CLEMILDO BRUNET DE SÁ

TEMPO: A DISCIPLINA DA PRESSA!

Por Gonçalo Pontes Júnior*

Com a virada de século, vive-se uma época onde alguns jargões passaram a ser cada vez mais utilizados e utilizáveis, ou seja, ora estes são utilizados por necessidades e acontecimentos reais, ora por força de tê-los como importante ferramenta de desculpa pelo “não feito” ou pelo “mal feito”.
De todos, em minha opinião, o mais comum é: “não tenho tempo” ou “não dá tempo”.
Veja se isto não ocorre com você, meu caro a leitor (a), ou com as pessoas ao seu redor que, em situações reais passam: não vou conseguir chegar a tempo porque o trânsito do horário não vai permitir, ou mesmo, atrasei na reunião porque o tempo do trânsito me impediu por força de um acidente, ou ainda, não tenho condições de assumir mais este compromisso porque não tenho tempo e
por aí vai.
Como mencionei acima, o jargão derivado do tempo também é um forte aporte para desculpas, como: não concluí o trabalho hoje porque notei que não daria tempo ou, ainda, não adianta tentar porque não dará tempo e, de igual modo, por aí vai.
Como tenho notado que isto é cada vez mais usual, por onde passo em minhas viagens pelo nosso Brasil e, por esta razão tem muita gente perdendo ou deixando passar maravilhosas oportunidades de se viver melhor à vida que vale a pena ser vivida, trago hoje o tema para algumas reflexões.
De início, todos nós temos vinte e quatro horas por dia. Isto vale para mim, para você, seu chefe, seu empregado, para o Papa Francisco, para Donald Trump ou mesmo, para o Secretário-geral da ONU, António Guterres.
Em sendo assim, vemos que nesse simples espaço amostral, temos pessoas com menos ou muito mais coisas para fazer, no mesmo tempo que você dispõe durante o dia, ou seja, tudo passa pela questão da disciplina, pois muito mais importante que o valor do relógio que você usa, é quanto vale o seu tempo!
Então:
1. Aprenda e treine a separar o que é importante de imediato; o que pode ser feito hoje; o que pode ser feito depois ou, o que não precisa ser feito;
2. Arranje tempo para a sua família. Não deixe para priorizar o amor que você tem por alguém apenas quando acontece um acidente ou um velório;
3. Acredite que o planejado vai dar tempo ser realizado e aí já terás um componente motivacional em mãos;
4.  Acostume-se com a possibilidade de algo ocorrer de inesperado, pois além de você não ser Deus, trabalhe sempre com um plano “B”;
5.  Jamais deixe que algo ponha o seu caráter, ética, profissionalismo e dignidade em cheque, pois se você não se respeitar ninguém vai respeitá-lo (a);
6.   Em muitas ocasiões a palavra “não” é e será fundamental na disciplina de sua vida;
7.   Quando fizer o seu planejamento, arranje tempo para exercícios físicos, pois em contrário, terás que arranjar tempo para cuidar de suas doenças.
Agora é com você, pense nisso e até a próxima!
*Gonçalo Pontes Júnior Conferencista, Consultor e Palestrante, Graduado em Economia e Direito,

www.gpontes.com

Nenhum comentário: