dos Negros do Rosário, se transformando em Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Pombal. A denominação do lugar de Povoação de Nossa Senhora do Bom Sucesso do Pinhancó e

Meu Pai, O Pai da Matéria

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*
No inicio e na minha falta de entendimento, era muito novo até para fazer comparações ou ter parâmetros que me desse uma noção de valores, na proporção que o tempo passava, fui aprendendo e assimilando as noções que a própria natureza nos impõe para irmos aos poucos fazendo até atingirmos a maturidade, mesmo porque não nascemos prontos, e darmos uma sequência normal no percurso da vida.

E nessa fase aprendi o valor da sua presença, meu pai, quão importante naquele momento e naquela fase. Conceitos básicos como moral e cívica, atitudes para encarar os problemas de frente e

A violência do silêncio

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O ritmo dos últimos tempos está se tornando alucinante, não só pela velocidade como têm ocorrido os fatos como pela intensidade das ações. Para aqueles que procuram viver dentro de um padrão de ética considerado normal, ou mais próximo dela, tem que se esforçar muito para não se sentir fora da realidade, de alto grau de dificuldade na assimilação do meio em que vive, quando a violência contaminou o ar que respiramos, qualquer que seja o seu ambiente.

Sabemos que a escola ensina, porém não educa, a educação é formada na família, na interação com os familiares e os que formam a personalidade do homem, a partir da sua infância; é nela que o ser humano, ainda criança, sofre a consequência da violência quando há convivência com pessoas  sem pudor ou destituída de valores morais que venham contribuir com uma formação sólida na constituição educacional de um futuro adulto, nesse momento da formação entra vários fatores determinantes. E

8 DE AGOSTO: PARABÉNS AO HISTORIADOR VERNECK ABRANTES

Clemildo Brunet
Por Clemildo Brunet* 

Natural de Pombal-PB – VERNECK ABRANTES DE SOUSA nasceu no dia 08 de agosto. Filho de José Benigno de Sousa (Lelé) e Elisa Abrantes de Sousa (In memoriam), Irmão de: Elieaer Ghandi Abrantes de Sousa (In Memoriam), Elisane, Eliene, Maria do Socorro (In Memoriam), José Filho, Francisco José e Cândida Abrantes de Sousa. O nosso homenageado tem nível superior de engenheiro agrônomo formado pela CCT/UFPB - Campos III de Areia com formação profissional tendo cursos de especialização em Agronegócio, Agente de Inovação e Difusão tecnológica, e Irrigação e Drenagem, todos esses pelo Campus II da UFPB de Campina Grande. Ativo na sua área de trabalho participou de vários Seminários e Congressos. Sua consorte é Berta Leonia e da união conjugal nasceu Alana Alcântara Formiga de Abrantes. Verneck exerce a função de Assessor Regional da Emater com sede em Campina Grande.

Foi eleito em 2005 Coordenador Regional do Sindicato dos Engenheiros no Estado da Paraíba e Conselheiro do CREA-PB. Eleito em 2007 para Academia Brasileira de Extensão Rural com sede em Brasília. É sócio honorário do Instituto Histórico e Geográfico do Cariri Paraibano. No ano de 2002, foi eleito Titular do Conselho Fiscal do Sindicato dos Trabalhadores em Extensão Rural da Paraíba-SINTER-PB. Coleciona e

Minhas Caminhadas Noturnas

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Ó NOITES QUE TANTO AMEI!

Sim, foi isso mesmo, aconteceu, foi muito bom, portanto não há como esquecer. Tempos atrás, enquanto solteiro, fui um notívago de carteirinha. Nenhuma novidade, porque há muito estou a revelar minhas caminhadas pelas madrugadas afora nos lugares onde vivi e n’outros por onde passei.

É verdade que encantos da fada noite me seduziam de tal modo que não havia como recusar a um convite para adentrá-la até o surgimento dos primeiros raios solares. Assim pautei a minha vida durante um determinado espaço de tempo, sem prejuízo das minhas obrigações, movido pelo prazer de ser feliz em meio ao turbilhão que, pelas mesmas razões fazia-se presente nos mesmos lugares, nas mesmas horas, com os mesmos objetivos.

Aqui em João Pessoa, minha segunda casa, três inseparáveis amigos, Eu, Edrizio Roque e

CARTA A JERDIVAN

Meu caro Jerdivan,

Li o seu livro e do Ignácio Tavares, “Em algum lugar chamado Pombal”. Fiquei encantando e vou dizer o porquê.

Interessante que você por ter nascido em 1961, fala de uma Pombal dos anos setenta para cá... O Agnaldo que já em 1950 (segundo o livro) já era uma criança imberbe fala de uma Pombal antes dos anos sessenta.

E eu que habitei a Pombal dos anos 1963 a 1965, senti um pouco a falta de referências deste tempo, mas me esforcei para tirar a minha saudade nas belas linhas que vocês escreveram.
Permita-me fazer uma pequena anotação da minha biografia para você entender.

Advogado resgata detalhes de crime bárbaro ocorrido no sertão paraibano em 1883

Publicado no Jornal O MOSSOROENSE em 04 de Agosto de 2013.

Jerdivan Nóbrega diz que está surpreso com a repercussão da obra Em 1883, a pequena cidade de Pombal, localizada no alto sertão da Paraíba, foi surpreendida e aterrorizada por um crime brutal, ocorrida na Rua da Cruz. Uma jovem de 26 anos, chamada Maria da Conceição, esperava se casar com o senhor Rufino Gouveia, porém, mantinha um romance secreto com outra pessoa, e acabou engravidando de seu amante. Após realizar o parto sozinha, de uma menina, Maria sufocou a filha até matá-la, e

FELICITAÇÕES PARA FÁTIMA JÓ



Fátima Santos Jó
03 de agosto aniversário de Fátima Jó

Hoje 03 de agosto é o aniversário da primeira voz feminina do rádio pombalense, a nossa querida amiga Fátima Santos Jó, que estreou o seu programa matinal "MANHÃ REVISTA" na pioneira emissora de ondas médias RÁDIO MARINGÁ DE POMBAL LTDA do Grupo Francisco Pereira, na década de 80 do século passado. 

Fez carreira no rádio e veio a integrar o cast da RÁDIO MARINGÁ FM 98,7 na década de 90. Problemas de saúde ocasionou seu fastamento em definitivo do rádio. 

A amiga e confrade querida Fátima Jó, a caboclinha- como gosta de ser chamada, nossos votos de PARABÉNS!  Que esta data se repita sempre em sua vida para nossa alegria e prazer. 

FELIZ ANIVERSÁRIO! 

Da Redação

Da Iniciativa à Acabativa

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Com a renuncia do presidente Fernando Afonso Collor de Mello, assume a vaga o Vice-Presidente Itamar Augusto Cautiero Franco, em 29 de dezembro de 1992. O Brasil estava mergulhado numa crise moral e financeira, com escândalo de corrupção e uma inflação de 1.119%, somente mais três (3) países, a Rússia, a Ucrânia e o Zaire tinha uma inflação nesse patamar. Com a resistência da inflação que teimava em se manter elevada apesar dos esforços da equipe econômica.

No final de 1993 o Presidente Itamar Franco confiou e autorizou que seu Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, trazido do Ministério das Relações Exteriores, especificamente para essa finalidade, elaborasse um plano econômico para acabar com a hiperinflação que atrofiava a economia nacional e

CICLOS ECONÔMICOS DE POMBAL

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

 Perspectivas para o inicio de um novo Ciclo

Conforme observei no final do texto anterior no qual falei sobre o início e fim do segundo ciclo econômico de Pombal, ficou bem claro que a recessão que correu em seguida, ocasionou indesejáveis perdas de posições no quadro da economia estadual. Pois é, na década de noventa, com ênfase na segunda metade, a economia local entrou em regime de marcha lenta. Com efeito, somente no inicio deste novo milênio é que a economia volta a apresentar débeis sinais de crescimento.
  
Assim sendo, por mais que seja lenta expansão da economia local neste início de milênio, há indícios de que um novo ciclo econômico está em marcha, porem numa intensidade menor do que os dois ciclos anteriores. Pra ser sincero confesso que a minha crença neste novo ciclo que está a despontar não está recheada de otimismo. Isto porque desconfio que, esta pequena movimentação que ocorre na economia da terrinha, neste início de milênio, seja um reflexo do que está acontecendo na economia nacional, que voltou a crescer, porém,

APAGANDO AS VELINHAS...

Transcrito do Facebook  
Nalba Sirlene Ferreira Gomes https://www.facebook.com/nalbasirlene