CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Lula no exílio – longe da fogueira das vaidades

João Costa
João Costa*

O objetivo sempre foi claro: transformar o Lula em carne moída, e para tanto, necessário se faz, mover a terra sob seus pés, que vai além da sua popularidade. Sua prisão ainda que sem base jurídica está em curso. Ao ex-presidente Lula só lhe resta o mesmo caminho de Juscelino e de Jango. O exílio. Que será sua salvaguarda. Encarcerado, será inútil reclamar direito de defesa num tribunal que já formou convicção.
 Lula poderá deixar-se encarcerar por Jerônimo Sevonarola, segundo o conceito do físico Rogério Cézar Serqueira Leite, que pôs fim à lua de mel do juiz de Curitiba com a mídia nativa. Será o mesmo que atender à insanidade da classe média e
acreditar que as práticas judiciais em curso são republicanas, e saciar o ódio da mídia nativa a exibi-lo algemado.
Ao longo dos séculos, costuma-se dizer que a Fogueira das Vaidades teve duas versões: a primeira, promovida pelos fieis seguidores do padre dominicano Jerônimo Savonarola, em 1497; uma outra fogueira, que nada tinha de vaidade, mas ressentimento, ódio e terror, remete à Alemanha nazista. Em maio de 1933, livros, jornais ou publicações contrárias ao regime, foram queimados em praça publica.
Não tardou para a Alemanha em 38 viver a Noite dos Cristais, quando  instaurou-se os pogroms com destruição de sinagogas, lojas a agressões as pessoas identificadas como judias. Ambos os casos os puritanos acabaram na fogueira. Savonarola e seus promotores foram enforcados e queimados numa fogueira. Os nazistas capturados foram sentenciados à morte, ou simplesmente se mataram.
Há paralelo com a construção do ódio ao ex-presidente Lula?
O artigo do físico Rogério Cézar Cerqueira Leite no jornal Folha de São Paulo, uma publicação de direita, que se dá ao luxo de posar de democrática às vezes dando direito ao contraditório quando lhe convém foi sintomático.
O jornal publicou o artigo Cerqueira Leite, a réplica do juiz, e uma tréplica do físico. Não foi normal, para deixar claro que as famílias que controlam a mídia nativa pautam o Judiciário, e não o contrário.
Redações, produtores e colunistas estão a postos esperando pela prisão do ex-presidente Lula. Alguém duvida que na sequência haverá um verdadeiro carnaval midiático, que provavelmente será seguido de pogroms contras petistas e opositores da Junta Governativa estabelecida em Brasília?
É bem verdade que em caso de exílio, o ex-presidente Lula será tratado não mais condescendentemente como tem sido até agora. É previsível. Nem precisa se justificar, porque não lhe cabe a pecha de traidor ou fugitivo. O exílio poderá servir até como salvaguarda da sua própria vida. A prisão do Lula será o peru do Natal que a turba insana almeja e a imensa legião de seguidores da demência televisiva se curvaria.
Tem a possibilidade remota da reação popular – que não virá. A Servidão Voluntária já é sentimento dominante.

*João Costa é radialista, jornalista e diretor de teatro, além de estudioso de assuntos ligados à Geopolítica. Atualmente, é repórter de Política do Paraíba.com.br

Nenhum comentário: