CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Que mundo é esse?

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

O homem com sua visão egocêntrica, costuma julgar seus semelhantes sem antes de tudo se colocar do outro lado, para assim, fazer uma avaliação com maior equidade e prudência da situação, objeto do seu olhar.
O outro lado da moeda dificilmente é vestido por quem se acha no direito de criticar e julgar. É mais fácil atirar pedras e
levianamente promover uma erupção de falas levianas. O risco é que agindo assim pode-se, sem se possibilitar defesa, condenar um inocente, afundando-o em um poço profundo, de onde inevitavelmente o apedrejado terá enorme dificuldade para conseguir se levantar novamente
Não compreendo por que depois de tantas eras, o homem não tenha evoluído quase nada nesse aspecto espiritual. Continua agressor, opressor, ditador, cruel, egoísta e aniquilador. Não é pensamento negativista, mas uma realidade que constatamos todos os dias, pois basta olharmos para a situação lastimável dos nossos irmãos da Síria, Iraque, Somália e de uma boa parte dos países do continente Africano.
E o Brasil? A criminalidade gerou uma insegurança preocupante. É uma frieza que assusta, pois é como se o crime tivesse virado algo banal. No ar o desrespeito generalizado, um ultraje com o escopo de quebra de autoridade.
É preciso que o homem pare e faça uma viagem ao seu âmago. Reflita e veja que a felicidade não está nesse desenfreado consumismo material, na busca insana por poder e de ver dinheiro como deus. A paz que nos torna feliz é resultante da compreensão de que, em termos materiais, basta ter o suficiente para a caminhada da vida, somado a atitude voltada para a solidariedade e a comunhão com Deus.
*Escritor pombalense e Juiz de Direito

onaldorqueiroga@gmail.com

Nenhum comentário: