CLEMILDO BRUNET DE SÁ

WILSON SEIXAS O TIMONEIRO DA NOSSA HISTÓRIA E O ANO DE SEU CENTENÁRIO

Clemildo Brunet de Sá
Clemildo Brunet*

Se vivo estivesse o timoneiro da história do “Velho Arraial das Piranhas” WILSON NÓBREGA SEIXAS, estaria completando neste dia 15 de julho, 100 anos de idade; instante em que Pombal comemora seus 154 anos de elevação à categoria de cidade; no entanto, para nossa tristeza e saudade, ele deixou nosso convívio e partiu para outra esfera, no dia 11 de março de 2002.
Foi ele, Wilson Seixas, o historiador pombalense que num esforço descomunal que lhe custou o sacrifício da própria saúde, pesquisou com profundidade as raízes da nossa história, depois de haver notado um erro que cometera, ao escrever a primeira edição do livro “O Velho Arraial das Piranhas”, simplesmente por ter seguido a leitura de outros historiadores, como o Pe. Manuel Otaviano e Celso Mariz, havendo desmistificado “Estórias tidas como oficiais”, sem provas nem documentos, principalmente fatos que se deram antes e
depois da fundação de Pombal.
Wilson Seixas na condição de um autêntico filho de Pombal e por amor ao seu torrão natal, ao reiniciar as buscas de novas pesquisas, enviou correspondência a Ultramarino em Portugal a procura de documentos oficiais, que terminaram por mudar em definitivo o episódio que havia sido contado anteriormente a respeito da luta entre os índios confederados (panatis, Ariús, Coremas) e os conquistadores.
Foi ele, Wilson Seixas, talvez, o único historiador a admitir o erro cometido, no lançamento do primeiro compêndio que narra o início da civilização de nossa terra, por ocasião das comemorações do Centenário da cidade de Pombal.
Ele o fez com humildade e nobreza chegando a publicar o seu equívoco após as novas pesquisas, diga-se de passagem, manipulando documentos em arquivos de Câmaras e Cartórios das primeiras cidades do sertão paraibano, o que lhe custou caro: Sua Saúde!
Nisso avultou-lhe o desejo de editar um novo livro restabelecendo a verdade dos fatos históricos, com o mesmo título: “Velho Arraial das Piranhas”, acrescentando a inscrição: “Ampliado e Revisado”; cujo lançamento em nossa cidade foi no dia 09 de setembro de 2004, obra essa, que a pedido do mesmo foi afligido pelo historiador Evandro Nóbrega seu parente; e os escritores Verneck Abrantes e Jerdivan Nóbrega de Araújo.
Amava tanto Pombal que tinha uma preocupação permanente com esta terra e sua história, a ponto de dizer: “Posso assegurar ter encontrado aqui em Pombal, uma fonte histórica que nos oferece campo vasto para as narrativas mais antigas da nossa colonização sertaneja”. 
Entrementes, nossa cidade está em dívida com Wilson Seixas, a despeito de ter recebido honrosas homenagens da Câmara Municipal de Pombal este ano no dia 04 de maio, em sessão especial das comemorações dos 244 anos do Legislativo pombalense.
Por outro lado, desconheço que aqui no seu torrão natal, exista algo que o faça lembrar e resgatar sua memória; exceto, “o legado que ele deixou”.
Esta nova versão do “Velho Arraial de Piranhas” resgatou datas importantes que hoje Pombal comemora. Até mesmo tornou-se necessária a criação de uma nova Lei Orgânica feita pela Câmara de Vereadores, incorporando as três datas mais importante do Município, dando margem para suas celebrações festivas.
21 de julho de 1862 - não se trata da data de emancipação política de Pombal e sim data em que Pombal foi elevado à categoria de cidade sendo este ano o Centésimo Quinquagésimo quarto Aniversário!
 27 de julho de 1698 - que estava escondida e poucos sabiam, é a data de Fundação do Arraial de Nossa Senhora do Bom Sucesso do Piancó (Pombal) - completando agora, 318 anos de Fundação. E ainda para surpresa de todos, 04 de maio de 1772, 244 anos de elevação a Vila de Pombal e de sua EMANCIPAÇÃO POLÍTICA.
Seria ótima oportunidade em nossas escolas alargarem com os alunos, temas da nossa história e do seu timoneiro. Por exemplo: Que Wilson Seixas é filho primogênito do Professor Newton Seixas, um grande educador de nossa terra e autor do Hino de Pombal.
Nosso timoneiro tem as seguintes obras literárias publicadas em livros: O Municipalismo e Seus Problemas (1959); Os Pordeus no Rio do Peixe (1972); Odontologia na Paraíba (1974); Viagem Através da Província da Paraíba (1985) e o mais predileto, “O Velho Arraial das Piranhas”. Este último alcançou grande repercussão e foi por conta do “Velho Arraial das Piranhas”, que Wilson Seixas ingressou no Instituto Histórico Geográfico Paraibano (IHGP), cuja posse em sessão solene se deu no dia 18 de março de 1965, recebendo a saudação do Jornalista e Historiador Octacílio Nóbrega de Queiroz.
No Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba, o timoneiro da nossa história, participou de vários cargos da Diretoria, como também de algumas Comissões de Estudos da instituição. Uma das virtudes no seu trabalho era apoiar-se em fontes primárias para revelar a verdade histórica e não ter nenhum receio de contestação.
Nosso ilustre homenageado - WILSON SEIXAS participou do Ciclo de Debates sobre os 500 anos do Brasil, entre setembro e novembro de 1999, promovido Pelo o Instituto, com a participação de figuras representativas da nossa historiografia, onde estavam incluídos sócios do Instituto e Professores da Universidade Federal da Paraíba. Coube ao nosso Wilson Seixas fazer uma exposição sobre o tema: A Conquista do Sertão Paraibano. Foi seu último trabalho como sócio do Instituto, pois já estava com a saúde bastante abalada.
Concluo dizendo que, não somente os historiadores paraibanos, mas também os mais destacados a nível nacional, mencionaram as obras literárias de WILSON SEIXAS, como fonte autêntica. É isso que lhe dar ares de imortalidade e ser chamado O TIMONEIRO DA NOSSA HISTÓRIA.
Se 21 de Julho é a data do aniversário de Pombal e 27 de Julho o de sua fundação, 15 de julho é a data do nascimento de WILSON SEIXAS, a quem tributo esta homenagem mais uma vez, no mês em que Pombal está em Festa.
VIVA OS 154 ANOS DA TERRA DE WILSON NÓBREGA SEIXAS!
Pombal, 05/07/2016.
*Jornalista e Escritor

brunetco@hotmail.com 

Nenhum comentário: