CLEMILDO BRUNET DE SÁ

O brasileiro apetece um governo de caráter forte

Genival Torres Dantas*

O atual governo não tem demonstrado que vai elidir em tempo razoável todas as mazelas praticadas na era petista, fica cada vez mais sintomático na proporção que o tempo passa e as confrarias montadas para dar credibilidade às ações governistas são compostas por pessoas que antes lotavam os espaços ocupados e permeados pelas correntes esquerdistas e monopolistas guiados pelos pensamentos perversos e maquiavélicos que transtornaram mais de uma década da sociedade brasileira, por tamanha necrose e desmilinguido aspecto que ficou da estrutura gerencial que sobrou da forte e
soberba estrutura do país, o que temos, definitivamente, são restos a pagar de um ativo negativo sem forças nem mesmo para se pagar ou recomeçar de algum lugar que não seja da lama fétida.
Já não há tanta ênfase nas palavras de defesa nos defensores do governo deposto pelo Senado Federal, mesmo que provisoriamente, perde-se a esperança que o governo retorne, se o governo provisório não é aquele que tínhamos imaginados ele opera de forma direcionada a cabala dos desconformados, por um momento de incertezas e de futuro incerto que temos convivido nos últimos dois meses, principalmente pela falta de segurança jurídica que acomete os governos provisórios e dependentes de um legislativo ardiloso como é o do nosso país, em toda sua extensão e fundamentos, operando da forma mais que vergonhosa e inescrupulosa, do jeito que é dando que se recebe numa troca de favores desfavoráveis ao erário público e a moralidade política.
Nessa flagrante ostentação de concubinato leviano, mantido pelo fisiologismo pragmático e obsessivo, numa relação de caráter estritamente duvidoso e nocivo, travestido ordinariamente, sob a luz difusa do abajur lilás, quando da procrastinação do dever assumido e abortado pela facilidade que o abuso do poder revela na fragilidade que o erro se apresenta, sem, em nenhum momento cobrar a minha culpa, minha máxima culpa, postando nos holofotes da ganancia e do ganho fácil toda malemolência advinda dos mais indispostos a lutar pelos seus objetivos e um lugar sério no futuro próximo.
Eu imaginava que no mês de julho não tivéssemos mais resquícios das malversações promovidas pela administração passada, entretanto, foi um ledo engano, estamos ainda permeados pela insolência da descompostura imposta pela gritante aberração que fui acometido pelo projeto de poder sem ditames, apenas escorados na conveniência de uma lógica da ilegalidade e espraiado apenas aos seus comparsas.
Com a aproximação entre o Presidente em exercício Michel Temer, o presidente do Senado Renan Calheiros e o presidente da Câmara Federal Rodrigo Maia, espera-se o retorno de uma política centrada no mais elevado grau, porém, essa possibilidade passa a ser duvidosa, a partir do momento que as três autoridades foram moldados na forma da politicagem que se desenvolve já por muito tempo, ampliada evidentemente, no governo petista na tentativa de desviar recursos em somas maiores e em menor espaço de tempo. Lembro-me de uns 50 anos atrás, quando falávamos em corrupção, o número que ficava em evidência era em torno de 10% de desvio absoluto. Hoje esse número é o que imaginamos que fica para a obra ou o material a ser contratado, ficando a diferença a ser dividida pelos aproveitadores e responsáveis pelo descalabro do nosso país.
Pelos fatos elucidados não temos dúvidas que, mesmo que o Presidente Michel Temer, continue no cargo até 2018, não haverá tempo nem medidas suficientes para retrocedermos aos patamares do inicio do ano de 2000, quando ainda era presidente, FHC, Fernando Henrique Cardoso. Por tudo isso, teremos ainda uma longa travessia, muitos serão ainda os contaminados e expurgados da vida pública, outra grande leva será identificada e isolada para o bem e a moral da Nação brasileira. Vai ser preciso paciência e determinação não só do governo, mas, de todos os brasileiros que querem um país livre dos aventureiros e deformadores da moral e dos bons costumes.
*Escritor e Poeta

genival_dantas@hotmail.com

Nenhum comentário: