CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Reflexões sobre a Páscoa

Onaldo Queiroga
Por Onaldo Queiroga*

Novamente, chegamos ao período da Páscoa, que, como sabemos, consiste em celebração importante da Igreja Cristã, quando se comemora a Ressurreição de Jesus Cristo.
A Páscoa é festejada em diversos países, registrando-se, ainda, que existem alguns símbolos que foram, ao longo do tempo, incorporados à Páscoa. Um deles foi o coelho. Esse animal passou a ser símbolo, pois, em períodos pretéritos, no hemisfério Norte, a celebração da Páscoa ocorria no começo da primavera, instante em que
os coelhos apareciam nos campos com seus filhotes, justamente por ser tempo da fertilidade.
Outro símbolo bem conhecido é o ovo, que representa o início da vida. Por isso, desde a antiguidade, era costume dos povos do velho mundo, no período da Páscoa, presentear amigos com ovos, no intuito de desejar felicidade na vida.
Atualmente, vislumbra-se um apego maior voltado para os símbolos, tanto para o coelho, como, principalmente, para os ovos de Páscoa. Estes, como se sabe, receberam um incremento, o chocolate, que os tornou um produto altamente saboroso e comercial, alavancando e movimentando um grande número de empregos, o que proporciona lucratividade para a indústria e para aqueles que lidam com as vendas do produto.
Outro ponto que nos chama atenção é que o feriadão da Semana Santa também vem servindo para que ocorra um incremento maior do turismo no Brasil, tanto no âmbito interno, como para o exterior. Além disso, muitas pessoas se reúnem, não para rezar ou vivenciar a Páscoa, mas para se entregarem à bebedeira. Verifica-se que o lado religioso muitas vezes fica esquecido, relegado, e o feriado, que era para permitir que a sociedade cristã mergulhasse em orações e em instantes de rememorar reflexivamente todo o sofrimento de Jesus Cristo, termina por servir para outros fins, completamente diversos.
A humanidade precisa se voltar mais para Deus. O coelho e ovo são símbolos importantes, porém, o homem deve refletir acerca da importância do Sofrimento e dos Ensinamentos deixados por Jesus Cristo, caminho para a paz e o amor.
*Escritor pombalense e Juiz de Direito em João Pessoa PB

onaldoqueiroga@oi.com.br

Nenhum comentário: