CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Vida de espectador, um desalento!

Almiro Sá Ferreira
Por Almiro Sá Ferreira*

Vendo o Brasil contemporâneo pela TV e lendo os posts da mídia informal penso que a "inteligência política nacional" sofreu uma espécie de sequestro ou abdução por parte de seres alienígenas. Fenômeno fácil de constatar quando assistimos os nossos "lideres" demonstrarem que estão totalmente desprovidos de neurônios e de uma ética mínima para viver numa sociedade pós-moderna. Sejam eles de "esquerda" ou de "direita", ou tudo misturado num "centrão" promíscuo, a maior parte dos nossos políticos continua a nos provocar asco e desprezo nos mínimos detalhes e
principalmente pelas atitudes facilmente rastreáveis pela PF e pelo COAF.
Ruy Barbosa, nosso profeta (toda nação precisa ter pelo menos um) já dizia: que: "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".
Ainda bem que tivemos um Ruy Brasileiro que nos brindou com uma sentença marcada pela precisão cirúrgica e clarividência inigualável no mundo inteiro. Nem Shakespeare foi lúcido o suficiente para projetar um veredicto de valor tão atemporal para uma nação.
Diante de acertado vaticínio, sentimos que só resta ao brasileiro comum acreditar na assunção de mais um "salvador da pátria" (já tem gente se habilitando) a despeito das inúmeras experiências frustradas e decepcionantes, advindas dos diversos matizes políticos, salvo JK, que ainda assim construiu as gaiolas das loucas (caixas envidraçadas, verdadeiros aquários) em Brasília para abrigar governantes desmiolados e alucinados a fazerem e dizerem asneiras, e o que é muito triste, festejadas por "doutores",ora da "esquerda", ora da "direita". E o pior, agora juntos num liquidificador gigante que a todos mistura pela incoerência gastro-política da era pós-socialista de Fernando Henrique e Lula da Silva. Uma heterogeneidade que funde azia com prisão de ventre e outros ingredientes indigestos impublicáveis. Entupimento geral do esgoto!! Ninguém entende mais nada!! Chamem os bombeiros, seja contra incêndios ou os hidráulicos!!
Quando vejo e assisto as notícias e as declarações cínicas e amadoras dos falsos políticos (sem querer generalizar, porque escapam alguns poucos ainda lúcidos) fico a pensar nas reações do brasileiro comum, dos homens e mulheres do campo e das periferias das cidades, que, felizmente, ainda constituem a grande reserva do saber popular e a esperança que pode salvar a nação de intelectuais tão abestados e governantes tão "espertos".
Penso que nos ajuda trazer um dos princípios basilares da física clássica, a denominada Lei de Causa e Efeito, onde fica claro que nada se pode fazer pelo país adotando propostas meramente paliativas.
Por isso, acho que não bastam as tais 10 medidas contra a corrupção nem tampouco a do "abuso de autoridade" para resolver os nossos problemas estruturais. Não basta discutir "escola com partido ou sem partido", não é suficiente reabilitar a enésima receita de reforma do ensino médio e não cabe a tal PEC de controle de gastos, pois deveria ser um dever elementar de todo gestor público, como aliás, toda família faz sem precisar de decretos ou leis..
O que precisamos realmente fazer é muito simples. Antes de mais nada, destituir as raposas que cuidam dos nossos galinheiros, sejam no executivo, no legislativo ou no judiciário. Tanto nas esferas públicas: municipal, estadual, e, sobretudo, na federal. Seja de esquerda, seja de direita! Seria um bom começo!
Ou, então, continuar no velho sofá, ouvindo um dos próceres da república a dizer de cara lavada (com óleo de peroba) que a operação Lava-Jato é SAGRADA, mormente ao protagonizar mais uma "Noite de São Bartolomeu", quando veio a público massacrar o bom senso e a nossa mínima inteligência propondo "urgência urgentíssima" para o seu modelo espetacular e sofista de "abuso de autoridade", em suma, contra seus próprios algozes. Diga se não é de vaca desconhecer bezerro e de bode "cantar" galinha?
É o fim da picada, como dizia seu Chico da rapadura.

*Professor Instituto Federal da Paraíba (IFPB)

Nenhum comentário: