CLEMILDO BRUNET DE SÁ

ALCIDES CARNEIRO: O GÊNIO DA PALAVRA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

O povo ficava ouriçado quando ouvia falar que haveria um comício em Pombal e Alcides Carneiro estaria presente no palanque. Até mesmo os mais abusados adversários políticos, filiados a UDN compareciam em massa aos comícios do PSD a fim de escutar e aplaudir o tribuno das multidões. Era uma festa e tanto. A cidade se engalanava para receber o mais notável fenômeno da oratória brasileira nascido no território paraibano.

Depois do comício, no outro dia as frases mais empolgantes, eram repetidas nas esquinas pelos admiradores de Alcides. Não há precedente na história política da Paraíba. Dizem que Raimundo Asfora foi um grande tribuno, mas,

O CRACK DO OIAPOQUE AO CHUÍ



Archimedes Marques*

Disseminada por todo o país a mais avassaladora das drogas, o crack, já causa problemas no sistema de saúde de 64% das cidades brasileiras, conforme atesta a Confederação Nacional de Municípios. O crack invadiu grandes e pequenas cidades, periferias e lugares de baixa a alta classe social, municípios, povoados, zona rural e já chegou até às aldeias indígenas transformando os seus tristes usuários em espécie de zumbis ou mortos-vivos.

De poder devastador e

O Ponto de Vista da Conveniência

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

No último dia 20 o Brasil foi passado a limpa nas palavras de políticos de todas as correntes, era a festa de aniversário dos 10 anos no comando do país pelo PT (Partido dos Trabalhadores). No Senado Federal, o senador José Wellington Barroso de Araújo Dias, líder do PT fez uma exposição das 45 realizações do seu partido nesse período de governo, com ênfase nas ações sociais e

DOIS ANOS SEM DONA CESSA A POETISA ESCRITORA!


POSTUMÁRIA: O MEMORIAL DE DONA CESSA LACERDA!

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

+25-02-2013 - na passagem dos dois anos de morte de D. Cessa reproduzimos em homenagem a sua memória na íntegra o artigo abaixo publicado em 03 de março de 2011.  

07 dias são passados da fatídica notícia do falecimento de D. Cessa. Todos nós esperávamos o seu restabelecimento. A notícia de sua passagem para outra vida me deixou profundamente abalado, não tive as mínimas condições de escrever uma mensagem para ser lida por ocasião das exéquias, que foram feitas na manhã triste do sábado 26/02/2011 na Academia de Letras de Pombal.

É impossível negar que D. Cessa não carregasse em seu âmago o amor que ela tinha pelas artes. Artista plástica - onde demonstrou suas habilidades nesse trabalho tendo alguns de seus quadros sido levados a diversas exposições tanto aqui em Pombal como na capital do nosso Estado. Graduada em Letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e

“Vento do Aracatí” de Pombal”

Paulo Abrantes de Oliveira

Paulo Abrantes de Oliveira*

Quando menino em Pombal, minha cidade, senti que era costume do povo pombalense sentar-se na calçada de suas casas, sempre à noitinha, a esperar, com grande alegria, a chegada do conhecido “Vento do Aracatí”, que passava açoitando na noite, quando alcançava a cidade, soprando seu vento frio, arejador e balsamizador de quatro sertões diferentes: o do Ceará, o da Paraíba, o do Rio Grande do Norte e parte de Pernambuco.

Era fácil notar e

MEIO AMBIENTE: CAPITAL VERSUS NATUREZA

Ignácio Tavares

Ignácio Tavares*

A penetração do capital no campo contribuiu para aumentar os índices de produtividade da agricultura brasileira até dantes inatingíveis. Isso mesmo, o capital faz-se presente nas suas diversas formas, tais como, máquinas, equipamentos, infraestrutura agrícola, bem como gerenciamento qualificado, sementes geneticamente melhoradas, defensivos de efeitos letais, adubos químicos, orgânicos, mão de obra qualificada, créditos, logísticas de transportes e comercialização, além das modernas práticas de manejo e

"ARGEMIRO DE SOUSA: FULGURANTE JORNALISTA DE POMBAL!"

Clemildo Brunet

Clemildo Brunet*

Certa vez em um artigo sobre o Centenário do Senador Ruy Carneiro, eu disse que ao se colocar o nome de um ilustre cidadão em qualquer logradouro público, devia-se dar conhecimento a população o que ele foi á história com o designativo de uma placa.

Pombal tem várias ruas que levam nomes de pessoas, mas, na sua maioria os que residem na cidade não sabem nada a respeito deles. Argemiro de Sousa por exemplo. Muito ouvido este nome desde os tempos áureos das difusoras no início da década de 40, nos reclamos comerciais quando se anunciava onde ficava localizada e continua até hoje a tradicional Farmácia Queiroga. Não estou afirmando se o nome da rua mencionada seja a mesma pessoa a que me refiro neste artigo.

O que ocasiona essa dúvida é a revelação feita pelo o Historiador pombalense Wilson Nóbrega Seixas, no seu Livro “O Velho Arraial de Piranhas” segunda edição revisada e

Lampejos de um novo rumo


Genival Torres Dantas
 Genival Torres Dantas*

Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, a acriana ambientalista, pedagoga, historiadora e política brasileira, tendo sido alfabetizado na juventude, aos 16 anos, pelo movimento brasileiro de alfabetização – Mobral – (projeto do governo, criado pela Lei n° 5379, em 15 de dezembro de 1967, à época do Regime Militar, com finalidade de integrar o homem a sua comunidade, proporcionando-lhe a oportunidade do aprendizado da leitura, escrita e cálculos, teve seus programados posteriormente incorporados à Fundação Educar). Em 1984, aos 26 anos já estava formada em História pela Universidade Federal do Acre; tendo se especializada na teoria da Psicanalítica pela Universidade de Brasília (UnB) e

VOTO DE CABRESTO

Severino Coelho Viana

Por Severino Coelho Viana*

A não ingerência de alguma forma de pressão no direito de escolha é a mesma coisa que encontrar a liberdade completa do ato de votar que é comparável ao sonho de felicidade em toda a sua plenitude terrena. O chamado voto de cabresto ainda existe, apenas passou de forma rudimentar e virulenta para um modelo moderno e sofisticado. Todavia, na cabeça de muitos ‘líderes’ impostos, se pudessem, atuariam de maneira cruel e atrocidades físicas.
Nós não podemos deixar de sonhar. Seria perder a total esperança de melhores dias ou cair no abismo da desilusão.

No inicio do período republicano no Brasil (final do século XIX e

Uma Decisão para Poucos

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Depois de 598 anos o mundo volta a discutir a renúncia de um Papa da Igreja Católica Apostólica Romana. O último papa a renunciar ao cargo foi Gregório Xll em 1415, tendo falecido em 1417 quando foi eleito o novo papa Martinho V, portanto, não ocorrendo registro na história da substituição do papa no período, constando apenas a vacância do cargo.

Nesses quase dois milênios de Igreja Católica e

HARMONIA DOS VELHOS E ANTIGOS CARNAVAIS DE POMBAL

Clemildo Brunet

CLEMILDO BRUNET*

Carnaval - maior festa do mundo, ninguém sabe ao certo quando começou. Historiadores e pesquisadores afirmam que não tem como provar quando nasceu o carnaval. Existe apenas uma estimativa que seu ponto inicial tenha sido durante o reinado de pisistrato na Grécia entre 605 a 527 A.C.. Várias histórias são contadas de povos diferentes, o que dificulta a descoberta de uma data exata.

O carnaval é marcado em nosso calendário pela Igreja Católica que se baseia na data da páscoa. No início não houve aceitação do carnaval pelo cristianismo que constatou uma festa com características libertinas e

Josué de Castro e a ousadia de denunciar um tema ainda proibido

Josué de castro



Josué de Castro teve uma infância bastante pobre em sua cidade natal, Recife, capital pernambucana. O eminente cientista brasileiro, que na verdade se transformou em cidadão do mundo, sentiu na pele o significado do que é passar fome

REFAZER A NOSSA HISTÓRIA?

Ignácio Tavares

Ignácio Tavares*

Wilson Seixas e José Gregório foram os primeiros filhos da terra a despertar interesse pelos fatos do cotidiano assim como a formação histórica da terra onde nasceram. Wilson através dos seus escritos elucidou a história de Pombal, até então restrita alguns verbetes encontrados nos livros de história da Paraíba de autores conhecidos. Foi um trabalho exaustivo em razão das pesquisas que fez juntos aos arquivos públicos, entre outras fontes escritas e

POMBAL IDEAL CLUBE: UM PASSADO PRESENTE.

Prof° Francisco Vieira


Eu mal acabara de completar onze anos quando surgiu o Pombal Ideal Clube, sodalício mais antigo da cidade. Assim como o Cine Lux e o Bar Centenário, o clube também se tornou parte integrante de nossa história.   

O prédio que fora construído com fins comerciais passou por várias mudanças físicas e funcionais até tornar-se o mais conceituado clube social do lugar. De lá até então, foi casa de mercado, empresa de luz, oficina, câmara de vereadores e até residência. Curioso é que a moradia era utilizada também para os ensaios do Reisado – grupo folclórico de Pombal – que aconteciam nos períodos noturnos, sempre regados à base de cachaça. Sob a força da bebida os ânimos se acirravam acabando invariavelmente em brigas e

A Distante Realidade que Desejamos

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Com a tragédia ocorrida na boate Kiss, Santa Maria - RS, na madrugada do dia 27 último, causando 238 mortos e outras 72 pessoas ainda internadas, números atualizados nessa data, o Brasil voltou sua atenção para aquela região, às ações por parte dos governantes, militares e sociedade civil foram determinantes para amenizar um pouco a dor dos familiares, afetados pelo descaso e falta de responsabilidade para com o ser humano, por parte de algumas autoridades e o setor empresarial na busca do lucro fácil, com a perda e internações dos seus parentes.

Para tristeza de todos nós, as notícias ruins não pararam com o fim do mês de janeiro. Fevereiro continua a seqüenciar e

É CARNAVAL


Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*


É fevereiro. É carnaval. Festa popular que logo lembra o Brasil. Mas é preciso dizer que erroneamente paira no ar um conceito de que o carnaval tem origem no solo brasileiro. É certo que mundialmente somos conhecidos como o país onde esse festejo aflora todos os anos com muita força popular, trazendo importantes resultados nas áreas cultural, turística e econômica. No entanto, não podemos nos vangloriar da paternidade do carnaval.

Para não falar da Antiguidade Clássica, com as Lupercais

Perdas e Danos

Genival Torres Dantas

Genival Torres Dantas*

Depois de 39 anos, lembro-me perfeitamente do incêndio no edifício Joelma, Praça das Bandeiras, centro de São Paulo. Naquela época eu trabalhava na Praça Patriarca, seqüência do Viaduto do Chá, caminho em direção à Rua Direita que desemboca na Praça da Sé, marco zero da Capital Paulistana. Dia 1° de fevereiro de 1974, uma sexta-feira, parecia que íamos ter um belo final de semana, com muito sol, convidativo para descermos a serra de Santos no final do dia ou no inicio do sábado. Ledo engano, quase 09h00min, começou uma correria entre os transeuntes, as pessoas se aglomeravam no Viaduto do Chá, ali dava uma visão direta para o edifício da Avenida Nove de Julho, 225, com duas fachadas laterais para a Praça da Bandeira e