CLEMILDO BRUNET DE SÁ

ALPB E A MEDALHA MÉRITO JORNALÍSTICO ASSIS CHATEAUBRIAND!

Clemildo Brunet
Medalha Epitácio Pessoa
Clemildo Brunet*

Seis anos são passados desde quando recebi a notícia que Assembleia Legislativa da Paraíba iria me fazer à entrega da Medalha Mérito Jornalístico Assis Chateaubriand, uma propositura à época do Deputado Estadual Abmael de Sousa Lacerda (doutor Verissinho) da cidade de Pombal.

A notícia foi postada em primeira mão na internet no dia 06 de novembro de 2007 pelo o Jornalista João de Sousa Costa meu amigo e

CANOAS E CANOEIROS

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*
  
  Logo cedo entendi que, em época de inverno não era possível chegar ao sitio da minha avó Ana, a não ser através de canoas ou cavaletes. Atravessar o rio caudaloso de barreira a barreira ninguém se atrevia. Tinha que ser de canoa ou cavalete mesmo.
 A canoa, ou falua, na linguagem dos poetas cancioneiros do começo do século passado, é

FUNCIONÁRIO PÚBLICO

Clemildo Brunet

Por Clemildo Brunet*

No contexto social funcionário público não é aquele que só presta serviço ou exerce seu nobre trabalho para o governo. Sua função tem muito a ver com o que é público. Não é o lidar com as coisas que é do governo, mas o que é público, isto é, tudo que envolve as pessoas. É distorcido o pensamento achando que a função e o exercício da atividade do funcionário público sejam para o governo. Pelo contrário, ele se encontra na repartição pública para atender e

Poeta, Poesia e a Imortalidade

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Com o transcurso do aniversário do Vinícius de Moraes, 100 anos, que seria no último dia 19 e o dia do poeta, comemorado no Brasil no dia 20, próximos passados, resolvi fazer um trabalho lembrando aqueles, que considero como os maiores, entre os grandes, poetas da nossa língua. A poesia tem sua origem que antecede a escrita e é uma forma de comunicação que se distingue não como uma ramificação da arte, mas, para os mais entusiastas dessa forma de expressão, como a própria arte, dentro da cultura milenar. Muitos foram aqueles que se destacaram na defesa da poesia no decorrer da evolução das comunicações exercida pela humanidade. A língua portuguesa foi feliz com seus escritores tendo esses, sequenciado os fragmentos poéticos encontrados em cavernas e

JERDIVAN NÓBREGA DE ARAÚJO

Nasceu em Pombal em 23 de outubro de 1961, casado com Adeilde Pereira, pai de Rodrigo Márcio, Márcia Danielle, Ramom Diego, Anna Beatriz e os enteados Éricka, Andressa e Bruno Roberto.

Empresário e Diretor Presidente da Rádio Oeste da Paraíba é homenageado pelo Parque Cultural Rei do Baião

20/10/2013
O empresário José Nelo Zerinho Rodrigues foi homenageado na manhã deste domingo (20),  no Parque Cultural “Rei do Baião”, na fazenda São Francisco do Radialista Chico Cardoso, com um busto que traz a imagem de Zerinho ainda novo, e

ORIGEM DOS BLACK BLOCS

Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana

No Brasil, o povo despertou o gigante, faltam poucos saírem da cegueira, mas nós vivemos um momento histórico intrigante com a presença desastrosa dos vândalos que estão prejudicando incontrolavelmente as manifestações pacíficas na busca da efetividade de seus direitos que foram conquistados com sangue, suor e lágrima. Alguns estudiosos os comparam aos antigos vândalos. Outros consideram que têm origem nos meados do século XX.

O estudo da origem da tática de protesto e resistência urbana à violência e ao autoritarismo estatal conhecida como “Black Bloc” é de suma importância para a compreensão do papel desses homens e

A Constituição da Estabilidade Democrática

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

A história das constituições no Brasil tiveram suas características próprias aos momentos e os movimentos que levaram as suas elaborações. A de 1824 ratificou a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil, tinha o imperador D. Pedro ll como poder moderador e os três poderes, executivo, legislativo e judiciário, sendo os três últimos subjugados, além da Igreja Católica, na época comumente tinha o apoio e era mantida como aliada do Estado, ao Imperador, portanto, um desequilíbrio total entre os poderes.

Com a proclamação da República Brasileira (1889), e

A ÚLTIMA SERENATA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

(Saudade é o passar e o repassar das coisas antigas) Machado de Assis
  
Quando fui aprovado no vestibular em 1965, passei cerca de vinte dias aqui em João Pessoa a fim de resolver minha situação funcional junto ao Ministério da Agricultura. Em seguida, já refeito da canseira em razão da sobrecarga de estudos na fase pré-vestibular, retornei a Pombal.
 Nos primeiros dias, ainda no calor da euforia, rolaram parabéns, abraços de familiares, amigos e

A CRIANÇA QUE FUI... A CRIANÇA QUE SOU...

Clemildo Brunet
 Clemildo Brunet*
Todos nós fomos criança um dia ou ainda somos em alguns aspectos de comportamento. Agimos como adultos, mas também, muitas das vezes estamos nos portando como criança. Determinado dia Jesus falou para adultos de sua época, que serve também de ilustração para nós nos dias atuais. Ele disse: “Mas a quem hei de comparar esta geração? É semelhante a meninos que, sentados nas praças, gritam aos companheiros: Nós vos tocamos flauta, e não dançastes; entoamos lamentações e não pranteastes”. Mt 11:16,17. 

A questão levantada não era nada mais do que a dubiedade das pessoas no modo como Jesus cumpria sua missão em detrimento ao que seu precursor pregara. João Batista não comia e

Previsão Inconsistente

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O Brasil acompanhou com expectativa o desfecho do registro do partido Rede Sustentabilidade, de responsabilidade da ex-senadora Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, sendo negado dia 03 último, pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Não se discute o mérito da causa, mesmo porque, decisão de juiz não se discute, simplesmente se cumpre. Marina Silva cometeu alguns erros de avaliação quando vendo os problemas de rejeição das assinaturas de inúmeras fichas de filiados, principalmente, segundo fontes jornalísticas, mais de 80%, da região do ABCD paulista foram rejeitadas, não havendo a iniciativa de repô-las em caráter de urgência urgentíssima, apesar da exiguidade do tempo; acarretando o prejuízo de ver todo seu esforço ser anulado pela ausência dessa iniciativa. Os fatos que levaram as anulações por desencontros no reconhecimento de assinaturas devem ser levantados posteriormente.

Na sequencia, toda atenção foi voltada para o futuro político da ex-senadora que agora buscava alternativa que viesse viabilizar sua possível candidatura à presidência da república, diante do fato de ver fracassado seu plano original que era disputar o cargo pelo partido que ela planejou com um projeto voltado para os temas que ela tanto defendeu, com o movimento heterodoxo, durante sua longa caminhada em cargos no legislativo e

OS ÁGUIAS DE POMBAL

Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana

                             Recebemos um telefonema do amigo, Chico de Maroquinha, que após uma reunião com várias pessoas do meio cultural de Pombal, residentes em João Pessoa, inclusive, com a presença do baterista Mestrinho, escolheram-nos para prefaciar a obra literária organizada por Gilberto de Sousa Lucena, intitulada de “OS ÁGUIAS” DE POMBAL”, assim, deixando-nos lisonjeado, muito feliz e até agraciado pela lembrança do nosso nome para este desiderato, que talvez não fosse a pessoa melhor indicada.
De cara, sem qualquer rodeio, numa rápida leitura, revivem-se os anos de rebeldia da juventude de Pombal, no período de 1966 a 1977 que, obrigatoriamente, faz-se um retorno memorável ao passado das boas e

ECONOMIA DE POMBAL: Uma questão de vontade política!

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*
 
Quando há vontade política tudo é possível acontecer, vejamos: o saudoso mestre Celso Furtado dizia com certa frequência: “não haverá desenvolvimento sem vontade política”. É claro, que ele está a se referir a necessidade da prática de ações, firme e determinadas, por parte dos atores que estão à frente do poder, para que a roda da economia comece a girar com mais velocidade.
É uma verdade inconteste, porque desenvolver as sociedades economicamente retardadas, em qualquer circunstância, é preciso.
Há algum tempo estou a chamar atenção para o desperdício de oportunidades de

Terceira Idade, um Período de Paradoxos

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Dia 1° último foi comemorado o dia do idoso, acompanhamos pela mídia muitas reportagens direcionadas as conquistas dessa classe, que não foram poucas, gratuidade no transporte urbano, direito aos medicamentos de uso contínuo, tão necessários nessa fase da vida, locais apropriados para os exercícios físicos, normalmente em praças públicas, assentos exclusivos ou prioritários em ônibus e

"SEU' AZUIS: O VENDEDOR E ÁGUA MAIS DISPUTADO DE POMBAL

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

Quando eu era criança, morador da Rua de Baixo assistia durante todo o dia, algumas cenas cotidianas que ficaram na minha cabeça até os dias de hoje e, como um filme, vez por outra voltam a minha mente me fazendo viajar por aqueles distantes meados dos anos sessenta.

Lembro de cada personagens e até dos seus ofícios na luta pela vida. O Nartécio que era pedreiro, Zé Martins que trabalhava nas Casas Bandeiras, Zé da Viúva da Brasil Oiticica e por ai vai. Lembro também das pessoas que passavam em nossa rua para ir ao rio ou cultivar suas plantações na “Outra Banda” ou no “Araçá”.

Tínhamos ainda as lavadeiras com suas bacias de roupas na cabeça e

Questões Democráticas

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas* 

Os últimos acontecimentos na formação de novos partidos nos leva a uma conclusão no mínimo diversionista dentro do órgão competente, Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não havendo qualquer simbiose nos conceitos de avaliação que possam justificar as aprovações ou não desses novos registros.
O 31° e o 32° partidos do Brasil surgem como Partido Republica da Ordem Social (Pros) e Solidariedade (PS), respectivamente, ambos com objetivos claros em apoio a pretendentes a presidência da republica em 2014, numa demonstração clara e

"ALTO SERTÃO": UM JORNAL DE POMBAL PARA A REGIÃO

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*

Em 1962 por ocasião do Centenário da cidade de Pombal, o escritor paraibano Celso Mariz prefaciador do livro “O Velho Arraial de Piranhas” do historiador Wilson Nóbrega Seixas, utilizou-se de uma frase bem interessante para declarar em síntese, o que representava aquela obra literária para o nosso município: POMBAL TEM SEU LIVRO. Agora em pleno Século XXI no ano da graça de 2013, parodiando Celso Mariz, afirmo: POMBAL TEM SEU JORNAL ESCRITO.

A Imprensa faz a história e