CLEMILDO BRUNET DE SÁ

103 ANOS DE IDADE DE HERMOSA PEREIRA GÓIS SITÔNIO


Por: Evandro da Nóbrega



Dona Hermosa Pereira Góis Sitônio, prestes a completar 103 anos de idade, no maior papo com o degas aqui, isto é, com o escriba que vos tecla — o qual, em compensação, às vésperas de completar 70 anos, tem "coincidentemente" 103 kg de peso. [Clique na foto para ampliá-la]

_____________




A escritora, crítica da Cultura e professora doutora Maria Ângela Sitônio Wanderley, uma das três filhas de Dona Hermosa e Zacarias Sitônio, está hoje aposentada da UFPB, onde exerceu vários cargos importantes, inclusive o de Diretora do CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. [Clique na foto para ampliá-la]

_____________





Casamento realizado em 1900 e lá vai fumaça, na mui leal cidade de Princesa, durante reunião de partidários socialistas então atuantes no município; Dona Hermosa Pereira Góis Sitônio está nesta foto — ficando com o leitor o não muito fácil desafio de apontar quem é ela, dentre as 14 personagens femininas enfocadas pelo autor do retrato. [Clique na foto para ampliá-la] 
_____________



O poeta, cronista, escritor, acadêmico e jornalista Otávio Sitônio Pinto: primo de Dona Hermosa e sobrinho-neto do "coronel" princesense Zèpereira, escreveu inesquecível crônica-poema sobre ela — melhor, sobre como ela resistiu a tantas guerras nos séculos XX e XXI. [Clique na foto para ampliá-la]
_____________




O "coronel" José Pereira Lima, chefe político de Princesa e mentor do movimento surgido em Princesa no ano de 1930.Era tio de Dona Hermosa Pereira Góis Sitônio e tio-avô do poeta e escritor Otávio Sitônio Pinto. [Clique na foto para ampliá-la]
_____________



DONA HERMOSA PEREIRA GÓIS SITÔNIO PRONTA PARA COMEMORAR, NO PRÓXIMO MÊS DE FEVEREIRO, SEUS 103 ANOS DE EXISTÊNCIA

_____________ 

por Evandro da Nóbrega
_____________ 


A foto principal desta página (a lá do topo mesmo!) mostra o degas aqui conversando com sua grande amiga Hermosa Pereira Góis Sitônio. Toda lépida e fagueira, lampeira e, claro, formosa, ela me comunicava estar em ai de completar os 103 anos de idade. Eu disse CENTO E TRÊS ANOS, ouviram?

É a castelhanamente formosa Hermosa mãe de outra diletíssima amiga-irmã deste escriba que vos tecla: a professora-doutora e grande intelectual paraibana Maria Ângela Sitônio Wanderley, conhecida como Mallanja na intimidade.

Também há uma foto da Mallanja nesta página, para que Vocês conjuguem a imagem da pessoa ao som do nome ou apelido.

Uma terceira foto desta página foi clicada na primeira metade do século passado, na cidade de Princesa (ainda não era Princesa Isabel) — e Dona Hermosa está no grupo fotografado. Desafio Você a dizer quem é ela, no retrato!...  

Família Princesense
E, sendo princesense da gema praticamente toda a família, é Dona Hermosa também viúva do grande político e administrador que foi Zacarias Sitônio, tabelião em Princesa (Isabel), depois Prefeito e finalmente deputado estadual por aquela região serrana dos Sertões paraibanos.

O venerável Zacarias Sitônio, homem de fibra com quem ainda tive a ventura de conviver por alguns anos, acordava para a vida, todas as madrugadas, muito antes de o Sol nascer — desconfio que para dispor de mais tempo de fazer o bem ao próximo antes que os vizinhos e demais amigos se dessem conta.

Da Grei dos Cardoso
Zacarias Sitônio era para ter também no nome completo o sobrenome Cardoso, mas com ele não foi registrado — o que não deixou de se constituir numa por assim dizer injustiça genealógica, vez que, de fato, descendia dessa importante família de Limoeiro (PE). E Limoeiro não deixa de pertencer à área de influência de Princesa Isabel.

Os Cardosos pululam na História de Pernambuco e na História da Paraíba. E não esquecer que tanto os Cardoso como os Cardozo têm sangue de cristãos-novos, seja aqui, seja em qualquer outra parte, inclusive nos Estados Unidos.

Cardozo e Cardoso
Internacionalmente, e neste particular dos Cardoso, a primeira pessoa de quem a gente se lembra é o Benjamin Nathan Cardozo, nascido em Nova York em 24 de maio de 1870 e falecido em Port Chester a 9 de julho de 1938. Benjamin Cardozo foi sucessivamente advogado,  jurista e um dos mais destacados juízes da Corte Suprema dos Estados Unidos, de 1932 até 1938 — isto é, até sua morte.

Aliás, esse Ben Cardozo (comprovado parente de Fernando Henrique Cardozo, perdão, Cardoso, como descendente de judeus sefarditas de extração lusitana) teve decisivo papel e superior influência, no Século XX, para o desenvolvimento do chamado "Direito Comum", a Common law norte-americana.

Common Law e Fotografias
Em tempo: a Common Law é o Direito que evolveu em determinadas nações por intermédio de decisões tomadas por tribunais e não pela via de atos do Legislativo ou do Executivo. É sistemática diversa da utilizada em nações de tradição latina e não anglo-americana, como o Brasil, que adota as orientações do Direito romano-germânico, com preponderância de atos provindos do Legislativo.

Agora, voltando ao tema principal da página: se Você atentar numa foto do juiz Benjamin Cardozo e, depois, der uma boa olhada num retrato de Zacarias Sitônio, vai pensar que os dois eram irmãos, tal a semelhança física.

Na Casa de Luiz Nunes
A dama com quem Zacarias Sitônio se casou foi justamente aquela que serve de Leitmotiv a esta página e que, au grand complet, ostenta o belo nome de Hermosa Pereira Góis Sitônio.

Fui reencontrá-la semana passada, mais propriamente no dia 24 do corrente mês de outubro de 2015, na recepção pelos 80 anos de nascimento da Sra. Bernadeth (Berna), esposa do Dr. Luiz Nunes Alves — que é o mesmo que dizer o poeta Severino Sertanejo (Luiz Nunes Nunes no Facebook).

E o Degas Com 103 Quilos
A amiga Dona Hermosa, minha leitora desde a década de 1960, está toda hermosa mesmo, na foto desta página.

Vejam as “coincidências” da vida.

Enquanto o sujeito que posa ao lado dela, no mesmo retrato, amarga a inconveniente circunstância de estar pesando nada menos que 103 kg, ela, Dona Hermosa, prepara-se — com bonomia e espírito leve e solto — para comemorar, como já sabe toda a imensa legião de meus seis leitores, os seus 103 anos de vida bem pensada e melhor vivida.

Será no próximo dia 9 de fevereiro de 2016.

E o degas aqui (que, com toda probabilidade, continuará com os 103 kg de peso corporal) terá feito no dia 15 de janeiro anterior, nada menos que 70 anos de existência — 55 dos quais inteiramente dedicados aos mais diversos aspectos da Cultura paraibana, do Jornalismo à Literatura, passando pelas Ciências e Artes.

Filhas de Zacarias e Hermosa
Com o amado Zacarias Sitônio, Dona Hermosa trouxe ao mundo três abençoadas filhas:

1) Marta Sitônio Coutinho, esposa de Cleanto Lemos Coutinho;

2) Maria Ângela Sitônio Wanderley (Mallanja), emérita professora da UFPB e operosíssima ex-diretora do CCHLA, além de viúva do saudoso psiquiatra e intelectual pessoense Marcos Alberto Peixoto Wanderley, um dos fundadores, com a esposa e amigos (inclusive o mecenas Odilon Ribeiro Coutinho e o crítico João Batista de Brito, do inesquecível Clube 604, cenáculo que discutia os principais problemas filosóficos, políticos e sociais da contemporaneidade; e

3) Berta Margarete Sitônio Souto, esposa de Manuel Souto Neto.

Marias ao Pé de Jesus
Outro princesense, o grande tribuno, poeta e intelectual Alcides Carneiro, amigo e hóspede habitual do casal Zacarias-Hermosa Sitônio, criou certa vez uma imagem e um símile bem adequado para descrever estas três irmãs.

À época, elas eram ainda umas meninotas. Balançando-se na acolhedora rede da varanda e tendo junto a si, no bem cuidado assoalho de lajes, as filhas de tão querido casal, exclamou o iluminado Alcides Carneiro:

— Parecem as três Marias fiando aos pés de Jesus...

Sete Netos e Dez Bisnetos
Estas três filhas (Marta, Maria Ângela e Berta Margarete) deram a Dona Hermosa e a Zacarias Sitônio, até agora, sete netos e 10 bisnetos. Sendo de Princesa Isabel e tendo Pereira nos sobrenomes, claro que Dona Hermosa Pereira Góis Sitônio é parente do famoso líder princesense José Pereira Lima (Zèpereira).

Em verdade, é sua sobrinha — e se casou com um grande amigo dele, o já tantas vezes citado Zacarias Sitônio. E se o cito a torto e a direito é porque não me canso de dizer que Zacarias atuou, de início, como tabelião naquela brava urbe; depois, elegeu-se seu Prefeito, realizando memorável administração; e, por fim, firmou seu nome como respeitado parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado, representando toda a região de Princesa, São José de Princesa, Triunfo e outras cidades em que seu nome serve hoje para batizar ruas.

Mas Zacarias Sitônio não é nome de ruas em vão; é que, reconhecidamente, foi por muitos anos um grande parlamentar, um político de merecido destaque na vida pública de nosso Estado.

Hermosa e Sitônio Pinto
Gregos e troianos gostaram a não mais poder, gostaram mesmo pra caramba de um texto do escritor, poeta, jornalista, acadêmico da APL e prosador/estilista da maior categoria, Otávio Sitônio Pinto, primo de Dona Hermosa Pereira Góis Sitônio.

O texto intitulou-se "As guerras passam, Hermosa fica" e foi publicado tanto na Imprensa convencional como na Internet, em fevereiro de 2014, quando a veneranda princesense completava 102 anos de idade.

Resumindo o que escreveu Sitônio Pinto no artigo-crônica, Dona Hermosa "sobreviveu à Guerra de 30, quando as tropas da Paraíba tentaram avançar contra Princesa".

Tio-Avô de Sitônio
O "coronel" José Pereira de Lima, chefe do movimento independentista de Princesa, era tio-avô de Otávio Sitônio Pinto, que do passado princesense resgata coisas desconhecidas dos próprios historiadores.

Por exemplo, o locomóvel de propriedade desse líder político, que "movia o gerador de energia elétrica da cidade", além de suas atribuições normais de máquina destinada a desfiar algodão e moer canas.

Em tempo: para os poucos que não sabem o que é um locomóvel (ou uma locomóvel), basta dizer que o termo pode ser um adjetivo de dois gêneros (com o sentido de "que pode mudar de lugar") ou um substantivo, geralmente usado no feminino, mas podendo também ser empregado como termo masculino ("uma máquina a vapor montada sobre rodas e capaz de produzir força motriz").

Hermosa Sobreviveu a Tudo
Mas, como diz ainda o cronista-poeta Otávio Sitônio Pinto, "voltando à Hermosa: ela sobreviveu à Guerra de 30 e à Guerra de 38”. [...]

— Quando soube que Hermosa era sobrinha do coronel Zèpereira, Lampião matou o gado da menina para se vingar da surra de Flores. Era o começo de sua derrocada. No Fogo de Flores, ele perdeu o olho direito (olho diretor do tiro) e um irmão [...] A prima Hermosa sobreviveu ainda à Primeira e à Segunda Guerras Mundiais, à Guerra da Coréia e à Guerra do Vietnã [...] Zacarias Sitônio, esposo de Hermosa, era quem sabia dessas histórias. Tinha fé, pois foi tabelião e prefeito do município [de Princesa]. [...] Um dia, Zacarias subiu a Serra do Gavião, ao norte da Eternidade, e levou a verdade no livro da alma...

[Se Você quer ler na íntegra este ou outros artigos de Otávio Sitônio Pinto, fará bem se visitar este link:http://www.giropb.com.br ou o site do jornal A UNIÃO]


"No mais, Hermosa está lúcida e saudável como sempre", como arremata o poeta Sitônio Pinto. E vamos nós também arrematar suscitando que, além do mais, Dona Hermosa pode até servir de prova e demonstração viva para a seguinte afirmativa: "Ler os escritos do veeeeelho Druzz de guerra faz muito bem. Vejam o exemplo de Dona Hermosa, sua fiel leitora desde a década de 1960 — e que continua não somente sua fã-leitora, como ostenta saúde de ferro"...



Nenhum comentário: