CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Crise hídrica no sertão

João Costa
Por João Costa*

Para sua consideração - Chego a Patos e minha filha avisa: racionamento geral, 2X3. Dois dias com, três dias sem. É o preço que se paga para quem teima em viver no semiárido. Já é regra que dura, e vai durar muito mais – e com agravamento. A crise hídrica é real, faz a crise política parecer coisa de criança. Pois bem, neste sábado, leio esta pérola, que nem de longe é um balde d’água fria no Sertão de mãe-preta e

O país do faz de conta

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Na proporção que o tempo avança a situação crítica da área financeira do Brasil torna-se mais profunda e adversa a uma situação reversível que tanto esperamos. A crise de autoridade é um fato de que tem contribuído com o agravamento da situação, considerando-se a falta de credibilidade que passa a presidente da República, tendo, inclusive, ter que delegar funções que fazem parte da prerrogativa do seu cargo para pessoas de sua confiança e dentro da esfera da sua base de apoio, na tentativa de avançar nas negociações com o legislativo que possibilitem o sucesso no combate aos males que tem levado a nação à bancarrota.
Sabemos o que nos aflige tanto, a inflação que insiste em não ceder as politicas de combate; os juros altos impostos pelas autoridades que insistem combater a inflação com essa prática recorrente nesses momentos de crise e

Trânsito urbano, um baita desafio

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

A conversa de hoje vai na direção de um tema recorrente nos noticiários nacionais: os sucessivos recordes de engarrafamentos e de acidentes do trânsito, nas metrópoles brasileiras.
O pecado original - o individualismo - respaldou a nossa (?) opção por rodovias e por transportes individuais, em detrimento das ferrovias e dos transportes de massa. Trata-se de uma aparente desinteligência.
Na verdade, o que se esconde por trás dessa burrice histórica - quem manda no pedaço - são os interesses poderosos dos conglomerados industriais ligados à produção de petróleo e

Reconquiste a sua alegria de viver

Adicionar legenda
Gonçalo de S. Pontes Júnior*

Tenho certeza de que todos vocês, meus leitores e leitoras, têm se deparado com uma situação que a cada dia torna-se mais comum: AS PESSOAS ESTÃO PERDENDO A ALEGRIA DE VIVER!
Incrivelmente falando tornam-se cada vez mais raros em nossos dias, os sorrisos de um ser humano para outro ao amanhecer, as gargalhadas provenientes de uma boa piada, a satisfação no encontro de um velho amigo, a sensação de rever familiares.
Vejam comigo: as pessoas já amanhecem com tanta pressa que esquecem de sorrir até para os familiares que, talvez, não mais estejam com elas no outro dia; os contadores de piadas estão desaparecendo porque quando eles desejam contar uma piada, ninguém mais lhe dá atenção ou dizem que já conhecem a piada – portanto, são mal educadas pois impedem o possível nascedouro de um sorriso de alguém; os olhos nos olhos dos amigos deram lugar as mensagens virtuais e

A importância pretérita do algodão para o Nordeste Brasileiro

Marcela e Romero
José Romero Araújo Cardoso[1]
Marcela Ferreira Lopes[2]

A utilização do algodão (Gossypium sps.) para diversos fins foi constatada quando da descoberta do Novo Mundo pelos Europeus, pois nativos do continente americano aproveitavam a fibra para a fabricação de utensílios usados no cotidiano.
A rede de dormir é exemplo da herança indígena no que tange ao uso dessa planta da família das Malváceas para a confecção de bens que no presente participam ativamente na geração de emprego e

MEMÓRIA VIVA - LEMBRANÇAS QUE O TEMPO NÃO APAGA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Versão I

Em qualquer época sempre houve a formação de grupos de adolescentes românticos, sonhadores, sem pressa para definir seus projetos de futuro. Foi assim no meu tempo. De uma coisa tenho certeza: hoje nos grupos de jovens, os relacionamentos são diferentes, posto que, não existe mais aquela ingenuidade de outrora.  
O nosso grupo era eclético, em termos de núcleo residencial, posto que, éramos formados por jovens moradores da Rua do Comércio e da Rua da Cruz. O foco da nossa diversão era o futebol. Num segundo plano, com certa freqüência, fazíamos caminhadas pela beira do rio para os nossos banhos costumeiros.
 Quase sempre o nosso ponto de parada era o poço da panela. Era um lugar bastante procurado pelos jovens da minha época para se banhar e

Impunidade e corrupção são irmãs siamesas

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

         Aquilo que é tratado pela medicina como uma anomalia, uma aberração num organismo, quando se trata de moralidade passou a ser uma condicionante a quem quer se dar bem no sistema politico em que vivemos. São as novas regras comportamentais, o moralismo está exaurido, foi banalizado na nossa sociedade. A vida anda absolutamente agitada com conotações de fluidez rápida, ações imediatas e fáceis, nada de maturação, amadurecimento de ideias, o momento requer raciocínio rápido, sem avaliações prévias, sem respostas a posteriori; claro que isso é o que pensa o mal informado, os menos orientados, os periclitantes que vivem, e

“A PRAÇA PÚBLICA É MAIOR QUE AS URNAS” Ulysses Guimarães

Mª Lúcia Victor Barbosa
Por Maria Lúcia Victor Barbosa*

Na atualidade a palavra impeachment tornou-se o veredito das multidões que encheram as ruas do Brasil no histórico dia 16 de agosto.  Foi o maior julgamento popular de um presidente da República, no caso, da presidente Dilma Rousseff.
O movimento, como os dois anteriores foi espontâneo, consciente, apartidário, ordeiro, pacífico, com objetivo claro e definido: Fora Dilma. Fora Lula. Fora PT. Grandes faixas com a palavra impeachment exibiram a tônica do “plebiscito”, pedindo a saída da governante que quebrou o País e

Ódio de classe é o que resta

João Costa
João Costa*

Embalado pela propaganda e cartilha política do Departamento de Estado americano, militares brasileiros assumiram o poder em 1964, acreditando piamente na ameaça comunista, e que o Brasil, segundo a mídia norte-americana e seus ideólogos, poderia se transformar numa república sindicalista. Discursos populistas, do tipo  feito pelo presidente João Goulart que a reforma agrária seria feita na “lei ou na marra”, cortejos conservadores do outro lado em defesa da “Família, Deus e Propriedade” formaram o caldo de cultura que resultou em mais de duas décadas de ditadura. O golpe militar se deu sem um único e

Compartilhando a solidão

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

"Nossos sonhos são os mesmos há muito tempo, mas não há mais muito tempo pra sonhar"

Em 2009, escrevi uma plaqueta, em forma de artigo, comentando a tese que defendi no Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, na UFPR, em Curitiba, no início deste milênio, no final do ano da graça de 2000.
Descobri que a tese defendida encontrava-se (e ainda encontra-se) surpreendentemente atual. Mas, constatei também que ela despertou pouca atenção dos gestores, urbanistas, técnicos do planejamento e

A ilação do presente é de torturante agonia

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

É insofismável o caráter emergencial das políticas econômicas que venham tirar do fundo do poço, em estado de agonia, o Estado brasileiro, completamente engessado pela ineficiência governamental e a conduta do Legislativo brasileiro assoberbado de projetos pífios, mesmo denominados de Pauta Brasil, não podem ser considerados eficazes, nem mesmo eficientes, a por fim ao descalabro econômico que nos encontramos.
 A bancarrota que vive o Governo Federal levou em cascata muitos membros federativos, com destaque para o Estado do RS, o 4º maior PIB do Brasil, encontrando-se em situação de penúria, ao ponto de ter que pagar salários de seus funcionários em

O MENINO DA NOVA ACAUAN

Onaldo e Antonio Queiroga
Onaldo Queiroga*

HOJE É O ANIVERSÁRIO DELE. MEU PAI. SEGUE UM TEXTO QUE FIZ EM SUA HOMENAGEM. QUE DEUS PERMITA QUE ESTA DATA SE RENOVE AINDA MUITO TEMPO. TE AMO PAI.

Sertão de sol causticante. Sertão de muita seca e provação. Sertão também de homens fortes e valentes. Sertão de povo prestativo e acolhedor. Sertão de águas correntes e abençoadas. Sertão de noites encantadoras.
Nesse cenário, um dia, no Sertão Paraibano um menino acordou para o mundo. O caçula de Olívia e Vicente nasceu na cidade de Sousa, sob a proteção de Nossa Senhora dos Remédios, sua madrinha celestial. Foi batizado por Frei Damião e

Rosil Cavalcanti e Campina Grande

Marcela Ferreira Lopes
Marcela Ferreira Lopes*

Embora nascido em Macaparana (Estado de Pernambuco), em 20 de dezembro de 1915, foi Campina Grande (Estado da Paraíba) que Rosil Cavalcanti escolheu para viver e fazer carreira, tendo desembarcado naquelas plagas em 1943, transferido como servidor público.
Entusiasta das coisas do sertão despontou como apresentador de rádio e TV na rainha da Borborema, tendo adotado o codinome de Zé Lagoa, tendo atuado nas rádios Borborema, Caturité e TV Borborema.
O programa que Rosil comandava na rádio Borborema, o famoso forró de Zé Lagoa, transformou-se em campeão de audiência, colocando Campina Grande na rota da cultura regional, pois artistas diversos ali se apresentaram.
Das cerca de 300 músicas e

Deixemos de conversa

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Adolescente, em tempo de maré seca, eu costumava caminhar pelas areias da praia do Cabo Branco. Saía do Busto de Tamandaré indo até a ponta mais extrema.
Pelo trajeto, a água do mar molhava meus pés. Eu ia contemplando a beleza infinita da natureza. Um mar de águas verdes, ondas serenas, um oceano que mais parecia uma enorme piscina. O vento soprava o balé das palhas dos coqueirais. Não havia barracas, apenas a barreira exuberante no horizonte, e,

Sistema de governo exaurido e de espesso sintoma de veleidade

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Quando os EUA hasteou sua bandeira dentro do território cubano lembrei-me das fantasiosas pregações dos paquidermes contrários ao reinicio de relações diplomáticas entre os dois países, depois da crise dos mísseis, entre eles, os EUA, com instalação de base em Cuba, pela União Soviética em 1962, momento em que ocorreu um grave estremecimento de relações entre as duas maiores potencias e

Manual de Redação Goebbels para dias atuais

João Costa
João Costa*

Para sua consideração - Manual de Redação, a partir de Joseph Goebbels.  Onze princípios, que devem ser memorizados por estagiários nas redações, leitura de cabeceira para editores e colunistas. O objetivo é simples e de duração eterna: destruir reputações, ignorar a inteligência de leitores, buscar sustentação na publicidade e outras fontes, que não sejam salários. Defesa dos puros e imaculados – a serem eleitos por nós mesmos. Aos neófitos, busquem a leitura dos “Protocolos dos Sábios de Sião”.
Princípio da simplificação e

Perigo de retrocesso?

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

“O sono da razão gera monstros” (Antonio Gramsci)

Logo após o reinado de momo de 2016, serão abertas campanhas eleitorais em todos os Municípios ao longo do patropi. Não será apenas mais uma campanha eleitoral, mas o final de ciclo político.
Estamos assistindo aos primeiros clarões da alvorada de uma nova era política em terras crioulas.
Com a mundialização da economia, com o advento da crise na União Europeia, China e

VOZES DA SECA

Teófilo Júnior
Teófilo Júnior*
“Sequei os olhos de tanto o céu olhar, nenhuma lágrima, não posso nem chorar, nenhuma nuvem bonita pra chover e desse jeito não tem jeito pra viver.”
Os versos outrora escritos pelo cancioneiro Luiz Gonzaga bem que poderiam ter sido compostos nos dias atuais! A paisagem árida e cinzenta que tanto inspirou o rei do baião hoje serve de moldura e inspiração para as cantilenas de agrura e preces do pobre agricultor nordestino frente a mais uma seca confirmada e

Oráculos da direita mandam estancar o golpe

João Costa
João Costa*


Para sua consideração - O professor Wanderley (de Comunicação) disse certa vez algo mais ou menos assim, e está escrito em algum lugar sobre uma verdade que até o mundo mineral sabe: Eis a configuração institucional do país nesses tempos modernos: “O monopólio das comunicações é atualmente o único poder irresponsável no País, exercido com brutalidade e a ele se curvam os demais, inclusive o poder judiciário”.
É terrível, porém suave para a Nação pouco afeita à Justiça, liberdade e independência. Não é à toa que, escreve Wanderley, “juízes, ministros, políticos, procuradores, cantores, atrizes, narradores de futebol, são todos terceirizados pela mídia nativa, especificamente as Organizações Globo”. Vejamos a quadra atual, em que Dilma Vana ficou isolada no governo, depois de fatiá-lo em lotes entre peemedebistas fisiológicos, aventureiros de todos os matizes.
E aí, Bingo! Os barões da mídia, simultaneamente aos barões da indústria, de repente mudaram de atitude. Se, antes a TV Globo estimulava e

VIDA, E VIDA EM PLENITUDE

Teófilo Junior
Teófilo Junior*

A defesa da vida é um dos principais fundamentos da Bíblia Sagrada. Jesus se coloca explicitamente como aquele que veio “para que todos tenham vida e vida em abundância”. Só no primeiro livro da Bíblia (Gênesis), Deus nos adverte quarenta vezes para defendermos a vida. No evangelho de João há outras quarenta e duas passagens em que Jesus defende a vida; na primeira Epístola de João, vinte e uma vezes; no Apocalipse, vinte vezes.
Nos dias atuais, como não poderia ser diferente, a Igreja assume claramente a luta pela vida, num instante em que viver - e viver em abundância - tem se tornado um grande desafio para muitos e

APELIDOS NO PETROLÃO


 
Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana*

A cultura mediana nos conduz ao entendimento razoável de que o governante seja uma pessoa de muitas virtudes e cheia das melhores intenções para com a coisa pública e o interesse da coletividade. O conjunto da obra e os serviços prestados sejam reconhecidos pelo tirocínio administrativo com suporte no dever da honestidade inerente ao administrador público.
A nossa realidade é

Pai, uma saudade sentida

Genival Torres Dantas
 
Quando se aproxima a data do dia dos pais tenho a sensação de uma cantilena aziaga, pois qualquer lembrança que me traga a imagem do meu velho pai sinto presságios de momentos passados e nunca mais repetidos. Não que ele seja a memória de coisas ruins, pelo contrário, ele é autorreferência da mais pura dignidade entre os mortais que convivi.
Falar do seu caráter humanitário é ser redundante, foi o ser mais próximo do protótipo da honradez e

Enterro das utopia

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

Correndo o risco de não ser compreendido nestes tempos pós-modernos, no qual tudo é descartável e efêmero, vou falar de alguns fatos históricos que marcaram uma geração; coisas permanentes. Escrevo com saudades, atiçadas pela releitura do texto fácil de José Nêumane Pinto, em seu livro antológico “O Silêncio do delator”.
O livro fala dos anos inesquecíveis, indeléveis, da década de 1960: quando Paris era uma festa para a resistência política às ditaduras e os movimentos sociais arrastavam multidões. Em que uma nova linguagem expressava o descontentamento e a indignação, em que as superpotências ensaiavam um confronto nuclear, surgia uma vanguarda no cinema, na arquitetura, na música, na literatura, no teatro e

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Severino Coelho Viana

 
 Por Severino Coelho Viana*

A liberdade de expressão faz parte dos direitos humanos das pessoas e é protegida pela Declaração Universal de 1948 e pelas constituições de todos os sistemas democráticos. Esta liberdade supõe que todos os indivíduos têm o direito de se expressar sem serem recriminados por causa das suas opiniões. O direito à liberdade de expressão, como tal, não é absoluto. A lei proíbe qualquer propaganda a favor da guerra, apologia ao ódio e a incitação à violência ou ao delito. Num país com liberdade de expressão, não se pode promover a discriminação racial nem incentivar os assassinatos. A liberdade de expressão está relacionada com a liberdade de imprensa, que é a garantia de divulgar informação através dos meios de comunicação social sem o controle prévio dos poderes do Estado.
Liberdade de expressão é o direito de todo e

A ética nossa de cada dia

Marcela F. Lopes
Marcela Ferreira Lopes*

Em um primeiro momento a palavra ética é originada do grego – ethos - que significa modo de ser, caráter. No latim significa costumes que posteriormente derivou-se a palavra moral.
Ética constitui-se em um conjunto de princípios, valores e condutas que rege todo ser humano, independente de cor, raça ou credo. Ética e

Tarja preta: Omertà à moda brasileira

João Costa
João Costa*
Para sua consideração – Tarja preta: Omertà à brasileira. O país segue à deriva – pior, feito um barco furado em alto mar. Falta um timoneiro para barrar achacadores notáveis, botar pra tocar o Lado B da marchinha que a rede Globo, a Veja e os demais barões da mídia tocam. “Enterrem o Lula, já!” é o Lado A repetitivo que toca toda semana dia-e-noite. O Lado B é o prenúncio inevitável, o favoritismo do ex-metalúrgico para eleições de 2018. Não é à toa que os golpistas, travestidos de impolutos e bons moços, querem eleições como saída para empanar o golpe ao estado direito. Políticos do PMDB, associados aos do PSDB, expoentes do Judiciário e

Não há como acreditar no apelo conciliatório do Governo

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

        Para quem acompanha a história dos partidos políticos no Brasil é factual a recorrência das desobrigações que há nos acertos feitos com outros partidos em nome de um projeto próprio, mesmo que dissonante de qualquer mérito, como é o caso do Partido dos Trabalhadores (PT). Para os mais esquecidos e os jovens talentos nascidos depois da década de 1980, data da fundação do atual partido governista, é bom frisar e lembrar a falta de comprometimento do PT para com o Brasil, sempre em nome do seu próprio projeto, passemos então aos motivos pelos quais não acreditamos na sinceridade do apelo petista:
        Quando os partidos de oposição se juntaram, e

A ação implacável das secas em Aquarela Nordestina

J. Romero Araújo Cardoso
José Romero Araújo Cardoso*

Na História da Música Popular Nordestina há lugar de destaque para a abordagem brilhante que Rosil de Assis Cavalcanti (Macaparana, 20 de dezembro de 1915 – Campina Grande, 10 de julho de 1968) enfatizou no que se refere ao drama representado pelas secas no Nordeste Brasileiro, através de belíssima canção regional intitulada Aquarela Nordestina, composta em parceria com Maria das Neves Coura Cavalcanti.
Em 1958, Marinês e sua gente gravaram Aquarela Nordestina, seguidos por outros geniais intérpretes, a exemplo de Luiz Gonzaga, registrada em 1989, ano de sua morte em dois de agosto e

O Rei Gonzagão. Inesquecível. 26 anos de Saudade

Onaldo Queiroga
Por Onaldo Queiroga*

A história conta que o sertão no dia dois de agosto de 1989 amanheceu melancólico. O sabiá, o carão, a asa branca e a acauã entoaram um canto dolente numa homenagem de adeus ao cancioneiro maior do sertão.
O zabumba tocou tristonho, o triângulo respondeu sentido e

QUAL O SIGNIFICADO DA VIDA?

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*
Quantos neste mundo já perderam a noção do verdadeiro significado  de vida, outros que já nem perguntam mais se a vida tem sentido. Seja em que direção for se ela é boa ou ruim, a vida tem sentido sim. É mal de toda gente pensar unicamente (só eu), nos vários aspectos da existência humana e do quanto ela seja pior possível. Não damos conta de olhar o que se passa com outras pessoas que estão em dificuldades e até no fundo poço. Somos tão egoístas que só enxergamos o que é nosso.
A ordem cronológica da criação de Deus tem uma simetria bastante interessante que aguça a nossa curiosidade em querer se aprofundar cada vez mais; se realmente a vida para toda espécie animal e