CLEMILDO BRUNET DE SÁ

"Conhecendo a nossa fé - o que é um catecismo?"

Rev. Clodoaldo Brunet
Por Clodoaldo Brunet*

Algumas pessoas acham estranho quando falo que a nossa igreja tem um catecismo, isso parece soar como algo próprio da Igreja Católica de Roma. Na verdade, esse é um problema causado pela falta de informação quanto ao protestantismo histórico. No universo evangélico brasileiro, nos últimos anos, as igrejas que se tornaram mais conhecidas são exatamente as que não têm nenhuma tradição quanto aos catecismos. Por outro lado a Igreja Presbiteriana do Brasil, estando ligada a tradição reformada do século XVI, tem uma rica herança de catecismos. 
Os catecismos e confissões são documentos que trazem a herança dos crentes mais antigos de como eles interpretavam as Escrituras Sagradas e
de como eles a viviam no dia a dia.  As primeiras manifestações documentais da fé são os credos que, por sua vez, tiveram origem na Bíblia Sagrada. Por conta dos constantes ataques a fé, os primeiros cristãos começaram a sistematizar e confessar sua fé por meio de sentenças formuladas a partir do ensino geral das Sagradas Escrituras. Pode-se dizer que os primeiros credos tem sua origem em expressões bíblicas como aquela formulada pelo Eunuco em resposta a Filipe sobre o batismo: "Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus" (Atos 8.37). À medida que pagãos se convertiam a Cristo, essas expressões de fé foram se tornando mais complexas até darem origem aos credos. Essa era uma forma de se evitar a absorção do paganismo pelo cristianismo, o que resultaria na perda da sua identidade. O mais conhecido desses documentos antigos é o Credo Apostólico, cuja origem é atribuída exatamente às primeiras confissões batismais. Não foi escrito pelos Apóstolos, mas foi elaborado a partir dos seus ensinos. Sua forma final, como temos hoje, foi provavelmente concluída no sexto século.
Quando o cristão recorre aos credos antigos, ele encontra os mais preciosos tesouros da fé, alcança os fundamentos daquilo que crer. Isso é importante, por conta do subjetivismo cada vez mais crescente no meio evangélico. Hoje, por falta de definições doutrinárias a igreja evangélica perde sua identidade. Isso pode ser percebido por meio do que a igreja canta, ora e prega. Há tanta imprecisão doutrinária que aos poucos a fé genuína  de Cristo é suplantada por uma espécie de misticismo pagão. Isso não é uma novidade, o apóstolo João advertiu sobre a necessidade de por a prova os espíritos ( ensinamentos) para saber se eles procedem de Deus ( I Jo 4.1), e Judas ordenou que batalhássemos pela fé que foi entregue aos santos ( Jd 3).
As confissões e os catecismos no protestantismo histórico surgiram em face da necessidade da igreja reformada ter de resgatar a fé dos antigos cristãos em seu conteúdo apostólico ( At.2.42). A igreja precisava estabelecer a diferença entre o falso e o verdadeiro. Desse modo, as confissões e os catecismos definem o que cremos a luz das Sagradas Escrituras com a finalidade de evitar confusão sobre a verdadeira identidade  cristã. Quanto aos catecismos da reforma eles são uma rica herança que tratam da agenda do crente no seu dia a dia, foram elaborados para ensinar as crianças e jovens da igreja pelo método de perguntas e repostas, o que facilita a memorização. Como seus ensinos estão fundamentados sobre a autoridade da Palavra de Deus é comum à utilização de textos bíblicos que servem de prova. Como exemplo de um catecismo enriquecedor, deixo as duas primeiras perguntas do Catecismo de Heidelberg, o mais importante documento confessional da Igreja Reformada Alemã. As perguntas foram elaboradas atendendo a cada domingo do ano. Na pergunta abaixo, a questão mais importante da nossa vida é tratada. Quem é o fundamento da minha vida na hora da morte? Você, amigo leitor, já tem um fundamento sólido para a hora mais difícil da existência humana? Você que se diz cristão realmente confia em Jesus Cristo ou está apenas numa tradição evangelical sem fundamento? Veja que isso é muito prático, pois a fé cristã é vida prática. Que Deus o abençoe e que você possa meditar nesse tema. Você tem a salvação eterna? Reúna a sua família para o culto, medite e confirme com Palavra de Deus.
DOMINGO 1
1. Qual é o seu único fundamento, na vida e na morte? O meu único fundamento é meu fiel Salvador Jesus Cristo (l). A Ele pertenço, em corpo e alma, na vida e na morte (2), e não pertenço a mim mesmo (3). Com seu precioso sangue Ele pagou (4) por todos os meus pecados e me libertou de todo o domínio do diabo (5). Agora Ele me protege de tal maneira (6) que, sem a vontade do meu Pai do céu, não perderei nem um fio de cabelo (7). Além disto, tudo coopera para o meu bem (8). Por isso, pelo Espírito Santo, Ele também me garante a vida eterna (9) e me torna disposto a viver para Ele, daqui em diante, de todo o coração (10). (1) 1Co 3:23; Tt 2:14. (2) Rm 14:8; 1Ts 5:9,10. (3) 1Co 6:19,20. (4) 1Pe 1:18,19; 1Jo 1:7; 1Jo 2:2,12. (5) Jo 8:34-36; Hb 2:14,15; 1Jo 3:8. (6) Jo 6:39; Jo 10:27-30; 2Ts 3:3; 1Pe 1:5. (7) Mt 10:29,30; Lc 21:18. (8) Rm 8:28. (9) Rm 8:16; 2Co 1:22; 2Co 5:5; Ef 1:13,14. (10) Rm 8:14; 1Jo 3:3. 2. O que você deve saber para viver e morrer neste fundamento?
R. Primeiro: como são grandes meus pecados e minha miséria (1). Segundo: como sou salvo de meus pecados e de minha miséria (2). Terceiro: como devo ser grato a Deus por tal salvação (3). (1) Mt 9:12; Jo 9:41; Rm 3:10; 1Jo 1:9,10. (2) Lc 24:46,47; Jo 17:3; At 4:12; At 10:43; 1Co 6:11; Tt 3:3-7. (3) Sl 50:14,15; Sl 116:12,13; Mt 5:16; Rm 6:12,13; Ef 5:10; 2Tm 2:15; 1Pe 2:9,12. Veja também Mt 11:28-30; Ef 5:8.
Pr Clodoaldo Brunet 
postado por Clodoaldo Brunet às 05:37 em 02/04/2015

Nenhum comentário: