CLEMILDO BRUNET DE SÁ

FOTOS & FATOS HISTÓRICOS DE POMBAL

Verneck Abrantes
Por Verneck Abrantes*


Banda de Música (1906)
1 -Capitão Vicente de Sousa Nazaré – Cunhado de João Fontes. 2 – Coronel João Queiroga – Pai de Epitácio e Joquinha. 3 – Coronel Antônio Ferreira Lima – Pai de Padre Assis. 4 – Monsenhor Valeriano. Coronel João Leite Ferreira Primo – Avô de Mario Leite. João Pereira Fontes – Pai de Cláudia Fontes. 7 – Antônio Fernandes Vieira – Irmão de Dona Neca. 8 – Manoel Honório – Pai de Deca. 9 – Teodorico Correia Vital. 10 – Caetano Coelho-Buá. 11 – Filemon Benigno de Sousa – Pai de José Benigno – Lelé. 12 – Evidio Limeira. 13 – Guilhermino Santana – Pai de Zezinho e Saturnino Santana. 14 – Manoel de Severino – Pai de José de Júlia. 15 – João Correia – Pai de Maria Júlia. 16 – Onofre – Pai de Cora. 17 – Chagas Vital – Pai de Raimunda, que morou na casa de Leó. 18 – José Menandro da Cruz. 19 – Alfredo de Castro – Pai de Georgina. 20 – Capitão José Irineia – Casado com a tia de Major Salgado. 21 – José da Silva.
Vila e Emancipação Política
Em 04 de maio de 1772 foi a Povoação do Pinhancó (também escrito Piancó) elevada à categoria de vila, com a denominação de Vila Nova de Pombal, em homenagem à cidade portuguesa de mesmo nome. Na mesma data ocorreu à criação da Câmara de Vereadores e sua Emancipação Política, sendo indicado para administrar a vila o capitão-mor Francisco de Arruda Câmara. O nome Vila Nova de Pombal diz respeito à Carta Régia de 22 de julho de 1766, que orientava os administradores de vilas a denominá-las com nomes de localidades e cidades de Portugal. É engano pensar que o nome Pombal é em homenagem ao Marquês de Pombal, inclusive, no século XVIII ainda não estava em moda esse tipo de homenagem aos governantes. O ministro, Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal, foi quem orientou El-Rei Dom José I de assinar a Carta Régia, autorizando o governador de Pernambuco a erigir novas Vilas nas áreas de sua jurisdição, que incluía a Capitania da Parahyba. Foram criadas, então, várias vilas, a de Pombal veio primeiro que todas as outras, porque era a mais importante do sertão da Paraíba, estando sobre extensíssimo território.

TELHA HISTÓRICA
Com as últimas chuvas de inverno em Pombal, algumas linhas de sustentação das telhas da Igreja de Nossa Senhora do Rosário foram danificadas. No trabalho de reparação, foi descoberta uma telha datada de 1723. Isso é um indicativo de que a construção da igreja foi iniciada no ano de 1721, e suas telhas confeccionas e realizada a cobertura da referida igreja no ano de 1723. Isso, há 293 anos passado na nossa histórica cidade de Pombal.
Uma Mensagem de 291 Anos Passados
Vejam que achado interessante: No trabalho de retelhamento da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, primeiro foi encontrado uma telha datada de 1723, agora foi encontrado mais duas telhas, uma com assinatura de ANTONIO DE OLIVEIRA LEDO, homônimo do tio avô, e filho de Teodósio de Oliveira Ledo com Isabel Paes, esse foi o fundador de Pombal e aqui viveu por muitos anos. A outra telha tem a assinatura de MANOEL JÁCOME.
É um longínquo passado mandando mensagem para o presente. Viva a velha Igreja Nossa Senhora do Rosário, sentinela do nosso patrimônio histórico, datada de 1721.

Ginásio Diocesano de Pombal – 1ª Turma de Concluintes. 1955 a 1958
Paraninfo: Dr. Janduhy Carneiro
Especiais Homenagens: D. Zacarias Rolim de Moura – Bispo Diocesano. Monsenhor Abdon Pereira – Primeiro Inspetor Federal. Cônego Joaquim de Assis Ferreira – Atual Inspetor Federal. Dr. Lourival Cavalcante de Oliveira – Decano do Corpo Docente. Acadêmico Arlindo Ugulino da Costa – Professor Co-Fundador.
Professores: Dr. Atencio Wanderley Bezerra, Dr. Avelino Elias de Queiroga. Dr. Wilson Seixas. Dr. Azuil Arruda de Assis, Acadêmico Plínio Leite Fontes, Herotides Santana de Sousa, Tenente Luiz Gonzaga de Melo, Ex-Professor Antonio Salvantes Dias, Ex-Professor Gilberto Rolim de Moura.
Concluintes: Alcides Carneiro Cavalcante, Antonio Guedes da Nóbrega, Aércio Pereira Lima, Arnaldo Ugulino, Carlos Alberto Soares de Oliveira, Carlos Brunet de Sá, Dário Gouveia Moniz, Eurico Vieira Carneiro, Francisco Almeida de Sousa, Francisco das Chagas Alves do Ó, Francisco Queiroga de Alencar, Ignácio Tavares de Araújo, Josué Carlito Dantas Bezerra, José Fernandes de Queiroga, Jurandir Guedes da Nóbrega, João Índio Queiroga Vilar, Joel Javan Trigueiro Bezerra, José Leny Dantas Bezerra, Jorge Pereira de Lucena, Jurandir de Queiroga Urtiga, José Severo de Queiroga, João Vieira Lima, Lacides Brunet de Sá, Luiz Alves de Sousa, Luiz Camilo de Sousa, Miguel Brilhante de Sousa, Mordecai Tavares Formiga, Nicodemos de Abrantes Gadelha, Orlando PEREIRA, Olavo Setúbal Rocha, Rivaldo Dantas Bezerra, Valdeci Silva.
O olhar de Shirley.
A velha Igreja de Nossa Senhora do Rosário, datada de 1721. Ao longe, a Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, iniciada em 1872 e concluída em 1897. O Cruzeiro Velho, construído para se comemorar a passagem do século dezoito para o século dezenove. A Coluna da Hora, concluída em 1940, junto com a Praça Getúlio Vargas.
Isso é um dos Cartões Postais de Pombal.
Julho – É Mês do Aniversário da Cidade de Pombal
Em frente à Igreja do Rosário, um detalhe do Cruzeiro velho, construído para se comemorar a passagem do século dezoito para o século dezenove. Em 1993, o velho Cruzeiro se encontrava em precário estado de conservação, assim, foi retirado pelo marceneiro João Pereira Filho-Natal, que construiu outro em madeira de Jatobá e esplendor de Cedro, nas mesmas dimensões e desenho do original, quando no mês de setembro foi recolocado esse novo Cruzeiro sobre o pedestal do antigo.
Pombal: 154 Anos como Cidade
Em 21 de julho de 1862 a Vila de Pombal foi elevada à categoria de cidade, por sugestão do Dr. Augusto Carlos de Almeida e Albuquerque, a redação e leitura final na Assembleia Legislativa foi apresentada por Dr. Manuel Tertuliano Thomas Henriques. O projeto de lei foi sancionado pelo Presidente da Paraíba, Francisco de Araújo Lima. Na época, as edificações residências não passavam de cem casas, formando três ruas: a do Comercio (hoje Cel. João Leite), a Rua do Rio (hoje Cel. José Fernandes) e a de São Benedito, situada ao sul, dando formação ao antigo largo do Bom Sucesso. Pombal tinha, ainda: a Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, depois denominada Nossa Senhora do Rosário, Casa do Mercado, um Cemitério, a Casa da Câmara e a Cadeia; há 154 anos.
Dr. Atêncio Bezerra Wanderley
Dr. Atêncio Bezerra Wanderley, medico, prefeito municipal de Pombal no período de 1969 a 1972, e ex-deputado Estadual, era excessivamente zeloso no gerenciamento dos recursos do tesouro municipal, fez uma administração honestíssima! Gostava imensamente de Pombal, no entanto, politicamente o povo pouco correspondeu para a importância administrativa do seu trabalho e a grande honestidade com que administrava o dinheiro público. Era casado com Cacilda Medeiros Wanderley, pais de: Marcos Vinícius Medeiros Wanderley, Berta Letícia, Alba Rejane e Ana Valéria. Nasceu no dia 10 de janeiro de 1913 e faleceu em 1992.
Culto, porém discreto, Dr. Atêncio construiu o Centro Administrativo de Educação, no qual instalou a maior biblioteca pública de Pombal. Deixou construída a parte térrea da atual Prefeitura; fez um novo Matadouro Público; reorganizou as finanças e pagou todas as dívidas públicas do Município, uma meta que parecia impossível de ser realizada. Construiu escolas na sede e na zona rural; fez serviços de esgotos; calçamentos de ruas; melhoramentos nas estradas para diversas localidades e a construção de uma repetidora de TV, a primeira do sertão paraibano, o que acabou levando o país para dentro da cidade. Em sua administração ocorreu à inauguração da BR 230, pelo então Governador do Estado, João Agripino. A estrada asfaltada ligando o Município à Capital e outras cidades mais avançadas desenvolveu o comercio local, o setor agropecuário e a indústria, o que muito facilitou comércio externo, a segurança, a educação e outros interesses afins da população pombalense. No ano de 1971, foi criado a A.E.U.P. – Associação dos Estudantes Universitários de Pombal, por um grupo de jovens que realizou em janeiro de 1971, a 1ª Semana Universitária de Pombal. A sede social da A.E.U.P. foi estabelecida na parte superior do Bar Centenário, cedida por Dr. Atencio, na época Prefeito Municipal, o qual foi uma referência, entre as maiores, de cultura, educação e honestidade do nosso município.

*Verneck Abrantes de Sousa, natural de Pombal é Escritor e Pesquisador da nossa história.

Nenhum comentário: