CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Longas noites de verão

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Finalmente a Primavera chega ao seu final com suas flores e temperaturas amenas, em todo Território Nacional uma saudade imensa começa a chegar e invadir o peito dos mais nostálgicos e românticos, afinal, é a despedida da mais sensível das Estações; é chegada a hora de começarmos a trocar o guarda roupa, tirando de circulação as roupas mais quentes e usando as de texturas leves e poros mais largos, com passagem de ventos mais suaves, permitindo a temperatura ambiente mais amena, com um toque sutil de permissão e
de boas vindas.
Assim como na temperatura ambiente no âmbito do social muda-se de Estação, entretanto, mantem-se a temperatura mais alta, com uma contemporização, é chegada o momento do recesso, supõe-se que, na política, há certo pacto por conta dessas férias constitucionais e muitos políticos passam a ter um fôlego menos dramático e um pouco mais longo, sem as vicissitudes das próprias Estações. O bafo do Verão já é sentido no vento norte, com a se anunciar prontamente, como quem a dizer salve-se quem puder, é a imponência dos 25% do tempo que cabe e lhe é de direito.
É uma pena que por conta das férias escolares e o recesso parlamentar e a paralização das fábricas maiores, não há encomendas que justifiquem produção extra, opera-se com 80% da capacidade industrial, portanto, temos 20% de ociosidade, é de se imaginar, sem regra de três simples, o mercado deve absorver na mesma proporção de 20% da mão de obra disponível no mercado sem alterar o quadro positivo, verdadeiramente dito, apenas repondo números reais do mercado acompanhado pelos índices oficiais, além do oficioso que muitas vezes retratam uma realidade mais próxima dos limites, se constituindo dessa forma num prenúncio de tragédia anunciada, pois, ela não usa máscaras nem subterfúgios para esconder números ou mesmo dados, numa operação tapa buraco, por isso mais confiável, tomando-se por precaução as fontes de manipulação dos dados.
Quem conhece o mercado de São Paulo, principalmente a área atacadista/varejista da 25 de Março, da Capital paulistano, sabe muito bem do termômetro que é aquele setor que abastece praticamente muitos Estados do Brasil, pela diversificação de estoque e a razoabilidade em termos de custos e benefícios. Lamentamos que não há uma corrida às compras, havendo ofertas de liquidação bem antes do Natal, isso significa que o mercado está vendedor e não comprador, é bem provável que as dificuldades para pagamentos às indústrias sejam mais lentamente que os previstos, em decorrência, é claro, da rotatividade dos estoques naqueles clientes que se dispuseram a acreditar numa tomada do mercado após a entrada dos bilhões que envolveram o 13º salário e as festas do final de ano.
Porém, ninguém contava com o agravamento das crises, maiormente nos Estados limítrofes e outros mais próximos ao Estado de São Paulo, o que é de se lamentar, é que essa situação de penúria também está exposta na maioria dos Estados brasileiros, por conta de uma situação política desgovernada e por muitas vezes por absoluta falta de responsabilidade de seus gestores, usando a tática do Governo Central anterior, gastando muito mais do que tinha disponível em caixa e as previsões de recebimentos no curto e médio prazo, levando a essa sangria desatada, com parcas possibilidades de ajustes até mesmo no médio e longo prazo.
Para contas a pagar e ajustes nas contas a receber não há registro nos anais da história política mundial capaz de nos confortar, nunca houve milagres, nem mesmo a figura lendária do Papai Noel foi interceptor ou protagonista de qualquer evento nessa direção, é de se supor que teremos um final de ano de noites longas de muito calor, tais quais as noites de verão, é melhor dançarmos uma valsa num azulejo de 20x20, com passos contidos e equilibrados, sem alongamentos das pernas e baços, com as mãos fechados e dentro delas as da parceira, evitando-se, dessa forma, mais apertos e desacertos para o começo do próximo ano. Que assim seja.
*Escritor e Poeta

genival_dantas@hotmail.com

Nenhum comentário: