CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Longe dos olhos sempre perto do coração


Genival Torres Dantas*

Dia 06 próximo passado, quando de uma visita ao cardiologista, Dr. Luiz Augusto, Professor de Cardiologia, cidade de Itajaí, durante a consulta muito bem preparada, fui encaminhado inesperadamente à internação e depois de 06 horas estava eu com uma mola especial no meu peito esquerdo, produto de uma obstrução de quase 90% de uma artéria que frequentemente dava sinais de uma dor sempre recorrente de algum esforço físico ou mesmo em posição de repouso absoluto. Na sequencia nada mais a reclamar, 06 dias de internação para o devido acompanhamento e
a bateria de exames complementares, informações posteriores de mais 03 pontos de obstrução que serão monitorados para solução com carga medicamentosa e cuidados especiais.
Depois dessa síntese pude observar que tudo caminhava normalmente na minha pátria mãe gentil, nada fora do lugar comum, como verdadeiramente deveria estar, com ou sem ausência de qualquer brasileiro comum, a Pátria segue sempre no seu rumo aos seus problemas e soluções rotineiros. Nada a discutir ou reclamar, assim caminha os rumos de uma Nação, mesmo que não tão bem estruturada ou politicamente administrada, a sensação que fica e que somos um pequenino grão de areia nesse universo movediço de tantos desencontros e desajustes provocados pelo próprio ser humano que tudo tem para desqualificar e desarmonizar o que se encontra literalmente correto.
Pude perceber que tudo estava longe dos olhos, entretanto, juntinho, alinhado ao meu coração, tal qual uma linda canção popular da época da jovem guarda dos anos 1960 observou ainda, com muita nostalgia que eu estava turbinado de muita emoção e saudades dos tempos que apesar de bonitos, com certeza não voltam mais, claro, seu retorno será por conta e risco de flashes que sempre surgem na nossa memoria. Dessa forma, busquei entre os jornais dos últimos 30 dias o que de fato tinha mudado ou melhorado, nada fica inerte por um longo período, tudo muda, muitas vezes não sentimos por estarmos ligados e fazendo a própria historia do nosso cotidiano.
Assim pude observar que os números muito embora confortáveis não oferecessem muita segurança, o governa continuava apostando suas fichas para o sucesso de 2018, espera fazendo planos mirabolantes na tentativa de segurar 2017 dentro de uma realidade próxima dos números anunciados e temperados dentro da sua salada matemática, cujo paladar seja salutar ao gosto dos brasileiros mais preparados a um churrasco compatível da grande maioria, se salgado muitos apreciam, se com pouco sal e um tempero tradicionalmente indicado para a pressão alta da grande maioria dos brasileiros solapados por aqueles que deveriam cuidar dos seus interesses mais puros e solidários aos seus sonhos de cidadãos.
O lugar comum dos políticos frequentemente citados na operação Lava Jato continuava no mesmo ritmo, ate mesmo mais frequente aos noticiários do dia a dia, numa panaceia milagrosa onde se tomando tudo cura e se plantando tudo dar. A Lava Jato continuava a apontar outros nomes já imaginados, porem, ainda ocultos no imaginário brasileiro. A continuar nesse ritmo alucinado, teremos todo o Governo Temer, com sobras para outro, ou outros Governos que virao na sequencia, um descalabro cujas apostas já era esperadas, tantos são os descasos com o nosso passado e futuro politico, não temos nenhum zelo pelo que fazemos para que nossa memoria seja cultivada com o respeito e a dignidade que algum dia em nosso passado foi todo rico e respeitado.
Fico na decepção de sempre esperando que um dia tenhamos novamente vergonha na cara e saibamos escolher nossos representantes para os cargos públicos, se ainda temos condições de escolher alguém com a dignidade que muitos tiveram e não sei se hoje teriam o mesmo comportamento, acredito que de tanto ver os desatinos praticados pela grande maioria dos nossos decepcionantes políticos, nesse quadro se enquadra todos os partidos e políticos de todas as miscigenações, assim sendo, a decepção aumenta de tamanho e forma, trazendo uma certeza absoluta, o meu problema clinico devera ser resolvido de forma medicamentosa, mas, a dor no peito será eterna  por conta dessa duvida cruel que temos com os políticos do nosso tempo. 
*Escritor e Poeta

genival_dantas@hotmail.com

Nenhum comentário: