CLEMILDO BRUNET DE SÁ

AS SECRETÁRIAS, NOSSAS HEROÍNAS!

 
Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

30 de setembro celebra-se o Dia da Secretária.

Curioso é o motivo pelo qual essa data foi reconhecida. Veio em decorrência do invento da máquina de escrever por Christopher Sholes e em razão de sua filha Lilian Sholes, que nasceu em 30 de setembro de 1850, testar o invento, tornando-se a primeira mulher a escrever numa máquina, em público. O Dia da Secretária teve sua origem por ocasião do centenário do nascimento de Lilian Sholes, quando os fabricantes de máquinas de escrever fizeram diversas comemorações. Entre elas, concurso para escolha da melhor datilógrafa.
Secretária é aquela pessoa que se dedica de corpo e

Nem tudo que é direito me convém

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

       Quando o então senador por São Paulo, Fernando Henrique Cardoso (PMDB), sai candidato para a prefeitura de São Paulo (1985), ele que fora um dos articuladores das Diretas-Já, estava praticamente com sua eleição assegurada, até o momento de participar do último debate na televisão, numa vacilada, perguntado pelo jornalista Boris Casoy se ele acreditava em Deus, a resposta não foi objetiva, ficando nas entrelinhas a possibilidade dele ser um ateu. Esse fato, mesmo desmentido por ele, de nunca ter sido ateu, custou ao futuro presidente da República a eleição e

POMBAL DE OUTRORA TEM NOME DE SAUDADE!

Francisco Vieira
Francisco Vieira*
Se possível fosse, traria para o presente a Pombal de outrora. É que o amor telúrico e a saudade não me deixam esquecer o passado, tempo vivo em minha memória sexagenária. Como num conto de fadas, daria vida as décadas de 60 e 70, e suas reminiscências.
            Num toque de mágica, traria praças, ruas e vielas da época, com frondosas castanholas e pés de fícus, onde suas sombras abrigavam a meninada, acolhiam casais de namorados e os idosos que se reuniam para jogar conversa fora ao som da passarada. Teria de volta os amigos que comigo percorreram palmo a palmo desse chão, principalmente os que partiram cedo, Ghandi, Zé Piloto, Jair de D. Lídia, Mané Maluco e os irmãos Joãozinho e Arereu Espalha, para dizer-lhes da saudade e

Política, a polissemia dos incautos apátridas

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

    Tive que recorrer às minhas memórias de infância para ter parâmetros comportamentais na política nacional e seus executores. A primeira campanha política que eu tinha noção do que estava acontecendo, muito embora a minha idade de apenas sete anos, fazia uma ideia diferente daquilo que fui aprendendo com o exercício dos estudos e assimilação vinda da experiência adquirida. Em 1960 o Brasil entrava em campanha para presidência da República e governadores, no executivo, além de outros cargos para o legislativo, assim como hoje, senadores e

Condutas inaceitáveis

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

       O homem é um ser intrigante. Intitula-se um conquistador de sonhos e extremamente evoluído. No entanto, não consegue se desvencilhar de alguns comportamentos inadequados, ultrapassados e inaceitáveis. Estamos em pleno século XXI, mas em determinados momentos o homem age imbuído pelo preconceito e

POMBALENSE COM DUPLA CIDADANIA

Francisco Vieira.

Numa solenidade bastante concorrida, realizada na noite deste sábado, dia 13 de setembro de 2014, na cidade de Salgadinho – PB, a Advogada FABÍOLA REJANE CLEMENTINO VIEIRA RIBEIRO e

Falta de sensibilidade política ou erro de cálculo

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O marketing político vem sendo utilizado, na época das eleições, como um instrumento de valorização dos candidatos, mostrando suas qualidades e enfatizando seus serviços prestados nas comunidades das regiões a ser representado por cada proponente aos cargos eletivos, independente de ideologia ou posicionamento social, o que realmente interessa aos profissionais da propaganda é vender uma imagem do seu cliente, capaz de sensibilizar ao ponto de conseguir que o eleitor acredite na sua mensagem como se verdadeira fosse, nem sempre a realidade reflete o que se anuncia.
Nesse aspecto soubemos copiar do americano o que de pior vem acontecendo na propaganda política. Já tivemos candidato com a vassoura na mão, varrendo a sujeira da política nacional, caçador de marajá, pai dos pobres, mãe do desenvolvimento nacional, e

NA ADOLESCÊNCIA – Minhas aventuras no Piancó

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

            Esta é uma estória da minha adolescência que vez por outra matraqueia a minha memória. O cenário do acontecido são as águas barrentas do Piancó, principalmente nos anos de transbordo de suas calhas. Isso mesmo, a barragem de Mãe D’água ainda não havia sido construída. As cheias do Piancó aconteciam com mais frequência, portanto, bastava uma chuva grande à montante da bacia do Açude de Coremas, para que o Rio transbordasse, invadindo a Rua de Baixo, às vezes até a Rua do Comércio.
            Eu gostava dessa situação, pois, quanto mais cheio estivesse o Rio maior era a festa da meninada da Rua do Comércio. Para nós, naquela época, nadar nas águas barrentas do Piancó era a melhor diversão. Os lugares mais frequentados para os nossos banhos diários era a pedra da sedan, a pedra redonda e

Novo mar de lama da corrupção

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Apenas vinte e oito dias nos separam das próximas eleições gerais, exceção feita as municipais, muitas são às histórias contadas, promessas feitas, candidatos revestidos de salvadores da pátria, até mesmo os limitados aos cargos estaduais, não sabendo até onde vai sua abrangência, no novo cargo que é postulante. Vão em frente com a megalomania dos neófitos desavisados, mas, querem mostrar conhecimentos e vontade de trabalhar pelo sua comunidade, terminam, dessa forma, entregando sua
inexperiência e

AMIGOS DE INFÂNCIA E SUAS TRAVESSURAS

Francisco Vieira
FRANCISCO VIEIRA*

Até que se apague a última centelha de vida, vou relembrar minha turma de amigos, como eu, moleques travessos de minha infância.
A propósito, a pergunta que não pode calar: quem nunca foi peralta na vida? Eu, você, todos nós fizemos travessuras. Quando menino, quebramos vidraças, pichamos paredes, tocamos a campainha do vizinho, morcegamos trens e caminhões, atormentamos loucos, roubamos a merenda do coleguinha e outras artimanhas. Ainda mentimos pra não apanhar e

Penedo

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga* 

Penedo, um distrito e parque ecológico do Município de Itatiaia, RJ. Região de serras, de clima frio, de névoas escondendo as paisagens e sossegadas pousadas. Uma terra que fora idealizada e criada por uma colônia finlandesa, que teve como precursor Toivo Uuskallio.
Em seu livro “Na Viagem em Direção à Magia do Trópico”, Toivo esclarece que em 1927 recebeu um chamado divino para ir à busca da terra mágica. Com sua esposa Lisa e

A MORTE DE JOSUÉ DE CASTRO NO EXÍLIO

Jósé Romero Araújo Cardoso
José Romero Araújo Cardoso(*)

 “Não se morre apenas de infarto agudo do miocárdio ou de glomeronefrite crônica, se morre também de saudades” (Josué de Castro).

          Quando o calendário marcou o dia vinte e quatro de setembro de 2013 assinalou-se a triste cronologia referente aos quarenta anos de falecimento no exílio na França do médico, geógrafo, sociólogo e

CONGRATULAÇÕES A PAULO ABRANTES

Clemildo Brunet de Sá
CLEMILDO BRUNET*

 Quem já nasce com ideal na vida, nasce feito. Quem sabe faz a hora não espera acontecer, como diz a letra da canção do paraibano Geraldo Vandré. Pois bem, Paulo Abrantes de Oliveira, nascido em Pombal sertão da Paraíba no dia 01 de setembro de 1949, filho de Augusto Gervásio de Oliveira e Doralice Abrantes de Oliveira, casado com a Advogada Ana Rosa Neiva Monteiro Abrantes, foi morar em João Pessoa em 1967, onde concluiu seus estudos, tendo-se formado em Engenharia Civil e