CLEMILDO BRUNET DE SÁ

De volta ao Mediterrâneo

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Numa noite de fevereiro de 2008, vínhamos do Cairo e em Alexandria embarcamos no “Costa Concórdia”, aquele mesmo navio que anos depois afundou nas águas do Mediterrâneo.
Vinte e duas, deixamos para trás as luzes egípcias e navegamos em direção ao porto de Civitacchia, Itália. A noite as águas estavam calmas. Passamos por restaurantes, bares e cassino do navio e fomos dormir. Ao amanhecer, o “Concordia” deslizava suavemente sobre o Mediterrâneo, mas quando a noite chegou, próximo à Ilha de Creta, o mar ficou revoltoso. Ondas enormes regidas por ventos de 120 quilômetros por hora sacudiram o Concórdia, contudo, o mesmo foi forte e
nos levou à Roma.
Ao descer do navio fizemos promessa de nunca mais entrar em um navio e navegar naquelas águas. O tempo passou e em 2013 retornamos a navegar por águas oceânicas, agora pelo Caribe, quebrando em parte a promessa. Veio janeiro de 2017 e quebramos o resto da promessa, pois voltamos ao Mediterrâneo. No MSC Splendida saímos novamente navegando por aquelas águas.
Na primeira noite o mar estava inquieto demais, mas timidamente a luz do sol sossegou o encrespado mar e Deus nos guiou pelo resto da viagem. Tudo tem sua hora. Não devemos temer as intempéries, elas existem para serem vencidas. A travessia foi proveitosa e muitos foram os ensinamentos. Obrigado Deus!
*Escritor pombalense e Juiz de Direito

onaldorqueiroga@gmail.com

Nenhum comentário: