CLEMILDO BRUNET DE SÁ

Jornalista lança livro em solenidade da Associação Campinense de Imprensa

Gilson Souto Maior
(ASSESSORIA DE IMPRENSA)

O jornalista Gilson Souto Maior estará lançando no próximo dia 26, às 20 horas, em Campina Grande, mais um dos seus trabalhos de pesquisa, desta feita sobre a televisão. O lançamento será no Sítio São João, no Bairro do Catolé, integrando uma vasta programação da Associação Campinense de Imprensa – ACI – que constará de solenidade de posse dos novos dirigentes da entidade, além de uma sessão especial da Câmara Municipal, homenageando, antecipadamente, os jornalistas campinenses pela passagem do Dia da Imprensa, que ocorre no dia 1º de junho.
Até 1998, o Dia da Imprensa se comemorava no dia 10 de setembro, por ser a data da primeira circulação do jornal Gazeta do Rio de Janeiro, periódico da Corte. Em 1999 a comemoração do dia da Imprensa mudou de data. O Dia da Imprensa passou a ser comemorado no dia 1º de junho porque foi a data em que começou a circular o jornal Correio Braziliense, fundado por Hipólito José da Costa. Isto ocorreu no mesmo ano da Gazeta do Rio de Janeiro, mas o Correio Braziliense, jornal clandestino, começou a circular cerca de três meses antes.
O livro de Souto Maior
O livro ‘História da Televisão na Paraíba’ demonstra a preocupação do conhecido nome do jornalismo paraibano no desenvolvimento de bibliografias da comunicação, que retratem a história dos meios de comunicação social e dos seus atores, de ontem e

CARDÁPIO DO ZÉ


Dia. 27 de Maio às 19h30min Cine Teatro Murarte  Pombal PB

O “Cardápio do Zé” vai muito além de uma aula. É um apanhado de coisas vividas por José Ronaldo Leite (Zé Ronaldo) em rodas de conversas, em círculos de amigos e alunos onde são contadas piadas leves, fatos de sua infância humilde no bairro dos pereiros. Zé Ronaldo, narra numa linguagem simples e bem humorada fatos verídicos que se passaram na cidade de Pombal tendo como cenários as festas populares do Rosário e São Pedro, piadas construídas com figuras folclóricas do nosso cotidiano, faz um pouco de arte no palco, resgate e

Temer não deu golpe sozinho e ritual autofágico!

João Costa
João Costa*

Em editorial, O Globo, pasquim da famíglia Marinho, “manda” Michel Temer renunciar; nos seus telejornais, colunistas afirmam que, quanto mais tempo Temer resistir no Planalto, menores são as chances de se escolher um substituto pelas normas legais atuais, ou seja, por via indireta. Colapso do golpe ressuscitou campanha  por Diretas, Já! Após três décadas. E Fora Temer! Mas ele não deu o golpe sozinho, tem de sair com seus aliados e seus  atos como presidente precisam ser anulados.
Temer está  encurralado e se segurando num gancho legal - “o foro privilegiado” - para não sair direto pra prisão,  e até que ajuda nesse movimento por “diretas, já!”. O que a Globo quer é eleição no Congresso para entronar na Presidência um preposto seu e,

Repórter volta visitar maior açude da Paraíba após seis meses e mostra situação do manancial após liberação das comportas para Pombal,Piancó e Rio Grande do Norte.

Com capacidade para armazenar 591.646.222 milhões de metros cúbicos, o manancial chegou ao estado crítico no início do ano com apenas com apenas 2,5%
Por Luzia de Sousa
20/05/2017 às 20h43 • atualizado em 20/05/2017 às 18h07
Um dos maiores açudes do Nordeste e o maior da Paraíba, o açude de Coremas está atualmente com pouco mais de 50 milhões de metros cúbicos de água, o que representa 8, 6% da sua capacidade, segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA). Com capacidade para armazenar 591.646.222 milhões de metros cúbicos, o manancial chegou ao estado crítico no início do ano com apenas com apenas 2,5% de sua capacidade total.

Como fica?

Alfredo Bonessi
Alfredo Bonessi*

Essa é a pergunta que todos os brasileiros fazem pelas esquinas, bares, feiras, em locais de trabalho, e por todos os lugares onde quer que se encontrem duas ou três pessoas reunidas (não é reunião espírita).
O fato é que o Brasil está acéfalo – sem governo – e sem quem com respaldo o dirija. E não há oposição que possa chegar ao congresso e dirigir a Nação ao rumo certo, novas eleições, substituições – porque os opositores também estão envolvidos nesse mar de lama da corrupção.
- Quem irá retirar do poder o bandido Temer ?
 - O que fazer  com a câmara e o senado, cujos presidentes estão envolvidos ?
- O que fazer com o STF, que segundo Temer, possui dois ministros à disposição dele?
E

POR ACASO VOCÊ AINDA TEM DUVIDAS?

Ignácio Tavares
Por Ignácio Tavares*

Pois é a delação do pessoal da JBS provocou um terremoto numa dimensão que poucos esperavam. Não ficou pedra sobre pedra e mais pedras rolarão até o fim da divulgação de todo conteúdo da delação.
A tática de NEGAR TUDO já não é tão eficiente o quanto vinha sendo até o presente momento, pois o senhor delator está a apresentar de forma bem detalhada informações sobre os valores repassados a cada um dos beneficiários, inclusive com datas e

Editorial: A renúncia do presidente

POR O GLOBO 19/05/2017 15:20 / atualizado 19/05/2017 16:38

ÚLTIMAS DE OPINIÃO

Um presidente da República aceita receber a visita de um megaempresário alvo de cinco operações da Polícia Federal que apuram o pagamento de milhões em propinas entregues a autoridades públicas, inclusive a aliados do próprio presidente. O encontro não é às claras, no Palácio do Planalto, com agenda pública. Ele se dá quase às onze horas da noite na residência do presidente, de forma clandestina. Ao sair, o empresário combina novos encontros do tipo, e se vangloria do esquema que deu certo: "Fui chegando, eles abriram. Nem perguntaram o meu nome". A simples decisão de recebê-lo já guardaria boa dose de escândalo. Mas houve mais, muito mais.
Em diálogo que revela intimidade entre os dois, o empresário quer saber como anda a relação do presidente com um ex-deputado, ex-aliado do presidente, preso há meses, acusado de se deixar corromper por milhões. Este ex-deputado, em outro inquérito, é acusado inclusive de receber propina do empresário para facilitar a vida de suas empresas no FI-FGTS da Caixa Econômica Federal. O presidente se mostra amuado, e

O CUSTO DA CRISE

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Faz muito tempo que o escritor Marcos Odilon escreveu um livro bastante sugestivo para o momento, qual seja "O Poder, Alegria dos Homens". Isso mesmo, no Brasil de hoje - mais do que nunca - o poder sobrepõe-se aos interesses maiores do país, por conseguinte do povo.
O poder dá lucro, enriquece, além de fazer pessoas de origem humildes ou não famosas aqui e

Delação da JBS confirma que corrupção não é privilégio de um único partido ou governo, diz cientista político

Delação da JBS confirma que corrupção não é privilégio de um único partido ou governo, diz cientista político

Palacio do PlanaltoDireito de imagemROBERTO STUCKERT FILHO/PR
Image captionEm gravação feita por dono da JBS, Temer teria dado aval a compra de silêncio de Cunha, diz jornal O Globo
Além de abalar o cenário político do país, as supostas delações dos donos da JBS podem ensinar uma lição aos brasileiros: a corrupção está em todos os governos e em todos os partidos, diz o cientista político e professor da FGV-SP Cláudio Couto.
"O problema é sistêmico. Ele está relacionado a como se estrutura o jogo político no Brasil e a como funcionaram as instituições nas últimas décadas, desde a redemocratização."
Segundo noticiado pelo jornal O Globo nesta quarta-feira, o empresário Joesley Batista teria dito à Procuradoria Geral da República que o presidente Michel Temer teria dado aval a uma suposta operação de compra de silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-ministro Guido Mantega também são citados.
De acordo com a reportagem, Joesley, seu irmão Wesley e

Martinha, uma mulher bondosa e de paz que deixou uma saudade infinita

J. Romero Araújo Cardoso
José Romero Araújo Cardoso*

Sentia imenso orgulho quando ficava sabendo que minhas cartas lúdicas remetidas a Martinha eram lidas por ela para os alunos que educava em São José de Piranhas. Romeu Cruz, a quem cheguei a conhecer no leito de morte, conforme ela própria me contou, tinha desejo imenso de me conhecer, em razão da forma como me expressava nas missivas enviadas.
Martinha passou a fazer parte da minha vida desde o primeiro momento quando Corinta Cruz Cardoso passou a narrar sua vivência no São Luiz e no Riacho D’ água, mas em virtude de grave acidente que sofri em Pombal, arremessado de um caminhão por motorista irresponsável, ela passou a me visitar com frequência no apartamento que ocupava no Hospital São Vicente de Paula na capital paraibana. Corria o fatídico ano de 1977 e