CLEMILDO BRUNET DE SÁ

É TEMPO DE SE VIVER...

Clemildo Brunet
CLEMILDO BRUNET*

O tempo vai... O tempo vem... É o que diz uma canção popular. O tempo é a nossa preocupação.  Isso não vem de hoje; já na época do apóstolo Paulo as pessoas pensavam assim, pois, ele escreveu aos seus contemporâneos :  “Guardais dias, e meses, e tempos, e anos” Gálatas 4:10.

Será que a idade nos deixa preocupados com tempo? Não queremos a morte, mas, também não queremos o envelhecimento. Estamos no final do ano da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2013. Nesta época, as casas comerciais estão mobilizadas no sentido de atender a demanda para vender  seus produtos e

Programação Religiosa da Festa de São Sebastião 2014

Pombal – PB
De 02 a 20 de Janeiro de 2014
 Dia 02/01/14 – Quinta-feira  19h: Visita da imagem de São Sebastião na Comunidade Janduy Carneiro (Evangelização)
Celebrante: Pe. Franco
Dia 03/01/14 – Sexta-feira 19h: Visita da imagem de São Sebastião na Comunidade de Mãe Rainha (Casinhas) Celebrante: Pe. Casimiro
Dia 04/01/14 – Sábado 19h: Visita da imagem de São Sebastião na Comunidade de São João Batista (Petrópolis) Celebrante: Pe. Rogério
Dia 06/01/14 – Segunda-feira 19h: Visita da imagem de São Sebastião na Comunidade Nova Vida (Cruzeiro e na favela) - Casa de Dinha

A IRMANDADE DOS NEGROS DO ROSÁRIO DE POMBAL

Manoel Antonio de Maria Cachoeira (continuação do texto anterior)

Jerdivan

Jerdivan Nóbrega de Araujo+

PARTE II

 A figura central e motivadora do reconhecimento oficial da Irmandade dos negros do Rosário de Pombal é Manoel Antonio de Maria Cachoeira, de quem pouco se sabe. Especula-se que ele tenha sido um negro liberto, com certo poder aquisitivo, talvez um dos chamados “brancos do algodão”, assim denominados os negros livres, que obtiveram uma ascensão social através do enriquecimento proveniente do plantio e beneficiamento do algodão, tese da qual eu não compartilho, como será explicado em seguida.
Outros autores chegaram a afirmar que o patrono da Irmandade de Pombal, residisse na própria Igreja do Rosário, da qual era o zelador, e

Desejo para o próximo ano

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Sentimentos atávicos sejam bem vindos nesse momento de superação e estreitamento nas relações humanas, quando as etnias, preconceitos raciais, classes sociais e religiosas, buscam superar atitudes mesquinhas que o tempo trouxe até nossas gerações e que o próprio tempo e a sabedoria do ser humano se encarregarão de dar uma solução pacífica onde ainda existam diferenças a serem resolvidas, que tenhamos a capacidade de anteciparmos soluções por mais complexas que pareçam.

A sordidez da nossa destemperança vem de longa data, idade do princípio da luz e

DIRETO AO ASSUNTO...

CARA LUCY ALVES...
Tarcísio Pereira

Por Tarcísio Pereira*

Hoje durmo com a autoestima de uma Paraíba regozijada. Hoje durmo como um paraibano autêntico, orgulhoso do seu chão e do seu talento, dos seus valores, da sua riqueza sociocultural. Hoje durmo como um paraibano que viu a sua estrela brilhar. Hoje durmo, Lucy, com o gesto e lição de humildade e grandeza da nossa terra que você tão bem expressou para todo o nosso país.

Durmo, hoje, acreditando que preconceitos foram reduzidos, que as nossas cores se acenderam em luzes poucas vezes vistas, que uma nova data entrou na nossa história e

A DIFÍCIL CONVIVÊNCIA FAMILIAR.

 
Francisco Vieira
Francisco Vieira*    
      

           Em que pese ser a família a célula básica da sociedade, a instituição, com as estruturas abaladas, dão conta de que a prática nem sempre condiz com a teoria. Há, em muitos casos, enorme distância entre o dizer e o fazer.
                A família, entidade formadora de princípios éticos, vive hoje a mercê de mudanças. O que devia ser um ambiente de amor transformou-se num espaço de discórdia, um confronto de ofensas e desrespeito, verdadeiro campo de batalha, onde cada um faz valer sua opinião a todo custo.
            É sabido que a convivência humana não é fácil. A propósito, disse alguém na sua maneira simples de falar: “o bicho gente, entre todos os viventes é o que mais dificuldade sente de viver junto.” Quer no trabalho, na escola, entre vizinhos e

A minha crônica de natal‏

Teófilo Júnior


Escrever uma crônica de Natal é como compor um poema de amor, prazeroso e dificílimo. Prazeroso porque o tema nos remonta ao nosso sentimento mais nato: o amor. Dificílimo porque em matéria de amor a gente tem a inevitável certeza de que nada mais resta a dizer, os poetas consumiram todo o vernáculo, o que infelizmente nos torna apenas um cronista reincidente e repetitivo, nada mais.

Assim, uma crônica de Natal sempre parecerá que não é inédita! Sempre trará a desconfiança de que já foi escrita, reescrita, e que todas as suas variantes já foram escasseadas por tantos outros cronistas.
Neste particular, a tarefa se torna desafiadora. A minha intenção, creio eu, era iniciar me pautando por uma reflexão mais voltada ao social com passagens obrigatórias nas simbologias das coisas no contexto de um mundo ancorado em padrões estéticos e

Aos 69 anos, morre Reginaldo Rossi



O Natal dos Justos

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Indiferente às versões que os estudiosos afirmam a figura emblemática do Papai Noel tem sua origem ligada a um Bispo Bondoso da Turquia, Nicolau, que procurava ajudar aos pobres, colocando saquinhos de moedas próximas as chaminés das casas desses, o registro inicial é de 280 DC. A figura mística e bondosa do velhinho que desde 1822 vem sendo propagado nos verso de Clemente Clark Moore, ex-professor de literatura grega, num poema escrito para seus filhos, e

O CANGACEIRO MASSILON

Maciel Gonzaga
Por Maciel Gonzaga*

O cangaceiro Massilon é uma figura da primeira metade do século passado bastante venerado dos sertões da Paraíba e Rio Grande do Norte. Seu nome era Benevides Leite, nascido na Serra de Luís Gomes, na chamada “Tromba do Elefante”, na região do Médio Oeste potiguar.

Segundo o historiador Alexandro Gurgel, o cangaceiro Massilon era um agricultor de boa índole, divertido e gostava de fazer amizade. Frequentador das feiras livres e apreciador de uma boa cachaça e jogava baralho. Mudou seu nome para Massilon e tinha um irmão cangaceiro que era conhecido por “Pinga Fogo”.

Foi um frequentador da feira da cidade de Belém de Brejo do Cruz, na Paraíba, que era a sua preferência. O delegado da cidade, homem valente e hostil, havia proibido o costume do povo andar armado e,

NATAL: AO INVÉS DE PALAVRAS E PRESENTES... PERDÃO!

“Perdoar é amar e faz bem à vida”
Clemildo Brunet

Clemildo Brunet*

Perdoar é divino. O perdão vem de Deus. Estamos vivendo os últimos momentos de mais um ano que se finda. O Natal está próximo, podemos sentir uma euforia nesta época, em dar e receber presentes; mensagens são enviadas entre parentes e amigos desejando votos de boas festas e felicitações para o ano que vai nascer. Tudo isto é muito bom, desde que compreendamos o sentido dos acontecimentos em torno dessa situação.

O advento do Messias para humanidade da parte do Criador é

A FESTA DO ROSARIO DE POMBAL TEM, NO MÍNIMO, 126 ANOS E NÃO 119

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

A informação que “em despacho Clérico o Bispo de Olinda, Dom João Fernandes Esberardi, autorizou a criação da Confraria da Irmandade do Rosário de Pombal” é repetida em todos os textos que abordam o assunto, e parte da informação obtida pelo professor Wilson Seixas, baseando-se em documentos de 1913. Com fulcro nesta informação, tomou-se como sendo o dia 18 de julho de 1895 a data da realização da primeira Festa do Rosário de Pombal, contando-se daí 118 anos do evento.
Mas esta informação não é verdadeira: a Festa do Rosário de Pombal é bem mais antiga, como veremos:
Os documentos originais

Natal da minha infância, vagas lembranças

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

  Enquanto criança a festa natalina não fazia parte da minha agenda, nem mesmo pelo fato de ser a terceira mais badalada efeméride do ano, além do Rosário e São João. Dessa forma, a festa da natividade não me despertava o menor interesse por razões que em seguida veremos.
 Apesar da luminosidade da festa, nada mudava na rotina do dia a dia da nossa família. O que me chamava atenção era os presentes recebidos pelos amigos que residiam em frente a nossa casa. O mundo deles era diferente do nosso, pois, logo cedinho os amigos desfilavam escanchados em reluzentes bicicletas, velocípedes, doados supostamente por Papai Noel.
  Encantados com aquela cena eu e

Ornamentação Natalina enaltece o meio ambiente

Nalba Sirlene


Segundo pesquisas, existem várias lendas européias que tentam explicar porque o pinheiro é usado como símbolo do Natal. Na verdade essas lendas estão ligadas quase sempre ao fato de que algum povo da Europa Central adorava árvores e sacrifícios eram feitos ao deus Thor, sempre ao pé de alguma árvore bem frondosa.
Os romanos costumavam trocar entre si ramos de árvores verdes como sinal de que desejavam boa sorte, nas calendas (primeiro dia) de janeiro. Os ingleses tomaram este costume emprestado para usá-lo durante as comemorações do Natal. Os alemães provavelmente foram os primeiros a enfeitarem as árvores de Natal. Eles decoravam as suas árvores com estrelas, anjos, brinquedos, castanhas douradas

A IRMANDADE DOS NEGROS DO ROSÁRIO DE POMBAL

PARTE I

Jerdivan Nóbrega de Araújo
Jerdivan Nóbrega de Araújo*

O florescimento das irmandades de negros nas regiões dos vales do Piancó, Seridó e Piranhas, se deram com a expansão da criação de gado e a introdução do algodão que, a partir da segunda metade do século XVIII, passou a ocupar um papel preponderante na economia regional, demandando uma grande quantidade de mão de obra escrava. As fazendas eram enormes e muitas das vezes pertencentes a uma mesma família, proporcionando a migração dos escravizados na região.

As irmandades eram associações de leigos que surgiram em todo o Brasil, colonial já no século XVI, cujo “estatuto”

A Injustificável Violência dos Nossos Dias

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

É impossível ficar indiferente aos problemas de violência que tem nos cercado nos últimos tempos. Não é um problema apenas regional, a sociedade como um todo tem se defrontado com o sofrimento das famílias que vivem cercadas da intolerável e indisfarçável guerra urbana que diminuem nossos espaços, nos tira o direito de ir e vir, nos premia com o desplante de atuações marginais, e em decorrência, sermos acometidos por doenças neuróticas, nos privando da nossa rotina diária, nos transformando numa verdadeira massa de pacientes estressados e trancados em nossas casas com receio até mesmo de abrirmos nossas portas aos parentes mais próximos, quando não os sobressaltos que temos ao atendermos a um inofensivo telefone. Portanto, nossas casas já não refletem a segurança desejada e

O velho Relógio

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Céu azul, o Sol com sua luz entregava-me o seu calor. Lá de fora, o canto dos pássaros anunciava o florescer de mais um dia no sertão. No quarto, deitado numa rede, eu ouvia as badaladas de um relógio. Sons que vinham da sala de jantar e anunciavam sete horas da manhã. Era hora de me levantar, e, da sala de estar, via meu avô, Antonio Hortêncio Rocha, dando corda no relógio que ficava na parede, defronte à mesa de jantar.

De cor escura, com seus belos vitrais, ali eu ficava a observar o pêndulo orquestrando o compasso do tempo. Tempo de infância, de amizades descompromissadas, de banhos de rio, de colecionar álbuns de figurinhas, de sair pelas ruas e

Atitudes que nada contribuem com a história

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O que verificamos nos últimos dias de novembro e início de dezembro foi um verdadeiro contra censo da situação e oposição que fazem a história política do nosso país, transformando a insensatez em papel de destaque da nossa imprensa, principalmente na comunicação midiática, espaço reservado ao grande público isenta da contaminação do ar da corrupção. Vendo as acusações e defesas dos dois lados só temos a lamentar o que tem ocorrido. A continuar nesse diapasão é provável que vão chegar à conclusão que os dois grupos, contingentes compostos de persona non grata à democracia vão terminar admitindo que ambos são corruptos e

PRAÇA JOÃO PESSOA: LUGAR DE ENCONTRO NOS ANOS SESSENTA

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Logo que cheguei a João Pessoa, dava pouca importância à vida noturna, a não ser quando o amigo Edrizio Roque arrastava-me, para uma boa noitada nos principais redutos boêmios da cidade.  Mesmo assim sentia-me como um bicho do mato fora do seu habitat natural. Tudo era diferente, a começar pelos novos amigos, os lugares que frequentava, coisa e tal.
Ainda estava preso às amizades sólidas que deixei pra trás no meu sagrado chão, bem como aos treinos do São Cristovão, às serestas nos finais de semana, o papo com a turma no busto da Praça Getúlio Vargas e das visitas ao lupanar de Antônia Benta.

Ainda preso às raízes pombalenses, era comum nos meus dias de folgas, principalmente nos finais de semana, numa boca de noite, tomar o ônibus na certeza de que ao amanhecer do dia estava a pôr os pés na minha boa e

MACIEL GONZAGA, APAGANDO AS VELINHAS...

Maciel Gonzaga de Luna
Registramos com muito prazer o aniversário na data de hoje de nosso amigo MACIEL GONZAGA DE LUNA, Advogado e Jornalista, atualmente assumindo as funções de Procurador Jurídico da Prefeitura Municipal de Pombal. Autor do Projeto Jornal “Alto Sertão” fazendo parte de seu Conselho Editorial. Enviamos nosso abraço fraternal, almejando que esta data em sua vida seja reproduzida muitas e muitas vezes com muita saúde.    

Maciel nasceu em Pombal no dia 05 de dezembro de 1950, seus pais José Firmino de Luna e

MORADORES DE RUA

Severino Coelho Viana
Por Severino Coelho Viana*

As seis da matina, o sol esplendoroso surgindo no nascente, o coração começa a bater bem forte quando o olhar se dirige para o calçadão da praia, avista corpos estirados pelo chão ou apoiados em colchonetes esfolados e enrolados em sujos cobertores, com os pés cruzados enlameados da maneira de não ter sido lavado na noite anterior. Tudo misturado: homens e mulheres, bêbados e doidos, famintos e esfomeados que acordam esperando pelo o nada. Não existe coração humano que resista ver outro ser humano sofrendo ao relento.

A crescente população em situação de rua no Brasil é o retrato mais cruel da miséria social que se aprofunda em diversos ramos da esfera pública. O atual estado é a consequência de uma reação em cadeia que relaciona os altos índices de desemprego, rebaixamento salarial, uso de drogas e

Cinquenta anos de mudanças

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Lee Harvey Oswald (1939/1963), figura que entrou para a história depois de ter assassinado, 22 de novembro de 1963, em Dallas, o Presidente do EUA John Fitzgerald Kennedy (1917/1963), não fora isso Lee Oswald teria morrido anonimamente como um homem qualquer, assassinato que se constitui até hoje num grande mistério para a história política universal.

Independente desse fato, nos últimos 50 anos temos convivido com mudanças radicais em todos os continentes. Nos EUA a corrida espacial parou com a dissolução (1922/1991) da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), restando aos americanos à manutenção de um projeto menor para viabilização de estudos científicos. No fomento as guerras, prática tão costumeira aos americanos, para alimentação da sua indústria bélica, as derrotas tem sido uma constante no currículo americano. A Guerra do Vietnã (1955/1975), e

Males seculares

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Amanhece o dia e vislumbramos que a estiagem faz morada em grande parte do território nordestino. Com um calor insuportável, homens e animais sofrem diante da falta d'água. São Riachos, açudes e barragens secos ou com pouca água, que, certamente, diante do poder do Sol, também ficaram vazios, transformados em um enorme solo rachado. Esperança e sonhos o nordestino sempre carregou e

ALTO SERTÂO: DESAFIO E COLABORAÇÃO DE AMIGOS

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*

Sei que muitos estão a perguntar pela segunda edição do nosso periódico batizado de “Alto Sertão”, que teve seu lançamento com muito sucesso durante a Festa do Rosário deste ano. 

Agora em novembro não nos foi possível fechar a segunda edição do Jornal. Fatores diversos fizeram com que recuássemos um pouco na elaboração para a 2ª edição.

Ontem (26) estivemos na cidade de Cajazeiras mantendo alguns contatos para que o Jornal “Alto Sertão” dê prosseguimento em sua tarefa de informar e

RUAS DA MINHA INFÂNCIA

Francisco Vieira
FRANCISCO VIEIRA*

É bem verdade, o tempo inibe nossas lembranças, mas nem todas. Algumas resistem permanecendo vivas a vida inteira.
                
Assim, como num lampejo, trago à baila as ruas da minha infância, palco de minhas travessuras. São reminiscências dos anos 50/60, vividos com intensidade, recheadas de peraltices, aventuras e sonhos impossíveis.
                
Num impulso de recordações me vejo de cara com a turma de amigos. Saudoso, contemplo se não todos, pelo menos os mais frequentes, que os chamo como na época, cada um pelo seu apelido. Lembro-me a partir de Pretinho – meu irmão, menino franzino e

ESCRITOR PAULO ABRANTES FARÁ LANÇAMENTO DO LIVRO "DER - HÁ 67 ANOS FAZENDO HISTÓRIA"

Paulo Abrantes e Ana Rosa
O escritor pombalense, Paulo Abrantes de Oliveira, engenheiro civil, do DER, e professor Licenciado em Ciências pela UFPB, informou ao nosso blog, que no próximo dia 04 de dezembro, às 17 horas, no auditório Hugo Burity, na sede do DER em João Pessoa-PB, haverá o coquetel de lançamento do livro   "DER  -Há 67 anos fazendo História", de

Espera-se o começo de novos tempos

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O Brasil comemorou a morte do líder negro, Zumbi, que teve um ato de heroísmo na resistência, no Quilombo dos Palmares, enfrentando os poderosos à época, em condições adversas, contando com uma minoria despreparada e sem armas compatíveis que o momento exigia, mesmo assim, aquela gente deu uma demonstração de garra, usando a fé e

Desenvolver é mudar: Mudar o que?

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Este texto é bem diferente dos demais que escrevi a envolver questões econômicas da minha terra, porque não, também da região. Pretendo fazer algumas considerações sobre a imperiosa necessidade de se promover mudanças no marco administrativo na grande maioria dos municípios da região.
  
Isso porque no meu entendimento, sem mudanças dessa natureza é praticamente impossível, qualquer que seja o município pôr em prática políticas públicas com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento econômico e

CLEMILDO BRUNET AGRADECENDO DA TRIBUNA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA PARAÍBA!

ASSISTA VIDEO Homenagem mais do que justa. O doce prazer do reconhecimento do trabalho e dedicação de uma vida e que vida. Parabens! JERDIVAN. Parabenizamos o amigo Clemildo Brunet de Sá por mais uma honraria recebida, mérito que enaltece a nossa querida cidade de Pombal. Um abraço. VERNECK. Parabéns. Nada mais justo essa honraria que você recebeu. Como filho de Pombal me sinto orgulhoso. Att: Antonio Carlos Pereira.

HOMENAGENS AO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DO Dr. ATÊNCIO BEZERRA WANDERLEY.

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*

Culto, simples, discreto, tímido e prudente – Doutor ATENCIO BEZERRA WANDERLEY em sua trajetória de vida foi um fiel seguidor desses princípios que nortearam sua existência aqui neste mundo. Seu falecimento ocorreu em 14 de agosto de 1992, em São Paulo, no Hospital da Beneficência Portuguesa, tendo sido sepultado em Pombal em 16 de agosto 1992. Nasceu a 10 de janeiro de 1913 no sítio Arruda - município de Pombal, filho do Cel. Josué Bezerra de Sousa e de dona Esmerina Bezerra Wanderley.

o colunista Wellington Farias do Jornal Correio da Paraíba, em síntese teceu rasgado elogios à figura imponente do Dr. Atencio.
“Um dos homens mais íntegros que a história política da Paraíba registra teria completado 100 anos, na quinta feira, se vivo estivesse: Atêncio Wanderley, natural de Pombal. Era médico dos melhores e

Tempos de Violência e Incredulidade

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

A violência que envolve os dias atuais não é um privilégio nosso, a sua incidência é maior em todas as escalas e tem se manifestado de forma indiferente na proporção que evoluímos os estudos nas camadas mais susceptíveis aos desmandos da corrupção, tráfico de uma forma generalizada e em todos os níveis sociais, independentemente do sociocultural.

A violência com que somos agredidos pelos políticos é constante nos diferentes regimes que tem nos conduzido, para ser mais atual e

FAMÍLIA PROMOVE VI ENCONTRO PARA HOMENAGEAR VALDEMAR VENTURA.

A tradicional Família Ventura das cidades sertanejas Paulista e Pombal e parte da região do Brejo paraibano, irá se reunir mais uma vez este ano.

Os encontros da Família Ventura anualmente chamam a atenção pela numerosidade de participantes. Este ano irá homenagear Valdemar Ventura.

O evento será neste sábado 16 de novembro com a celebração de uma Missa em Ações de Graças às 19 horas e

A ESCOLA DO RÁDIO: OS LOUROS COLHIDOS

Clemildo Brunet
Clemildo Brunet*

Jamais poderia imaginar que as realizações do que fiz na minha adolescência na arte da comunicação viessem refletir depois. O tempo vivido entre a infância e adolescência dedicado ao que eu mais gostava de fazer, já era bastante suficiente para encher o meu ego juvenil. Mesmo assim, sem que pensasse tal coisa, sinto-me feliz! O momento pelo qual estou vivendo me deixa sublimado por está colhendo os louros como recompensa do que os meus amigos denominaram de ESCOLA DO RÁDIO.

Aprendi desde cedo nas sagradas letras que a humildade precede a honra e

POMBAL: Deixa de ser a quarta economia do sertão.

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*

Há muito estou a chamar atenção da possibilidade de Pombal ser desbancado da posição de quarta economia mais importante do sertão paraibano. Falei, escrevi, mostrei em números, finalmente aconteceu. Vejamos como as coisas aconteceram: conforme os agregados de 2008, publicados tempos atrás, em termos econômicos, Pombal, Catolé do Rocha e São Bento, estavam praticamente empatados.

No ano seguinte, Catolé retraiu-se um pouco mas, Pombal e São Bento continuaram empatados. Mas, em 2010 São Bento vence a corrida e

Maringá: minha paixão

Chico Cardoso
Escreveu: Francisco Alves Cardoso – 08/11/2013

De uns tempos para cá, tenho sentido uma paixão fortíssima pela “Terra de Maringá”. Tudo começou com um festival de teatro realizado na década de 1970, naquela cidade, quando o Teatro de Amadores de Sousa (TAS), sob a minha direção, participou daquele momento cultural.

A música em homenagem a Maringá é uma atração maior para minha paixão. Naquele festival já senti o amor dos pombalenses por essa música, pois os presentes cantavam com assiduidade essa peça musical dentro e

Meritório jornalista Clemildo Brunet Parabenizamos, na sua pessoa, todos os radialistas de Pombal.

Sônia Guedes
POR SÔNIA GUEDES*

Referir-se ao nosso amado Clemildo significa situá-lo no campo da comunicação. Desde jovem, com seu iminente potencial, desbravou com probidade e altruísmo, a senda que o conduziria até hoje, vivendo, sentindo e respirando aquilo que oxigena suave e belamente a sua lide inteligente.

Você foi o escolhido para representar Pombal na mídia radiofônica. Você é um signo simbólico porque, solenemente, receberá das mãos do Presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba a Medalha de Mérito Jornalístico Assis Chateaubriand. Essa comunicação eleva-o ao patamar de estandarte, insígnia vivificante e

Assembleia Legislativa da Paraíba concede alta honraria ao radialista presbiteriano Clemildo Brunet

A Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba concede na tarde de amanhã,Clemildo Comunicador CBSquinta feira, dia 07 de novembro, ao radialista Pombalense, Clemildo Brunet, a mais importante  comenda daquele poder, a Medalha Mérito Jornalístico Assis Chateaubriand.
Clemildo é um homem apaixonado e comprometido com o radialismo e suas ramificações; humilde por natureza e

Euthymia

Onaldo Queiroga
Onaldo Queiroga*

Como falar em euthymia num mundo tão violento, de desconfianças, traições, inseguranças, incredulidade e ingratidões? Como tocar no tema num tempo em que a droga e a promiscuidade interferem pesadamente na estrutura familiar da nossa sociedade, provocando um rastro de flagelos, mortes e muita miséria humana?
            
Para quem não sabe, euthymia vem do Grego, significa um estado de espírito que traduz tranquilidade da alma, ou mesmo, a tão desejada paz de espírito. Nesse contexto, realmente fica difícil olharmos para a frenética vida moderna e encontrarmos, assim, instantes de euthymia, pois presenciamos uma sociedade vivendo escrava do relógio, das etiquetas da luxúria, das modas editadas pela mídia televisiva, pelas teias da corrupção, e,

Foi, É e Será

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

O mês de outubro fechou com acontecimentos nada confortáveis para o nosso país e setembro inicia com fatos tenebrosos. No campo da diplomacia, depois do governo brasileiro fazer um verdadeiro levante contra a espionagem feita pelos EUA em vários países, incluindo-se aí o próprio Brasil, fomos pegos no contrapé com a revelação que a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência), tenha espionado diplomatas americanos. Esse fato está sendo suavizado, principalmente pelo nosso ministro da justiça José Eduardo Martins Cardoso, dando um valor menor que caracterizou as ações americanas, mesmo assim, não deixa de ser constrangedor saber que os países usam desse artifício, principalmente os desenvolvidos e

CONGRATULAÇÕES

MENSAGEM DO EMPRESÁRIO E DIRETOR DA RÁDIO OESTE DA PARAÍBA - CAJAZEIRAS PB.  


Zerinho e Clemildo
Meu especial amigo Clemildo Brunet impossibilitado de comparecer à assembleia para as homenagens a sua pessoa, me associo aos parlamentares e amigos concordando com a justa medalha que lhe faz jus.  Parabéns! Forte abraço.
José Nelo Zerinho Rodrigues         



MENSAGEM DO DIRETOR E PROFESSOR DA UFCG CAMPUS DE CAJAZEIRAS PB E TAMBÉM EX-ALUNO DA ESCOLA CLEMILDO BRUNET. 


Clemildo e Cezário
Meu professor e amigo Clemildo Brunet felicito-o por mais uma honraria do parlamento paraibano conferida à sua pessoa.
José Cezário de Almeida

Jornalista Clemildo Brunet recebe Medalha Assis Chateaubriand na AL-PB

Jornalista Clemildo Brunet recebe Medalha Assis Chateaubriand na AL-PB

Jornalista Clemildo Brunet recebe Medalha Assis Chateaubriand na AL-PB
Reconhecer os serviços prestados à população do Estado através da comunicação. Esta foi a homenagem que a Assembleia Legislativa da Paraíba prestou ao radialista e jornalista Clemildo Brunet, nesta quinta-feira (7), com a entrega da Medalha de Mérito Jornalístico Assis Chateaubriand.

A autoria da homenagem é do deputado Janduhy Carneiro (PTN) e

Assembleia presta justa homenagem

João Costa
*João Costa é radialista, jornalista e diretor de teatro, além de estudioso de assuntos ligados à Geopolítica. Atualmente, é repórter de Política do Paraíba.com.br

Esta semana, mais precisamente na próxima quinta-feira, Dia do Radialista, o Poder Legislativo da Paraíba volta a prestar, pela segunda vez, homenagem a um homem de rádio, um comunicador que durante décadas manteve sua expertise sempre em defesa do fortalecimento da cultura, da comunicação e

PREFEITURA DE POMBAL TEM NOVO PROCURADOR JURÍDICO

Maciel Gonzaga de Luna

A Procuradora do Município de Pombal, advogada Julia Marcia Lourenço, teve de se afastar do cargo para cumprir o calendário de Licença maternidade como determina a lei. Em seu lugar para ocupar a Pasta foi nomeado o advogado Maciel Gonzaga De Luna Gonzaga em ato assinado pela Prefeita Pollyanna Dutra na data de ontem 02/11/2013 em seu gabinete

TEMAS AFLITIVOS PARA UMA SOCIEDADE PASMA

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

As manifestações ocorridas nos últimos meses, iniciadas em junho último e mantendo-se mais aceleradas nesse mês de outubro, tem a tendência de perder a idiossincrasia da sociedade pela forma irresponsável de alguns elementos que não tendo nenhum vínculo com as classes organizadas que se manifestam, responsavelmente, em defesa das suas causas, mais que justas, introduzem uma violência física com prejuízo ao patrimônio público e privado, com atos de vandalismo nunca visto em nosso país, e em nenhum momento anterior da nossa história política. Infelizmente, quando esses elementos são contidos e presos pela polícia que procura manter a tranquilidade a população ordeira que sempre se comportou o brasileiro, a justiça vem e

ALPB E A MEDALHA MÉRITO JORNALÍSTICO ASSIS CHATEAUBRIAND!

Clemildo Brunet
Medalha Epitácio Pessoa
Clemildo Brunet*

Seis anos são passados desde quando recebi a notícia que Assembleia Legislativa da Paraíba iria me fazer à entrega da Medalha Mérito Jornalístico Assis Chateaubriand, uma propositura à época do Deputado Estadual Abmael de Sousa Lacerda (doutor Verissinho) da cidade de Pombal.

A notícia foi postada em primeira mão na internet no dia 06 de novembro de 2007 pelo o Jornalista João de Sousa Costa meu amigo e

CANOAS E CANOEIROS

Ignácio Tavares
Ignácio Tavares*
  
  Logo cedo entendi que, em época de inverno não era possível chegar ao sitio da minha avó Ana, a não ser através de canoas ou cavaletes. Atravessar o rio caudaloso de barreira a barreira ninguém se atrevia. Tinha que ser de canoa ou cavalete mesmo.
 A canoa, ou falua, na linguagem dos poetas cancioneiros do começo do século passado, é

FUNCIONÁRIO PÚBLICO

Clemildo Brunet

Por Clemildo Brunet*

No contexto social funcionário público não é aquele que só presta serviço ou exerce seu nobre trabalho para o governo. Sua função tem muito a ver com o que é público. Não é o lidar com as coisas que é do governo, mas o que é público, isto é, tudo que envolve as pessoas. É distorcido o pensamento achando que a função e o exercício da atividade do funcionário público sejam para o governo. Pelo contrário, ele se encontra na repartição pública para atender e

Poeta, Poesia e a Imortalidade

Genival Torres Dantas
Genival Torres Dantas*

Com o transcurso do aniversário do Vinícius de Moraes, 100 anos, que seria no último dia 19 e o dia do poeta, comemorado no Brasil no dia 20, próximos passados, resolvi fazer um trabalho lembrando aqueles, que considero como os maiores, entre os grandes, poetas da nossa língua. A poesia tem sua origem que antecede a escrita e é uma forma de comunicação que se distingue não como uma ramificação da arte, mas, para os mais entusiastas dessa forma de expressão, como a própria arte, dentro da cultura milenar. Muitos foram aqueles que se destacaram na defesa da poesia no decorrer da evolução das comunicações exercida pela humanidade. A língua portuguesa foi feliz com seus escritores tendo esses, sequenciado os fragmentos poéticos encontrados em cavernas e

JERDIVAN NÓBREGA DE ARAÚJO

Nasceu em Pombal em 23 de outubro de 1961, casado com Adeilde Pereira, pai de Rodrigo Márcio, Márcia Danielle, Ramom Diego, Anna Beatriz e os enteados Éricka, Andressa e Bruno Roberto.