CLEMILDO BRUNET DE SÁ

As incertezas de um país traído

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

No decorrer do segundo mandato da Presidente Dilma Rousseff (PT/SP), e sua trupe, como numa vórtice, desagregaram todos os fundamentos dos novos conceitos gerenciais e agiram de forma acendrada em direção ao inexcedível, de tal forma que as colunas de sustentação de um governo sério foram detonadas e seus escombros retirados e jogados irremediavelmente no ponto mais fundo do mar morto. Agora o que se apresenta no governo interino do Presidente em exercício, Michel Temer (PMDB/SP), é uma situação grotesca e estapafúrdia, de difícil solução, mormente pelo clima de instabilidade tanto política quanto econômica, além das ações paliativas minimamente aplicáveis nesse momento em que se exigem ações duras e

ANTÔNIO CONSELHEIRO: A LUTA CONTRA A OPRESSÃO

José Gonçalves do Nascimento
Por José Gonçalves do Nascimento*

“O homem era alto e magro... sua pele era escura, seus ossos proeminentes e seus olhos ardiam como fogo perpétuo. Calçava sandálias de pastor e a túnica de azulão... era impossível saber sua idade, sua procedência, sua história...”.
Este, o perfil de Antônio Conselheiro na visão poética de Mario Vargas Llosa.
Antônio Vicente Mendes Maciel (mais tarde conhecido como Antônio Conselheiro) nasceu no dia 13 de março de 1830, em Quixeramobim, então província do Ceará. Quando jovem, frequentou uma das poucas escolas existentes na região. Ali estudou Português, Aritmética, Geografia, Latim e

O estupro coletivo e os crimes paralelos

João Costa*

João Costa
O estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro não é fato ou bizarrice isolada, propagada inclusive pelos criminosos na internet. O estupro foi coletivo, mas o sentimento criminoso é um só: o estupro não é crime e seus apologistas vão pro MEC. E ocorre num momento de singular significado na vida nacional. Não esquecer, nunca, o estupro promovido em Queimadas por jovens de classe média, como forma de presentear um dos convivas.
Tais fatos (o de Queimadas e o do Rio) só são possíveis em momentos de ruptura social. Falta pouco, muito pouco, pouco mesmo, para as forças políticas e

Educar e/ou ensinar?

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

Hoje me bateu uma tristeza infinita por tudo o que perdemos ao longo dos anos.
É quase certo que o caro leitor já teve a curiosidade de saber qual é o verdadeiro significado da palavra “Educar”. Essa é uma tarefa da família ou da escola?
Nestes tempos pós-modernos, para a maioria das pessoas adultas, “Educar” é uma obrigação exclusiva das escolas e de seus respectivos profissionais. Um grande erro, o qual abre muitas possibilidades a inúmeros problemas na relação ensino/aprendizagem.
Já participei de reuniões de “pais e

Barrar o fascismo que estende seus tentáculos

João Costa
João Costa*

Para sua consideração - As manifestações de junho de 2013, legítimas e surpreendentes, já trazia embutida a tendência fascista emergente da Nação – era o seu renascimento que agora se insinua consolidada nas instituições ditas civis, revigorada na mídia nativa provedor do Fáscio e que ameaça se agigantar com a perda de direitos por parte de amplas parcelas da população. Mas há uma luta por corações e mentes inconclusa,  e ainda que seja difícil reverter o quadro político estabelecido nos marcos jurídicos e legislativos, com o golpe desencandeado pelo mesmo Legislativo e do mesmíssimo Judiciário sobre o governo da Dilma Vana, é possível estancar essa consolidação do fascismo, não sem antes a radicalização social que se avizinha.
De 2013 até o golpe do Judiciário, que ainda não se consolidou, assistimos ao amadurecimento do sentimento de ódio, claro nos linchamentos morais de cantores, artistas, jornalistas. O linchamento moral precede o físico, que assistiremos com futuras prisões, perseguições e

Idas e vindas, insegurança ou incapacidade

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Depois que a Presidente Dilma Rousseff se recolheu ao palácio da Alvorado, logo após a suspensão provisória da sua atividade presidencial e a automática posse do seu substituto, Vice-Presidente Michel Temer, por até 180 dias, o Brasil segue o rumo da normalidade constitucional, com alguns solavanques por conta das idas e vindas às tomadas de decisões do empossado presidente neófito que tenta se mantiver de pé, mesmo estando numa verdadeira corda bamba, tendo que se segurar em acordos tão desditosos quanto incomuns, pelos interlocutores impostos pela situação política do país. Fazendo uma análise fria, verdadeiramente, muitos dos que fazem parte do ministério do presidente em exercício não são as pessoas que deveriam compor o novo governo, assim como o governo anterior, populista, incompetente e

Será a vez do Parlamentarismo?

Rinaldo Barros
Rinaldo Barros*

Do alto dos meus 70 carnavais, e correndo o risco de não ser compreendido nestes tempos pós-modernos, no qual tudo é descartável e efêmero, vou falar de alguns fatos históricos que marcaram uma geração; coisas permanentes. Escrevo com saudades, atiçadas pela releitura do texto fácil de José Nêumane Pinto, em seu livro antológico “O Silêncio do delator”, ed. A Girafa. São Paulo, 2004.
O livro fala dos anos inesquecíveis, indeléveis, da década de 1960: quando Paris era uma festa para a resistência política às ditaduras e os movimentos sociais arrastavam multidões. Em que uma nova linguagem expressava o descontentamento e

ESCOLHA

Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana*

A vida é muito complicada não restam dúvidas. E complica mais quando o implicante quer complicar e gera uma total complicação. No entanto, não existe complicação sem solução. A todo o momento você tem que tomar uma decisão para o bem ou para o mal. É um ato de escolha.
Conhecemos muito pouco sobre o estado natural das coisas, segundo estudo de cosmologia somente 5% (cinco por cento) foi descoberto de todo Universo pelos cientistas, falta muita coisa. Entretanto, deixemos este estudo de cosmologia que é muito complicado e

“DE JOÃO PARA JOÃO”: mais uma superação de Tarciso

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araujo*

O assassinato de João Pessoa foi um desses eventos histórico que concedeu ao morto, na versão oficial, a flâmula de herói político e reformador, ao tempo que para o coronelato este não passou de déspota.
Na outra da ponta dessa mesma trama temos João Duarte Dantas. Um homem apaixonado que teve a sua honra e a sua intimidade violadas pela imprensa oficial do Estado, que o perseguiu e o atormentou ao ponto dele resolver lavar a sua honra com sangue, em um episodio que levou o Brasil  à chamada “Revolução de 30”.
No meio desse triangulo temos ainda figura, da professora Anaíde Beiriz, que mantinha um relacionamento amoroso com João Dantas, e

Corsários e Acossados

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Não faz muito tempo, a prática do corso foi abolida pela declaração de Paris, ano de 1856, sem o apoio de Estados Unidos, México, Espanha e Venezuela; na sequência , em 1907, Conferência de Haia prescreve as condições nas quais um navio mercante privado podia ser convertido para objetivos bélicos; e, definitivamente, a conferência de Haia de 1922/1923, numa declaração assinada conjuntamente pelos países signatários contra o uso de corsários na guerra aérea, quando esse setor começou a ser o perigo maior, principalmente, embasado no último conflito mundial e

As democracias morrem se são democráticas demais

João Costa
João Costa*

Quando são democráticas demais as democracias morrem. No contexto atual, o obscurantismo se estabelece por força de uma conspiração em que conjugaram forças o Judiciário, Ministério Público, setores da polícia e a mídia nativa, historicamente avessa à democracia. Dessa conspirata emergiu Michael Temer, revelado agora como informante do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos e

Desarme-se, é o fim de um ciclo

"Nossos sonhos são os mesmos há muito tempo, mas não há mais muito tempo para sonhar" (Engenheiros do Hawaii)
Rinaldo Barros
*Rinaldo Barros

Conheço alguns militantes e ex-filiados do PT, pelos quais tenho o maior respeito. Pela sua capacidade de luta e pela virtude de continuar acreditando em ideais e princípios que foram rasgados por alguns dirigentes lulo-petistas, para os quais, aliás, a história reserva lugares pouco dignos.
Registre-se que, nos governos do PT, questões maiores da pauta histórica da esquerda, como as Reformas agrária, fiscal, urbana, política e

Os esquerdopatas tupiniquins conspurcam a Democracia brasileira

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Tento acreditar que efetivamente estou escrevendo um texto na última semana do governo maculado do petismo, implantado há 13 anos e abortado pela providencia das leis criadas e executadas pelos homens. Nada mais justo que desarmar o covil dos perjurados, e defenestrar os espaços ocupados pela invasão dos lacaios, de tão inoportuna presença na nossa República há de se pedir aos deuses da suprema justiça que esses inconvenientes populistas enlameados não retornem a vida pública nos próximos séculos para que a Nação brasileira possa nesse interregno consertar os malfeitos e

A síndrome de Rokitansky

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

O mundo é repleto de curiosidades e às vezes ficamos surpresos diante do aspecto insólito que circunda determinadas situações.
Recentemente uma notícia veiculada em diversos portais eletrônicos, como por exemplo o G1 e o portal da BBC, nos chamou atenção. Uma bela jovem, de nome Joanna Giannouli, de 27 anos relatava seus desafios de viver e

UM AMOR ”GRANDE HOTEL” NAS RUAS DE POMBAL

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

“Se a gente não tivesse feito tanta coisa
Se não tivesse dito tanta coisa
Se não tivesse inventado tanto
Podia ter vivido um amor Grande Hotel”
Segunda metade da década de 1950, a cidade de Pombal vivia o bucolismo próprio das cidades interioranas do sertão paraibano.
Alguns poucos Fuscas, Jeeps e duas ou três Aero Willys 2.600, além de meia dúzia de lambretas circulavam pela cidade.
Os Aero Willys 2.600 ainda eram os remanescentes do golpe que Mão de Onça deu na montadora Willys. A história é a seguinte: Mão de Onça, foi a São Paulo e por lá arrumou emprego na recém-inaugurada fábrica da Willys de São Bernardo do Campo, como motorista de cegonha. Um belo dia ele pegou uma carga para o nordeste, desviou-a para Pombal e

Câmara de Pombal comemora 244 anos e realiza Sessão Especial em homenagem aos 100 Anos de Wilson Seixas

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*

Na noite desta quarta feira (04) às 19 horas, a Câmara Municipal de Pombal “Casa de Avelino Queiroga Cavalcanti, sob a Presidência do Vereador Josevaldo Feitosa, comemorou os seus 244 anos de existência e de emancipação política do município, com a realização de uma Sessão Especial assinalando o centenário de nascimento do historiador, pesquisador e

O LEGADO DO PROFESSOR WILSON NÓBREGA SEIXAS A CIDADE DE POMBAL

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

No momento em que Pombal se prepara para comemorar os seus 244 anos de elevação a Vila de Pombal e de sua EMANCIPAÇÃO POLÍTICA, um nome em particular não pode deixar de ser reverenciado, já que foi ele quem, através das suas pesquisas  solitarias trouxe a luz a verdadeira data de emancipação politica  da cidade, até então comemorada em data errada.
WILSON NÓBREGA SEIXAS nasceu na cidade de Pombal, sertão do Estado da Paraíba, a 15 de julho de 1916 e faleceu em João Pessoa, a 11 de março de 2002. Filho de Newton Pordeus Rodrigues Seixas e D. Natália Nóbrega Seixas, era casado com Zélia Carneiro Arnaud Seixas, de cuja união deixou três filhos: Antônio Chateaubriand (odontólogo), José Wilson (arquiteto) e

Realisticamente, verificar o opróbrio da Presidente Dilma nem é preciso fazer liame arguto

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O estado de esfacelamento em que se encontra o cargo da Presidente Dilma Rousseff é o resultado de um contínuo desgaste de uma gestão imponderada, inconsequente, despropositadamente de um egocentrismo nunca visto antes numa relação governo e governados num sistema presidencialista Democrático. É a esbornia de um grupo afeto a degradação humana, numa desfaçatez de compadrio promíscua exageradamente feérica. O dístico lulista “nunca antes nesse país” traduz bem o sentimento que quiserem impor a partir do momento em que a esquerda bancada pelo PT (partido dos trabalhadores), e