CLEMILDO BRUNET DE SÁ

8º ANIVERSÁRIO DO PORTAL CLEMILDO, COMUNICAÇÃO & RÁDIO


Clemildo Brunet
Por Clemildo Brunet

Nesses oito anos de atividades na web o Portal Clemildo, comunicação & Rádio, criado em 01 de junho de 2007, conta atualmente com 252.455 acessos para um total de 1.772 postagens.
Nasceu e em seu princípio era de que a linha editorial a ser utilizada neste instrumento cibernético que atinge os quatro cantos do planeta, tivesse o fim  específico de tratar da história do rádio e comunicação de Pombal e

Quem venham Bruce Lee e o Kung Fu

João Costa
João Costa*

Para sua consideração - A China, aplica Confúcio em tudo que faz. Não impõe seus hábitos, até porque considera os seus superiores. A expansão chinesa na América Latina e Europa a partir da Ásia, não vem acompanhada de dominação cultural. Mas é fato que a China se descolou da Ásia. Causa estranheza a presença deles na Rua Duque de Caxias, onde controlam restaurantes e importados. Tem uma loja, do outro lado, próxima ao ponto de táxi, em que fachada é toda em Mandarim.  Isso aqui pertinho. Eles têm fome de recursos naturais, daí o foco na África e América Latina.
Agora mesmo, eles vão bancar a ferrovia que vai ligar o Atlântico ao Pacífico, entre o Brasil e

Oração ao tempo

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Tempo fugaz. Uma locomotiva veloz a nos conduzir. Da janela, olhares absortos a observar cenários diversos, que, tais como flashes, vão ficando contínua e rapidamente para trás.
Um tempo de caminhantes azoados, de velhos, homens, mulheres e crianças que vem e vão, num transitar sem sonhos, restritos à escravidão da insolente violência e

Pobres e Endividados

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

Faz um tempinho que estou querendo entender melhor - mania de sociólogo - esse surgimento de uma “nova classe média”, aqui no patropi.
Diariamente, todos os brasileiros convivem e visualizam os resultados decorrentes da pobreza, na qual a maioria da população nacional se encontra. Curiosamente, uma parcela da população (senso comum) acredita que a condição de miséria de milhares de pessoas espalhadas pelo território brasileiro é causada pela preguiça, falta de interesse pelo trabalho, acomodados à espera de programas sociais oferecidos pelo governo.
Em verdade, nas últimas décadas, o desemprego (e

Antes que os ecologicamente inocentes úteis apareçam

João Costa
João Costa*

Para sua consideração - O Brasil tem duas fronteiras praticamente descobertas. À Oeste, temos a floresta amazônica, com imensos recursos naturais – sem citar a produção agrícola e agropecuária – e, à Leste, o mar de 200 milhas. O governo norte-americano trata a Amazônia como “reserva ambiental do mundo”, por outro lado, os americanos e seus lacaios da OTAN não reconhecem nosso mar de 200 milhas. Assim, o país está espremido entre dois interesses econômicos. Reservas naturais e pré-sal no Atlântico. A ameaça à soberania nacional é real - e

O apologético discurso governista continua permeado de pseudolalia

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*
O que nos causa espanto não é a situação calamitosa e de penúria que atravessamos desde que foi conhecido o resultado das urnas do último pleito. O governo que já vinha tratando a economia de forma amadora, sem medir consequências futuras, tenta transmitir à opinião pública que o país está passando por um momento de turbulência e

Crimes de lesa-pátria estão em curso no país

João Costa
Por João Costa*

Para sua consideração – Eis que o ministro Joaquim Levy, àquele que manda de fato no governo Dilma, nunca escondeu que deve mais obediência ao Consenso de Washington – do qual foi seguidor – do que ao país. Não precisa ser economista para saber que ela, a tal, economia, não comporta exageros. Daí o fracasso da URSS, e de países neoliberais radicais e sem capital. À pretexto do ajuste fiscal que deveria ser uma medida temporária, mas se anuncia como duradoura e,

Considerações acerca de Benedito Vasconcelos Mendes, o grande sábio do semiárido

J. Romero  A. Cardoso
José Romero Araújo Cardoso*

Tive primeiros contatos com a obra de Benedito Vasconcelos Mendes através de títulos da Coleção Mossoroense que eram-me regularmente enviados pelo grande mecenas Jerônimo Vingt-un Rosado Maia. Na época, meados da década de noventa do século passado, residia em João Pessoa, capital paraibana.
Despertou-me interesse em conhecer o autor dos trabalhos magistrais, cujo enfoque centrava-se em busca de tecnologias que permitissem melhor convivência do homem com as adversidades apresentadas pela região que elegi como prioritária para meus estudos, bem como, ainda, significativa ênfase à importância da escolha certa com relação a animais domésticos que permitissem melhorias econômicas significativas para o plantel regional.
Quando de aprovação em concurso para docente realizado pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, lotado no Departamento de Geografia do Campus Central, tive o prazer de conhecer Benedito Vasconcelos Mendes e

Não há socapa nem calada da noite, degringolou!

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Quando pensamos que estamos quase chegando à conclusão do assunto repetitivo e até desgastante, governo de coalizão, o sistema político brasileiro nos fornece munição para temas diversificados e de profunda análise. Realmente, ainda não nos deparamos com o fundo do poço, há muita coisa por vir, quanto mais se esmiúça mais promíscua fica a relação da rotina do parlamento com o executivo no Brasil.
Com a mudança dos negociadores, com o parlamento, o governo obteve sucesso na aprovação inicial das medidas do ajuste fiscal, graças ao trabalho do vice presidente da República, Michel Temer, e

Alcova, dólares e as Paquitas

João Costa
João Costa*

Para sua consideração (E do presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Mota, eis meu roteiro para um espetáculo) – A doleira Nelma Kadoma, amante de outro doleiro famoso e herói nacional por ser um delator, Alberto Youssef, não deixou barato e seguiu a cotação do dólar no seu depoimento: cantarolou a canção “Amada Amante”, de Roberto Carlos na audiência. (Corte)
O juiz Bartolomeu Correia Lima, presidente da Segunda Turma Recursal da comarca de Campina Grande, durante uma audiência no fórum, também fez sua performance. Arriou as calças para ilustrar a sua narrativa sobre um acidente que sofrera. A promotora Elaine Cristina pediu providências ao Procurador Geral, Bertrand Asfóra,  para a conduta “considerada” inadequada do magistrado, que tem passagem pela Corregedoria do TJ. (corte)
Luciana Gimenez – segundo revistas de fofoca à época, contou que engravidou do roqueiro Mick Jagger numa festa badalada. A fornicação do casal se deu num canil. Luciana apresentou seu bebê à mídia nativa enrolado na Bandeira Nacional. Jagger Partidário do lema Sexo, Drogas E

Nepal

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

A natureza é a presença de Deus no planeta Terra. O deslizar das águas de um rio que desce corredeiras buscando o abraço do oceano, ou, mesmo o ouvir do canto dos pássaros, a invadir nosso espírito, amenizando inquietações e fazendo brotar uma sensação de paz, são demonstrações iniludíveis da presença do Criador.
A Santa Natura é professora paciente com o homem. Fornece à humanidade o alimento de cada dia, embora maltratada pelo próprio ser humano. Mas, mesmo assim, procura mostrar o caminho a ser seguido. Contudo, ultimamente, a Mãe Natureza vem demonstrando um grau maior de insatisfação, seja através de tsunamis, terremotos, de furacões, tornados, secas e

O neoliberalismo e a América Latina: Breves considerações

Marcela e Romero
José Romero Araújo Cardoso*
Marcela Ferreira Lopes*

O modo de produção capitalista vem sendo assinalado indelevelmente através da adoção da doutrina econômica formulada pelo filósofo e economista escocês Adam Smith (Kirkcaldy, 5 de junho de 1723 — Edimburgo, 17 de Julho de 1790), na qual, em essência, frisou a necessidade que o Estado não deve intervir na economia, ou seja, laissez faire, laissez passer (deixar fazer, deixar passar).
Para Smith, uma espécie de mão invisível controlaria naturalmente oferta e

RACISMO

Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana* 

Podemos dizer que o preconceito é gênero e o racismo, uma espécie. Logo a pessoa dotada destas duas psicoses doentias precisa urgentemente de um tratamento terapêutico. Ou gosta de manter o desprezo ou separatismo ante o relacionamento no seio da sociedade humana.
Palavras não são inocentes, elas são armas que os poderosos usam para ferir e dominar os fracos. Os brancos norte-americanos inventaram a palavra 'niger' para humilhar os negros. Criaram uma brincadeira que tinha um versinho assim:
'Eeny, meeny, miny, moe, catch a niger by the toe'...que quer dizer, agarre um crioulo pelo dedão do pé (aqui no Brasil, quando se quer diminuir um negro, usa-se a palavra crioulo).
No mesmo sentido quando a pessoa quer mostrar o seu preconceito disfarçado com medo de ser ridicularizado usa as expressões: “um negro colocou um pé na Presidência da República” (referindo-se aos Estados Unidos), ou, então, “um negro já chegou à Presidência do Supremo Tribunal Federal” (referindo-se ao ministro Joaquim Barbosa). A declaração preconceituosa é tão clara que, às vezes, balbucia os lábios ou o rosto do declarante fica corado de maldade.
A discriminação ou o preconceito não é tema novo. Quando adentramos e captamos o sutil deslinde da história universal, percebemos que surgiu na antiguidade com os regimes escravagistas e

Bodas de amor

Onaldo Queiroga
Por Onaldo Rocha de Queiroga*

Cinquenta anos não são cinquenta meses, nem muito menos cinquenta dias. É um longo tempo. Uma longa estrada percorrida. Pelo caminho muitas dificuldades e sofrimentos, mas tudo ultrapassado em nome do amor.
O casamento era para ser no dia 4 de abril de 1965, data de aniversário do patriarca Antonio Hortêncio Rocha, o pai da noiva. Festa organizada, porém, um infortúnio fez com que a cerimônia fosse adiada, ou seja, dias antes da data do matrimônio, veio à morte prematura, por afogamento, de Onaldo Setúbal Rocha, com 16 anos, no açude da Fazenda Altinho, Pombal. A tristeza invadiu não só a família, mas toda cidade. Antonio e

COISAS DA MINHA TERRA – Os Carteados...

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Tempos atrás em vários pontos da cidade havia casas de carteados onde se jogavam valendo dinheiro, em alguns casos, por pura diversão. No centro da cidade - numa transversal a Rua Estreita - funcionava o cassino de Chico Terto, palco de muitas estórias contadas pelos habituais frequentadores.
 A jogatina rolava dia e noite, noite e dia. Muitos jogadores chegavam a perder todo dinheiro restando-lhe apenas um inusitado prêmio de consolação, qual seja, dar uma ¨popa¨, o que é nada mais nada menos do que uma brusca reação, que quase sempre resultava em perdas materiais para o dono do cassino.
 Cada jogador tinha seus momentos de cismas, principalmente quando estava perdendo. Um frequentador assíduo do cassino pra poder sentar-se à mesa exigia que não houvesse ninguém pra peruar suas cartas. Certo dia, este cidadão estava a perder como nunca. Olhou prá trás não viu ninguém. Até aí tudo muito bem.
 Mas, observou que existia um Cristo Crucificado, exatamente, nas suas costas. Chamou Chico Terto e/

Nada mudará enquanto continuarmos repetindo os mesmos erros

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Na última terça-feira (05), a propaganda no horário político foi de responsabilidade do Partido dos Trabalhadores (PT), confesso que esperava uma apresentação diferente de tudo aquilo que já nos foi apresentado, entretanto, o quadro, em termos de propaganda eleitoral, não passou de uma repetição do mesmo cipoal falacioso, com forte reprimenda de uma nação cansada das mesmices delongas, mais uma vez, provocando um panelaço por parte dos brasileiros inconformados com a falta de seriedade no governo central, insistindo na ideia da burrice coletiva, achando que povo vai continuar acreditando nos discursos trampolineiros, marca recorrente nas afirmativas dos situacionistas toscos, mesmo porque, se um dia foram lapidados, certamente, foram a machados.
Antes de interpretar como mais um dolo naquele horário, e

MÃE: NÃO HÁ QUEM A DESTRONE E OCUPE O SEU LUGAR

Clemildo Brunet de Sá
Por Clemildo Brunet*

Mãe é aquela que durante nove meses de gestação carrega em seu ventre com todo o cuidado o filho que vai nascer. São muitas as noites sem dormir na esperança de ver sair de suas entranhas o ser querido que está para vir. Aos primeiros sinais da gravidez inicia-se a preocupação em preparar o enxoval para o rebento, pois quando chegar estará pronto o seu lugar em um quarto da casa, o berço e todos os apetrechos necessário, dando cores ao ambiente de conformidade com o sexo da criança.
Sofre as dores de parto, no entanto, como disse Jesus: “A mulher, quando está para dar à luz, tem tristeza, porque a sua hora é chegada; mas, depois de nascido o menino, já não se lembra da aflição, pelo prazer que tem de ter nascido ao mundo um homem”. Jo. 16:21. Agora na satisfação de contemplar o seu filho querido, o coração de mãe se desdobra em oferecer o melhor para ele. O tempo passa e

A civilização do couro e a civilização da seca:

 Definições para o processo de construção sociocultural do semiárido Nordestino

Romero e Marcela
José Romero Araújo Cardoso*
Marcela Ferreira Lopes*

Capistrano de Abreu, célebre historiador cearense, denominou a formação cultural sertaneja, fruto da miscigenação das raças branca, indígena e negra, como civilização do couro, enquanto Paulo de Brito Guerra e Benedito Vasconcelos Mendes definiram-na em função da labuta do gênero humano que habita a hinterlândia no desafio constante à inclemência da seca.
A organização do espaço sertanejo esteve desde o início da colonização fortemente atrelado à

Uma mãe. Uma mulher. Uma profissional.

 Suas importâncias no contexto da vida!


Escolhi esse tema para instigar, em você leitor(a), algo que o faça refletir a respeito do quanto é imensurável o valor de uma mãe.
Vivemos em mundo onde a mulher tem sobressaído porque tem a visão, a ousadia, a pró-atividade, o domínio da importância da relação interpessoal no trabalho, o diferencial e

Mao-Lula: entre braçadas e marombas

João Costa
João Costa**

Corria o ano da graça de 1966, quando o líder da Revolução Chinesa, Mao Tsé-Tung, deu um mergulho no Rio Amarelo e nadou quinze quilômetros – seu staff mergulhou atrás -  e, um mês depois, deu início à Revolução Cultural. Milhões foram mortos, segundo a mídia ocidental. A partir daí, a China transformou-se: passou, a passos largos, de um país feudal para seguir O Caminho e

Romeu Menandro da Cruz: O homem das mãos milagrosas

J Romero Araújo Cardoso
Por José Romero Araújo Cardoso*

Examinada a valise com todos os procedimentos médico-farmacêuticos e conferida a munição do revólver colt cavalinha calibre 38, Romeu Menandro da Cruz ajeitava seu chapéu na cabeça, despedia-se de Dona Maria Isabel, companheira inseparável, montava em seu insubstituível cavalo branco e ganhava as quebradas das serras do alto oeste paraibano a fim de atender as urgências, os inúmeros pedidos de socorro partidos daqueles confins onde assistência à saúde era algo distante naqueles tempos passados marcados pela ausência da ação do Estado, exponencializando-se a não efetivação em garantir direitos inalienáveis à

O sensato nunca se curvará

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Enquanto o governo federal anuncia que está cortando na carne para conseguir o ajuste fiscal, tão necessário para o equilíbrio nas contas esfaceladas, a população, por conseguinte, já vem tentando tirar da sofreguidão sua alma penada, que arde nas chamas da indecência,  da umbrática e quimérica administração central dos últimos 12 anos.
É muito pouco tentar acertar os desacertos e altercações, imbróglios advindos das mentiras camufladas e muitas delas abertas e insinuosas, imputadas a outros aquilo que lhe tem à mente e coloca em prática toda política que tanto condenou, e