CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Comentário sobre o livro "Histórias do Rádio em Pombal"

Por Rômulo Cavalcanti Nóbrega*

Olá Clemildo,
Quanto é rica a história da radiofonia aí em terras de Maringá!  Fico a lamentar porque conhecemos pouco sobre nossa memória, não é?  Mas fazemos a nossa parte.  Você fez história, história e história, num livro rico em informação, de um momento vivenciado por você e cheio de depoimentos de personagens que presenciaram e
participaram de tudo narrado 
A peça montada por D. Cessa, sobre Maringá, deveria ser apresentada em todas as cidades do estado, no mínimo.  E cadê a Secretaria de Cultura do Estado?  É por aí, caro Clemildo.  Esta peça deveria ser permanente (por um determinado período do ano) e espalhar tanto aí como mundo afora.
Clemildo, sendo da opinião que os homens deveriam ser eternizados em vida, Pombal deveria ter uma estátua sua como o principal homem da comunicação de Pombal.
Realmente, é um livro para lermos e relermos.
Encaminho abaixo, registro da AMPLIFICADORA POMBALENSE, instalada no dia 30 de Agosto de 1941 aí, em Pombal, conforme registro feito no Jornal União do dia 31 de agosto de 1941.
Talvez tenha sido a primogênita, a precursora das amplificadoras de Pombal.   Quem era o correspondente do Jornal União na época ?
O registro desta amplificadora constei no livro sobre Rosil Cavalcanti, na página 205.  Rebolei e não consegui arquivos da época do Major Arruda para informar com mais precisão. Imagino que tenha coisas ainda no fundo do baú a ser revisto.
Abração,
Rômulo Nóbrega

*Rômulo Nóbrega é Escritor e formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Paraíba, hoje UFCG. Cultua valores ligados à nossa cultura. Autor do livro “Pra Dançar e Xaxar na Paraíba – andanças de Rosil Cavalcanti” 

Nenhum comentário: