CLEMILDO BRUNET DE SÁ

O homem e Deus

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Muitos homens vivem sob os efeitos da dúvida, que termina por impedir o alcance da felicidade.
Distante de Deus, o homem caminha pela vida levado quase sempre pela boca dos outros, ou mesmo, pelos testemunhos de outras pessoas. Prefere  as orientações dos outros do que andar com suas próprias pernas. Na fé, duvida até da existência de Deus. É porque sua crença, por muitas vezes diante dos sofrimentos, de situações difíceis, e, acima de tudo por ser essa “fé” guiada por múltiplas emoções, ou, até mesmo, pelo que diz o vizinho, o padre, o pastor e
o bispo, nunca pelo próprio testemunho.
O homem mergulhado nas dúvidas prefere as respostas rápidas e prontas. Acomodado, preguiçoso, ocioso e sob a égide da inércia, ao ouvir ou ler roteiros para romper suas dúvidas e sofrimentos, sequer busca interpretar se tais orientações são corretas ou não, de logo, relega o discernimento e opta seguir o caminho das facilidades, que muitas vezes de fácil nada tem.
É preciso se aproximar de Deus e o para isso, o homem tem que ter a consciência de que não pode permitir que as dúvidas, problemas, adversidades, dilemas e doenças, possam esmorecer a fé. Mas, sim, fazer com que essas inquietudes diante dessas incertezas tonifiquem, ainda mais sua determinação em continuar, de pé, pelo caminho da perseverança em busca dos seus sonhos.
Perde-se tempo demais jogando culpa dos nossos insucessos em comportamentos dos outros. Cada um colhe o que planta, não se pode pensar que no mundo divino, há possibilidade de colher o fruto dos nossos irmãos ou viver do plantio alheio.
Ter Deus no coração é decisão de cada um. Se vamos a missa ou ao culto, deve ser por decisão pessoal de abraçar a palavra do Senhor. Se caminhamos pela solidariedade, não é porque fulano também pratica a solidariedade, ou mesmo, para se promover perante a comunidade, mas sim, por decisão de servir ao próximo, sem apego a elogios, e, unicamente para se aproximar de Deus. Segure na mão de Deus, faça o bem a quem quer que seja, sem pensar em retorno.
Num tempo de tantas tormentas, Deus é o único caminho para a paz!
*Escritor pombalense e Juiz de Direito. onaldorqueiroga@gmail.com

Nenhum comentário: