CLEMILDO BRUNET DE SÁ

IGNÁCIO TAVARES DE ARAÚJO

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Por Jerdivan Nobrega da Araújo*

Ignácio Tavares de Araújo nasceu no dia 20 de maio de 1937. Filho do comerciante José Tavares de Araújo (seu Zeca) e de Benigna Lourdes de Sousa (dona Lourdes). É casado com Mocinha, os quis são pais de: Allon, Ignácio Júnior, Tibério e Ana Paloma.             
Com a morte do pai no ano de 1948, deixando-o com apenas 11 anos de idade, Ignácio foi obrigado, pelas circunstancias do destino, a trabalhar na agricultura, numa divisão de tarefa feita por sua mãe viúva, que agora tinha a árdua obrigação de prover o sustento dos sete filhos: Francisco, Filemon, Emerique, Severina, Lia, Félix e o próprio Ignácio.
Dona Lourdes fez a distribuição das labutas de sobrevivência familiar da seguinte forma: os dois irmãos mais velhos, Francisco e
Filemon, aprenderam o “ofício” de alfaiate, e foram trabalhar na alfaiataria do tio Lelé, a labuta da casa ficou sob os cuidados da irmã Emerique e da própria e Dona Lourdes. Outra irmã, Severina, foi morar em Cajazeiras, na casa do tio Acrizio.  Maria de Lourdes, Lia, foi pra João Pessoa, com a finalidade de fazer o curso de técnica em enfermagem e logo ao retornar foi nomeada para prestar serviços junto ao Posto de Puericultura, da rede, Legião Brasileira de Assistência, restando para os mais novos Felix e Ignácio, que além de irmão era “cumplice “ nas suas brincadeiras de criança, e pesada tarefa de extrair da terra, através do trabalho, o sustento básico da família.           
Mas, quem tem um sonho não se dá por vencido, e Ignácio trazia em si o sonho de mudar a história sua vida. Ele sabia que só era possível essa reviravolta através dos estudos, e um dos seus sonhos era voou alto para a época e as condições da família: um dia estudar no Estado da Califórnia, Estados Unidos da América. Certa vez ao revelar esse sonho ao irmão Félix recebeu dele a seguinte advertência: “cuidado com sonhos alto demais”.
A vontade de se libertar através dos estudos tonou Ignacio, nas palavras dele: “em um comedor de livro”.  Era a sua ânsia de satisfazer a busca de novos conhecimentos e também recompensar o esforço dos irmãos e irmãs que o liberaram das tarefas árduas na agricultura para que ele se dedicasse a realização dos seus sonhos.
E a recompensa do seu esforço e da dedicação da família veio em 1958, quando Ignácio concluiu curso ginasial no Ginásio Diocesano de Pombal, e migra para João Pessoa onde se gradua em Economia, com especialização em Planejamento e Pesquisa Socioeconômica, e vem a ser Professor da disciplina "Micro Economia" do Departamento de Economia da UFPB, assumido cargos importantes no do governo de Tarciso de Miranda Burity, de quem, era amigo particular.
O filho de dona Lourdes pôde dizer que todo o esforço da sua mãe e dos irmãos havia sido recompensado: numa cidade onde os filhos dos homens de grandes poderes aquisitivos não passavam do ginasial ele era economista formado e professor da Universidade Federal da Paraíba.
Restava para Ignácio realizar o sonho de Criança, que era “um dia estudar Califórnia, nos Estados Unidos da América”, conforme revelação feita ao irmão Félix.   Para sua supressa em 1973, Ignácio recebe o convite para fazer doutorado na Universidade de Tukson, no Arizona, justo nos Estados Unidos da América. Ao passar esta informação para o seu irmão, aflorou na lembrança de Félix a conversa deles quando criança, e do conselho de “não sonhar alto de mais”, e Félix ainda brincou: “você errou só o lugar, não foi?”.
Infelizmente o convite chegou um pouco tarde e Ignácio teve que recusar, pois, ao concluir o mestrado em economia já estava casado e tinha que trabalhar para poder organizar a vida, bem como a prover a nova família que estava por vir.
Ignácio Tavares também é um grande cronista das ruas de Pombal. Preocupa-se com a situação administrativa e econômica da cidade, mas, também com a preservação e o resgate da sua história. Com uma memória privilegiada ele tem relatado em primorosos textos ás histórias das ruas da nossa cidade fazendo chorar quem viveu aquela época. Seus escritos são primorosos, trazendo á “vida” pessoas, lugares, paisagens e histórias das ruas da Pombal antiga, principalmente das décadas de 1940, 1950 e 1960.
Ignácio e personagem das ruas de Pombal, que é visto na procissão de Nossa Senhora do Rosário, contemplando as décadas de tradição e fé de uma povo que o viu vencer na vida, em um momento da cidade de Pombal que as dificuldades eram ultrapassadas com persistência e determinação.
Grande conhecedor da saga da família judia e “cristãos novos”, os “Benignos Cardosos”, as pesquisas de Ignácio Tavares nessa vertente, têm ofertado as novas gerações da descendência dos Benignos Cardosos, o conhecimento detalhado dos seus antepassados, que aportaram pelas terras pombalenses no inicio do século XIX, deixando marcas indeléveis nas ruas de Pombal.
Os textos de Ignácio Tavares podem ser encontrados em blogs como o de Clemildo Brunet e Bebabá do sertão (http://www.obeabadosertao.com.br/v3/ignacio-tavares/).
Ignácio Tavares, em parceria comigo, publicou o livro de crônicas - EM ALGUM LUGAR CHAMADO POMBAL, Imrell, 2011.

*Jerdivan Nobrega de Araújo – Escritor e pesquisador da nossa história

Nenhum comentário: