CLEMILDO BRUNET DE SÁ

De novo - verdade, mentiras e meias verdades

João Costa
João Costa*

O que realmente está em disputa no Brasil – gira em torno de interesses conflitantes, dos financistas que se escondem sob a capa de empresariado e dos cidadãos que dependem de serviços públicos e de benefícios social em meio à Uberização da economia.
Isso se levarmos em conta que a Previdência faz cobertura social e da maioria das empresas brasileiras que dependem de investimento público para gerar empregos. Sem sair do universo da verdade, mentiras e meias verdades, que alimentam o noticiário.
O embate que será travado no futuro próximo, e que pode afundar em sangue ainda nem começou com essas ditas reformas trabalhistas e

CORPO DO APRESENTADOR DA TV CORREIO E EX-PREFEITO JOTA JÚNIOR É VELADO EM BAYEUX

Notícia

O corpo do apresentador da TV Correio e ex-prefeito de Bayeux Jota Júnior chegou à Bayeux, na Grande João Pessoa, na tarde desta terça-feira (25), onde é

A INQUIETUDE DA ALMA

Zé Ronaldo
Zé Ronaldo*

A inquietude da alma na maioria das vezes nos deixa desnorteados, ficamos como um gatinho solto em meio a um terreno deserto, olhamos para os lados e não vemos nada, olhamos no horizonte e aquela ideia de futuro, de sonhos pensados, de projetos idealizados na mente parecem ter ido embora com o tempo. Na verdade os projetos nunca fugiram da nossa mente, são sonhos, são criações inanimadas a espera do momento sublime para que se possa ser colocado em prática.
Quando somos crianças, adolescentes, ou jovens, criamos mil fantasias, mil desejos, fantasias possíveis e

AS COISAS DE ONTEM

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Lembro-me que, quando criança estava dividida entre o sítio da minha avó Ana e a cidade. Confesso que não nutria o mínimo querer pela cidade, pois, campo fascinava-me sob todos os aspectos. A paixão que sentia pelo ambiente natural da roça da minha avó era algo inexplicável para um irrequieto rebento de apenas dez anos de idade.
Caminhar cedinho, pés descalços, sobre o tapete verde de relva orvalhada fazia-me bem. Às vezes ponho-me a sonhar: ah se me fosse dada uma oportunidade para recomeçar tudo de novo! Ah, quanta felicidade se me fosse permitido voltar àquela vida, depois de tanto tempo afastado daquele ambiente que me fez feliz enquanto criança.
Hoje, depois de tantos anos passados ainda vivo a lembrar os utópicos sonhos de uma criança ingênua, cujo desejo maior era viver e

Presidente da COMEAD-CGPB e comitiva visitam obras do futuro Templo Central da Assembleia de Deus (Missão) na cidade de Pombal-PB


Na manhã deste domingo (23) o presidente da COMEAD-CGPB, Pastor Daniel Nunes, o 1º vice-presidente Pastor Dari Ferreira e uma comitiva de irmãos foram recepcionados pelo Pastor Local, Jediael de Sousa em visita às obras do futuro Templo Central da Assembleia de Deus (Missão) na cidade de Pombal-PB.

TRIBUTOS AOS ESQUECIDOS

José Salvador Pereira
Por José Salvador Pereira*

Aos milhares de homens e mulheres, que a cada manhã, beijam os seus queridos, e deixam as suas residências, no desejo de cumprir com dedicação, denodo, coragem, e humildade, a sua nobilíssima função de preservação da ordem pública e a incolumidade das pessoas;
A esses milhares de homens e mulheres, que abnegadamente, entregam-se pelo dever que um dia juraram cumprir, com a convicção, de que o fazem não porque são pagos para isso, mas, pelo respeito à vida, à família e

Prédios históricos de Pombal

O Castelo da Rua Estreita.

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

Por algum motivo o povo de Pombal condicionou a chamar esse prédio de “O Castelo”, mesmo que em nada a edificação lembre um castelo medieval. Construído na década de 1930, o Castelo é um prédio isolado, localizado no final da Rua Estreita, próximo ao açougue. O estilo da construção lembra a Art déco. (classificação minha), e fica mais bonito se você olhar com os olhos de quem viveu em Pombal na década de 1930, quando núcleo central da cidade de Pombal, do lado sudoeste, terminava no final da Rua Estreita. (a época era Rua do Giro e hoje e oficialmente Rua João Capuxu e

Que é a verdade?

Nivaldo Lisboa Soares
Por Nivaldo Lisboa Soares*

Quase dois mil anos atrás, a Verdade foi levada a julgamento e condenada por pessoas que se dedicavam à mentira. De fato, a Verdade enfrentou seis julgamentos em menos de um dia, três dos quais eram religiosos, e três que eram legais. No final, poucas pessoas envolvidas nesses eventos poderiam responder à pergunta: "Que é a verdade?"
Depois de ser preso, a Verdade foi levada primeiro a um homem chamado Anás, um corrupto ex-sumo sacerdote dos judeus. Anás quebrou inúmeras leis judaicas durante o julgamento, incluindo a realização do julgamento em sua casa, tentar induzir autoacusações contra o réu e bater no réu, o qual não havia sido condenado por nada até aquele momento. Depois de Anás, a Verdade foi levada ao reinante sumo sacerdote, Caifás, o qual era o genro de Anás. Diante de Caifás e do Sinédrio judaico, muitas testemunhas se prontificaram para testemunhar contra a Verdade, mas nada podia ser provado e nenhuma evidência de má conduta podia ser encontrada. Caifás quebrou pelo menos sete leis enquanto tentava condenar a Verdade: (1) o julgamento foi realizado em segredo; (2) foi realizado à noite, (3) envolveu suborno; (4) o réu não tinha ninguém presente para fazer uma defesa a seu favor; (5) a exigência de 2-3 testemunhas não podia ser cumprida; (6) usaram testemunho auto-incriminatório contra o réu, (7) condenou o réu à pena de morte no mesmo dia. Todas essas ações eram proibidas pela lei judaica. Independentemente disso, Caifás declarou a Verdade culpada porque a Verdade afirmou ser Deus na carne, algo que Caifás chamava de blasfêmia.
Ao amanhecer, o terceiro julgamento da Verdade ocorreu, resultando no Sinédrio judaico pronunciando que a Verdade devia morrer. No entanto, o conselho judaico não tinha o direito legal de executar a pena de morte, por isso foram obrigados a trazer a Verdade ao governador romano na época, um homem chamado Pôncio Pilatos. Pilatos foi nomeado por Tibério como o quinto prefeito da Judeia e

ONDE ESTÁ DIÓGENES?

Teófilo Júnior
Opinião

Diógenes de Síncope foi exilado de sua cidade natal e se mudou para Atenas, onde teria se tornado um discípulo de Antístenes, antigo pupilo de Sócrates. Tornou-se um mendigo que habitava as ruas de Atenas, fazendo da pobreza extrema uma virtude; diz-se que teria vivido num grande barril, no lugar de uma casa, e

PRIMEIRO ENCONTRO LULA VERSUS MORO

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

A primeira audiência do ex-presidente Lula como réu, com o juiz Sergio Moro acontecerá nos próximos dias. O Lula indicou 87 testemunhas de defesa e como resposta o Juiz exigiu a sua presença em todos os depoimentos o que não deixa de ser uma resposta à tentativa de ganhar tempo e

A voz dos inocentes

Teófilo Júnior
Opinião

Não tem outro jeito. Eu tenho que concordar com o jornalista Ricardo Boechat.
 Vendo o Jornal, me pego ouvindo as respostas dos envolvidos na lista do Min. Fachin, divulgada com imagem e áudio, e

Fuzis podem cumprir função quando a corrupção falha

João Costa
João Costa*

"Se se espera agora, não vem. Se não se espera, mesmo assim virá. Se não vier já, ainda virá. Estar pronto é tudo." Assim William Shakespeare narra a vida em Hamlet. Lendo as cartas do Tarô – que não mentem – o caos virá, pois o sistema político implodiu, o  Judiciário e a mídia subjugaram o Executivo e o Congresso, em colapso diante do moralismo e das classes médias  histéricas. O caos político leva à intervenção do Exército.
Esse é o problema: o Exército no controle do caos. Para lidar com a crise que se aprofunda, o Exército tem três fórmulas para resolver as crises políticas: da maneira certa; da forma errada, ou à maneira do próprio Exército.
Aprende-se que a corrupção em si não é um problema político – pode ser um problema policial, mas político não é. E

Figuras de linguagem em tempos de delação

Almiro Sá Ferreira
Por Almiro Sá Ferreira*

Para começo de conversa a operação "Lava-Jato" vem nos premiando, não apenas com a verdade que aflora dos "icebergs", mas também com suas aulas magistrais e bem contextualizadas.
Assistindo os mais novos seriados globais, onde são expostas as "faturas" da política brasileira, ficamos a lembrar das lições dos grandes e velhos mestres da língua pátria, quando nos ensinavam as figuras de estilo, muitas vezes até gerando motivo de ironia e brincadeiras entre os colegas de classe, sob a inspiração de um velho amigo, o Dr. Bullying, que na minha época de Ginásio era bem mais condescendente do que nos tempos contemporâneos do "politicamente correto".
Em suas delações e defesas esfarrapadas, mocinhos e

QUANTA VERGONHA, HEIN?

Ignácio Tavares
Por Ignácio Tavares*

A mídia do mundo inteiro está a divulgar - com estardalhaço - a participação de políticos renomadas na roubalheira do dinheiro do povo, considerada a maior do mundo;
Em lugar nenhum nunca se viu coisa igual,

A GEOGRAFIA DO TERROR

Teófilo Júnior
Por Teófilo Junior*

DABIQ, uma das principais Revistas mensais utilizadas pelo Estado Islâmico para difundir sua ideologia, trouxe em sua capa, a simulação da aposição da bandeira do EI sobre o obelisco da Praça de São Pedro, no Vaticano, em Roma, na Itália, com a manchete "O Povo da Cruz cairá".
 Verificando o mapa do terrorismo na Europa, pude perceber que o EI já atacou Lion (França), Bruxelas (Bélgica) e

NO TEMPO DO ASA BRANCA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

No começo dos anos sessenta o transporte intermunicipal mais barato era o trem. Por isso, a estudantada menos abastada, que não podia viajar confortavelmente na viação Gaivota, se quisesse ir a terrinha, tinha que tomar o velho e saudoso trem Asa Branca, que fazia o trajeto Recife/Fortaleza. O transporte era lento, até demais, mas, o preço do bilhete cabia perfeitamente em nosso bolso.
A viagem era pura diversão. Havia três classes de passageiros: a primeira, segunda e terceira. A gente comprava passagem de terceira, mas, viajava como se fosse passageiro de primeira classe. Deixávamos a bagagem no vagão de terceira e ficávamos a passear pelos diversos vagões e

O homem e a transposição

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

No ano de 2008 escrevi um texto intitulado “Água! Água?”. Falei sobre a água e a humanidade. Falei da sonhada transposição do São Francisco e as dificuldades do projeto sair do papel, além de ter questionado se o problema era realmente a falta de água.
Ponderei que passava o tempo, mudavam os homens, mas as ações perduravam. Seguiam os atos de destruição dos mananciais de água, a poluição tornando-a imprestável ao consumo humano, além de matar peixes e

TODA CRISE ECONÔMICA TEM A SUA PRÓPRIA HISTÓRIA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Nos manuais de teoria econômica, em qualquer parte do mundo há o registro da primeira grande crise econômica em 1929 que abalou o mundo. Foi a primeira crise globalizada uma vez que o país causador estava a assumir o comando da economia mundial deixando a Inglaterra,- a dominadora de todos os mares - pra trás.
Depois dessa crise novos instrumentos de politica econômica despontaram com destaque para o Planejamento, que até então era coisa de economia de comando onde o estado era o senhor de todas as decisões.
Os Bancos Centrais, com certa autonomia, assumiram o comando das politicas monetárias, juros, inflação, cambio, porquanto os demais órgãos da área econômica assumiram o controle e

A Ditadura Militar nas reflexões de um sacerdote católico

Manoel Vieira Guimarães
Padre Manoel Vieira Guimarães*

Fico entre triste e assustado quando vejo alguém defender a Ditadura Militar que se instalou no Brasil em 1964, com o simplório argumento de que naquela época não havia corrupção, nem roubo... Que o Brasil vivia às mil maravilhas, que até hoje não há ninguém prejudicado pelos “doces e gentis” militares e desejam ardentemente sua volta.
Bom, só para refrescar a memória deste povo e a título de contribuição para a reflexão de quem quiser:
1. Havia roubo e corrupção, sim. Só que não eram (e não poderiam ser) divulgados porque a Imprensa estava sob censura.
2. O “milagre econômico” foi uma farsa e todo mundo sabe disso.
3. A Educação talvez tenha sido o setor mais prejudicado. O grande Pedagogo pernambucano Paulo Freire, admirado e reconhecido no mundo todo, foi preso e depois exilado, por ter criado um método eficaz de alfabetização de adultos.
4. A cultura foi castrada... Grandes nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil e